Home / Notícias / 18/08/2020 - Em nova vitória de Dallagnol, CNMP adia julgamento sobre caso do ?power point?

18/08/2020 - Em nova vitória de Dallagnol, CNMP adia julgamento sobre caso do ?power point?

SyndContentImpl.value=
Ação do ex-presidente Lula entrou na pauta do conselho mais de 40 vezes, mas nunca foi julgada O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) adiou, mais uma vez, o julgamento do processo contra o coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, por causa da apresentação do famoso ?power point? que colocou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como chefe de uma organização criminosa. O caso estava na pauta do conselho e não havia sido alvo de decisão do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que suspendeu a análise de dois processos que podiam levar ao afastamento de Dallagnol do comando da operação na segunda-feira. O episódio representa uma nova vitória para o procurador e a Lava-Jato de Curitiba, que vinha acumulando derrotas nos últimos meses, sendo contestada inclusive pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, que comanda o CNMP. Reprodução / Twitter O caso de Lula já entrou na pauta do conselho mais de 40 vezes, mas ainda não foi julgado. No início da sessão desta terça-feira, o relator Marcelo Weitzel pediu prioridade para o caso, porque o processo prescreve em 13 de setembro. O vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, disse que tentaria julgar o caso durante a tarde, porque primeiro priorizaria os processos disciplinares já abertos. A sessão, no entanto, foi encerrada sem que o procedimento fosse chamado. A ação do petista foi protocolada em 15 de setembro de 2016, um dia depois da apresentação do ?power point?. Além de Dallagnol, o pedido de providências também mira outros procuradores da Lava-Jato, como Julio Carlos Motta Noronha e Roberson Henrique Pozzobon. Uma fonte que acompanha o caso disse que, apesar de as decisões de Celso de Mello não alcançarem o caso do ?power point?, alguns conselheiros teriam entendido a manifestação do Supremo como um recado para poupar os procuradores. Na segunda-feira, o decano do STF suspendeu a tramitação de dois processos contra Dallagnol. Uma das ações foi apresentada pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL). A outra era um pedido de remoção apresentado pela senadora Kátia Abreu (PP-TO). SyndContentImpl.interface=interface com.sun.syndication.feed.synd.SyndContent SyndContentImpl.type=text/html SyndContentImpl.mode=null Leia mais

Atendimento

COTAÇÃO ONLINE

Envie sua solicitação. A Miller Torres liga para você.

ONDE ESTAMOS

Rua 104 nº 192 St. Sul
Goiânia-GO, Brasil
CEP 74083-300

ATENDIMENTO

Telefone: (62) 3093-8080
Horário de atendimento:
Segunda a Sexta-feira
das 8:30h às 18:00h

NEWSLETTER