Home / Notícias /

16/11/2016 - Gestão por resultados: o segredo para conquistar colaboradores e clientes

Por Silvia Folster, administradora de empresas e CEO da Cianet
Caro gestor: se o foco da sua empresa tem sido a competitividade e a busca…

O colaborador de hoje tem desejos profissionais muito diferentes daqueles de um passado não tão distante assim. Os Millenials (nascidos a partir de 1982) buscam negócios com um propósito claro, e não aqueles em que o único objetivo é o retorno financeiro. O estudo Millenial Survey feito e publicado pela consultoria internacional Deloitte mostra os números coletados a partir de entrevistas com futuros líderes de 29 países. Entre os questionamentos estavam perguntas para saber como eles interpretavam o mercado e a forma como ele impacta a sociedade. Para eles, 75% das empresas estão preocupadas mais com a própria agenda do que em ajudar a melhorar a vida das comunidades onde operam.

Essa geração, cada vez mais presente em empreendimentos do mundo inteiro, dá valor ao envolvimento que as organizações criam com os seus colaboradores. Alguns deles só buscam oportunidades em empresas que demonstrem isso muito claramente, se engajem em algum trabalho social ou sejam extremamente inovadoras. Eles querem ser desafiados, bem tratados, ter experiências fora do país e, ao contrário do que se pensou durante os últimos anos, 70% deles espera trilhar a carreira em uma mesma firma durante a vida (informação da pesquisa feita pela consultoria KPMG com 500 estudantes de 23 países, entre eles o Brasil). É o fim da visão de que um emprego é só um emprego. É preciso oferecer mais e quebrar os paradigmas sobre os colaboradores.

Existe um forte desejo de ascensão rápida na carreira por parte destes ?novos entrantes?, e, uma forma de abreviar o desenvolvimento de competências tão necessários à carreira, é a troca. Equipes multidisciplinares, mesclando especialidades e experiência, é rica para todos os colaboradores e agrega ainda mais valor para os projetos da empresa.

Nós já identificamos essa necessidade e adotamos uma postura diferenciada. Temos uma relação horizontalizada entre as equipes, que podem usar uma rede social interna para acompanhar tudo o que acontece na empresa e contribuir com sugestões, independente da área à qual estejam vinculadas. As ideias circulam com mais facilidade, são partilhadas, melhoradas e aproveitadas, aumentando a sensação de pertencimento dos nossos colaboradores. Todos se sentem gestores do negócio, o que reforça a imagem de que quando há um ideal comum, o envolvimento das pessoas é maior e traz resultados.

Evidentemente que esse trabalho precisa de gestores ?fazedores?, que inspirem, motivem e saibam reconhecer talentos para remanejá-los conforme cada projeto. Um dos modelos que adotamos para isso é o chamado A-F (Bíblia da Inovação) que tem o propósito de levar a cultura da inovação contínua às organizações . Ele define perfis que devem ser atribuídos aos profissionais em um trabalho multitalentos e com equipes multidisciplinares da seguinte forma: os Ativadores têm a missão de iniciar o processo; os Buscadores são especialistas em buscar informações; os Criadores produzem ideias para o grupo; os Desenvolvedores conseguem transformar essas ideias em produtos e serviços; os Executores cuidam da implementação e da execução; e os Facilitadores aprovam os itens de despesas e investimentos necessários. Porém, apesar de estar mais compartilhada, a responsabilidade não diminui. Ao contrário: como o desempenho sobe, os desafios também são maiores. E os resultados aparecem, tanto que em 2016 estivemos pelo sexto ano consecutivo na lista das PMEs que mais crescem no país (ranking organizado pela Deloitte e revista Exame) e já conquistamos o prêmio de uma das melhores empresas para se trabalhar, do Great Place to Work.

Essas conquistas só foram possíveis porque tínhamos objetivos que estavam claros não só para os gestores, mas também para os colaboradores. Imagino que você possa conduzir um processo semelhante na sua empresa, não importa a área em que você atue. Entre os nossos clientes, por exemplo, estão pequenos provedores de internet e integradores de serviços de TI. Eles começam muito pequenos, geralmente dedicados a explorar mercados onde as teles tradicionais não têm estrutura, e focam principalmente nos processos. É claro que isso é importante, mas se a gestão for pensada considerando o resultado, será possível identificar oportunidades de envolvimento dos profissionais que estarão imersos em projetos e nada lhes vai tirar o foco.

É aqui que o ciclo se fecha: os mesmos Millenials que buscam empresas com uma estratégia moderna de gestão para trabalhar, são os que querem consumir de quem seja semelhante. Não importa a marca, mas os ideais ? e consumidores assim são muito mais fiéis do que os tradicionais, que se importam só com o preço, por exemplo. Se o seu time estiver conectado a esse raciocínio, a escolha pelo seu produto ou serviço será natural e inevitável.


saiba mais »

16/11/2016 - Presidente da ANSP recebe moção de louvor da Câmara Legislativa do Distrito Federal

Mauro César Batista, presidente da ANSP e Rodrigo Delmasso, deputado distrital

No último dia 3 de novembro, o Presidente da Academia Nacional de Seguros e Previdência - ANSP Mauro César Batista, foi agraciado com moção de louvor pela Câmara Legislativa do Distrito Federal em sessão solene presidida pelo Deputado Distrital Rodrigo Delmasso e proposta pelo Clube dos Corretores de Seguros do Distrito Federal.

"Não temos dúvidas em quanto a ANSP, como uma entidade de estudo, pesquisa e debate, precisa se fazer presente nessas oportunidades por ser uma entidade nacional. É uma honra para Academia ter esse reconhecimento e para mim receber esta homenagem aqui na Câmara Legislativa do Distrito Federal. Nós ficamos absolutamente honrados. E a homenagem e a honra não são somente para o Presidente, mas para toda a Diretoria, todos os Acadêmicos e a ANSP como um todo", afirma Mauro César Batista, presidente da ANSP.

 


saiba mais »

16/11/2016 - Franquia ou negócio próprio: qual a melhor opção para especialistas?

O mercado de franquias tem se tornado um investimento cada vez mais viável para os…

Segundo o Sebrae, cerca de 30% das empresas fundadas no Brasil fecham as portas antes de completar dois anos de atividade. Sendo assim, o risco de começar uma empresa do zero não é de se desprezar, mesmo que você já tenha todo o know how necessário para atuar em determinada área. Agora, quando você investe em uma franquia, além de receber todo o suporte necessário para a operação do negócio, você ainda terá a seu favor o peso de uma marca consolidada no mercado, que já passou e superou por todas as intempéries que, muito provavelmente, você enfrentaria ao abrir sua empresa.

Além disso, por mais que o franchising seja um mercado extremamente democrático, com opções para inúmeros segmentos, gostos e bolsos, profissionais mais técnicos e especializados que optam por investir no segmento, principalmente, quando escolhem uma área em que já possuem afinidade, têm uma chance de sucesso ainda maior. Isso acontece porque, normalmente, os setores que demandam profissionais mais qualificados à frente da operação do negócio, costumam atender uma demanda específica, porém recorrente.

Em uma consultoria de gestão da qualidade, por exemplo, o foco da empresa é contribuir para a evolução de organizações de portes e segmentos variados, através da implantação, manutenção e otimização dos modelos de gestão. Trata-se de uma demanda extremamente específica, mas, ao mesmo tempo, constante, uma vez que será difícil encontrar uma empresa que não se interesse em aumentar a produtividade, reduzir custos e melhorar a lucratividade.

Nesse caso, quanto mais especializado e qualificado o franqueado for, melhores serão os seus resultados. Pois, ao entender as necessidades da empresa, ter conhecimento das ferramentas que pode utilizar, dos processos essenciais a serem melhorados ou implantados, mais do que credibilidade, ele irá passar ao seu cliente conhecimento e empatia, o que sem dúvida, faz muita diferença. Principalmente por esses motivos, especialistas não só podem, como devem olhar o modelo de franchising como uma oportunidade de conquistar o sonho do próprio negócio. Portanto, se essa era um dúvida que te afligia, avalie sua carreira e, se esta não estiver te trazendo mais a satisfação que deseja para sua vida, busque novas alternativas e inclua o franchising nos seus planos.

Luciano Zorzal é palestrante, consultor, diretor de expansão da Zorzal Franquias e sócio-fundador da Zorzal Consultores & Auditores Associados, empresa com onze anos de atuação nacional na área de gestão empresarial e da qualidade, já certificada em conformidade com a ISO9001:2015 em janeiro de 2016.

Sobre a Zorzal Consultores & Assessores Associados:

www.zorzal.com.br/

Com onze anos de atuação na área de gestão empresarial e de qualidade, a Zorzal Consultores & Auditores Associados oferece serviços estruturados e personalizados capazes de atender às necessidades de cada organização, independente do porte ou área de atuação. Dentre as soluções oferecidas estão: consultorias, auditorias e treinamentos na área da qualidade e gestão empresarial, incluindo a implementação de modelos de gestão tendo como referência a consagrada norma internacional ISO 9001. Com todo esse know-how, a empresa optou por expandir pelo modelo de franquias no início desse ano.


saiba mais »

16/11/2016 - Saiba quais são as regras para viajar de avião com medicamentos

Medicamentos de uso contínuo exigem maior atenção. Regras para viagens ao exterior são diferentes. Fique…

Com alguns feriados à vista e o fim do ano se aproximando, é chegada a hora de começar a planejar suas viagens. Entretanto, para evitar imprevistos é importante ficar atento a certas regras, como o transporte de medicamentos, em especial, os de uso contínuo.

Para alertar os viajantes, a Allianz Global Assistance, líder global no segmento de seguro e assistência viagem, que no Brasil atua como representante de seguro da Allianz Seguros, separou algumas dicas importantes sobre o tema, que podem evitar muita ?dor de cabeça? para você

O Coordenador Médico da Allianz Global Assistance, José Sallovitz, responde às principais dúvidas sobre o tema.

Levando a farmácia na bagagem

Faço uso de medicação de uso contínuo. Eu posso viajar? Quais cuidados devo ter?

Os passageiros que fazem uso de medicação contínua ou controlada podem viajar tranquilamente, desde que tomem algumas medidas preventivas. ?Apesar de não ser obrigatório, em viagens dentro do Brasil, é indicado levar uma prescrição médica, registrada no nome do viajante, constando os medicamentos desse tipo que estão sendo transportados. Já no exterior, com diferentes normas sanitárias, é recomendado que o passageiro leve consigo também uma versão em inglês da receita e, se possível, a nota fiscal dos medicamentos?, explica o médico.

Qual a quantidade de medicamentos que eu posso transportar?

Isso varia de acordo com o tempo que você irá passar fora. Segundo o doutor José Sallovitz, uma boa dica é levar uma quantidade extra, para uma semana a mais, por exemplo, caso a sua viagem de retorno tenha que ser adiada.

Consigo comprar meus medicamentos de uso contínuo e controlado no exterior?

A prescrição médica brasileira não tem validade no exterior. Para isso, o viajante teria que passar numa consulta em um hospital local e solicitar uma receita do país em visita. ?Vale ressaltar que consultas clínicas não emergenciais, como essa, não estão cobertas pelo seguro viagem. Por isso, previna-se e leve a quantidade adequada dos seus medicamentos?, esclarece Sallovitz.

Durante a viagem, onde devo carregar meus medicamentos?

?Leve sempre na sua bagagem de mão e dentro dos blísteres, a embalagem original do medicamento. Caso um imprevisto como extravio da mala aconteça, você terá os seus remédios consigo, o que no caso de medicamentos de uso contínuo são de extrema importância?, alerta o doutor.

E os medicamentos de uso de rotina, que não precisam de receita. Posso leva-los sem preocupação?

Segundo Sallovitz, essa é uma questão importante. ?Alguns medicamentos de uso irrestrito aqui no Brasil, como a Dipirona Sódica, são proibidos em certos países, como nos Estados Unidos?. Outro ponto de atenção é o uso de anti-inflamatórios. ?Em muitos países do exterior a sua compra só é possível com uma prescrição médica local. Por isso, vale a pena levar em sua bagagem esse remédio, mesmo que seja apenas por precaução?, afirma.

Sobre a Allianz Global Assistance

A Allianz Global Assistance é líder em serviços de assistência 24 horas nos segmentos Automotivo, Viagem, Residencial, Saúde e Vida. São 34 centros de operações, cobrindo todos os continentes: 16 mil colaboradores falando 70 idiomas, 400 mil prestadores de serviços e 180 correspondentes, atuando em 75 países. No Brasil são 20 anos de atuação, com cerca de 1.700 profissionais, uma célula médica com equipe bilíngue e 14.000 prestadores de serviços que vivem para ajudar.

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em seguros de danos, pessoas e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 61 filiais. A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia. A Allianz SE, holding do Grupo, é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).


saiba mais »

16/11/2016 - Nova norma IFRS 9 exige adaptação das instituições financeiras brasileiras até janeiro de 2018

· Levantamento da Deloitte aponta que há um aumento dos orçamentos destinados à implementação de…

· Das 91 instituições financeiras participantes da pesquisa, 60% ainda não fez ou não conseguiu quantificar o impacto da transição ao IFRS9;

· Quase metade dos bancos acredita não ter recursos técnicos suficientes para se adaptar ao IFRS 9.

A partir de janeiro de 2018, as empresas financeiras e demais que adotam padrões contábeis internacionais precisarão se adequar à estrutura do IFRS 9 (International Financial Reporting Standards 9), que estabelece diferentes requisitos para a classificação e mensuração de ativos e passivos financeiros. Buscando formas de orientar seus clientes na implementação das novas normas, a Deloitte desenvolveu a pesquisa ?Sixth Global IFRS Banking Survey | No time like the present?. Com base em depoimentos de 91 bancos da Europa, Oriente Médio, África, Ásia e Américas, o relatório analisa, em perspectiva, como essas instituições estão respondendo ao desafio de se adequar aos novos requisitos.

Uma das principais conclusões do estudo é que há um crescimento contínuo dos orçamentos destinados à implementação de programas que permitam a transição ao IFRS dentro das instituições financeiras. No entanto, apesar do cenário promissor, o levantamento mostra que mais de três quartos do orçamento reservado pelas corporações para projetos ligados ao IFRS 9 ainda precisam ser utilizados. ?Esse é um fator a ser observado com atenção já que faltam menos de dois anos para a data oficial de transição?, explica Gilberto de Souza, sócio da área de mercados de capitais da Deloitte.

Outro dado relevante obtido no levantamento é que 60% das instituições financeiras ainda não fez ou não conseguiu quantificar o impacto da transição ao IFRS9. O mesmo percentual de bancos, no entanto, estima um aumento de cerca de 25% no volume de provisões com impairment (ou deterioração) dos ativos. Pelo novo modelo do IFRS, os bancos terão que constituir uma provisão para a perda esperada para o primeiro ano de vigência do empréstimo já no momento da concessão do crédito. O restante do montante para cobrir o débito deve ser contabilizado sempre que houver um sinal de deterioração da qualidade do crédito. ?Isto pode acontecer por conta do atraso no pagamento, da redução de rating de determinado ativo ou com base em cenário econômico desfavorável para uma determinada empresa ou segmento do mercado?, comenta Marcello Francesco, sócio da área de Serviços Financeiros da Deloitte

A pesquisa aponta também para a possibilidade de impacto na formação de preços, além da preocupação em manter o nível de qualidade dos dados, pois quase metade dos bancos acredita não ter recursos técnicos suficientes para se adaptar ao IFRS 9. Quase um quarto das instituições financeiras participantes do levantamento acredita ainda que não haverá habilidades suficientes disponíveis no mercado para cobrir eventuais déficits de formação de suas equipes técnicas.

O IFRS 9 favorece o entendimento das demonstrações financeiras por parte de investidores, órgãos reguladores internacionais e agentes do mercado, além de propor mudanças na forma de apresentação das informações. Por causa dessas mudanças, a nova norma pode afetar de forma significativa as projeções de resultados, pagamento de dividendos e a percepção das empresas já que prevê, entre outras medidas, a substituição do modelo de apuração de perdas incorridas por um modelo de perdas esperadas. A principal inovação deste sistema refere-se à introdução de premissas ligadas a variáveis macroeconômicas e setoriais nos modelos de estimativas de inadimplência, que terá que ser contabilizada antes mesmo do atraso nos pagamentos.

?Com a nova norma, a expectativa é que, uma vez que o banco tenha seu modelo de estimativa de perda esperada ajustado, ele ganhe sustentabilidade ao longo do tempo, ou seja, as instituições não poderão rever as premissas constantemente, a fim de gerenciar o impacto no resultado financeiro?, afirma Marcello de Francesco, sócio da área de serviços financeiros da Deloitte. ?Espera-se também que os juros cobrados nos empréstimos cresçam para preservar o spread, mas a decisão de repassar ou não o aumento aos clientes é estratégica e deverá ser analisada por cada uma das instituições financeiras", finaliza Gilberto.

O IFRS 9 teve origem na grande crise econômica internacional de 2007 e 2008. Na ocasião, o mercado financeiro observou que o modelo de perda incorrida adiava demais a contabilização de perdas com empréstimos imobiliários de baixa qualidade (conhecidos como subprime nos Estados Unidos), ainda que parte dos dirigentes dos bancos e dos investidores tivessem consciência de que a deterioração do cenário macroeconômico resultaria no crescimento da inadimplência.

Sobre a Deloitte

A Deloitte oferece serviços de auditoria, consultoria empresarial, assessoria financeira, gestão de riscos e consultoria tributária para clientes públicos e privados dos mais diversos setores. Atendemos a quatro de cada cinco organizações listadas pela Fortune Global 500®, por meio de uma rede globalmente conectada de firmas-membro em mais de 150 países, trazendo capacidades de classe global, visões e serviços de alta qualidade para abordar os mais complexos desafios de negócios dos clientes. Para saber mais sobre como os cerca de 244.400 profissionais da Deloitte impactam positivamente nossos clientes, conecte-se a nós pelo Facebook, LinkedIn e Twitter. No Brasil, onde atua desde 1911, a Deloitte é uma das líderes de mercado, com seus 5.500 profissionais e com suas operações em todo o território nacional, a partir de 12 escritórios.

A Deloitte refere-se a uma ou mais entidades da Deloitte Touche Tohmatsu Limited, uma sociedade privada, de responsabilidade limitada, estabelecida no Reino Unido ("DTTL?), sua rede de firmas-membro, e entidades a ela relacionadas. A DTTL e cada uma de suas firmas-membro são entidades legalmente separadas e independentes. A DTTL (também chamada ?Deloitte Global?) não presta serviços a clientes. Consulte www.deloitte.com/about para obter uma descrição mais detalhada da DTTL e suas firmas-membro.


saiba mais »

16/11/2016 - 4º Simpósio ExpoCIST é o grande encontro dos profissionais de seguros de transportes em 2016

O Clube Internacional de Seguros de Transportes (CIST) está com tudo pronto para quarta edição…

O 4º Simpósio ExpoCIST acontece no dia 24 de novembro, das 8h30 às 22h, no hotel Tivoli Mofarrej São Paulo, reunindo os associados ? corretores, seguradores, resseguradores e prestadores de serviço do ramo ? e grandes empresas que buscam contato com esse especializado público.

Segundo José Geraldo da Silva, presidente do CIST, a participação de respeitados profissionais reflete a confiança adquirida pela entidade no mercado de seguros de transporte. ?Com uma atuação séria focada em conteúdo, em pouco tempo o CIST conquistou o mercado e hoje seus eventos ganham prioridade nas agendas dos executivos de seguros de transportes?.

Na cerimônia de boas-vindas, acompanham o presidente do CIST, os líderes de importantes entidades representativas de seguros no Brasil e na América Latina. Apresentarão dados sobre o cenário dos seguros de transportes no Brasil: Alexandre Camillo, presidente do Sincor-SP (Sindicato dos Corretores de Seguros de São Paulo); Osmar Bertacini, presidente da APTS (Associação Paulista dos Técnicos de Seguros); Leonardo Umana, secretario geral da Alsum (Associação Latinoamericana de Subscritores Marítimos) e Daniel Beck, Presidente da IAATI ? Latino America (Associação Internacional de Investigadores de Roubo de Automóveis).

Em seguida, são cinco painéis com tempo para debates. O especialista de Subscrição de Transportes do IRB-Re, Sérgio Vasconcellos Dias, abordará o ?Panorama do mercado de resseguro no ramo Transportes no Brasil ? cenário atual e perspectivas?. Dr. Henrique Naoki Shimabokuro, diretor da ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), apresentará ?As causas e consequências dos acidentes rodoviários de cargas?. Nesse mesmo painel, Ramon Peres Martinez Garcia de Alcaraz,Fundador e presidente da FADEL Transportes e Logística, exibirá o Case de Sucesso ?Salvar vidas dá lucro?.

Após o almoço, Geiza Lima, gerente Comercial Marine da AON RISK, falará sobre "Mercado do seguro Operador Portuário no Brasil e no mundo". Em seguida, Xavier Pazmino, vice-presidente regional de Marine Latam da Chubb, apresentará a palestra ?DSU - Delay in Star ? Up - Cargas de Projetos?. Dr. Paulo Henrique Cremoneze, advogado, especializado em Direito do Seguro e Direito dos Transportes, finalizará com ?A hierarquia das leis dos seguros de transportes?.

