Home / Notícias / 20/08/2020 - Arrecadação total soma R$ 115,990 bilhões e tem pior julho desde 2009

20/08/2020 - Arrecadação total soma R$ 115,990 bilhões e tem pior julho desde 2009

SyndContentImpl.value=
Recolhimento no acumulado do ano foi de R$ 781,956 bilhões, também pior resultado em 11 anos A arrecadação federal de impostos registrou queda real de 17,68% em julho, na comparação com um ano antes, e ficou em R$ 115,990 bilhões, conforme dados da Receita Federal divulgados nesta quinta-feira. Com o desempenho do mês, o recolhimento no ano foi de R$ 781,956 bilhões, um recuo de 15,16% em termos reais ante o mesmo período de 2019. Na série atualizada pela inflação, o resultado de julho é o pior para o mês desde 2009. Também no ano é o pior desde 2009. Conforme a Receita, o resultado da arrecadação em julho foi influenciado pela redução a zero das alíquotas de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) Crédito. O impacto sobre a arrecadação do mês foi de R$ 2,351 bilhões. Além disso, houve um crescimento de 95,83% no montante de compensações tributárias em relação a julho de 2019, totalizando R$ 18,701 bilhões. Os diferimentos de impostos tiveram impacto de R$ 516 milhões. O comportamento das principais variáveis macroeconômicas também influenciou a arrecadação. Em relação a julho de 2019, a produção industrial caiu 10,05%, as vendas de bens, 0,9%, e as vendas de serviços, 12,1%. A massa salarial nominal diminuiu 9,98% e o valor em dólar das importações, 28,55%. O Fisco destaca que houve um crescimento da arrecadação de Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) Capital, ?principalmente pelo aumento dos montantes de operações de swap?. Marcos Santos/USP Imagens Sem correção inflacionária, a arrecadação registrou queda de 15,79% em julho, ante o mesmo mês de 2019, quando a arrecadação total somou R$ 137,735 bilhões (valor corrente). Considerando somente as receitas administradas pela Receita, houve redução real de 15,35% no mês, somando R$ 110,540 bilhões na comparação com julho do calendário anterior. A queda nominal ficaria em 13,40%. No ano, as receitas administradas somaram R$ 747,757 bilhões, um decréscimo real de 14,97% e nominal de 12,47%. Já a receita própria de outros órgãos federais (onde estão os dados de royalties de petróleo, por exemplo) foi de R$ 5,450 bilhões no sétimo mês de 2020, queda real de 47,24% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em termos nominais, essas receitas recuariam 46,02% em julho, ante um ano antes. No ano, a receita própria de outros órgãos somou R$ 34,199 bilhões, o que corresponde a uma queda real de 19,03% ante o mesmo período de 2019. Setores No corte por setores da economia, os dados da arrecadação federal de julho mostram que a retração foi menor no atacadista, no qual a queda real nos recolhimentos de impostos e contribuições federais exceto Previdência foi de 2,93% de janeiro a julho, perante um ano antes. No setor de combustíveis, por sua vez, os recolhimentos cederam 58,45%. O setor de alimentação é outro que apresenta recuo bem acima da média: 40,72%. O recolhimento de impostos e contribuições federais administrados pela Receita Federal na fabricação de veículos automotores encolheu 33,67%. No setor de eletricidade, a baixa foi de 30,13%. Nas entidades financeiras, a redução ficou em 20,45%. Desonerações O governo deixou de arrecadar R$ 64,142 bilhões nos primeiros sete meses do ano devido a desonerações tributárias. Um ano antes, porém, abriu mão de R$ 56,330 bilhões. Apenas em julho, as desonerações somaram R$ 10,613 bilhões. No ano, somente com Simples e Microempreendedor Individual (MEI), o governo deixou de receber R$ 8,912 bilhões em tributos. Além disso, a desoneração da cesta básica contribuiu para uma redução de R$ 7,168 bilhões na arrecadação. Com o IOF crédito, a perda foi de mais R$ 6,268 bilhões. SyndContentImpl.interface=interface com.sun.syndication.feed.synd.SyndContent SyndContentImpl.type=text/html SyndContentImpl.mode=null Leia mais

Atendimento

COTAÇÃO ONLINE

Envie sua solicitação. A Miller Torres liga para você.

ONDE ESTAMOS

Rua 104 nº 192 St. Sul
Goiânia-GO, Brasil
CEP 74083-300

ATENDIMENTO

Telefone: (62) 3093-8080
Horário de atendimento:
Segunda a Sexta-feira
das 8:30h às 18:00h

NEWSLETTER