Home / Notícias / 01/09/2020 - Juros futuros fecham em queda firme com reforma administrativa e Fed

01/09/2020 - Juros futuros fecham em queda firme com reforma administrativa e Fed

SyndContentImpl.value=
O tombo histórico da economia brasileira entre abril e junho pouco influenciou os negócios no mercado de juros nesta terça-feira (1º de setembro) O tombo histórico da economia brasileira entre abril e junho pouco influenciou os negócios no mercado de juros nesta terça-feira (1º de setembro). Logo no início do dia, a promessa do presidente Jair Bolsonaro de encaminhar ao Congresso a reforma administrativa ainda nesta semana gerou certo otimismo entre os investidores, o que ajudou a derrubar as taxas futuras e a tirar inclinação da curva a termo. O movimento ganhou apoio, durante a tarde desta terça, da queda dos rendimentos dos títulos do Tesouro americano (Treasuries) em reação a comentários feitos por Lael Brainard, que integra o conselho de diretores do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos). No fim do pregão regular, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2021 se manteve inalterada em 2,00%; a do DI para janeiro de 2022 caiu de 2,84%, no ajuste anterior, para 2,79%; a do contrato para janeiro de 2023 passou de 4,04% para 3,94%; a do DI para janeiro de 2025 cedeu de 5,88% para 5,75%; e a do contrato para janeiro de 2027 foi de 6,85% para 6,73%. Os juros futuros deram início a setembro com alívio na curva, após um mês de agosto marcado pelo aumento da volatilidade e pela apreensão dos agentes com a situação fiscal do país. Embora o rumo das contas públicas se mantenha no radar, o anúncio de que uma proposta de reforma administrativa será enviada ao Congresso na quinta-feira (3) gerou alívio entre os investidores, que, assim, deixaram em segundo plano o resultado ligeiramente pior do que o esperado do PIB brasileiro no segundo trimestre. Durante a tarde desta terça, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), lembrou que a reforma tributária e a PEC dos gatilhos do teto de gastos têm prioridade, já que sua tramitação está mais avançada. Ele, contudo, se disse otimista e afirmou que é possível votar tanto a reforma tributária quanto a administrativa ainda este ano. O anúncio do governo vem no mesmo dia em que foi divulgada a retração histórica de 9,7% do PIB brasileiro no segundo trimestre em relação aos três meses imediatamente anteriores. Algumas casas alteraram projeções para o PIB de 2020, mas a amplitude das estimativas permanece elevada. Citi (de -6,0% para -6,5%), Goldman Sachs (de -5,0% para -5,4%), J.P. Morgan (de -6,2% para -5,2%), BNP Paribas (de -7,0% para -5,0%), UBS (de -5,5% para -4,5%) e MB Associados (de -5,3% para -4,8%) foram algumas das instituições que revisaram suas estimativas para a atividade econômica neste ano. ?A economia sofreu fortes abalos da crise da covid-19 no segundo trimestre. Com certeza, embora abril tenha sido o pior mês para a maioria dos setores, algumas categorias ainda lutam para se recuperar e isso é especialmente verdadeiro no setor de serviços?, afirma o economista-chefe do Bradesco BBI, Dalton Gardimam, cuja estimativa para o PIB deste ano ficou inalterada em -6%. ?Em relação a 2021, a forte necessidade de consolidação fiscal, juntamente com o fim dos programas anti-covid, deve levar a uma desaceleração da atividade e esperamos que o crescimento do PIB de 2021 atinja 2,5%.? Durante a tarde, os juros futuros ampliaram o movimento de queda e foram às mínimas do dia, em linha com um movimento observado nos rendimentos dos Treasuries de longo prazo. A queda mais pronunciada das taxas futuras ocorreu após comentários da diretora do Fed Lael Brainard, que advogou por ainda mais ações do banco central americano a favor de estímulos adicionais à economia. Por volta de 16h, o retorno da T-note de dez anos caía a 0,670% e o yield do T-bond de 30 anos cedia a 1,423%. ?Como a recuperação provavelmente enfrentará ventos contrários relacionados ao vírus por algum tempo, nos próximos meses, será importante que a política monetária passe da estabilização à acomodação?, disse a dirigente do BC americano. Além disso, Brainard defendeu a revisão nas estratégias do Fed, ao dizer que o novo quadro de políticas coloca a autoridade monetária dos EUA em uma posição mais forte para apoiar a recuperação e ao ressaltar que, se a nova estrutura estivesse em vigor há alguns anos, os ganhos de emprego teriam sido ainda maiores. SyndContentImpl.interface=interface com.sun.syndication.feed.synd.SyndContent SyndContentImpl.type=text/html SyndContentImpl.mode=null Leia mais

Atendimento

COTAÇÃO ONLINE

Envie sua solicitação. A Miller Torres liga para você.

ONDE ESTAMOS

Rua 104 nº 192 St. Sul
Goiânia-GO, Brasil
CEP 74083-300

ATENDIMENTO

Telefone: (62) 3093-8080
Horário de atendimento:
Segunda a Sexta-feira
das 8:30h às 18:00h

NEWSLETTER