As considerações finais sobre os painéis do 4º Simpósio ExpoCIST ficarão a cargo de Salvatore Lombardi Jr., vice-presidente do CIST e diretor de transportes da Argo Seguros, seguido do encerramento apresentado pelo presidente do CIST, José Geraldo da Silva. A mediação e coordenação do evento é responsabilidade do advogado e jornalista J.B. Oliveira.

Às 19 horas acontecem o coquetel de encerramento e a abertura da ExpoCIST, feira comercial que conta com estandes trazendo novidades sobre produtos e serviços, além de possibilitar um intenso networking entre os profissionais do setor. O 4º Simpósio tem o patrocínio das importantes empresas: Argo Seguros, Axa Seguros, Chubb Seguros, Grupo Fox Regulação & Auditoria, Grupo Golden Sat, Haüptli Advogados Associados, IRB Brasil Re, Moraes Velleda, Porto Seguro Transportes, Sascar, Serra & Company, Servis Gerenciamento de Risco, Sompo Seguros, Suatrans, Tokio Marine Seguradora e XL Catlin Seguros.

A ExpoCIST deste ano será animada com o show de Close Up Magic, do ilusionista Gilberto Banin, além de sorteios e atividades livres em cada estande. Durante o evento será entregue a mais recente edição da revista CIST News, outra iniciativa do CIST para levar informação e conhecimento aos profissionais do setor, registrando as conquistas para as quais caminha este segmento.

O investimento para o 4º Simpósio ExpoCIST é de R$ 200 para associados e R$ 300 para não-associados no pacote completo, que dá acesso às palestras e almoço, mas para aqueles interessados apenas em visitar a feira, o valor é de R$ 100. Inscrições e mais informações: www.cist.org.br


saiba mais »

16/11/2016 - Rádio CNseg lança aplicativo para smartphones

Disponível para os sistemas Android e iOS, nova plataforma facilita a interação do ouvinte com…

A partir de agora os ouvintes da Rádio CNseg estarão mais conectados com as notícias do mercado de seguros, por meio do aplicativo gratuito, que já está disponível para os sistemas Android e iOS. A operação pode ser realizada em poucos instantes. O aplicativo, além de possuir interface simples, dispõe de abas de notícias e de entrevistas. Há ainda um espaço para comentários, onde o ouvinte poderá expor dúvidas sobre os seguros, em geral.

"Queremos que a ferramenta seja um facilitador para o consumidor encontrar respostas mais rapidamente. Unir a força que o rádio possui e a tecnologia disponível é mais um caminho de conexão entre o mercado segurador e a sociedade?, afirma o presidente da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), Marcio Serôa de Araujo Coriolano.

O aplicativo pode ser baixado nas lojas virtuais ? App Store ou Play Store ? de acordo com o sistema operacional do smartphone.

Programação

As relações de consumo no Brasil são o foco da programação da Rádio CNseg esta semana. O presidente da Confederação, Marcio Coriolano, fala sobre os avanços no relacionamento entre empresas e consumidores brasileiros, e como a CNseg trabalha junto aos poderes constituídos para conscientizar sobre a importância do seguro. ?Na medida em que o consumidor fica mais consciente, ele amplia seu poder de escolha e fica também mais exigente, obrigando as empresas a se tornarem cada vez mais ágeis e modernas, para atender às novas demandas?, afirma Coriolano.

Sobre o mesmo tema, o quadro ?Entrevista especial? recebe o presidente do Instituto de Pesquisas Jurídicas e Sociais (IPJUS), Ricardo Morishita Wada, que aponta caminhos que levem a um número menor de processos no judiciário brasileiro. ?É importante que todos nós, como sociedade, estejamos comprometidos com esse processo. É debater, dialogar e exercitar, na substância, a democracia. Nesse sentido, as ações que investem em conscientização e empoderamento são medidas fundamentais, não apenas para diminuir litígios, mas também para a construção da cidadania?, pontua Morishita.

No quadro ?Conheça os Seguros Gerais?, o presidente da Comissão de Responsabilidade Civil Geral da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), Marcio Guerrero, abordará o seguro de responsabilidade civil para inquilinos e locatários em contrato de aluguel. Ele fala sobre os tipos de cobertura e os cuidados que devem ser observados ao se contratar este produto. ?A responsabilidade civil em contrato de aluguel foca o dano que o inquilino pode causar a um terceiro. Então, recomenda-se sempre que o inquilino contrate também uma cobertura de responsabilidade civil sobre o imóvel?, avalia. Já no quadro ?Qual é a dúvida??, o presidente da CNseg, Marcio Coriolano, responde a dúvidas do consumidor sobre o mercado de seguros.

A rádio traz ainda, diariamente, um boletim de serviço, notícias do setor, da economia e da política, além da programação musical. A grade completa está disponível em http://radio.cnseg.org.br.

Rádio CNseg

A Rádio CNseg é uma das 21 ações transformadoras propostas pelo Programa de Educação em Seguros da CNseg, e tem por objetivo ampliar os canais de diálogo do setor de seguros com a sociedade, combater a desinformação e esclarecer a população sobre os fundamentos e características dos produtos oferecidos pelos segmentos de seguros, previdência privada, saúde suplementar e capitalização. Exclusiva para plataforma online, a Rádio é transmitida por meio do site http://radio.cnseg.org.br. Também poderá ser acessada pelo portal www.cnseg.org.br.

 


saiba mais »

16/11/2016 - Aplicativo SulAmérica Auto oferece serviço para pequenos reparos

Parceria inédita com a Car10 traz mais um diferencial para o app, que ajuda o…

O aplicativo SulAmérica Auto ganha mais uma novidade para proporcionar agilidade, economia e praticidade aos segurados. O app, disponível na App Store (iOS) e no Google Play (Android), passa a oferecer serviço de pequenos reparos, em parceria com a Car10.

A nova funcionalidade dentro do aplicativo pode ser utilizada para pequenos reparos no veículo ? arranhões, amassados etc. Em poucos cliques, o segurado envia fotos do local do dano no veículo e recebe orçamentos de oficinas em poucas horas para realização do reparo. Após a escolha, o cliente agenda o atendimento, vai até a oficina e pode pagar direto pelo aplicativo. A novidade permite ainda acompanhar todas as etapas do processo.

?O aplicativo SulAmérica Auto é parte importante da nossa estratégia de estar presente em todos os momentos do cliente com o carro, oferecendo proteção completa com praticidade e comodidade. Vemos o app como uma central de serviços para o cuidado com o automóvel, o que ganha ainda mais força com esta nova funcionalidade?, afirma o vice-presidente de Auto e Massificados da SulAmérica, Eduardo Dal Ri.

Além de poder acionar e acompanhar o trajeto do reboque em tempo real e solicitar mecânico para emergências, no aplicativo o segurado pode também utilizar com desconto os serviços da Easy Carros, que oferece lavagem ecológica, higienização de ar-condicionado, cristalização de vidros, limpeza técnica de motor, hidratação de couro, higienização interna, enceramento e polimento. Os serviços são realizados na data e no local escolhidos pelo segurado e também podem ser pagos direto pelo aplicativo.

O app disponibiliza ainda o cartão do segurado, informações sobre a apólice, pagamento, localização dos postos de vistoria e dos Centros Automotivos SulAmérica (CASA) e canais de atendimento da seguradora, tornando-se, assim, um dos apps mais completos do mercado.

Sobre a SulAmérica

A SulAmérica é a maior seguradora independente do Brasil, com uma rede de distribuição de mais de 30 mil corretores independentes. Fundada em 1895, a companhia possui cerca de 5,3 mil funcionários e atua em várias linhas de seguros, como saúde e odontológico, automóveis e outros ramos elementares, vida, além de outros segmentos, como previdência privada, investimentos e capitalização. A SulAmérica tem mais de 7 milhões de clientes, de pessoas físicas a grandes empresas, em todo o país. Em 2015, a companhia registrou receitas totais de R$ 17,4 bilhões. Para mais informações, acesse: www.sulamerica.com.br


saiba mais »

16/11/2016 - Bradesco Auto Center oferece agilidade e conforto no atendimento ao cliente

Em fevereiro próximo, o Grupo Bradesco Seguros vai comemorar os 10 anos do Bradesco Auto…

Entre os serviços oferecidos no Bradesco Auto Center estão: atendimento de sinistros a segurados e terceiros, vistoria prévia, retirada de carro reserva, reparo e troca de vidros, serviço de aluguel e instalação de equipamento antifurto.

Para Enrico Ventura, Diretor de Operações de Auto/RE do Grupo Bradesco Seguros, a principal facilidade proporcionada pelo BAC é a integração. "O diferencial dos nossos centros automotivos tem sido o atendimento rápido, completo e integrado proporcionado pela qualidade dos serviços e por eles estarem todos juntos em um mesmo lugar. Isso se encaixa em nossa proposta de oferecer as melhores soluções e comodidade aos clientes", explica o executivo.

Nos Centros Automotivos, os clientes contam ainda com diferenciais importantes, como: parcelamento e desconto em franquia para reparo na oficina referenciada BAC; serviço de leva e traz para segurado que deixa o veículo no BAC (retirada e devolução do carro reserva, bem como do veículo encaminhado para reparo na oficina referenciada); extensão de cinco dias no carro reserva (além do limite contratado na apólice) para segurados que utilizam as oficinas referenciadas; mediação de acordo com terceiros envolvidos em acidentes com segurados Bradesco Seguro Auto com prejuízo apurado de até R$ 5.000,00 (agilidade na solução do caso); acompanhamento detalhado de sini stro e aluguel de veículo com tabela diferenciada (disponível para clientes segurados e não segurados).

O crescente número de atendimentos nas unidades do Bradesco Auto Center em todo o País reflete o grau de satisfação dos usuários. Pesquisa realizada pelo Grupo Segurador com mais de 1.000 clientes e terceiros apontou índice de satisfação geral de 85% dos entrevistados. Postura, segurança e interesse do profissional; clareza nas informações repassadas; conforto; praticidade e facilidade de comunicação foram os atributos mais valorizados pelos entrevistados. O resultado do estudo mostrou também uma padronização de atendimento entre todas as unidades.

A pesquisa apurou ainda que o corretor é a principal fonte de indicação dos centros automotivos, o que reforça a política do Grupo Bradesco Seguros de ter a distribuição de seus produtos alicerçada nos corretores de seguros.

O Grupo Bradesco Seguros conta com unidades do BAC em Belo Horizonte/MG, Brasília/DF, Campinas/SP, Caxias do Sul/RS, Curitiba/PR, Cuiabá/MT, Florianópolis/SC, Fortaleza/CE, Goiânia/GO, João Pessoa/PB, Joinville/SC, Maceió/AL, Natal/RN, Osasco/SP, Porto Alegre/RS, Recife/PE, Ribeirão Preto/SP, Rio de Janeiro/RJ (Botafogo, Centro e Barra da Tijuca), Salvador/BA, Santo André/SP, Santos/SP, Vitória/ES e São Paulo/SP (Indianápolis, Ipiranga, Lapa, Santana, Santo Amaro, São Miguel e Tatuapé).

Sobre o Grupo Bradesco Seguros

O Grupo Bradesco Seguros, conglomerado segurador da Organização Bradesco, lidera o mercado de seguros brasileiro, com atuação em âmbito nacional nos segmentos de Seguros, Capitalização e Previdência Complementar Aberta. De janeiro a setembro de 2016, o Grupo Segurador registrou faturamento de R$ 50,2 bilhões - evolução de 10,3% sobre igual período de 2015. Há cerca de uma década, o Grupo Bradesco Seguros vem sustentando crescimento médio anual na casa de dois dígitos, mantendo market share em torno de 25%. Seu volume de provisões técnicas atingiu R$ 213,6 bilhões em junho de 2016.


saiba mais »

16/11/2016 - Evento discute a inovação nos seguros pessoais

Osmar Bertacini, presidente da APTS.
Palestras enfocaram o impacto da tecnologia no futuro do ramo.

Dia 5 de outubro, a Sociedade Brasileira de Ciências do Seguro (SBCS) e a i2S, empresa líder em Portugal no segmento de soluções para a indústria seguradora, realizaram o ?Seminário Internacional de Inovação em Seguros Pessoais?. O presidente da APTS, Osmar Bertacini, que também é membro da diretoria da SBCS, prestigiou o evento.

Gastão Taveira, administrador executivo da i2S, comentou que 32% dos prêmios globais de seguro de vida estão no mercado europeu e 3% na América Latina. ?Significa um grande mercado a ser explorado?, disse. Para Nilton Molina, presidente do Conselho de Administração da Mongeral Aegon, a baixa penetração desse seguro é resultado da falta de oferta. ?O problema é que oferecemos pouco?, disse.

José de Faria Loureiro, diretor de Tecnologia, Projetos e Novos Negócios da Icatu Seguros, destacou que diante da crescente adesão às redes sociais, deve-se pensar em soluções de seguros digitais na próxima década. Segundo ele, em 2050 a população idosa será nativa digital e que o mercado de seguros precisa estar preparado.

A Mongeral, segundo Molina, criou o Instituto de Longevidade com o objetivo de discutir o futuro da população idosa. ?Seremos experientes, ativos e capazes?, disse. Para Loureiro, é importante respeitar modelos anteriores que deram certo. Mas, são as empresas de tecnologia, startups e outras, segundo ele, que estão fazendo a diferença no mercado com soluções inovadoras.

Paulo Padilha, Head of PreSales i2S Portugal, enfatizou que a tecnologia está mudando o comportamento do consumidor ao trazer, por exemplo, novas formas de pagamento. ?Com o cruzamento de dados, as seguradoras podem programar um seguro de vida com preço, prazo e coberturas, apenas observando a atividade e comportamento de pessoas nas redes sociais?, disse.

Luiz Eduardo Fraga, Head Of Sales Brasil da i2S Portugal, comentou que sobre o cenário brasileiro de mudanças, com a regulamentação do Universal Life. ?Estamos acompanhando tudo para ajudar as seguradoras com as nossas soluções?, disse.

Ao final do evento, o presidente da SBCS Affonso Fausto ressaltou que a entidade surgiu com o propósito de ensino, pesquisa e divulgação da cultura do seguro. ?Esperamos incluir mais jovens ao quadro associativo?, disse.


saiba mais »

16/11/2016 - Projeto no Senado muda repasses do DPVAT

Projeto no Senado muda repasses do DPVAT
Parcela destinada ao governo federal terá mudanças nos percentuais e aos órgãos de destinação

Projeto reduz repasses para o Ministério da Saúde

Se aprovado, um projeto de lei que tramita no Senado vai alterar a distribuição dos recursos repassados ao governo federal. Do total arrecadado, 50% são enviados ao governo, via Ministério da Saúde (45%) e Ministério da Cidade (5%). Pelo projeto, da senadora Ana Amélia (PP-RS), os repasses agora serão enviados para estados e municípios, sem passar pelo Fundo Nacional de Saúde, além de órgãos da previdência social para programas de habilitação e reabilitação. A proposta depende da escolha de relator na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) para avançar.

Pela modificação de percentuais de repasse, o Ministério da Saúde passaria a receber 15% dos recursos, para custeio dos serviços pré-hospitalares e hospitalares de urgência do Sistema Único de Saúde (SUS); o Ministério da Fazenda, 10%, entidades gestoras dos regimes próprios de previdência social, nos estados, municípios e DF (20%); e 5% para o Ministério das Cidades, destinados ao Departamento Nacional de Trânsito, para aplicação em programas de prevenção de acidentes. Outros 50% continuarão voltados às indenizações e reservas, sob o controle do mercado segurador.

A proposta prevê também revisão anual dos valores das indenizações por danos pessoais causados por veículos automotores de via terrestre. Hoje são R$ 13.500,00 nos casos de morte e invalidez permanente total ou parcial, ou até R$ 2.700,00, no caso de despesas com assistência médica e despesas suplementares devidamente comprovadas.

A senadora afirma que os valores estão defasados. Ela propôs uma indenização de R$ 24.985,52 no caso de morte e invalidez permanente, total ou parcial, e de até R$ 4.997,16 como reembolso à vítima no caso de despesas com assistência médica.


saiba mais »

16/11/2016 - Palestra on-line abordará carreira e mercado de trabalho

Palestra on-line abordará carreira e mercado de trabalho
Perspectivas de carreira, gestão e mercado de trabalho na área de seguros para o ano…

Apresentada em ambiente virtual, a palestra será conduzida pela gerente de divisão da Robert Half, Ana Clara Guimarães. Ela atua há 10 anos na área de Recrutamento e é especialista na seleção de profissionais para os mercados financeiro e de seguros.

As análises serão baseadas na 9ª edição do Guia Salarial da Robert Half. Ana Clara falará sobre orientações, tendências de remuneração e informações estratégicas sobre recrutamento.

Gratuito e com início às 15h, o webinar não tem limite de inscrições e permite aos participantes o envio de perguntas em tempo real. A palestra poderá ser assistida em iPhone, iPad e aparelhos que utilizam o sistema operacional Android. As inscrições devem ser feitas no www.funenseg.org.br.

 

 


saiba mais »

16/11/2016 - Crise ou prosperidade - como a postura pode alterar os resultados dos negócios!

Crise ou prosperidade - como a postura pode alterar os resultados dos negócios!
?Como reinventar seu negócio em época de crise?, ?Os desafios de administrar uma empresa no…

Acho importante falar sobre o assunto, mesmo que eu, pessoalmente, evite participar de eventos que tenham como foco falar ou se posicionar de maneira negativa em relação à situação. Para mim, falar de crise é contraproducente, invariavelmente causa um efeito contrário daquilo que buscamos para as nossas empresas, que é a prosperidade.

Em minha opinião, a prosperidade tem pouca relação com fatores externos; digo isso com a experiência que possuo no segmento de varejo farmacêutico. Até nessa área observo claramente que uma parcela significativa dos empresários está vivendo uma profunda crise em seus negócios.

Seja pela baixa lucratividade, diminuição do faturamento, aumento dos custos operacionais ou agressividade dos concorrentes, enfim, poderíamos listar diversos fatores que foram responsáveis por essa situação, por outro lado, vamos encontrar uma parcela expressiva de empresários que estão comemorando os bons resultados de seus negócios.

Quando conversamos com alguém que esta prosperando, ouvimos sempre a frase: ?o mercado farmacêutico é resiliente e não tem os mesmos problemas de outros segmentos?. Quando conversamos com alguém que está em crise, ouvimos: ?a crise está em todos os segmentos e o mercado farmacêutico não é imune a tudo isso?.

Considerando tudo isso, é certo afirmar que, seja ele o mercado que atuo ? que é o varejo farmacêutico ? ou qualquer outro, o que fazemos é administrar um empreendimento e, por definição, um empreendimento tem como objetivo o desenvolvimento de uma atividade visando sua lucratividade e seu crescimento. Portanto, todos que resolvem empreender têm, conceitualmente, os mesmos objetivos, mas, na minha visão, o que vai fazer a diferença são as características da pessoa que está à frente.

Não basta ser empresário, é preciso ser empreendedor, que é aquele que, além de ser criativo, aceita riscos, confia na própria capacidade, tem persistência, proatividade, otimismo e não desiste nas dificuldades. É uma pessoa que visualiza o futuro e se propõe a construí-lo.

Concluindo, não adianta falarmos de crise e participarmos de seminários para entender o tamanho da dificuldade; não adianta acharmos que nosso futuro está apenas nas mãos dos economistas ou governantes, é preciso ter a clareza e a certeza de que o sucesso ou o fracasso da sua empresa estão nas atitudes e na coragem que se tem de correr riscos e não desistir nunca, mesmo quando tudo parece perdido.
Edison Tamascia é empresário do varejo farmacêutico há 40 anos. É presidente da Febrafar (Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias), da rede de Drogarias Ultrapopular e da administradora de redes Farmarcas.


saiba mais »

16/11/2016 - Receita paga penúltimo lote do IR - saiba se está nele ou na malha fina

Receita paga penúltimo lote do IR - saiba se está nele ou na malha fina
O pagamento do penúltimo lote de restituições do Imposto de Renda 2016 será pago pela…

Para saber quem está nesta lista ou mesmo quem já caiu na malha fina, o acesso referente à restituição deve ser obtido pelo site da Receita, no endereço: http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/Atrjo/ConsRest/Atual.app/paginas/index.asp

Malha Fina

Os contribuintes também já estão podendo pesquisar para saber se ficaram ou não na malha fina. Com a modernização do sistema a Receita Federal a agilidade para disponibilizar a informação neste ano foi muito maior. Para o diretor tributário da Confirp Consultoria Contábil, Welinton Mota, quem sabe ou acha que errou na declaração, a preocupação em pesquisar a situação é válida, mas não é necessário nervosismo. Ajustes ainda são possíveis antes que seja chamado pelo Fisco.

Mesmo para quem já sabe que está na malha fina, não é necessário pânico, ajustes ainda são possíveis com uma declaração retificadora. "A Receita Federal permite o contribuinte acesso ao detalhamento do processamento de sua declaração através do código de acesso gerado no próprio site da Receita Federal ou certificado digital. Caso tenha sido detectada alguma divergência o Fisco já aponta ao contribuinte o item que esta sendo ponto de divergência e orienta o contribuinte em como fazer a correção", explica Welinton Mota.

Como pesquisar?

Assim para saber se há inconsistências em suas declarações do Imposto de Renda e se, por isso, caíram na malha fina do Leão, ou seja, se tiveram seu IR retido para verificações é necessário acessar o extrato da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física de 2016, disponível no portal e-CAC da Receita Federal. Para acessar é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal, ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.

De acordo com a Receita Federal, o acesso ao extrato, por parte dos contribuintes, também permite conferir se as cotas do IRPF estão sendo quitadas corretamente; solicitar, alterar ou cancelar débito automático das cotas, além de identificar e parcelar eventuais débitos em atraso, entre outros serviços.

"Em relação à declaração retida, se não houver erros por parte do contribuinte que necessite enviar uma declaração retificadora, o caminho é aguarda ser chamado para atendimento junto à Receita", complementa o diretor da Confirp Contabilidade.

Como corrigir os erros?

Mas se os erros forem detectados é importante fazer a declaração retificadora. O procedimento é o mesmo que para uma declaração comum. A diferença é que no campo "Identificação do Contribuinte", deve ser informada que a declaração é retificadora. Também é fundamental que o contribuinte possua o número do recibo de entrega da declaração anterior, para a realização do processo.

A entrega dessa declaração poderá ser feita pela internet. O contribuinte que já estiver pagando imposto não poderá interromper o recolhimento, mesmo havendo redução do imposto a pagar. Nesse caso, deverá agir da seguinte forma:
· Recalcular o novo valor de cada quota, mantendo-se o número de quotas em que o imposto foi parcelado na declaração retificadora, desde que respeitado o valor mínimo;
· Os valores pagos a mais nas quotas já vencidas devem ser compensados nas quotas com vencimento futuro ou ser objeto de pedido de restituição;
· Sobre o montante a ser compensado ou restituído incidirão juros equivalentes à taxa Selic, tendo como termo inicial o mês subsequente ao do pagamento a maior e como termo final o mês anterior ao da restituição ou da compensação, adicionado de 1% no mês da restituição ou compensação.
Caso tenha pago menos que deveria, o contribuinte terá que regularizar o valor na restituição de suas declarações, recolhendo eventuais diferenças do IRPF, as quais terão acréscimos de juros e multa de mora, limitada a 20%. E isso só pode ser feito antes do recebimento da intimação inicial da Receita.

Para quem já foi intimado, a situação se complica, não podendo mais corrigir espontaneamente as suas declarações e ficando sujeitos, em caso de erros comprovados, à cobrança do imposto, acrescido de juros de mora e multa de 75% a 150% - sobre o valor do imposto devido e o valor da despesa que foi usada na tentativa de fraude. Se caracterizar crime contra a ordem tributária, o contribuinte estará sujeito a sanções penais previstas em lei - com até dois anos de reclusão.
Situação Solução
Constatado que a declaração retida em malha tem informações incorretas Fazer declaração retificadora, corrigindo eventuais erros cometidos.
Atenção: não é possível a retificação da declaração após início de investigação pela Receita.
Não encontrar erros na Declaração retida em malha e o contribuinte tem toda a documentação que comprova as informações declaradas 1ª opção:
Solicitar a antecipação da análise da documentação que comprova as informações com pendências.
2ª opção:
Aguardar intimação ou notificação delançamento da Receita Federal, para só então apresentar a documentação.

Contudo, o diretor da Confirp faz um alerta: "Na declaração retificadora não é permitida a mudança da opção, ou seja, se o contribuinte declarou na "Completa" deve retificar sua declaração nesta forma, mesmo que o resultado na "Simplificada" seja mais vantajoso. Além disso, o contribuinte pode fazer a retificadora a qualquer momento, desde que não seja iniciada nenhuma ação fiscal por parte da Receita Federal, que pode ocorrer a qualquer momento em até cinco anos".

"Assim, para concluir, se ao acessar a declaração for informado que ela está "Em Processamento", é importante que o contribuinte confira todos os dados para certificar que não há erros e aguardar, pois, muitas vezes a declaração retida pelo Fisco não significa erro na declaração do contribuinte e sim, que informações estão sendo buscadas e análises feitas pela Receita Federal nas fontes pagadoras, por exemplo, a empresa que deixou de repassar para a Receita Federal os impostos retidos de seus funcionários", finaliza o consultor da Confirp.

Veja os principais erros na hora de declarar o IR

São vários os motivos que levam os contribuintes a malha fina. Assim, o diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil, Richard Domingos recomenda que os contribuintes, depoisde entregar a declaração, guardem os documentos por pelo menos seis anos, pois poderão ser solicitados a qualquer momento pela Receita Federal, para prestação de conta recomenda.

Mas quais os principais fatos que levam os contribuintes a caírem na malha fina? Veja o que aponta o diretor da Confirp Richard Domingos:

1. Informar despesas médicas diferente dos recibos, principalmente em função da DMED;
2. Informar incorretamente os dados do informe de rendimento, principalmente valores e CNPJ;
3. Deixar de informar rendimentos recebidos durante o ano (as vezes é comum esquecerde empresas em que houve a rescisão do contrato);
4. Deixar de informar os rendimentos dos dependentes;
5. Informar dependentes sem ter a relação de dependência (por exemplo, um filho que declara a mãe como dependente mas outro filho ou o marido também lançar);
6. A empresa alterar o informe de rendimento e não comunicar o funcionário;
7. Deixar de informar os rendimentos de aluguel recebidos durante o ano;
8. Informar os rendimentos diferentes dos declarados pelos administradores / imobiliárias.

A empresa pode levar o funcionário à malha fina quando:

1) Deixa de informar na DIRF ou declara com CPF incorreto;
2) Deixar de repassar o IRRF retido do funcionário durante o ano;
3) Altera o informe de rendimento na DIRF sem informar o funcionário.

 


saiba mais »

16/11/2016 - ANS Estabelece Regras Para Venda Online De Planos De Saúde

ANS Estabelece Regras Para Venda Online De Planos De Saúde
Através da Resolução Normativa nº 413, publicada no Diário Oficial da União, a ANS determina…

De acordo com a Agência, as operadoras, administradoras de benefícios e corretoras podem oferecer esse tipo de comercialização, mas a venda online é facultativa e não substitui a presencial, ficando a critério do consumidor a melhor forma de contratar um plano de saúde.
Novas regras

Antes de finalizar a contratação, as operadoras devem apresentar as informações do contrato, como: tipo de contratação e suas peculiaridades, área geográfica de abrangência do plano de saúde, formação do preço, serviços e coberturas adicionais;
Todos os guias e manuais obrigatórios na contratação presencial devem estar disponíveis para impressão ou download;

O sistema eletrônico deverá gerar automaticamente número de protocolo de visualização imediata, que também será encaminhado para o e-mail cadastrado pelo interessado, esclarecendo as etapas de contratação quando a compra for realizada;

Tanto para a contratação de planos individuais quanto de coletivos (por adesão ou empresariais), a operadora deverá, no prazo máximo de 25 dias corridos (a partir da data de envio das informações necessárias), concluir o processo de contratação e apresentar as opções de pagamento. Se for necessário perícia ou entrevista qualificada, a operadora deverá oferecer ao consumidor no mínimo três opções de data e horário, dentro do prazo estabelecido pela ANS;

A data de início de vigência dos contratos individuais fechados por meio eletrônico será o dia efetivo de pagamento da primeira mensalidade feito pelo beneficiário. Mas o consumidor deve estar atento: a disponibilização do pagamento somente poderá ocorrer ao final do processo de contratação, após o contratante assinar sua ciência e concordância com os termos do contrato;
Seguindo o Código de Defesa do Consumidor, a regra estipulada pela ANS prevê que o contratante poderá exercer seu direito de arrependimento e rescindir o contrato no prazo de sete dias a partir da data de vigência do contrato.


saiba mais »

16/11/2016 - Allianz Construção está disponível para cotação online

O Allianz Construção, produto destinado à edificação, reforma e ampliação de edificações com características residenciais,…

Mario Jorge, diretor de Negócios Corporativos da Allianz Seguros, afirma que a mudança proporciona autonomia ao canal de distribuição da companhia. ?A cotação via web também facilita a captação e reversão de negócios, já que o processo é descomplicado. O que antes demorava em torno de cinco dias úteis, agora leva alguns minutos?, diz.

O produto contempla diversos tipos de obras, possibilitando ao corretor ofertar proteção e atuar em segmentos variados. Além disso, conta com coberturas adicionais diferenciadas, como Honorário de Perito, Obras Civis, Instalações e Montagens Concluídas e Armazenamento Fora do Canteiro de Obras ou Local de Risco.


saiba mais »

16/11/2016 - Desigualdades no setor de seguros

Mulheres são minoria em cargos de liderança e ganham menos que homens.

As mulheres representam 56% de todos os funcionários de seguradoras e 58% dos profissionais com formação superior ou pós-graduação. Mas, ainda convivem com desigualdade profunda entre gêneros. Essa disparidade se reflete na distribuição dos cargos de liderança e, consequentemente, também nas faixas de remuneração. Os dados são do 2º Estudo Mulheres no Mercado de Seguros no Brasil, da Escola Nacional de Seguros, apresentado no dia 26 de outubro, na sede da instituição.

O estudo coordenado pelos professores Maria Helena Monteiro e Francisco Galiza ? respectivamente, diretora da área de Ensino Técnico da Escola Nacional de Seguros e consultor da Escola - aponta os desafios e gargalos da força de trabalho feminina em um segmento que, apesar da persistente crise econômica, atrai um número crescente de profissionais.

Apesar de representarem a minoria, os homens ficam com sete de cada dez cargos executivos nas empresas seguradoras. De todos os funcionários masculinos de uma seguradora, 4,7% se tornam executivos. Na ala feminina, essa proporção cai para 1,4%. Isto é, a probabilidade de um homem se tornar executivo da empresa é quase 3,5 vezes maior que a de uma mulher.

Nos cargos intermediários, a proporção é semelhante. Em 2015, seis em cada dez gerentes das empresas seguradoras eram homens. De todos os funcionários masculinos de uma seguradora, 10,6% se tornam gerentes; entre elas, esse índice foi de 5,4%. Logo, a chance de um homem alcançar o posto de gerente é duas vezes maior que a de uma mulher.

A diferença é ainda mais gritante ao se considerar a remuneração da mão de obra feminina neste mercado. Em uma amostra com 18 empresas seguradoras (que representam de 85% a 90% do total de funcionários do setor), o salário médio é de R$ 4.520/mês. Os homens recebem R$ 5.371, em média, contra R$ 3.858 mil para mulheres. Dessa forma, o salário médio das mulheres corresponde a 72% da remuneração dos homens.

De acordo com Galiza, os números apurados no mercado de seguros brasileiro estão próximos dos verificados em outros países. Em 2013, a empregabilidade masculina situou-se em 72%, contra 47% nas mulheres. Globalmente, as mulheres também recebem menos do que os homens (entre 60% a 75% dos salários). Entretanto, do ponto de vista econômico, a igualdade de gênero levaria a um ganho de US$ 850 bilhões em dez anos.

Maria Helena Monteiro chamou atenção para a representatividade da mulher na economia brasileira. Ela citou a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que mostra a evolução do papel feminino. Em 2001, no Brasil, 27 das famílias eram chefiadas por mulheres. Em 2009, passou para 35%. Em 2014, esse número foi de quase 40%, o que representava 28 milhões de lares no país. ?Foi uma mudança expressiva em somente 15 anos e que deverá ser acentuada com o aumento do desemprego?, disse.


saiba mais »

16/11/2016 - Saúde Suplementar é tema de seminário promovido pelo Sincor-SP

O Sindicato dos Corretores de Seguros no Estado de São Paulo (Sincor-SP) promove no dia…

?Os seminários multidisciplinares têm por objetivo orientar os participantes a diversificar sua carteira, buscar novos nichos, expandir sua área de atuação, e, consequentemente, aumentar sua rentabilidade?, explica o presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo.

Organizado pela Comissão de Saúde do Sincor-SP, o evento tem por objetivo desmitificar a venda de planos de saúde. ?Muitos corretores, por falta de conhecimento, não o incluem em seus portfólios. Dessa forma, perdem não só uma excelente oportunidade de ampliar seus negócios como também de fidelizar clientes?, afirma Ariovaldo Bracco, coordenador da Comissão.

Além de Bracco, participam como palestrantes Josafá Ferreira Primo, José Epaminondas de Lima Jr. e Vânia Maria de Freitas, membros da Comissão de Saúde do Sincor-SP.

Horário

Tema

Palestrante

13h30

Credenciamento

 

14h

Boas-vindas

 

14h15

Por que e como vender Planos de Saúde

Ariovaldo Bracco

14h45

Empresarial, PME Grupal, Planos por Administração e Stop Loss

Josafá Ferreira Primo

15h30

Coffee Break

 

15h45

Planos individuais e por Adesão

José Epaminondas de Lima Jr.

16h15

Saúde Suplementar e a Judicialização

 Vânia Maria de Freitas

16h45

Encerramento

 


saiba mais »

16/11/2016 - Subscrição mais seletiva em transportes

Seguradoras adotam políticas de aceitação de risco mais cautelosa para frear sinistralidade da carteira

Roubo de carga tem aumento expressivo no País

Uma política de subscrição de risco mais severa é a estratégia adotada pelas seguradoras de transportes para afugentar o aumento da sinistralidade na carteira, algo que tem a ver com o salto no roubo de cargas nas estradas brasileiras. ?O roubo de cargas é um fenômeno recorrente. Ora cai, ora sobe, mas não há dúvidas de que tem uma relação direta com o momento econômico. Quando a economia está bem, o roubo existe, mas não atinge as proporções elevadas dos períodos de crise, como o atual?, explica o presidente da Comissão de Transportes da FenSeg, Alexandre Leal Rodrigues.

A severidade dos roubos colocou o Brasil no mapa mundial de estradas mais perigosas para o transporte de carga, segundo o mais recente levantamento feito pelo JCC Cargo Watchlist, comitê que congrega gestores de riscos do mercado segurador de Londres. Alguns trechos de rodovias brasileiras figuram na lista negra da entidade, como os da BR-116 (Curitiba ? São Paulo e Rio de Janeiro ? São Paulo); SP-330 (Uberaba ? Porto de Santos) e BR-050 (Brasília ? Santos).

E pior: os roubos não ocorrem mais apenas nas rodovias federais, mas nas regiões metropolitanas das principais capitais, porque é mais fácil a abordagem a caminhões menores encarregados de distribuir as mercadorias nas cidades.

Na Pavuna, por exemplo, bairro do subúrbio do Rio de Janeiro cercado por favelas e depósitos de mercadorias, o ciclo de roubo exibe um viés de forte alta. ?Nos veículos menores, é mais fácil fazer a desova das mercadorias do que nos caminhões de grande porte usados nas rodovias?, diz Alexandre Leal Rodrigues.

Para ele, ?embora embarcadores, transportadores e seguradoras adotem uma série de ações de gerenciamento de riscos, o ideal seria o poder público fazer algo a mais no campo da segurança. Mas não há dúvidas de que, dada a crise, a área de segurança pública nos estados sofre os efeitos das dificuldades orçamentárias. Então, é um momento ruim porque não há respaldo forte no campo da segurança pública, e os roubos proliferam?, diz ele.

Ainda mais porque o roubo de carga continua a ser considerado um crime de menor potencial agressivo. Isso significa que os ladrões, quando julgados, têm penas de até quatro anos e não chegam a cumprir penas de reclusão, se forem primários. Ou seja, voltam para as ruas e novamente ao crime, dizem especialistas em segurança pública. A legislação frouxa também estimula a receptação de cargas roubadas.

Alexandre Leal Rodrigues reconhece que, do outro lado, há uma inteligência do mal, capaz de neutralizar os efeitos do sofisticado arsenal tecnológico usado no rastreamento e monitoramento das cargas. O mercado hoje adota a segunda geração de rastreadores, além de iscas eletrônicas, para, havendo roubo, ter mais chances de recuperar parte ou a totalidade da carga, explica o presidente da Comissão de Transportes da FenSeg.

As iscas eletrônicas, colocadas em algumas embalagens de mercadorias transportadas, permitem chegar aos depósitos clandestinos para os quais as cargas são levadas, sendo comum encontrar nesses estabelecimentos lotes de carregamento de diversas transportadoras e embarcadores vítimas dos assaltos.

Os gêneros alimentícios estão entre os produtos que lideram o ranking dos roubos, mas ?não podemos desprezar outros itens como eletroeletrônicos, cigarros, confecções, medicamentos e autopeças?, assinala Alexandre Leal Rodrigues. Em razão disso, as seguradoras precisam fazer uma precificação adequada, avaliando o tipo de mercadoria transportada, o histórico de sinistros dos embarcadores/transportadores, definição de rota, horário do translado, uso de escolta, equipamentos eletrônicos, antes da fixação dos prêmios e de franquias. ?Todos precisam estar juntos e partilhar responsabilidades?, afirma ele.

Ainda mais porque a taxa de expansão de prêmios, essencial para fazer frente às despesas na carteira de Transportes, avança mais lentamente este ano (3,7% até agosto), reflexo direto da desaceleração da economia, ao passo que os sinistros se tornam mais frequentes. Como a perspectiva de recuo dos negócios deve permanecer pelo menos até o primeiro semestre de 2017, Alexandre Leal Rodrigues afirma que uma política de subscrição adequada é a única arma do mercado para conviver com um momento de perdas maiores.

Levantamento da NTC&Logística (Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística) informa que houve 19.250 registros de roubos de carga em 2015 no Brasil, expansão de 10% sobre as 17.500 ocorrências de 2014. O prejuízo gerado foi R$ 1,12 bilhão, um recorde. O Sudeste lidera as ocorrências, com 85,7% dos casos.


saiba mais »

16/11/2016 - O consumidor no foco do CDC e do CPC

Evento promovido pela AIDA e ANSP discutiu pontos principais sob a ótica do seguro.

As alterações no Código de Defesa do Consumidor (CDC), que foram aprovadas no Senado Federal no ano passado e agora estão sob a avaliação da Câmara dos Deputados, e o novo Código de Processo Civil (CPC), em vigor desde março, foram analisados sob o ponto de vista do consumidor de seguros. Dia 25 de outubro, a Associação Internacional de Direito de Seguros (AIDA) e Academia Nacional de Seguros e Previdência (ANSP) reuniram especialistas no auditório do Sindseg-SP para discutir os pontos mais polêmicos.

Sobre o CDC, O advogado e professor da UFRS Bruno Miragem lembrou que um dos princípios mais importantes é o dever de informação do fornecedor. Para ele, é direito do consumidor ter a informação correta sobre o produto ou serviço. Nesse aspecto, destacou a dificuldade dos segurados de interpretarem as cláusulas e coberturas do seguro.

Miragem também comentou as propostas de mudanças do CDC, que tratam especialmente de comércio eletrônico. O objetivo é criar um Marco Legal, visando a adoção de regras gerais para aumentar a transparência e a segurança nas transações virtuais. Com a aprovação da proposta, haverá cobertura maior em relação à devolução de bens e serviços, assim como a aplicação de penalidades para fornecedores virtuais que realizarem práticas abusivas.

A proposta também cuidou de uma das características do comércio eletrônico, que é a despersonalização e desmaterialização do contrato. Miragem comentou que a Súmula 479/12 do STJ reforçou essa tese, ?qualificando? e ?repersonalizando? o fornecedor da internet, que será obrigado a fornecer CNPJ e endereço físico. ?Parece pouco, mas é uma maneira de materializar o fornecedor?, disse. As mudanças também preveem aos consumidores de internet o direito à privacidade de seus dados e a não discriminação de acesso por suas condições financeiras.

Já o novo CPC prevê que mesmo comprando um produto no exterior o foro competente para processar e julgar problemas de consumo será o brasileiro. O que atrai a jurisdição nacional, neste caso, é o domicílio ou residência do consumidor. ?Trata-se de disposição que se encontra em acordo com o direito fundamental de defesa do consumidor, e seu acesso à justiça, independentemente do local onde tenha sido celebrado o contrato de consumo, assim como o local de cumprimento de suas prestações, que em ambos os casos poderá se dar fora do Brasil?, disse.

O juiz de Direito Alberto Gentil de Almeida Pedroso abordou as alterações do CPC e as relações de consumo, destacando a criação das audiências de conciliação. Mas, alertou que a falta de estrutura de algumas varas poderá inviabilizar as conciliações. Já sobre o CDC, ele citou o incidente de desconsideração da personalidade jurídica, previsto no artigo 28, na qual o juiz poderá desconsiderar a pessoa jurídica, atingindo os bens do seu representante legal.

Na plateia, Cirlene Siqueira, sócia da AIDA e advogada no escritório Nascimento, Oliveira e Siqueira Advogados, comentou as apresentações. "Diante da expansão dos negócios virtuais, as alterações do CDC pretendem uma proteção mais abrangente ao consumidor no comércio eletrônico. O novo CPC também trouxe instrumentos de fortalecimento das normas consumeristas, como é o caso da mediação e conciliação para uma rápida solução de conflitos e da desconsideração da personalidade jurídica, permitindo ao juiz aplicar o instituto sem necessidade de ação autônoma", observou.


saiba mais »

16/11/2016 - Revista do SINCOR-GO é finalista do Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros; corretores que votarem concorrem a um iPhone

A agência AMPLI Comunicação, responsável pela Assessoria de Comunicação do SINCOR Goiás, é finalista no…

Os corretores que votarem concorrerão a um iPhone 6S. A votação segue aberta até o dia 23 de novembro. Para votar na reportagem veiculada na Revista Sincor basta inserir o CPF cadastrado na base de dados da Fenacor e escolher o trabalho ESPECIAL 30 ANOS DO SINCOR-GO.

Nessa categoria, são avaliadas reportagens que tenham como foco exclusivo a atuação dos corretores de seguros, como principal canal de distribuição de seguros no Brasil, e no reconhecimento da importância destes profissionais como consultores especializados, que agregam valor ao produto final.

Há dez anos no mercado, a AMPLI Comunicação é uma agência especializada no atendimento a entidades classistas e instituições, em especial no setor de seguros e no meio jurídico. A Revista Sincor é apenas um dos produtos sob a responsabilidade da AMPLI Comunicação. No atendimento à entidade, a agência disponibiliza um leque de serviços e soluções em Comunicação, como assessoria de imprensa; produção de conteúdos editoriais e curadoria de redes sociais.

 


saiba mais »

16/11/2016 - Propostas Para Seguro De Saúde Popular São Apresentadas

Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, algumas instituições envolvidas na elaboração do chamado Plano…

Durante participação em evento com empresários do setor de saúde, o ministro também afirmou que um novo prazo de funcionamento da comissão que trabalha a proposta foi estabelecido. O governo aguarda um retorno das entidades do setor privado sobre a formatação do programa.

Ainda de acordo com Barros, o prazo de funcionamento da comissão que trabalha a proposta foi prorrogado e uma nova reunião deve acontecer nos próximos 15 dias na capital paulista.

 


saiba mais »

16/11/2016 - Tire as principais dúvidas sobre planejamento tributário

A crise está afetando grande parte das empresas e nessa hora a palavra de ordem…

Assim, se uma empresa pretende sobreviver à crise, é fundamental a contratação de uma contabilidade que possibilite o melhor planejamento tributário. Sendo fundamental buscar reduções dentro de acordo com as frequentes alterações tributárias às quais as empresas devem se adaptar no país, administrando melhor seus tributos, obtendo maior lucratividade no seu negócio.

Segundo o diretor executivo da Confirp Contabilidade Richard Domingos, "o planejamento tributário é o gerenciamento que busca a redução de impostos, realizados por especialistas, resultando na saúde financeira. Sabe-se que em média 34% do faturamento das empresas é para pagamento de impostos. Com a alta tributação no Brasil além de terem de enfrentar empresas que vivem na informalidade, várias empresas quebram com elevadas dívidas fiscais. Assim, é salutar dizer que é legal a elisão fiscal ".

Quais os principais tipos de tributação?

São três os principais tipos de tributação: Simples Nacional, Presumido ou Real. O diretor explica que "a opção pelo tipo de tributação que a empresa utilizará no próximo ano fiscal pode ser feita até o início do próximo ano, mas, as análises devem ser realizadas com antecedência para que se tenha certeza da opção, diminuindo as chances de erros". Importante ressaltar que cada caso deve ser analisado individualmente, evidenciando que não existe um modelo exato para a realização de um planejamento tributário já que existem várias variáveis.

Entenda melhor os tipos de tributação

Simples Nacional - é um sistema simplificado e compartilhado de arrecadação, fiscalização e cobrança direcionado para a sobrevivência das micro e pequenas empresas. Para isso, oferece vantagens, como administração mais simples e redução dos valores a seres recolhidos (na maioria dos casos). É ideal para os empresários com altas ou médias margens de lucro e despesas baixas e que possui o consumidor como seu alvo final. Contudo, existem uma série de regras para que se possa enquadrar nessa condição.

Lucro presumido - é um tipo de tributação simples no qual se define a base do cálculo do imposto de renda dos empresários que não têm a obrigação de ser apurado por meio do lucro real. Com o valor do lucro presumido se realiza um cálculo das contribuições federais e dos impostos. Esse sistema é interessante para empresas que possuem as margens reduzidas de lucro, folha salarial de valor baixo, menores despesas operacionais.

Lucro real - nesse sistema tributário é considerado o lucro líquido que engloba o período com ajuste de exclusões, adições, além de compensações descritas ou com a autorização da legislação fiscal. Sendo indicado a que possui lucro menor a 32% da receita bruta. Assim é interessante para as empresas de grande porte com as margens de lucro reduzidas, folha de pagamento baixa, despesas altas, como fretes, energia elétrica, locações e não depende do consumidor. O lucro real é obtido a partir do devido cálculo das contribuições federais e dos impostos, sendo necessário ter uma rígida escrituração contábil, lembrando que os custos devem ser comprovados com o objetivo da realização de uma compensação ou uma dedução.

Como se faz um planejamento tributário?

"De forma simplificada, num planejamento tributário se faz a análise e aplicação de um conjunto de ações, referentes aos negócios, atos jurídicos ou situações materiais que representam numa carga tributária menor e, portanto, resultado econômico maior, normalmente aplicada por pessoa jurídica, visando reduzir a carga tributária", explica Domingos.

Alguns cuidados são fundamentais para que não se confunda elisão fiscal (Planejamento Tributário) com evasão ilícita (sonegação), pois neste último caso o resultado da redução da carga tributária advém da prática de ato ilícito punível na forma da lei.

Quais os riscos em um planejamento tributário?

"Na ânsia de realizar um planejamento tributário, muitas vezes o empresário se esquece de preocupações básicas para se manter dentro da lei. Para evitar a evasão ilícita, existe lei que possibilita que a autoridade administrativa desconsidere os atos ou negócios jurídicos praticados com a finalidade de dissimular a ocorrência do fato gerador do tributo, para que não haja", alerta o diretor executivo da Confirp.

Outro cuidado do empresário é ter em mente que o planejamento tributário é meio preventivo, pois deve ser realizado antes da ocorrência do fato gerador do tributo. "Um exemplo deste tipo de ação é a mudança da empresa de um município ou estado para outro que conceda benefícios fiscais", detalha Richard Domingos.

Por fim, a valorização dos contadores e advogados das empresas é fundamental para a realização de um planejamento adequado, principalmente por serem eles as pessoas que tem contato mais próximo com a realidade da empresa e com questões judiciais, podendo repassar essas informações para a empresa com maior correção.


saiba mais »

16/11/2016 - Finanças: entenda quando o barato sai caro

Com a proximidade da Black Friday, podemos falar sobre quanto o brasileiro gosta de liquidação.…

Independentemente do período do ano, é importante saber que nem todo produto ou serviço com preço mais atrativo vale a pena, pois, muitas vezes, a qualidade pode ser menor, o risco pode ser maior e a probabilidade de ter que repetir a compra em um curto período de tempo é muito grande, gerando então gastos inesperados que prejudicam o orçamento e o planejamento financeiro.

Para esclarecer, separei quatro situações em que o barato pode sair caro. Confira:

Utilizar rastreador em vez de seguro de carro
Muitas pessoas optam pelo rastreador quando o assunto é proteger o carro. A opção é bem mais barata que o seguro convencional, no entanto, pode custar muito mais caro caso o veículo seja roubado e não recuperado. Além disso, o rastreador não tem a finalidade de cobrir acidentes, por isso é uma alternativa incompleta no quesito proteção.

Não ter plano de saúde
Alguns problemas de saúde podem ser evitados, mas outros apenas surgem quando menos se espera. Por isso, é tão importante investir em um plano de saúde, afinal custos com internação e remédios são muito altos e podem causar um rombo no orçamento caso não exista uma reserva destinada a emergências.

Comprar roupas e sapatos em promoção
Ainda que os olhos brilhem quando uma roupa ou um sapato está em promoção, não é indicado adquirir um produto somente motivado pelo preço. Geralmente, esse é o tipo de compra que fica ?encostada? e sem uso. Ou seja, é apenas perda de dinheiro.

Importar produtos
Existem vários sites internacionais que vendem desde roupas até eletrônicos com um preço muito acessível. Não à toa, a quantidade de compradores brasileiros nesse tipo de comércio passou de 38% em 2014 para 54% no ano seguinte.

Apesar de valer a pena em alguns casos, é preciso atenção ao comprar no e-commerce estrangeiro, pois, se o produto for taxado na alfândega, o custo total pode até ultrapassar o valor que pagaria no Brasil. Outro risco, no caso de roupas e sapatos, é de não servir ou chegar com pequenos defeitos.Dora Ramos é educadora financeira e diretora responsável pela Fharos Contabilidade & Gestão Empresarial (www.fharos.com.br)

 


saiba mais »

16/11/2016 - Negócios apostam na economia comportamental

Estudo busca sentido no que influencia as decisões cotidianas

As disciplinas dedicadas à psicologia comportamental dentro do contexto de negócios sempre tiveram uma alta reputação acadêmica. Contudo, chega o momento em que as empresas e consultorias estratégicas também devem reconhecer essa mudança fundamental no setor; é preciso revisar sua sabedoria de mercado e renovar princípios. O KES - Knowledge Exchange Sessions de 22 de novembro se debruça sobre o tema para provar que, ao seguir parâmetros comportamentais, as marcas conseguem se tornar insubstituíveis não apenas no coração, mas no dia a dia dos consumidores.

Segundo as novas teorias econômicas baseadas em estudos de neurocientistas, antropólogos, psicólogos, estatísticos, físicos e economistas, existem muitos fatores irracionais que influenciam as decisões e comportamentos dos seres humanos. Foi através dessa união de áreas diferentes que surgiu o estudo da economia comportamental, que busca compreender como vieses de cognição e conduta influenciam a tomada de decisões e o comportamento das pessoas.

Por exemplo, uma simples reformulação na comunicação, como a mudança de abordagem das perguntas de um formulário, pode alterar o padrão de resposta, já que muda a forma em que a mente é usada para a decisão. Ou ainda, a incorporação de elementos como empatia e altruísmo em campanhas em que o consumidor paga com ?boas ações?. Estes e outros princípios da Economia Comportamental têm a capacidade de mudar completamente a forma como as pessoas se sentem diante de uma experiência.

Para aprofundar o tema e demonstrar como o comportamento afeta a maneira como as pessoas trabalham, se relacionam, investem e tomam decisões, a convidada do keynote ?Behavioural Economics? do KES será a cientista comportamental Francesca Gino, professora da Harvard Business School. Francesca irá explorar decisões inconsistentes, que costumam ser ignoradas tanto em situações específicas quanto as de caráter mais amplo, como as relações humanas. Junto com os participantes, ela vai ajudar a identificar e evitar essas influências, em busca de escolhas mais assertivas.

Na sequência, para levar esta discussão para a prática, o KES recebe Flávia Ávila, consultora pioneira no Brasil especializada em aplicar Economia Comportamental para entender como consumidores, pessoas e organizações fazem escolhas.

Francesca Gino

Cientista Comportamental e professora de administração de empresas em Negociação, Organizações & Unidade de Mercados da Faculdade de Administração de Harvard. Escreveu o livro Sidetracked: Why Our Decisions Get Derailed, and How We Can Stick to the Plan. Sua pesquisa foca em julgamentos e tomadas de decisões, negociações, ética, motivação, produtividade e criatividade, e explica o que podemos fazer para seguir nossos planos ? no trabalho, em nossa vida pessoal e enquanto organizações.

Flávia Ávila
Fundadora do site EconomiaComportamental.org e da InBehavior Lab. Professora e Coordenadora do MBA em Economia Comportamental da ESPM, economista, mestre em Economia Comportamental pelo CeDEx ? Centre for Decision Research and Experimental Economics UoN e doutoranda em Economia na Unb. Idealizadora do Guia de Economia Comportamental e Experimental. Possui mais de 10 anos de experiência prática em estudos experimentais sobre o comportamento humano, sendo sete destes em áreas de inteligência de marketing, consultoria interna e planejamento de empresas de grande porte.

Serviço (confirme sua presença até 18/11)
Data: 22 de novembro de 2016
Horário: 8h às 11h50
Local: Casa Itaim

Sobre o KES
O KES ? Knowledge Exchange Sessions ? é uma plataforma de conteúdo de inovação baseada em tecnologia, comportamento e criatividade. Seus encontros reúnem altos executivos de diversos setores da economia para aproximá-los de conteúdos sobre inovação. O principal objetivo é abordar temas mais atuais da nova economia, como Big Data, Internet das Coisas, Sharing Economy, Movimento Maker, Behavioral Economics, Smart Humans, novos modelos de negócios, entre outros. A curadoria do KES conta com especialistas renomados, como Carla Mayumi, sócia-fundadora da The Mob; Maria Juliana, sócia-fundadora e CEO da The Mob. O empresário Ricardo Al Makul, é o CEO e idealizador do KES.


saiba mais »

16/11/2016 - Prudential anuncia troca de CEO no Brasil

Fabio Lins comunica decisão de sair e será substituído em março por Marcelo Mancini Peixoto

A Prudential do Brasil (POB) anunciou hoje que seu atual presidente e CEO, Fabio Lins, comunicou sua intenção de deixar a empresa no final de março de 2017, com o objetivo de dedicar-se a projetos pessoais. Em consequência, a seguradora nomeou Marcelo Mancini Peixoto, atual vice-presidente executivo da POB, como presidente e CEO adjunto da companhia. Para assegurar uma transição tranquila, Mancini e Lins trabalharão juntos nos próximos meses e Mancini assumirá a posição de presidente e CEO na saída de Lins.

Lins integrou a Prudential do Brasil por mais de 14 anos, atuando como COO e, posteriormente, como presidente e CEO, posição que ocupou por quase sete anos. Além do papel de liderança de Lins dentro da empresa, ele também participou ativamente de várias organizações da indústria, incluindo a Cnseg, a FenaPrevi, a Associação de Seguros de Vida e de Fundos de Pensão do Brasil, o Conselho Empresarial de Seguros e Resseguros da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), e atuou no conselho de desenvolvimento do Centro de Proteção e Serviços de Seguros da Cnseg.

"Quero agradecer ao Fabio por sua liderança e pelo grande impacto que ele gerou no negócio e nas pessoas que fazem parte da Prudential do Brasil. Gostaria de desejar sucesso a ele e à sua família na próxima fase de sua vida pessoal", declarou James Weakley, presidente da Prudential International Insurance para Europa e América Latina. ?Ao mesmo tempo,? Weakely complementa, ?estou feliz de que Marcelo, dado a seus anos de experiência, esteja pronto para assumir a função de CEO e dar continuidade ao trabalho do Fabio para assegurar a segurança financeira dos brasileiros?.

Lins deixará a empresa no final do primeiro trimestre de 2017. Até lá, ele trabalhará muito próximo a Mancini para garantir uma transição tranquila. Mancini está na POB há mais de dez anos, estando muito envolvido em todos os aspectos do negócio e, mais recentemente, liderando a aquisição (ainda pendente) da empresa de seguro de vida em grupo do Itaú. Antes disto, ele era o CFO da empresa. Seu conhecimento no setor de seguros e sua posição de liderança dentro da empresa fazem dele a pessoa ideal para continuar o sucesso que a POB conseguiu sob a gestão Fabio Lins, segundo nota à imprensa. A liderança para o negócio de vida em grupo será anunciada em algumas semanas.

"Aproveitei muito minha carreira na POB, mas estou ansioso para desenvolver mais plenamente meus interesses pessoais", disse Lins. "A missão de trazer segurança financeira para os brasileiros é algo pela qual eu sei que Marcelo tem grande paixão. Ele traz grande experiência e talento para o papel de CEO, e estou certo de que a empresa irá prosperar sob sua liderança."


saiba mais »

16/11/2016 - Por que é tão importante estabelecer um ambiente de diálogo entre líderes e liderados?

Questões mal resolvidas influenciam no ambiente, no resultado dos negócios e no desenvolvimento profissional

O ser humano se torna melhor quando consegue administrar as questões difíceis do dia a dia seja no trabalho, seja na sua vida pessoal. Quando os profissionais começam a conciliar suas necessidades individuais com os limites das outras pessoas, eles passam a ter melhores condições de tomar decisões mais acertadas e ponderadas. Eles se tornam profissionais melhores e também pessoas melhores. Para conquistar esse equilíbrio é preciso, muitas vezes, enfrentar conversas difíceis, como dizer ao seu chefe que não está satisfeito com a forma de avaliação ou ao seu colega que não gosta da maneira como ele faz críticas ao seu trabalho.

Nem sempre é fácil abordar alguém com uma temática delicada e a maioria das pessoas opta por evitar o conflito postergando e até piorando uma situação que deveria ser resolvida com um simples diálogo e troca de ideias. Na maioria dos casos, as pessoas têm receio de serem mal compreendidas, que tenham suas imagens arranhadas a partir de uma conversa difícil mal sucedida e se perguntam: ?Como serei interpretado? De que forma isso fragiliza a minha imagem dentro da organização??.

Para Denilson Grecchi, especialista do Grupo Bridge, os ambientes corporativos deveriam estar preparados para qualquer tipo de conversa. ?O ideal é que o ambiente e as pessoas estejam sempre preparados para conversar sobre qualquer assunto, seja ele difícil ou não?, afirma. Denilson explica que o que chamamos de ?relação de confiança? não é construída do dia pra noite e que a coerência das atitudes com relação ao discurso é a base desse relacionamento. ?Não há como estabelecer uma relação de confiança sem propor o diálogo, sem apresentar inquietudes e descontentamentos, seja por parte dos colaboradores, seja por parte dos líderes?, diz.

Quando os diálogos acontecem de maneira franca e sem ?punições?, vínculos de confiança são gerados e, a partir disso, os resultados são impactados positivamente com muitos ganhos para as empresas e para os colaboradores, entre eles:
- Ambiente mais saudável. Menos tensão, menos angústia, mais humor, relacionamentos que funcionam e onde as pessoas sabem que podem contar com as outras.
- Ambiente se transforma mais rapidamente porque as pessoas estão abertas para soluções e novos cenários.
- Aumento da produtividade porque as pessoas sabem exatamente o que a empresa espera delas.
- Maturidade profissional. As pessoas ampliam suas consciências e amadurecem profissionalmente sempre que se posicionam. Trata-se de uma experiência importante e que melhora o relacionamento e o nível de confiança estabelecido no ambiente de trabalho.

Dicas práticas para as conversas difíceis:

Para Fernanda Macedo, também especialista do Grupo Bridge, existem algumas dicas para se ter essa conversa difícil. ?Quando se está numa cultura onde não há muito espaço para o diálogo, o ideal é ir acompanhado de outras pessoas que compartilhem das mesmas sensações. Dessa forma, a conversa passa a ser direcionada por um senso comum?, diz.

Fernanda ainda aconselha a ?não atacar ou ter uma postura defensiva?: ?O melhor é que se tenha uma proposta de diálogo. A ideia é construir, agregar, trocar ideias. Uma dica é perguntar ao invés de afirmar, convidando o interlocutor a uma reflexão?, afirma.

Antes de ?sair falando? é fundamental que as pessoas se preparem. Para começar, é preciso ter certeza de que aquela conversa é mesmo necessária. ?É importante que as pessoas avaliem: o impacto que vai causar no meu interlocutor, quais são os ganhos e as possíveis perdas, eu tenho argumentos e um posicionamento claro de onde quero chegar??, diz a especialista. A partir dessa reflexão, é essencial equilibrar as emoções para que se tenha um diálogo promissor. ?Jamais inicie uma conversa difícil nervoso, com raiva ou indignação. Equilibre suas emoções para depois agir em prol de uma mudança positiva onde se conquista novas perspectivas para os dois lados?, finaliza.

Sobre o Grupo Bridge

Com 21 anos de atuação, o Grupo Bridge é uma empresa de soluções em desenvolvimento humano e atua fortemente na prestação de serviços de consultoria em diferentes segmentos utilizando metodologia autoral pautada por três principais autores: Jacob Levy Moreno, Paulo Freire e Humberto Maturana. Fruto de uma parceria entre Celso Braga e Sérgio Cruz, ambos psicólogos e especialistas no comportamento humano, o Grupo Bridge se dedica a contribuir para o clima, ambiente e saúde das organizações. Apaixonados por cuidar de gente, a consultoria desenvolve o comportamento das pessoas, promove educação, fortalece as relações, amplia a visão e consciência de todos para o alcance dos melhores resultados.

Denilson Grecchi

Denilson é especialista do Grupo Bridge. Psicólogo e Mestre em Psicologia da Saúde, ele possui artigos, publicações e apresentações em congressos nacionais e internacionais na área da saúde mental. Possui sete anos de experiência na área de psicologia organizacional. Trabalha como consultor em projetos de desenvolvimento organizacional de equipes, lideranças, formação e reparação de relações no contexto profissional e atividades de avaliação de desempenho. Seu diferencial é a alta capacidade de entender o contexto e o cenário dos grupos em que atua, tornando os trabalhos mais assertivos atendendo as necessidades reais de dos grupos em prol dos objetivos estratégicos de cada organização.

Fernanda Macedo

Fernanda é especialista do Grupo Bridge. Mestre em Psicologia com destaque para os temas de gestão de pessoas, psicologia nas organizações e pós-graduada em Administração. Possui 14 anos de experiência na área da psicologia organizacional. Trabalha como consultora em projetos de desenvolvimento organizacional de equipes, lideranças, formação e reparação de relações no contexto profissional e atividades de avaliação de potencial. Possui artigos, publicações e apresentações em congressos na área de desenvolvimento organizacional. A leveza com que trata temas difíceis e complexos é o diferencial da Fernanda.


saiba mais »

16/11/2016 - Aconseg-RS promove almoço de confraternização

A Associação das Empresas de Assessoria e Consultoria do Estado do Rio Grande do Sul…

 


saiba mais »

16/11/2016 - Tecnologia nas avaliações de habilitações contribuirá para trânsito mais seguro

Em se tratando de segurança no trânsito, não é à toa que autoridades do mundo…

A tecnologia contribui para mudanças e aprimoramento de produtos, processos e sistemas. Em se tratando de segurança no trânsito, não é à toa que autoridades do mundo todo tentam encontrar formas para tornar o trânsito um local onde a segurança seja prioridade tanto para pedestres como para condutores. No Brasil, o Departamento de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran-RS) está investindo em novos sistemas para aumentar o controle, a confiabilidade e a transparência no processo de habilitação, visando formar motoristas preparados e conscientes.

Além de já ter aderido ao sistema eletrônico de registro para as aulas práticas dos alunos de autoescolas, o órgão pretende implantar câmeras em todos os veículos para as avaliações, ação que já está em fase de testes em Gravataí e em Porto Alegre. A ideia é que os fiscais de prova substituam os formulários de papel por tablets, para incluir também informações de áudio e vídeo no exame.

A previsão do Detran-RS é começar a instalar os equipamentos a partir de março de 2017 e integrar futuramente o sistema eletrônico ao controle biométrico para conferir digitais do avaliador e do candidato. A iniciativa tecnológica valerá para todas as categorias da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), mas as filmagens serão feitas apenas em veículos quatro rodas, contando com duas câmeras internas, focadas no fiscal, seus pedais e no aluno, e outras duas externas, para captar imagens do trajeto em frente e do espelho retrovisor.

No estado de São Paulo, o Detran também testa novas possibilidades tecnológicas para aumentar a segurança no trânsito. Com câmeras e sensores que detectam todos os detalhes das provas de habilitação - um para cinto de segurança, outro no motor para verificar se o carro morreu e, um terceiro, na traseira do veículo para ser utilizado na baliza -, o departamento quer realizar testes apenas em carros do próprio órgão. A novidade está em fase piloto em São Bernardo do Campo, mas deve se estender para todo o estado.

Toda essa modernidade, entretanto, não excluirá a presença do examinador, que cruzará as suas informações com os registros do sensor. O que se espera é mais tecnologia, mais preparo e mais segurança nas ruas!


saiba mais »

17/11/2016 - Exportação CIF é a bola da vez

Aparecido Mendes Rocha
O Brasil exporta aproximadamente US$ 200 bilhões por ano em diversos tipos de mercadorias. Tradicionalmente…

Entretanto, esse quadro começa a mudar. Com o reduzido valor do frete marítimo e o baixo custo do seguro de transporte oferecido pelo mercado brasileiro, é cada vez maior a exportação incluindo a cobertura de seguro para as mercadorias durante a viagem internacional. As empresas identificaram que para competir internacionalmente precisam buscar diferenciais de venda, e o seguro se apresenta como uma excelente oportunidade para a venda de suas mercadorias ao exterior. Com isso, vários exportadores intensificam suas vendas assumindo a responsabilidade por entregar as mercadorias com garantia de seguro no país do importador.

O seguro de transporte está previsto nas exportações com os termos de Incoterms CIF (Cost Insurance and Freight) usado apenas no transporte aquaviário e CIP (Carriage and Insurance Paid To) para os outros meios de transporte. Nesses termos, o vendedor se obriga a entregar a mercadoria com seguro cobrindo garantia básica mínima, segurar o valor de 110% e ter como beneficiário o comprador ou outro com interesse segurável. Nos termos DAP, DAT e DDP o seguro não é obrigatório, mas pode ser adquirido pelo exportador, tendo o importador como beneficiário.

Garantia básica mínima significa contratar o seguro com a ?Cobertura Básica Restrita C?, a mais limitada de todas as coberturas disponíveis, que garante ao segurado os prejuízos que venha a sofrer em consequência de perdas e danos materiais causados às mercadorias durante o transporte internacional, exclusivamente quando decorrentes de acidentes envolvendo o veículo transportador aquaviário, aéreo ou terrestre. Não cobre, por exemplo, o extravio e roubo.

A recomendação é sempre contratar o seguro de transporte com a ?Cobertura Básica Ampla A?, que cobre as perdas e danos de causa externa às mercadorias, como acidente, avaria particular, molhadura, incêndio, explosão, extravio e roubo, avaria grossa, operações de carga, entre outros riscos.

A exportação CIF representa vantagens expressivas para o exportador, dentre as quais destacam: diálogo local com as seguradoras; coberturas e taxas iguais ou até melhores que as praticadas no exterior; agilidade na liquidação de sinistros; possibilidade da cobertura desde o local do exportador; cobertura contra todos os riscos; isenção de franquia; e eliminação de riscos para o importador que não terá prejuízos em casos de sinistros durante a viagem.

Além de garantir as mercadorias, o seguro agrega valor ao negócio do exportador e lhe permite correr riscos com a segurança de não haver perdas financeiras por ocorrências durante o transporte, o que reflete positivamente em outras ações da empresa.

Aparecido Mendes Rocha, especialista em seguros internacionais

 


saiba mais »

17/11/2016 - Planos de saúde têm venda online autorizada

Planos de saúde têm venda online autorizada
Contratação eletrônica possibilita mais transparência e informação ao consumidor

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) regulamentou as regras para aquisição de planos de saúde por meio de plataformas digitais, como portais de internet e aplicativos. A Resolução Normativa nº 413, publicada dia 14 de novembro, já está em vigor e é facultativa às operadoras e seguradoras.

?Trata-se de mais um canal para facilitar o acesso da população aos planos de saúde. A informação disponibilizada na internet aumenta o conhecimento sobre os serviços oferecidos e, consequentemente, dá maior poder de escolha para os consumidores, além de proporcionar uma otimização de recursos por parte das operadoras?, explica Solange Beatriz Palheiro Mendes, presidente da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde).

A FenaSaúde participou ativamente dos debates sobre o tema junto ao órgão regulador. Entre as contribuições acolhidas destacam-se o oferecimento facultativo e a vigência do contrato a partir do efetivo pagamento da primeira contraprestação. A venda online de planos de saúde já era permitida antes da RN nº413, mas a norma trouxe mais segurança tanto para os consumidores quanto para as operadoras no oferecimento dos serviços.

Em um mundo conectado, Solange Beatriz destaca a importância do papel do corretor de planos de saúde: ?Continua sendo um agente fundamental. Como profissional especializado, presta um serviço técnico de consultoria para pessoas e empresas interessadas em adquirir o serviço. O meio online é também um canal de oportunidades para esse profissional?.

Saiba mais sobre a RN nº413: http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/consumidor/3612-consumidor-ganha-maior-protecao-na-compra-online-de-planos-de-saude 

 


saiba mais »

17/11/2016 - Clube dos Seguradores da Bahia realizará seu último encontro do ano de 2016

Clube dos Seguradores da Bahia realizará seu último encontro do ano de 2016
O Clube dos Seguradores da Bahia sempre manteve seu compromisso com seus associados em seus…

Neste último encontro a entidade pretende mais uma vez encerrar suas atividades em grande estilo, visto que o palestrante é bastante conceituado. Os corretores e executivos presentes terão a chance de desfrutar de muita informação com um tema bastante atual, um ambiente agradável e a confraternização e interação de sempre, que faz deste evento único.

Diante da crise que afeta o Pais , o Clube dos Seguradores da Bahia se mantém surfando nessa onda de dificuldades, ultrapassando os limites e ganhando mais adeptos e admiradores a cada dia, seguindo sempre em frente. Sendo assim, ficamos na expectativa do dia 18 de novembro de 2016, onde a ****** Seguros será a protagonista da vez, representada pelo seu Diretor Comercial Sergio Machado de Oliveira que irá falar sobre o tema o Cenário Econômico, Desafios e Oportunidades do Mercado. A palestra será realizada no Hotel Fiesta em Salvador.

Para o evento estão sendo esperados aproximadamente 200 convidados, entre eles, mais de 150 corretores e executivos do setor. Para mais informações, acesse o hotsite no link http://www.clubeseguradoresbahia.com.br/evento/.




saiba mais »

17/11/2016 - SulAmérica inicia nova edição da campanha Garantia Premiada

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, inicia neste mês mais uma edição da campanha…

A participação dos corretores é automática após a realização do cadastro das imobiliárias e os valores da bonificação serão creditados em um cartão-presente. A campanha ainda conta com um desafio de produção, com prêmios especiais para os corretores que superarem as propostas da edição anterior

?Esta nova edição da campanha Garantia Premiada reforça o nosso empenho em promover e incentivar o fechamento de novas locações com o SulAmérica Garantia de Aluguel, que traz benefícios para os nossos parceiros de negócios e para os proprietários e inquilinos?, afirma o superintendente de produto de Capitalização da SulAmérica, Natanael Castro.

Com 50% de participação no mercado, o SulAmérica Garantia de Aluguel pode ser utilizado em contratos de locação de imóveis residenciais e comerciais. Além de substituir a figura do fiador e a caução por depósito sem burocracia, o produto oferece ao locatário o resgate de 100% do valor pago, serviços de assistência residencial e descontos em empresas parceiras. Já o locador e a imobiliária contam com a Assistência Locatícia, que oferece suporte gratuito para cobrança de aluguel e taxas em atraso e auxílio para a desocupação do imóvel que esteja com pagamentos atrasados.

Sobre a SulAmérica

A SulAmérica é a maior seguradora independente do Brasil, com uma rede de distribuição de mais de 30 mil corretores independentes. Fundada em 1895, a companhia possui cerca de 5,3 mil funcionários e atua em várias linhas de seguros, como saúde e odontológico, automóveis e outros ramos elementares, vida, além de outros segmentos, como previdência privada, investimentos e capitalização. A SulAmérica tem mais de 7 milhões de clientes, de pessoas físicas a grandes empresas, em todo o país. Em 2015, a companhia registrou receitas totais de R$ 17,4 bilhões.


saiba mais »

17/11/2016 - Tour de combate ao câncer da pele chega à 8º edição e percorrerá 6 cidades do Brasil

A ação é uma realização da Sociedade Brasileira de Dermatologia com o apoio da La…

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), em parceria com a La Roche-Posay, completa em 2016 o oitavo ano consecutivo do Tour de combate ao Câncer da Pele, dando continuidade à campanha #controleosol da própria SBD. O caminhão já percorreu mais de 118 mil quilômetros, visitou 56 cidades em 22 estados, atendeu mais de 18 mil pessoas gratuitamente e realizou mais de 1.500 diagnósticos de câncer da pele. Nesta edição, ele visitará seis cidades do Brasil.

O Tour de combate ao Câncer da Pele disponibilizará ainda, exames com o Fotofinder, equipamento de alta tecnologia que facilita o diagnóstico do câncer da pele de forma rápida e precisa.

Durante a visita do caminhão às cidades serão oferecidos atendimento médico gratuito, amostras de protetor solar e folders informativos com esclarecimentos sobre cuidados e prevenção do câncer da pele, incentivando os possíveis pacientes de risco a fazer o exame preventivo, que é realizado no próprio local. As equipes de atendimento são formadas por dermatologistas locais da SBD que realizarão diagnósticos, e uma equipe de suporte da La Roche-Posay, nos fins de semana, a partir do dia 08 de outubro até o dia 08 de dezembro.

O exame é realizado por especialistas que procurarão a presença de lesões, como pintas e manchas, em áreas expostas ao sol e também em regiões difíceis de serem vistas, como no couro cabeludo, nas costas, entre os dedos e na planta dos pés. Em casos de suspeita da doença, os pacientes serão encaminhados, no ato do atendimento, para acompanhamento nos hospitais e clínicas credenciados de cada estado.

Roteiro do Tour de Combate ao Câncer da Pele 2016

SANTOS 08/10, 8H AS 18H

PRAÇA DA BANDEIRA

AV. VICENTE DE CARVALHO, GONZAGA.

SANTOS-SP

TUPÃ 15/10, 9H ÀS 15H

PRAÇA DA BANDEIRA, CENTRO

MONTES CLAROS, 19 E 20/11 8H ÀS 15H

PRAÇA DA MATRIZ

CENTRO. MONTES CLAROS ? MG.

BELÉM, 07 E 08/12, 9H ÀS 16H

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARÁ

TRAVESSA PEREBEBUI, 2623. BELÉM ? PA.

CAMPO GRANDE, 26 E 27/11, 8H ÀS 15H

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

AVENIDA SENADOR FILINTO MULLER, O, VILA IPIRANGA

Outras informações:

Informações sobre o roteiro do Tour de Prevenção podem ser obtidas pelo site da Sociedade Brasileira de Dermatologia,

http://www.sbd.org.br/acoes/tour-de-combate-cancer-da-pele/


saiba mais »

17/11/2016 - Mongeral Aegon apoia o Novembro Azul e ressalta a importância de estar planejado financeiramente em casos de doenças graves, como o câncer de próstata

Quase 62 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil em 2016. Este dado…

De acordo com a análise da seguradora, de setembro de 2015 em relação ao mesmo mês deste ano, a preocupação com a situação financeira em caso de doença é evidenciada pelo aumento de 52,2% da procura do público masculino à solução Doenças Graves. ?Este é um produto bastante procurado por cobrir doenças com grande incidência, como, por exemplo, o câncer de próstata. Além disso, ele tem um baixo custo para o segurado e possibilita um apoio financeiro para as despesas do tratamento?, comenta o superintendente de Marketing da Mongeral Aegon, Leonardo Lourenço.

O Doenças Graves da Mongeral Aegon prevê o pagamento de uma quantia previamente estabelecida em contrato no caso de diagnóstico de uma das doenças cobertas, como todos os tipos de câncer, infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral.

Estas enfermidades são elencadas pelo Instituto Lado a Lado ? organizador da campanha Novembro Azul no Brasil ? como mais recorrentes na fase adulta masculina. De janeiro a setembro deste ano a seguradora já realizou, apenas para homens, o pagamento de mais de R$ 750 mil em benefícios a clientes com esta cobertura contratada. ?Muitos de nossos clientes utilizam este recurso para subsidiar tratamentos alternativos que não são cobertos pelas redes pública e privada, além de custear os medicamentos necessários. Outra finalidade é suprir uma eventual perda de renda durante o tratamento?, acrescenta Leonardo.

Como funciona

O seguro Doenças Graves garante o pagamento do benefício contratado pelo cliente no caso de diagnóstico de uma das doenças cobertas: câncer, leucemias e doenças malignas do sistema linfático como a doença de Hodgkin; infarto agudo do miocárdio; acidente vascular cerebral (AVC); cirurgia de revascularização (bypass) e mal de Alzheimer. O cliente tem direito ao benefício a partir do 30º dia do diagnóstico da doença.

Custo Benefício

Na Mongeral Aegon é possível que esta cobertura seja contratada separadamente. Para um homem de 39 anos que contrata um benefício de R$ 100 mil o valor pago é de R$ 35 por mês. O mesmo capital segurado de R$ 100 mil para uma pessoa com 33 anos custa R$ 14 mensais.

Sobre a Mongeral Aegon ? Presente no Brasil há 181 anos, a Mongeral Aegon tem como objetivo auxiliar as pessoas com as ferramentas necessárias para que elas planejem um futuro financeiro mais tranquilo. A companhia, com mais de 60 unidades em todo o Brasil, ultrapassou a marca de 2,5 milhões de clientes, totalizando mais de R$ 270 bilhões de capital segurado. Em 2009, a empresa se associou ao grupo internacional Aegon, uma das maiores empresas de seguro, previdência e investimentos financeiros do mundo, com sede na Holanda. A diversificação e expansão dos negócios deu origem ao Grupo Mongeral Aegon, que engloba as seguintes empresas: Mongeral Aegon Seguros e Previdência, Mongeral Aegon Fundo de Pensão, Mongeral Aegon Investimentos (MAI), Mongeral Aegon Administração de Benefícios e o recém-criado Instituto de Longevidade Mongeral Aegon. Hoje o grupo possui 1.200 funcionários e 4.000 corretores parceiros. www.mongeralaegon.com.br


saiba mais »

17/11/2016 - Pesquisa da Deloitte aponta que brasileiro planeja novamente gastar menos nas compras do Natal, à espera de uma possível retomada da economia

63% dos entrevistados pretendem gastar menos do que em 2015, que também apresentou este índice…

Intenção é comprar menos presentes, com média de 4 e queda de quase 10% no valor médio estimado para gastos;

Diante de um cenário econômico desfavorável, os preços serão o fator essencial para os varejistas atraírem o consumidor.

Em mais um ano afetado pela crise econômica no País, e à espera de uma retomada que possa ser percebida no seu dia a dia, o consumidor brasileiro ainda está cauteloso, e planeja gastar menos do que no ano passado em suas compras do Natal. É o que mostra a sétima edição da Pesquisa de Natal, da Deloitte. O levantamento aponta que 63% dos brasileiros pretendem gastar menos em 2016 em relação ao que foi despendido no ano passado, que também apresentou este índice de desacelaração, o que, consequentemente, revela um sentimento de preocupação do consumidor brasileiro.

Entre os participantes, 41% afirmam que a situação financeira de suas famílias está pior do que em 2015. O dado é negativo, já que, no ano passado, o mesmo percentual de respondentes já dizia que a condição econômica familiar encontrava-se pior do que em 2014. Além disso, de acordo com o levantamento, 60% dos entrevistados afirmam sentirem-se inseguros em relação à estabilidade de emprego.

?Apesar de diversos indicadores econômicos e de confiança do empresariado sinalizarem uma perspectiva mais positiva para 2017, o fato é que as pessoas ainda vivenciam, na prática, os efeitos da queda da renda e o receio de perderem seus empregos. Essa insegurança faz o consumidor ficar naturalmente mais contido. Isso tem reflexo na disposição para comprar, o que deve influenciar os resultados das vendas do varejo?, explica Reynaldo Saad, sócio-líder para a indústria de Bens de Consumo e Produtos Industriais da Deloitte Brasil.

Diante desse comportamento do consumidor, os varejistas devem se preparar e se adaptar para conquistar esse público, com bons preços e produtos de qualidade. ?Se o consumidor planeja comprar algo, ele vai buscar onde suas expectativas tenham maior chance de serem atendidas, seja em meio online ou nas lojas físicas. Cada canal tem seus atrativos. A praticidade de poder comprar e levar na hora um produto, assim como a facilidade para trocas, valoriza as lojas físicas. Já o preço mais baixo, a diversidade de mercadorias e a agilidade para comprar estimulam as vendas pela internet. Vai vender mais quem atender melhor às expectativas do comprador neste momento?, avalia Saad.

Menos dinheiro, menos presentes

Os brasileiros que participaram da pesquisa estimam que vão gastar R$ 342 com a compra de até 4 presentes, em média. O valor é 9,5% menor do que a estimativa apurada pela edição 2015 da Pesquisa de Natal da Deloitte, quando o objetivo médio de gastos chegava a R$ 378 para a compra de 5 presentes.

Vale lembrar que, em enquete posterior ao Natal de 2015, realizada pela própria Deloitte, os consumidores disseram ter gasto R$ 422, efetivamente. Tradicionalmente, de acordo com as nossas pesquisas, os brasileiros acabam desembolsando sempre mais do que o previsto nas estimativas com a compra de presentes.

?É interessante perceber que, mesmo pretendendo gastar menos e comprar um número menor de presentes, o brasileiro acaba investindo na qualidade dos itens, já que, na média, pagará R$ 85 por presente. Esse valor foi de R$ 75 do ano passado?, afirma Reynaldo Saad.

?Além do temor em relação à manutenção de seus empregos, a verdade é que o brasileiro está com o bolso um pouco mais vazio neste ano, em razão da queda da renda e dos efeitos da inflação sobre o poder de compra. Esse cenário recente foi determinante para estimular um comportamento mais ponderado neste momento?, diz o executivo da Deloitte.

Entre as razões para justificar a contenção de gastos em 2016, 52% afirmaram que pretendem reduzir suas dívidas e não gastar mais, enquanto que 36% buscam economizar, em vez de gastar. Além disso, a piora na situação financeira da própria família, com acentuada diminuição da renda, é apontada como razão do freio nas compras por 25% das pessoas.

Percepção melhor sobre a economia

Em relação à percepção sobre a situação econômica brasileira, apesar da cautela nas intenções de compra imediata, a pesquisa indicou melhoria em relação ao ano passado. As opiniões continuam negativas em relação ao cenário geral: 44% dos entrevistados consideram que a economia está estagnada, enquanto que 33% a classificam como em declínio. Esses númeross mostram uma relativa melhora na percepção do brasileiro, já que, no ano passado, os que enxergavam a economia em declínio eram 70% dos pesquisados.

A intenção de economizar ou poupar o 13° salário neste ano é manifestada por 31% dos participantes da pesquisa. Outros 18% dos entrevistados dizem que vão quitar dívidas com o pagamento extra. Um quarto dos respondentes pretende gastar o 13° com as compras de Natal, enquanto 23% disseram que nem mesmo terão direito ao benefício. Esses percentuais são similares aos apurados nos levantamentos feitos pela Deloitte em anos anteriores.

Trocando presente por ceia

Em resposta a uma questão de múltiplas escolhas, a maior percentagem de entrevistados (53%) explicitou a intenção de priorizar os gastos com as ceias de Natal e de fim de ano. Já 50% dizem pretender investir mais na compra de roupas, enquanto que 49% vão dar preferência à compra de presentes.

De acordo com Reynaldo Saad, ?para o brasileiro, especialmente em épocas de crise, priorizar as atividades relacionadas à convivência em família é uma tendência que ganha força, refletindo uma prática já consolidada em outros países latino-americanos onde o estudo da Deloitte também foi realizado (Argentina, Chile, Colômbia e México) pelo quinto ano consecutivo?.

Cinco fatores para o sucesso do varejista

Cinco fatores serão essenciais para o sucesso de vendas dos varejistas no Natal de 2016, de acordo com avaliações feitas a partir das indicações apuradas na pesquisa: preços baixos; variedade na oferta de produtos; fechar parcerias com o setor manufatureiro, buscando sinergias; garantir a fidelidade do consumidor a seus produtos e marcas; e investir nos serviços que agradam grande parte dos consumidores.

?Certamente, o preço será um fator decisivo para atrair o consumidor. Os varejistas devem estar muito atentos a isso. Acompanhar o que a concorrência está fazendo é, portanto, essencial para o sucesso das vendas?, comenta Saad.

A pesquisa mostra que o brasileiro está pesquisando muito mais antes de comprar, e não se apega mais a um único ambiente de compra, em referência às diferenças entre lojas físicas e online. Desde 2013, a Pesquisa de Natal da Deloitte demonstra que a internet é o canal preferido para compras do brasileiro. Ali, as pessoas estão pesquisando mais sobre preços, qualidade, variedade e disponibilidade dos produtos.

Neste ano, 67% disseram que vão privilegiar compras online, 41% optarão pelos estabelecimentos nos shoppings, 34% recorrerão mais a lojas de departamentos, 26% frequentarão mais o comércio de rua.

Além disso, o executivo alerta os varejistas para as vantagens da multiplicidade de pontos de venda. ?Quanto mais vitrines, melhor?, explica o sócio da Deloitte, referindo-se à disponibilidade de lojas físicas e online. ?E todos devem estar atentos a uma característica real do neoconsumidor brasileiro: hoje, ele é reconhecido como ?phygital?. Isso quer dizer que está ambientado a comprar tanto nos estabelecimentos físicos, como nas lojas online?, acrescenta o executivo.

Compras pela Internet estão consolidadas

As compras pela Internet deixaram de ser novidade para o brasileiro, de acordo com a Pesquisa de Natal da Deloitte. Nas últimas edições do estudo, o número de pessoas que afirmava ?Eu passei a fazer mais compras pela internet este ano? mantinha um padrão crescente. Agora em 2016, a percentagem de entrevistados que assumiu essa afirmação recuou consideravelmente, para 29%, ante os 51% de 2015.

?A compra online não é mais um ?novo hábito? entre os brasileiros, e esse é mais um indicador que reforça a classificação do consumidor de nosso país como um ?phygital?, que é aquele que compra tanto na Internet, quanto em lojas físicas, onde melhor forem atendidas as suas expectativas?, afirma Reynaldo Saad.

Pouca influência das mídias digitais

Surpreendentemente, 38% dos brasileiros afirmam não serem influenciados pelas redes sociais em suas compras de Natal. No ano passado, esse percentual era de 24%. Porém, e como é natural, os mais jovens (de 18 a 29 anos) são os que reconhecem sofrer mais influência das redes (72%, contra 28% dos que se dizem não influenciados).

Aqueles que utilizam as redes sociais para fortalecer sua decisão de comprar, em resposta a múltiplas possibilidades de escolha, dizem preferir: ler as opiniões ou recomendações sobre produtos ou lojas (61%); aproveitar para pesquisar preços (52%); obter ideias de presentes (42%); e enviar comentários ou compartilhar links sobre lojas e/ou produtos (17%).

Sobre a pesquisa

A ?Pesquisa de Natal 2016 ? Revelações sobre os hábitos de consumo do brasileiro?, realizada pela Deloitte, foi aplicada a 1.000 entrevistados de todo o Brasil, pela internet, entre os dias 10 e 18 de outubro deste ano, por intermédio do instituto de pesquisas Ibope/Conecta-i.

A pesquisa faz parte de um estudo realizado conjuntamente pela Deloitte em cinco países da América Latina (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México), com uma amostra total de 3.000 respondentes.

A amostra dos pesquisados é equilibrada na divisão entre gêneros (50% de mulheres, 50% de homens). O maior grupo (47%) é formado por pessoas que têm base salarial mensal entre R$ 2.431 e R$ 6.480; 25% ocupam a faixa de renda até R$ 2.430. Outros 21% têm base salarial situada entre R$ 6.481 e R$ 12.150. Apenas 7% dos entrevistados ocupa a faixa mais elevada de renda, superior a R$ 12.151 mensais.

Sobre a Deloitte

A Deloitte oferece serviços de auditoria, consultoria empresarial, assessoria financeira, gestão de riscos e consultoria tributária para clientes públicos e privados dos mais diversos setores. Atendemos a quatro de cada cinco organizações listadas pela Fortune Global 500®, por meio de uma rede globalmente conectada de firmas-membro em mais de 150 países, trazendo capacidades de classe global, visões e serviços de alta qualidade para abordar os mais complexos desafios de negócios dos clientes. Para saber mais sobre como os cerca de 244.400 profissionais da Deloitte impactam positivamente nossos clientes, conecte-se a nós pelo Facebook, LinkedIn e Twitter. No Brasil, onde atua desde 1911, a Deloitte é uma das líderes de mercado, com seus 5.500 profissionais e com suas operações em todo o território nacional, a partir de 12 escritórios.

A Deloitte refere-se a uma ou mais entidades da Deloitte Touche Tohmatsu Limited, uma sociedade privada, de responsabilidade limitada, estabelecida no Reino Unido ("DTTL?), sua rede de firmas-membro, e entidades a ela relacionadas. A DTTL e cada uma de suas firmas-membro são entidades legalmente separadas e independentes. A DTTL (também chamada ?Deloitte Global?) não presta serviços a clientes. Consulte www.deloitte.com/about para obter uma descrição mais detalhada da DTTL e suas firmas-membro.


saiba mais »

17/11/2016 - STATO lista 6 dicas de como dar feedback

Apontamentos bem colocados sobre a qualidade do trabalho e atitudes dos profissionais podem elevar o…

A maioria dos gestores sente dificuldade de fornecer um retorno sobre o trabalho de seus funcionários, bem como sobre o seu comportamento, atitude e a qualidade das tarefas desenvolvidas, quando os mesmos não atenderam as expectativas. Pode parecer difícil conduzir essa conversa, principalmente quando o retorno não é positivo, por isso, a diretora executiva da STATO, Lucia Costa, dá algumas dicas de como os líderes podem se preparar para este momento.

?O feedback é um ponto essencial no ambiente de trabalho, pois garante o bom fluxo de comunicação e de relacionamento entre líderes e liderados. Uma conversa franca bem desenvolvida, por exemplo, aproxima e reforça a relação interpessoal, melhorando o nível de confiança da equipe?, diz Lucia.

Para estabelecer esse momento junto ao colaborador, confira algumas dicas oferecidas pela consultoria STATO:

1. Escolha um ambiente calmo para diminuir a tensão

2. Pense cuidadosamente no que será falado antes da conversa

3. É importante fazer um balanço de aspectos positivos e negativos sobre o que deseja falar

4. Antes de destacar pontos negativos, ressalte o que houve de bom, pois ajuda a minimizar a resistência de quem escuta

5. Seja claro e objetivo, cite fatos, exemplifique o comportamento observado e explique de que forma poderia ser aperfeiçoado

6. Escute com atenção a outra pessoa, esteja pronto a reconsiderar o seu ponto de vista diante de novos fatos e, acima de tudo, sempre seja aberto a receber feedback também!

Por outro lado, o feedback não necessariamente precisa ser no ambiente corporativo. ?Alguns gestores aproveitam aquele bate-papo num almoço ou café, desde que outras pessoas não estejam presentes, é claro, para sinalizar a percepção quanto ao desempenho, comportamento, atitude e pontos de melhorias?, finaliza Lucia.

Sobre a STATO

A STATO é uma consultoria especializada em RH com atuação em recrutamento de executivos, desenvolvimento organizacional e transição de carreira. A STATO atua em todas as etapas do ciclo dos profissionais nas empresas identificando, desenvolvendo e apoiando pessoas para o sucesso dos profissionais e das organizações. A empresa conta com especialistas em assuntos relacionados à carreira, seja do ponto de vista das organizações ou dos indivíduos.

Mais informações: http://www.statobr.com/


saiba mais »

17/11/2016 - Previsul Seguradora incentiva a gestão da inovação na Companhia

Programa +360º está em sua terceira fase e já apresenta resultados

A Previsul Seguradora iniciou a terceira fase do Programa +360º, que visa proporcionar uma mudança de cultura com um olhar 360 graus, além de maior integração entre os colaboradores, buscando o surgimento de novos projetos de inovação. O programa surgiu em abril de 2015 com um dos objetivos de fortalecer no público interno a promessa feita para o mercado com o novo posicionamento de marca da Previsul, de ser uma nova geração de seguradora muito mais simples, mais fácil, mais flexível, mais moderna e mais inovadora. Este movimento de evolução teve início em 2013, quando a companhia foi adquirida pela Caixa Seguradora.

?Acredito muito que a melhor forma de inovar é através da oxigenação de ideias e o intercâmbio de conhecimentos entre diferentes áreas e hierarquias da empresa com jovens ousados e entusiasmados, com vontade de fazer diferente, de descobrir novas formas de pensar e criar melhorias tanto nos processos internos da companhia, como para o mercado, trazendo assim valor para toda a cadeia de públicos, por meio de projetos, essa é a essência do Programa +360º?, explica Andréia Araújo, Diretora de Negócios da Previsul e uma das maiores apoiadoras do Programa.

Entre os principais objetivos do programa estão aproximar e envolver os colaboradores com o novo posicionamento, desenvolver e reconhecer novos talentos dentro da empresa, criar, desenvolver e implementar novos projetos e acelerar a evolução da Cia. Para isso, foi desenvolvida uma metodologia de gestão de inovação que conta talentos externos, estudantes de áreas multidisciplinares que executam um papel importante no desenvolvimento de novas ideias, e os Agentes de Inovação, colaboradores com perfil empreendedor, integrador e ousado. Juntos, eles contribuem com um novo olhar para dentro da empresa e, com o apoio de uma consultoria de gestão de inovação, constroem projetos através de metodologias ágeis.

Em um ano e sete meses de existência, o programa +360º já está na terceira fase e apresenta resultados: 10 estagiários das mais diferentes áreas se envolveram e muitos já foram absorvidos pela empresa, 26 colaboradores tiveram a oportunidades de vivenciar essa experiência, com interação com toda a companhia, capacitação de metodologias inovadoras e envolvimento em grandes projetos, alguns se destacaram e atualmente estão em posição de gestores, além de 9 projetos de inovação desenvolvidos.

Esta 3ª fase, com duração de seis meses, terá como foco principal a execução dos projetos da segunda fase e o desenvolvimento de novos projetos.


saiba mais »

17/11/2016 - Seguradoras tem prazo máximo de 30 dias para pagarem as indenizações

Prazo contará a partir da formalização, pelo segurado, do cumprimento das exigências estabelecidas em contrato

As seguradoras de todo o país terão prazo máximo de 30 dias para efetuarem as indenizações devidas, a partir da formalização, pelo segurado, do cumprimento das exigências estabelecidas em contrato, de acordo com o Projeto de Lei 2479/00, do deputado Ricardo Barros (PP-PR), aprovado pelo Plenário da Câmara dos Deputados. Segundo o Advogado e Diretor da Roldão Lopes de Barros & Advogados Associados, Roldão Lopes de Barros Neto, o prazo contará a partir da formalização, pelo segurado, e dependerá do cumprimento das exigências estabelecidas em contrato e de prova de pagamento do prêmio devido antes da ocorrência do respectivo sinistro. ?Caso a seguradora julgue que o segurado não cumpriu as cláusulas da apólice, ela deverá mostrar razões e motivos de ordem técnica que justifiquem a impossibilidade de efetuar o pagamento ao assegurado?, ressalta. Roldão explica que, se o segurado levar o caso à justiça e ganhar a causa, a seguradora deverá pagar pelo descumprimento do prazo de 30 dias o valor devido, acrescido de multa pecuniária de 10%, mais correção monetária. ?Já no caso de o valor do prêmio ter sido fracionado e ocorrer perda total, tanto quando tiver vítimas fatais ou machucadas ou reforma do bem material, as prestações restantes deverão ser quitadas pelo segurado, na ocasião do pagamento da indenização?, comenta. As novas regras não serão aplicadas aos seguros cujas garantias de equilíbrio da apólice estejam a cargo de fundo público.

Sobre o Advogado Roldão Lopes de Barros Neto ? Diretor da Roldão Lopes de Barros & Advogados Associados, Roldão Lopes de Barros Neto é graduado em Ciências Jurídicas e advogado militante desde 1983, sendo titular em três bancas; uma na cidade de São Paulo, uma em Campinas (SP) e outra em Vargem Grande Paulista (SP), e também adjunto em outras duas bancas: Paraná e Rio de Janeiro. Pós-graduado, lato senso, com habilitação para o Magistério em Direito Civil; Mestre em Direito com concentração em Direito Civil e formação complementar em Direito Processual Constitucional. Atualmente desenvolve sua tese em doutorado. Foi professor de Direito, fundador, da Faculdade de Paulínia (SP) e ministrou aulas de Direito em diversas universidades do Estado de São Paulo. Atua constantemente como palestrante em Seminários, Congressos e Universidades. Destaca-se também no segmento de livros, com oito títulos publicados, entre eles: Livro de Direito para Administração de Empresas; Direito do Trabalho ? Apontamentos Legais, Doutrinários e Jurisprudenciais e O suicídio como acidente de trabalho. Detentor de diversos prêmios, como o Super Cap de Ouro, por duas vezes, devido ao seu destaque no setor jurídico; e do Prêmio Destaque, outorgado pelos jornalistas independentes do Estado de São Paulo, duas vezes consecutivas, em decorrência de sua atuação no setor jurídico em defesa do Direito da mulher. Dr. Roldão também escreve para diversos jornais e sobre vários assuntos jurídicos no site www.roldaodebarros.com.br. 

 


saiba mais »

17/11/2016 - Dia 29/11, debate sobre as experiências da Operação Lava Jato no âmbito do seguro D&O

Evento trará a análise de especialistas que atuam no ramo de Responsabilidade Civil sobre as…

A Comissão de Direito Securitário da OAB-SP, presidida por Debora Schalch, reunirá, no dia 29 de novembro, um time de especialistas para discutir ?As experiências da Operação Lava Jato no âmbito do seguro D&O?. O evento será realizado na sede institucional da OAB-SP, com a participação de Dinir Salvador Rios da Rocha, Flavio Sá e Thabata Najdek.

Na programação do evento, que será realizado das 10h às 13h, os expositores abordarão desde a relação da Lava Jato com o seguro D&O até os impactos do aumento de sinistralidade para a carteira, além dos reflexos de delação premiada e acordo de leniência. Também serão discutidas as mudanças na análise de riscos e a dinâmica da regulação de sinistros de D&O.

Programação

?As experiências da Operação Lava jato no âmbito do seguro D&O?

Data: 29 de novembro de 2016

Local: Rua Maria Paula, nº 35, 3º andar, São Paulo (SP)

Horário: das 10h às 13h

Painel 1 - temas:

? Dinâmica da regulação de um sinistro D&O

? Lava Jato e reflexos nos sinistros (processo criminal, TCU, TCE, Receita Federal etc.)

? Delação premiada e acordo de leniência e seus reflexos no seguro D&O

Expositor: DINIR SALVADOR RIOS DA ROCHA - Advogado, membro da Comissão de Direito Securitário da OAB-SP, graduado em Direito, mestre em Direito das Relações Econômicas Internacionais pela PUC-SP e mestre em Direito pela Universidade de Londres.

Painel 2 - temas:

? Pilares da análise de risco do seguro D&O

? Impactos do mercado e alterações na política de análise de risco frente ao aumento de exposição de risco

Expositor: FLAVIO SÁ - Gerente de Linhas Financeira e graduado em Administração de Empresas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Painel 3 - temas:

? O que é o seguro D&O

? A importância da contratação para os gestores e para a sociedade

? Qual a relação da Lava Jato com o D&O

Expositora: THABATA NAJDEK ? Advogada, graduada em Direito pela Universidade Municipal de São Caetano; mestranda em Direito dos Mercados Financeiros e de Capitais no INSPER e subscritora de riscos de produtos de Linhas Financeiras.

Mediação: DEBORA SCHALCH ? Advogada, presidente da Comissão de Direito Securitário da OAB SP, graduada em Direito e pós-graduada em Direito Empresarial pela Universidade de São Paulo.

Realização: Comissão de Direito Securitário da OAB-SP

Apoio: Departamento de Cultura e Eventos da OAB SP - Diretor: Dr. Umberto Luiz Borges D?Urso

Inscrições: no site: www.oabsp.org.br (clique aqui). Valor do ingresso: uma lata ou pacote de leite integral em pó de 400g, entregue na recepção do evento.


saiba mais »

17/11/2016 - MV passa por mudanças na Diretoria Corporativa Comercial

Com grandes experiências nos segmentos de TI e Saúde, Mozart Marin assume direção e Robson…

Com o objetivo de ampliar oportunidades de negócios e atingir novos mercados, a MV realiza alterações em sua Diretoria Corporativa Comercial. A partir deste mês de novembro, o executivo Mozart Marin passa a responder por todo o mercado da MV e a comandar um time composto por mais de 80 colaboradores.

Formado em Sistemas de Informação e Processamento de Dados e com MBA em Marketing, especialização em Gestão Empresarial, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), e extensões em Fusões e Aquisições de Empresas, pelo Insper, e Leadership & Motivating People, pela Universidade da Califórnia, Mozart Marin chega à MV com a missão de manter a liderança da empresa e colaborar com a jornada de transformação digital da Saúde, sobretudo, no atual cenário global de incertezas econômicas.

?A MV tem em sua história a preocupação de atender todas as necessidades dos clientes, com sólidos relacionamentos e parcerias. Meu desafio, portanto, é manter a satisfação dos atuais e futuros clientes, como uma empresa customer centric, garantindo maior crescimento?, afirma o executivo, que, com mais de 20 anos no mercado de TI e passagem por empresas como Datasul, Oracle, SAP, Philips Healthcare e NeoGrid, possui conhecimento sobre todos os aspectos da cadeia de valor B2B, além de experiência em direção de áreas comerciais, formação de alianças, parcerias estratégicas e canais de vendas para empresas multinacionais brasileiras e globais.

Segundo ele, seu trabalho também estará focado no desenvolvimento de lideranças internas e canais de vendas indiretas para elevar ainda mais o nível de excelência e performance do time Comercial da MV. ?O objetivo é criar uma espiral positiva para o sucesso, cuidando bem de nossos colaboradores e parceiros para que cuidem bem de nossos clientes.?

Enquanto Mozart Marin assume a Diretoria Corporativa Comercial da MV, Robson Catão, que por três anos atuou como diretor de negócios governamentais na empresa e nos últimos cinco anos esteve à frente da diretoria, passa a atuar como parceiro de TI estratégico na comercialização e implantação das soluções de gestão voltadas à saúde pública. Com participação no fechamento de negócios expressivos para a empresa, como os projetos das Secretarias Estaduais de Saúde de Pernambuco, Tocantins e Piauí e também o projeto do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo (HCFMUSP), Catão está com a missão de aumentar o market share da MV, fazendo com que a empresa consolide ainda mais a atuação na saúde pública.

Sobre a MV

A MV é líder em software de gestão de saúde no Brasil. Com soluções para hospitais, clínicas, operadoras de planos de saúde, centros de medicina diagnóstica e redes de saúde pública, detém o melhor Prontuário Eletrônico do Paciente na América Latina e o maior market share da região, segundo a empresa norte-americana de pesquisa e insights, KLAS, que concedeu à MV o Prêmio 2015/2016 KLAS Category Leader for Global Acute EMR ? Latin America. Atualmente, mais de 1000 instituições e 375 mil usuários utilizam as soluções MV para responder com eficiência, agilidade, precisão e segurança as necessidades de gestão de informações de saúde. Para saber mais sobre a MV, acesse www.mv.com.br. Acompanhe-nos também no Facebook, Twitter e LinkedIn.


saiba mais »

17/11/2016 - Capitalização do Grupo Bradesco Seguros distribui R$ 6,7 milhões em outubro

O ramo Capitalização do Grupo Bradesco Seguros distribuiu, no mês de outubro, R$ 6,7 milhões…

O portal www.bradescoseguros.com.br disponibiliza, na página de Capitalização, os resultados dos sorteios dos títulos de capitalização. Para fazer a consulta dos números sorteados, basta acessar o portal, clicar em ?Produtos?, em ?Capitalização? e, em seguida, em ?Atendimento? e ?Resultados dos Sorteios?. O portal disponibiliza, para conferência, os resultados do mês corrente e anteriores. Além disso, o cliente que possui acesso ao Bradesco Internet Banking tem a facilidade de consultar o seu saldo , combinações para sorteio e o informe de rendimentos dos seus títulos de capitalização.

Sobre o Grupo Bradesco Seguros

O Grupo Bradesco Seguros, conglomerado segurador da Organização Bradesco, lidera o mercado de seguros brasileiro, com atuação em âmbito nacional nos segmentos de Seguros, Capitalização e Previdência Complementar Aberta. No primeiro semestre de 2016, o Grupo Segurador registrou faturamento de R$ 32,4 bilhões ? evolução de 6,9% sobre igual período de 2015. Há cerca de uma década, o Grupo Bradesco Seguros vem sustentando crescimento médio anual na casa de dois dígitos, mantendo market share em torno de 25%. Seu volume de provisões técnicas atingiu R$ 190,6 bilhões em junho de 2016.

Em Capitalização, o Grupo Bradesco Seguros registrou faturamento de R$ 2,7 bilhões no primeiro semestre de 2016. De janeiro a junho, a empresa pagou R$ 2,9 bilhões aos seus clientes, por meio de prêmios de sorteios e resgates de títulos de capitalização, encerrando o período com 21 milhões de títulos ativos, carteira superior a 2,9 milhões de clientes e market share de 27,1%.

 


saiba mais »

17/11/2016 - IV Simposio ExpoCIST "As causas e consequencias dos acidentes rodoviarios de cargas" - Palestrante Ramon Peres de Alcaraz / FADEL Transportes

IV  Simposio ExpoCIST
http://www.cist.org.br/wp/ 
  • cist


    saiba mais »

    17/11/2016 - Gaúchos já têm o melhor Multicálculos auto do país. Serão pioneiros novamente: vem aí o primeiro Multicálculos residencial do país...

    Gaúchos já têm o melhor Multicálculos auto do país. Serão pioneiros novamente: vem aí o primeiro Multicálculos residencial do país...
    Os sócios do Sincor-RS que já tem à disposição, em condições especiais, o MultiGestor -sistema…

    Conheça a ferramenta já disponibilizada aos corretores.




    saiba mais »

    17/11/2016 - A partir de janeiro, empresas com mais de 3 funcionários terão que utilizar Certificado Digital

    A partir de janeiro, empresas com mais de 3 funcionários terão que utilizar Certificado Digital
    A partir de janeiro de 2017, as empresas do Simples Nacional que possuem mais de…

    A boa notícia é que o Certificado Digital tem outras aplicações até mesmo para o pequeno empresário, como explica Leonardo Gonçalves, diretor de Varejo e Canais da Certisign. "Quem vai comprar o Certificado para cumprir essa determinação, ou qualquer outra, também pode usá-lo para outras ações. Ele não se restringe à comunicação com os órgãos do governo".

    A assinatura digital de documentos é uma das aplicações. "O Certificado pode ser utilizado para assinar contratos, procurações, acordos, recibos, entre outros, sem caneta e papel. Isso porque a cada uso do Certificado é gerada uma assinatura digital que tem o mesmo valor jurídico da manuscrita. Vale ressaltar que, hoje, inclusive o Certificado pode ser emitido e armazenado no celular por meio da modalidade mobileID".

    Digitalização dos processos é positiva

    O acumulo de papel não é raro até mesmo nos pequenos negócios. Além de ocupar espaço e não ser eficiente, produzir e armazenar documentos no meio físico é custoso. "Basta refletir: quanto custa o metro quadrado do local onde está armazenada toda a papelada do seu negócio? Documentos produzidos e assinados digitalmente no meio eletrônico não ocupam espaço e dispensam o uso do papel, a necessidade de autenticação, o deslocamento para o envio, entre outras etapas".

    Sobre a Certisign

    A Certisign é a Autoridade Certificadora líder da América Latina e especialista em Identificação Digital. Com mais de 1.800 Pontos de Atendimento por todo o Brasil, ao longo dos seus 20 anos, já emitiu mais de 9 milhões de Certificados Digitais, possui em seu portfólio de clientes as companhias mais representativas do País e está entre as empresas mais inovadoras do Brasil, de acordo com as pesquisas ?Inovação Brasil 2016?, da Strategy & Consultoria Estratégica do Network PwC, e "50 Empresas Mais Inovadoras do País", da DOM StrategyPartners. Para mais informações acesse: www.certisign.com.br.

     


    saiba mais »

    17/11/2016 - Corretor que aderiu ao Simples poderá parcelar débitos

    Corretor que aderiu ao Simples poderá parcelar débitos
    Corretores de seguros que aderiram ao SuperSimples e têm débitos tributários acumulados até o mês…

    A norma determina que as empresas interessadas no referido parcelamento poderão manifestar esse interesse até o próximo dia 11 de dezembro por meio do formulário eletrônico ?Opção Prévia ao Parcelamento da Lei Complementar (LC) 155/2016, disponível no site da Receita Federal: www.receita.gov.br

    O acesso ao formulário eletrônico se dará através de link disponível em mensagem que será enviada à Caixa Postal do contribuinte no Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional.

    Essa opção prévia terá como efeito tão somente o atendimento à regularização solicitada nas respectivas notificações. Além disso, não dispensa a opção definitiva, com consolidação dos débitos e pagamento da primeira parcela, que estará disponível oportunamente.

    Confira a íntegra da IN 1670/116.

    INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1670, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2016

    Dispõe sobre procedimentos preliminares relativos ao parcelamento previsto no art. 9º da Lei Complementar nº 155, de 27 de outubro de 2016.

    O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos III e XXVI do art. 280 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal do Brasil, aprovado pela Portaria MF nº 203, de 14 de maio de 2012, e tendo em vista o disposto no art. 9º da Lei Complementar nº 155, de 27 de outubro de 2016, resolve:

    Art. 1º Esta Instrução Normativa estabelece procedimentos preliminares referentes ao parcelamento previsto no art. 9º da Lei Complementar nº 155, de 27 de outubro de 2016, para contribuintes destinatários de Atos Declaratórios Executivos (ADE) emitidos em setembro de 2016, os quais contêm notificação para exclusão do Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional) de que tratam os arts. 12 a 41 da Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, por terem débitos com a Fazenda Pública Federal, com exigibilidade não suspensa.

    Art. 2º O contribuinte com débitos apurados na forma prevista no Simples Nacional até a competência do mês de maio de 2016 nos termos do art. 9º da Lei Complementar nº 155, de 2016, poderá manifestar previamente a opção pelo referido parcelamento, no período de 14 de novembro de 2016 a 11 de dezembro de 2016, por meio do formulário eletrônico ?Opção Prévia ao Parcelamento da LC 155/2016?, disponível na página da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) na Internet.

    1º O acesso ao formulário eletrônico de que trata o caput será feito por meio de link disponível em mensagem enviada à Caixa Postal do contribuinte no Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional.
    2º A opção prévia de que trata o caput terá como efeito tão somente o atendimento à regularização solicitada nas respectivas notificações, relativamente aos débitos apurados na forma prevista no Simples Nacional até a competência do mês de maio de 2016.
    Art. 3º A opção prévia de que trata o art. 2º não dispensa a opção definitiva, com consolidação dos débitos e pagamento da 1ª (primeira) parcela, que estará disponível oportunamente de acordo com a respectiva regulamentação.

    Art. 4º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União.

    JORGE ANTONIO DEHER RACHID


    saiba mais »

    17/11/2016 - Seguro para carros é mais barato em Santa Catarina

    Seguro para carros é mais barato em Santa Catarina
    Santa Catarina é o estado onde se paga menos para contratar uma apólice de seguro…

    A Minuto Seguros avaliou os preços dos seguros nas capitais de cinco estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná e Rio Grande do Norte. O estudo considerou como perfil um condutor homem, de 35 anos e casado.

    Segundo o diretor da corretora, Manes Erlichman, essas variações nos preços das apólices de um mesmo carro, em diferentes capitais, considerando um mesmo perfil de segurado, são decorrentes das frequências de roubo e furto de carro, além da constância de acidentes de trânsito envolvendo tais veículos nesses locais. ?Esses, na verdade, são os grandes motivos pelas variações. Mas, também podemos citar os valores das peças e mão de obra, que influenciam e podem fazer com que o seguro fique mais caro ou mais barato?, afirma o executivo.

    A pesquisa apurou diferenças de preços que podem chegar a mais de R$ 1,3 mil mesmo em estados que ficam muito próximos. Foi o caso do seguro para o Corolla, o sexto modelo mais vendido em outubro, que custa R$ 2.325,00 em São Paulo e R$ 3.659 no Rio de Janeiro. Percentualmente, essa variação chega a 57,3%.

    Já o preço médio do seguro para o Onix, veículo mais vendido no País no mês passado, varia de R$ 1.809,00 no Rio Grande do Norte a R$ 2.542,00 no Rio de Janeiro, uma diferença de 58%.


    saiba mais »

    17/11/2016 - Sul América é obrigada a pagar apólice de seguro de vida extinto em 2006

    O escritório David Nigri Advogados Associados acaba de ganhar em última instância, na Nona Câmara…

    O Grupo Executivos, como era conhecido há mais de 30 anos, perdeu os seus direitos devido a medida unilateral da seguradora que alterava a proposta inicial do contrato, extinguindo o seguro de vida em 2006. Após uma década de disputa judicial, o advogado David Nigri conseguiu manter o prêmio e as importâncias seguradas nas mesmas condições antes ajustadas. Além disso, o especialista em Seguros ainda que o reajuste em razão da faixa etária seja declarado nulo.

    Sendo assim, todo representante legal do segurado pode entrar em contato com o escritório David Nigri Advogados Associados, através do telefone (21) 2220-2112 para dar entrada no pedido de pagamento da indenização.

     

     


    saiba mais »

    17/11/2016 - Os esquecidos

    Leia o novo artigo do consultor financeiro: Álvaro Modernell

    Revirei arquivos, busquei na memória, viajei na web e não achei nada. Nem em dezenas de artigos que escrevi, nem em centenas de artigos de outros autores que li. Nada!
    Nunca vi nada dirigido aos ?zero a zero?. Talvez porque representem pequena parcela da população. Talvez porque represente desafio menos instigante do que os demais grupos. Talvez porque não paguem por consultorias. Talvez porque tenham sido simplesmente esquecidos. Apenas isso.

    Textos sobre finanças pessoais geralmente são dirigidos a pessoas endividadas ou para potenciais investidores. Varia a temática, a profundidade, mas o público gravita nesses dois extremos. O terceiro, o dos zero a zero, pessoas que nunca se endividam, tampouco conseguem juntar dinheiro, sempre foram deixadas de lado.

    O perfil indica pessoas disciplinadas o bastante para não gastarem mais do que ganham, o que as levaria ao endividamento. Porém, indica, também, que apesar de resistirem às tentações, não demonstram ser motivadas o bastante para juntar dinheiro, um pouco que seja, o que as tornaria potenciais investidores.
    Para esse grupo, dos esquecidos, talvez funcione a regra 3 x 3. Três produtos simples, com três características importantes. O prazo entra na mesma regra, se não dá para ser por três anos, que seja por trimestres, ou três meses.

    Melhor que nada! Pensei em poupança, capitalização e Tesouro Direto. São simples, populares e previsíveis.

    Quando se fala em perfil, a ênfase recai sobre conservadores ou arrojados. Grandes e pequenos investidores ou endividados. E os que estão à margem desses grupos, os esquecidos, gente que não deve, mas também não investe?

    Não me agrada quando o foco das avaliações é voltado apenas para a rentabilidade. Isso funciona para quem tem dinheiro, para quem já venceu as etapas mais difíceis. Três, cinco, dez por cento da população? E para a turma do zero a zero? Há milhões de brasileiros nessa situação. É preciso que rompam a inércia. Para o lado positivo, claro!

    Quando atendo pessoas, grupos ou famílias de baixa renda isso fica evidente. Fico mais satisfeito quando vejo suas reservas crescerem, mesmo com baixa rentabilidade, seja na poupança e na capitalização, do que ao ver gente que ganha de um lado e gasta do outro. Ótima rentabilidade sobre 100, mas pagando juros sobre 200. E o patrimônio cada vez menor.

    Cansei de ver carteiras de clientes e matérias sobre ganhos de rentabilidade acima da média, mas com retiradas de capital superiores aos novos aportes. Na prática, é como ficar com metade de uma pizza brotinho e achar melhor do que três fatias de uma pizza gigante.

    Por essas e outras, passei a valorizar mais a simples e tradicional poupança e os antes combatidos títulos de capitalização. Para camada expressiva da população, aqui representados pelos esquecidos, é o que funciona, na prática. Ambos possuem papel fundamental para atrair, manter e ajudar a crescer suas reservas. Essas pessoas contam mais com seus próprios esforços do que com rendimentos das suas teóricas aplicações. Simuladores e índices de rentabilidade não botam dinheiro pra dentro. Depósitos, aportes, sacrifícios, disciplina, motivação é que o fazem.

    Para quem duvida, fica a provocação: o que faria mais diferença na vida de uma família de baixa renda, obter o dobro do rendimento que a poupança oferece sobre um saldo de cem ou quinhentos reais, ou ter motivação e disciplina para poupar todos os meses uma parte da sua renda, ou dos seus gastos, seja qual for, e seja em que instrumento financeiro for?

    E para quem tem mais dinheiro? Aí são outros quinhentos.

    FONTE: Cnseg


    saiba mais »

    17/11/2016 - Federações associadas à CNseg estreiam novas marcas

    Padrões de cores e na tipologias estão entre as alterações apresentadas

    As Federações associadas à CNseg (FenSeg, FenaPrevi, FenaSaúde e FenaCap) estreiam nesta quinta-feira, dia 17, suas novas marcas. Além de um alinhamento tipográfico, as marcas sofreram ajustes nas cores para alcançarem o mesmo padrão de luminosidade e uma maior harmonização entre si e em relação à cor institucional da CNseg. Tal harmonização, inclusive, teve o objetivo de contribuir para o reforço da mensagem ?A força da união?, que é o atual slogam da CNseg e Federações.

    Outra mudança efetuada foi o da retirada dos ícones então existentes dentro dos símbolos, que possuíam pouca representatividade. Também foram criadas paletas de cores de apoio e outros elementos de identidade visual para enriquecer as peças institucionais.

    Navegando pelos sites das Federações, os internautas já poderão visualizar as novas marcas aplicadas. Em relação a outras peças, como publicações, cartões de visita e papeis timbrados, serão substituídas gradualmente, de acordo com a necessidade de confecção de novas peças.


    saiba mais »

    17/11/2016 - 5º Balanço das Comissões Temáticas acontece em 1º de dezembro, no Rio

    Na ocasião, representantes das 15 Comissões da CNseg abordarão trabalhos realizados e perspectivas futuras

    Os representantes das 15 Comissões Temáticas da CNseg reúnem-se em 1º de dezembro, no Hotel Windsor Atlântica, em Copacabana, no Rio de Janeiro, para apresentarem ao setor segurador um balanço dos trabalhos realizados pelas suas comissões em 2016 e um prognóstico do que pretendem realizar em 2017.

    O evento, denominado de Balanço das Comissões Temáticas, já em sua quinta edição, é também uma oportunidade para a troca de experiências e para o entendimento de como o setor tem abordado temas de importância para o mesmo.

    As Comissões Temáticas da CNseg são compostas por representantes das seguradoras associadas às Federações vinculadas à CNseg, inclusive seus presidentes. Além disso, as Comissões têm sempre seus trabalhos coordenados a alguma superintendência da Confederação.

    Em breve será divulgada a programação do evento com os horários definidos para a apresentação dos trabalhos de cada Comissão.


    saiba mais »

    17/11/2016 - 8 orientações para aproveitar a Black Friday sem crise

    A Black Friday neste ano será realizada no dia 25 de novembro e já vem…

    Lembrando que o consumidor também deverá estar mais atento com o dinheiro, por causa da crise que atravessamos. Mas, se as promoções forem muito boas se deve comprar? Não necessariamente. É vantajoso aproveitar a oportunidade para comprar algo que já esteja planejado e que apresente um preço adequado, pois, comprar sem necessidade só pelo desconto não será interessante. A pessoa gastará para algo que não objetivava realmente.

    Assim, veja produtos que já queira comprar e que já esteja em seu orçamento, para fazer uma pesquisa com antecedência. Lembre-se, é uma ótima oportunidade para quem já sabe o que quer comprar para o Natal e pode antecipar essa compra. Mas, cuidado, para que os impulsos das promoções não se transformem em dívidas.

    Veja cuidados que devem ser tomados para economizar na hora de comprar na Black Friday:

    1) Não compre se para isso precisar se endividar. Parcelamento também é uma forma de dívida. Se for inevitável, tenha certeza de que cabe no orçamento.
    2) Analise se a compra não trará custos extras para a família ou para a pessoa posteriormente.
    3) Se antecipe à Black Friday, pesquisando os preços dos produtos que deseja comprar para ver se os descontos que darão realmente são interessantes.
    4) Faça uma lista detalhada de tudo que pretende comprar e quem deseja presentear e quanto pretende gastar com cada um.
    5) Se estiver em situação financeira problemática e quiser adiantar as compras de Natal, uma dica é priorizar as crianças. Será mais fácil explicar para os adultos o jovens o motivo de não receberem presentes.
    6) Utilize a internet como meio de pesquisa, mas cuidado, só acesse e compre em sites confiáveis, crimes digitais são cada vez mais comuns.
    7) Se prepare para ir as compras nas lojas com tempo e roupas confortáveis, além disso é importante uma dose extra de paciência, evitando que se compre rapidamente para acabar com o martírio.
    8) Procure, por meio de conversas, saber quais são os reais desejos das pessoas. Muitas vezes se compra coisas caras, sendo que presentes baratos seriam muito mais bem-vindos.

    Reinaldo Domingos é educador e terapeuta financeiro, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), do Grupo DSOP e autor do best-seller Terapia Financeira e dos livros Mesada não é só dinheiro, Livre-se das Dívidas, entre outras obras.

     


    saiba mais »

    17/11/2016 - Economia ainda patina, revela indicador do BC

    IBC-Br informa que atividade econômica teve contração de 0,78% no terceiro trimestre

    Dados do Banco Central, divulgados nesta quinta-feira, informam que a atividade econômica brasileira fechou o terceiro trimestre em queda, deixando clara a dificuldade da economia para sair da recessão. Segundo os dados dessazonalizados do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), houve contração de 0,78% nos três meses até setembro na comparação com o período anterior. A queda no segundo trimestre ante o primeiro foi de 0,42%

    Nem a ligeira reação ocorrida na passagem de agosto para setembro- alta de 0,15%- fez o indicador sair do viés negativo. Dessa forma, confirma-se a projeção de que o crescimento econômico só ocorrerá no próximo ano, provavelmente a partir do segundo semestre de 2017.

    O IBC-Br incorpora projeções para a produção no setor de serviços, indústria e agropecuária, bem como o impacto dos impostos sobre os produtos.

     


    saiba mais »

    17/11/2016 - Novas tecnologias biométricas garantem maior segurança

    Para evitar compras fraudulentas, por meio de um documento falso, ou mesmo com um cartão…

    Durante o 2º Biometrics HITech, a empresa Thales apresentou um documento de identificação com os dados biométricos criptografados (com leitura de digitais, íris e face) que não permite falsificação. O documento pode ser utilizado pelo varejo e em empresas de saúde, pois evitam fraudes na compra de produtos e/ou serviços, como as já exemplificadas.

    A Gemalto expôs um RG contendo um chip com leitura biométrica (já em uso no Uruguai) que garante a veracidade de um documento único, que é o novo projeto proposto pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A Identificação Civil Nacional possui o CPF como número único e a biometria como meio para identificar os cidadãos, aproveitando a coleta do TSE.

    A solução proposta pela Formalizar e-Signature garante a cultura da assinatura a punho no mundo digital. Com validade jurídica, a solução confere alto nível de segurança de documentos eletrônicos (mesmo remoto), uma vez que consegue identificar a autenticidade da mesma, por meio de armazenamento de dados comportamentais do assinante, tais como: pressão (da mão na hora de assinar), velocidade, aceleração e inclinação da caneta.

    Estas são as novas tecnologias apresentadas no 2º Biometrics HITech. São ferramentas essenciais para ampliar a oferta de serviços, driblar a desburocratização, proteger pessoas, inibir fraudes e crimes de falsificação de documentos e estão cada vez mais ao alcance dos cidadãos, empresas e instituições públicas e privadas, a partir o uso de biometrias e tecnologias de identificação humana.

    Além de expor tecnologias de ponta, muitas que em breve devem estar à disposição do mercado nacional, o 2º Biometrics HITech realizou paralelamente uma conferência para debater o potencial de uso de tecnologias biométricas em instituições financeiras, varejo, e-commerce, recursos humanos, educação e saúde, entre outros. ?Único evento especializado no Brasil, o Biometrics HITech tem o foco em negócios?, ressaltou Luciano Baptista, organizador do evento, adiantando que a terceira edição será em setembro de 2017, em Brasília, em realização conjunta Congresso Brasileiro de Identificação da Federação Nacional dos Profissionais em Papiloscopia e Identificação (Fenappi). 


    saiba mais »

    17/11/2016 - Evento em Bauru promove discussão sobre prevenção e combate a incêndios e emergências

    Fórum de debates será coordenado pela Rede Integrada de Emergência (Rinem)

    Nesta sexta-feira, dia 18 de Novembro será realizado, no auditório do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) de Bauru, o I Fórum Rinem de Prevenção e Combate a Incêndios e Emergências. O evento está sendo promovido pela Rede Integrada de Emergência (Rinem) com realização do CIESP, organização da AD Corretora de Seguros e participação do Corpo de Bombeiros da cidade. O Fórum também conta com os apoios da Associação Comercial e Industrial de Bauru (Acib), da Associação dos Engenheiros Arquitetos e Agrônomos de Bauru (Assenag), do Centro Integrado de Alerta de Desastres Naturais (Ciaden), da Defesa Civil do município, do Jornal da Cidade, da OAB de Bauru e da regional do Sindicato da Construção (Sinduscon-SP).

    A participação da AD no evento tem o objetivo de promover a cultura da prevenção e gestão de riscos. Na ocasião, a AD também irá desempenhar o papel de facilitadora das discussões propostas.

    O evento terá início às 9h, com a abertura realizada por Rubens Passos, Diretor do Ciesp de Bauru. Na sequência, José Ricardo Scareli Carrijo, Gerente de Relações Institucionais da Tilibra, irá falar sobre a importância da Rinem para a comunidade empresarial. Às 10h, Rogério Gago, Tenente Coronel do Corpo de Bombeiros de Bauru, irá alertar sobre a ocorrência de acidentes ambientais. Em seguida, Luciano Cardoso, Superintendente Regional da AD, irá ministrar uma breve palestra com o tema ?Riscos existem e poder ser mitigados?. Às 11h20, será aberto espaço para um debate em torno dos temas apresentados, estimulando a participação de todos os presentes. O evento será encerrado às 12h.

    O evento é aberto e o público-alvo são empresários de Bauru e região. Para participar, basta confirmar presença pelo e-mail: atendimento [AT] ad [DOT] com [DOT] br. As vagas são limitadas.

    O Fórum também contará com a presença do Diretor da Rinem Augusto Andrade, que ressalta: ?As pessoas precisam se conscientizar de que o risco é constante e que, por isso, o investimento em proteção é fundamental. Por exemplo, o proprietário de uma empresa que é incendiada pode ter responsabilidades sobre a vida das pessoas que venham a ser atingidas e sobre empresas vizinhas que, eventualmente, também sejam alcançadas pelo fogo. É preciso ter equipamentos de proteção, dos mais variados tipos, e que os funcionários da empresa saibam utilizá-los, além de estarem capacitados para tomar as medidas certas diante de determinada ocorrência.

    Andrade também aponta que a eliminação ou o controle de riscos deve ser a principal preocupação de todo o tipo de empresariado. Segundo ele, para minimizar os efeitos de uma ocorrência de incêndio, por exemplo, que certamente trará prejuízos financeiros, o empresário precisar tomar todas as precauções necessárias: adoção de medidas protetivas e a contratação de um seguro contra incêndio feito sob medida para cada situação.


    saiba mais »

    17/11/2016 - Investimento do 13º salário em previdência é opção para planejamento de longo prazo

    Fim de ano e o tão esperado 13º salário pode ser utilizado pelos trabalhadores como…

    Maristela Gorayb, diretora de Previdência e Vida Resgatável na ******, acredita que mesmo sendo de longo prazo, o plano de previdência deveria ser revisto anualmente. ?Com um acompanhamento constante, o cliente poderá verificar se a opção escolhida apresenta os rendimentos compatíveis com o mercado e se o valor aplicado por mês precisa ser ajustado a sua nova realidade?, complementa.

    O investimento do 13º pode ser ainda melhor se a opção escolhida for um Plano Gerador de Benefício Livre, o PGBL. Neste caso, o valor aplicado na previdência complementar no momento do aporte é abatido do Imposto de Renda.

    Esse benefício tem limite de até 12% da renda bruta anual. Dessa maneira, o Imposto de Renda é cobrado apenas na realização do saque ou quando o contribuinte começa a receber a renda mensal da aposentadoria e em conformidade com o Regime de Tributação escolhido pelo participante do plano de previdência complementar. ?O rendimento ocorrerá sobre uma base maior de dinheiro, aumentando o saldo acumulado ao longo do tempo?, explica Maristela.


    saiba mais »

    17/11/2016 - FenaPrevi estreia sua nova marca

    Padrões de cores e na tipologias estão entre as alterações apresentadas

    As FenaPrevi e demais Federações associadas à CNseg (FenSeg, FenaSaúde e FenaCap) estreiam nesta quinta-feira, dia 17, suas novas marcas. Além de um alinhamento tipográfico, as marcas sofreram ajustes nas cores para alcançarem o mesmo padrão de luminosidade e uma maior harmonização entre si e em relação à cor institucional da CNseg. Tal harmonização, inclusive, teve o objetivo de contribuir para o reforço da mensagem ?A força da união?, que é o atual slogam da CNseg e Federações.

    Outra mudança efetuada foi o da retirada dos ícones então existentes dentro dos símbolos, que possuíam pouca representatividade. Também foram criadas paletas de cores de apoio e outros elementos de identidade visual para enriquecer as peças institucionais.

    Navegando pelos sites das Federações, os internautas já poderão visualizar as novas marcas aplicadas. Em relação a outras peças, como publicações, cartões de visita e papeis timbrados, serão substituídas gradualmente, de acordo com a necessidade de confecção de novas peças.


    saiba mais »

    17/11/2016 - Sincor-DF promove XVI Edição do Troféu Alvorada

    A festa mais esperada do mercado de seguros do Distrito Federal será realizada neste sábado,…

    Na ocasião, será entregue o Troféu Alvorada aos profissionais que mais se destacaram no mercado de seguros local e nacional ao longo deste ano.

     


    saiba mais »

    20/11/2016 - Planos de VGBL e Previdência têm maiores altas do setor de seguros

    Planos de VGBL e Previdência têm maiores altas do setor de seguros
    Os planos de VGBL tiveram crescimento de 15% em setembro, segundo pesquisa da Federação Nacional…

    Entre os estados, foi apurado crescimento de 36%, no Ceará; 26%, na Bahia; 25%, em Pernambuco e Distrito Federal. Regionalmente, destaque para o Nordeste e o Centro-Oeste, com incremento de 26% e 22%, respectivamente.

    Variação Setembro ? VGBL Nordeste

    Estados 2015 2016 Variação %
    CE 2.028 2.764 36%
    BA 2.372 2.982 26%
    PE 2.037 2.549 25%
    RN 152 178 18%
    Nordeste 7.439 9.382 26%
    Brasil 69.275 79.799 15%

    Setor de seguros cresceu 1% em setembro

    A pesquisa aponta ainda um crescimento de 1% do setor de seguros, em setembro. O movimento de prêmios registrou R$ 75,1 bilhões. Na região Centro-Oeste, a variação foi de 23% passando de R$ 5,9 bilhões para R$ 7,3 bilhões. Alavancando esse avanço, destacou-se o Distrito Federal (52%, de R$ 2,3 bilhões para R$ 3,6 bilhões). Segundo a Fenacor, essa variação pode ser explicada por um forte movimento no ramo habitacional.

    Pessoas: alta de 18% no Distrito Federal

    No ramo de pessoas, o Centro-Oeste também foi destaque, com avanço de 11% (de R$ 1,9 bilhões para R$ 2,2 bilhões). Novamente, o Distrito Federal apresentou melhor desempenho com variação de 18% (de R$ 1,1 bilhão para R$ 1,3 bilhão). Nacionalmente, o avanço foi de 4%.

    Estados 2015 2016 Variação (%)
    DF 1.171 1.386 18%
    GO 404 402 -1%
    MS 188 187 0%
    MT 226 232 3%
    Centro-Oeste 1.989 2.208 11%

    Automóveis: retração em todas as regiões do país

    Em todo o Brasil, o mercado de seguros de automóveis teve retração de 2%, segundo a pesquisa, movimentando R$ 31 bilhões. Quase todas as regiões seguiram a tendência de queda. As exceções foram o Centro Oeste e o Sul, que mantiveram estáveis seus volumes de prêmios. Na análise da participação dos ramos, o segmento de automóvel representa de 40% a 45% do total, vindo a seguir o ramo de pessoas, com 30%.

    Goiás e Mato Grosso do Sul foram as maiores altas entre os estados: 3%. Paraná e Rio Grande do Sul vêm em segundo, com 1% de aumento em seus prêmios. A queda no volume de venda de veículos novos foi um fato preponderante nesse comportamento. De um modo geral, esse cenário foi diluído em todos os estados.


    saiba mais »

    20/11/2016 - O que é ter um negócio de sucesso nos dias de hoje, nas turbulências da economia?

    Marcos Biaggio
    No esforço para gerar resultados empresariais em meio às turbulências da economia, um grande questionamento…

    Os conceitos de negócio ou empresa de sucesso têm sofrido ligeiras transformações em função de contextos econômicos e tendências mundiais. Todos esses conceitos, embora diferentes entre si, produzem a mesma relação de causa-efeito, onde o fim é o lucro. De todas as versões, costumo adotar e compartilhar com meus clientes uma considerada moderna, simples, que resume a essência da relação entre a empresa e o seu criador (proprietário).

    Um negócio bem-sucedido é uma empresa rentável que funciona sem o seu dono. Isso porque o dono existe para fazer o seu negócio crescer e prosperar, e não para operá-lo ou administrá-lo; ou ainda, o empresário tem o direito de se ausentar de sua empresa e usufruir dos recursos gerados por ela - na forma de dedicação de mais tempo si mesmo e à sua família ou para a criação de outras oportunidades de negócios.

    Se a empresa segue dependendo da capacidade de trabalho, do tempo e da produtividade do seu dono, da obrigatoriedade da sua presença no dia a dia, não é um negócio, mas sim um auto emprego. Se o proprietário se afasta da operação, muitos assuntos ficam pendentes ou aguardando a sua chegada; se ele retoma a sua rotina na operação, fica sobrecarregado de tal maneira que perde o foco na gestão e no planejamento do seu negócio. A situação fica mais crítica ainda quando nos deparamos com situações onde o dono faz questão de atender pessoalmente determinado cliente ou grupo de clientes.

    Há métodos sistemáticos que vão sendo criados e implantados pouco a pouco para que a empresa funcione sem o dono, enquanto ele foca os seus esforços na preparação de equipe e geração do plano de negócio ou estratégia.

    Simplesmente não existe tempo para o proprietário estar envolvido em toda a rotina operativa da empresa e ao mesmo tempo supervisionando o seu negócio. Toda empresa começa na forma de auto emprego para o seu dono, mas pouco a pouco os sistemas ou processos precisam ser desenvolvidos para que seja dada ao negócio uma nova dimensão de desenvolvimento e crescimento.

    A empresa não pode ?consumir? o seu dono. Ao contrário, existe para servi-lo de modo que ele tenha satisfação com o seu negócio e lucro para reinvestir, investir em outra atividade ou simplesmente usufruir na forma de realizações pessoais.

    ===================================================

    O autor é coach empresarial e consultor de vendas.
    Solicite informações sobre o programa de formação de equipe de vendedores de alto desempenho para mais clientes, mais vendas e maiores lucros.
    Ligue 11 97594-0660 ou acesse www.mbmastercoach.com


    saiba mais »

    20/11/2016 - Cresce a procura por seguro para celulares

    Cresce a procura por seguro para celulares
    Busca pela modalidade já cresceu 15% em 2016, apesar da queda na venda de aparelhos

    Considerado pela maioria das pessoas como acessório indispensável, o número de telefones celulares no Brasil já supera o de habitantes. De acordo com a Anatel, são 252 milhões de aparelhos para 206 milhões de brasileiros.

    E, à medida que o preço médio dos aparelhos sobe, cresce também a procura por seguro para o bem. Atualmente, já são mais de 4 milhões de consumidores com seguro para celular, modalidade que cresceu 15% nos sete primeiros meses de 2015, apesar da redução de 13% na venda de aparelhos projetada para este ano e da queda real de 13% em 2015. Um grande elemento motivador da busca pelo seguro é também o do número de roubo de aparelhos. De acordo com matéria da InfoMoney, nas grandes capitais brasileiras são roubados 63 aparelhos por hora, com um em cada quatro brasileiros já tendo sido vítima do crime, o que coloca o País na segunda posição em número de roubos e furtos, só perdendo para a Índia.

    E são as grandes redes varejistas as responsáveis pela maior parte dos contratos comercializados, firmados no momento da compra do aparelho, com a maioria cobrindo os roubos e furtos qualificados, mas não o furto simples. Assim, aqueles que sofreram algum tipo de intimidação para ceder o aparelho ou tiveram uma mochila rasgada ou uma gaveta arrombada para terem um celular subtraído serão indenizados, ao passo que aquele que esqueceu o celular em algum lugar e ele sumiu, não.

    Mas não são apenas os roubos e furtos que preocupam os usuários de seguro. Outra modalidade que tem apresentado crescimento bastante consistente é o de seguro contra danos acidentais.

    De acordo com o superintendente Técnico da Seguradora Sura, Marco Garutti, além das informações passadas pelo representante ou corretor, os contratantes do seguro devem ler atentamente o contrato, principalmente as cláusulas que tratam de franquia, carência e eventos não cobertos. Isso poderia ajudar na redução do número de coberturas negadas, que gira em torno de 10%, já que, ainda segundo Garutti, a maioria se dá por se tratar justamente de furto simples.

    Atenta ao crescimento da procura pelo seguro, a FenSeg lançou em agosto uma cartilha com orientações para os consumidores sobre seguros para celulares e equipamentos eletrônicos portáteis, abordando importantes questões em relação à contratação e utilização desses bens e dos tipos de seguro.


    saiba mais »

    20/11/2016 - Seguro e Violência Doméstica

    Francisco Galiza
    Rating de Seguros ? Comentário Econômico n? 434

    Prezados Senhores, 

    Para conhecimento e para pensar...

    O seguro entra em diversos aspectos da vida humana.
    Um exemplo é a publicação abaixo, do ?Insurance Information Institute?, denominada ?What Victims of Domestic Abuse Need To Know About Insurance And Finances?. Ou seja, o que as vítimas de violência doméstica devem saber sobre seguros e finanças.

    Ver... http://www.iii.org/article/what-victims-of-domestic-abuse-need-to-know-about-insurance-and-finances

    A ideia é que a segurança financeira pode fazer uma grande diferença nas vítimas de violência, na hora de decidir deixar um relacionamento abusivo. E o seguro, sendo um componente importante no planejamento financeiro, deve ser considerado nessa estratégia. Na verdade, estudos mostram que o abuso financeiro é uma tática comum usada para ganhar poder e controle em um relacionamento; quem pratica violência física também acaba praticando violência financeira. Muitas vezes, as vítimas são freqüentemente impedidas de desenvolver as habilidades financeiras necessárias para alcançar a independência. Por exemplo, nos EUA, 85% das vítimas da violência doméstica voltam a um relacionamento por falta de condições financeiras!

    Nessa linha, o texto dá dicas simples e objetivas de como as vítimas podem ter mais compreensão da sua situação financeira, de como guardar os seus documentos, e até que tipo de seguro se deve fazer em uma separação nessas condições.

    Uma iniciativa interessante, mostrando como o seguro pode orientar e influenciar diretamente a vida de muitas pessoas.

    Francisco Galiza
    http://www.ratingdeseguros.com.br/
    http://twitter.com/ratingdeseguros


    saiba mais »

    20/11/2016 - CVG-RS estrutura projetos para 2017 e incentiva pensar o futuro da economia

    CVG-RS estrutura projetos para 2017 e incentiva pensar o futuro da economia
    Aconteceu nesta quinta-feira (17), na sede da Funenseg em Porto Alegre, a reunião entre a…

    Para quem está olhando para o futuro e planejando 2017, restam poucas vagas para participar da palestra ?A Economia: Cenários no Curto e Médio Prazo?, que o CVG-RS realizará no dia 24 de novembro. Na oportunidade, Ademar Schardong, presidente do Ibef-RS explicará como a economia brasileira pode reagir no futuro próximo e quais são as perspectivas para o mercado segurador.

    O evento acontece na sede da Escola Nacional de Seguros unidade de Porto Alegre, que fica na Avenida Otávio Rocha, número 115. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail cvgrs [AT] terra [DOT] com [DOT] br.

    Sobre o palestrante

    Ademar Schardong é formado em Direito. Desde 1978 atua em Cooperativas de Crédito. Em 1978 aceitou o desafio de revitalizar a Caixa Rural União Popular. Em 1982 ingressou como diretor da COCECRER-RS. Assumiu posteriormente como Presidente da Cooperativa. Em 1995, com o desafio de construir e operacionalizar o primeiro Banco Cooperativo Privado Brasileiro, assumiu como Presidente do SICREDI, sendo que em 1996 ficou encarregado da implantação e expansão do SICREDI no Brasil. Entre 2008 e 2015 participou da reestruturação societária de governança e estratégia do sistema SICREDI.

    SERVIÇO

    O quê: Palestra CVG-RS ? A Economia: Cenários no Curto e Médio Prazo.

    Realização: CVG-RS.

    Quando: quinta-feira, dia 24 de novembro, a partir das 8h30.

    Onde: Escola Nacional de Seguros (Avenida Otávio Rocha ? 115), Porto Alegre/RS.

    Informações: cvgrs [AT] terra [DOT] com [DOT] br.


    saiba mais »

    20/11/2016 - FenaSaúde lança nova marca

    FenaSaúde lança nova marca
    Federação reforça a mensagem de assistência para preservar a vida

    A Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde) lançou, nesta quinta-feira (17), sua nova marca, em conjunto com as demais federações que compõem a Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg). As marcas em conjunto formam o símbolo da CNseg. As mudanças contribuíram para reforçar a mensagem ?A força da união?, atual slogan da CNseg e federações.   

    ?A nova marca da FenaSaúde transmite também uma mensagem de cuidado e atenção com a saúde, com a necessidade de assistência para preservar a vida, nosso maior bem?, afirma presidente da FenaSaúde, Solange Beatriz Palheiro Mendes.    

    O trabalho de redesenho dos logotipos retirou, ainda, os ícones existentes dentro dos símbolos, que possuíam pouca representatividade. Além disso, foram elaboradas novas paletas de cores de apoio e outros elementos de identidade visual. A nova marca, aos poucos, substituirá a antiga a partir da necessidade de confecção de peças institucionais.        

    O primeiro evento da FenaSaúde com a nova marca será o 2º Fórum de Saúde Suplementar, nos dias 23 e 24 de novembro, no Rio de Janeiro. Além de conhecerem o novo símbolo, representantes do setor e consumidores de planos de saúde poderão acompanhar as discussões necessárias para viabilizar o futuro do setor de saúde suplementar. Com inscrições gratuitas, garanta seu lugar.

    ?O 2º Fórum da Saúde Suplementar é uma oportunidade de reunir os principais representantes do setor e autoridades para discutir os próximos anos do sistema privado de saúde, a partir de análises de especialistas que irão retratar a atual situação do mercado e apresentar possíveis caminhos. O desenvolvimento do setor está em xeque, caso nada seja feito. Chegou a hora de fazer escolhas?, afirma Solange Beatriz Palheiro Mendes, presidente da FenaSaúde.  

    Entre os temas que serão debatidos no fórum, os desafios das escolhas impostas pelo cenário macroeconômico, com crescimento do desemprego e queda na geração de renda, resultando na perda de 1,6 milhão de beneficiários de planos de saúde e no encolhimento do poder econômico das famílias brasileiras; as decisões necessárias diante do envelhecimento populacional e consequente transição demográfica, da incorporação tecnológica acrítica e sem avaliação de impacto do custo-efetividade, a escalada crescente das despesas na saúde e, historicamente, acima das receitas e, ainda, a redução da capacidade de pagamento da população.

    O fórum ainda promove a discussão do custo dos procedimentos médicos e a qualidade dos serviços oferecidos como fatores fundamentais para a tomada de decisão do consumidor, tornando-o mais consciente e participativo na gestão de sua própria saúde; a utilização de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME) apenas com suporte em evidências médicas, dificultando fraudes e o implante sem a real necessidade comprovada; e, por fim, as escolhas do Poder Judiciário, que se refletem no aumento das despesas assistenciais em razão da ausência de pareceres técnicos de profissionais de saúde que possam embasar a tomada de decisão dos magistrados ? no sentido oposto, iniciativas como os Núcleos de Apoio Técnico (NATs), formados por especialistas da área de saúde, são experiências positivas para diminuir o impacto da judicialização da saúde.  

    Evento: 2º Fórum de Saúde Suplementar ? As Escolhas Necessárias para o Futuro
    Datas: 23 e 24/11
    Horário: 08h30 às 18h (dia 23) e 9h às 12h35 (24)
    Inscrições: clique aqui
    Local: Hotel Sofitel
    Shopping Cassino Atlântico ? Av. Atlântica, 4.240, Copacabana, Rio de Janeiro.

    Programação: http://www.cnseg.org.br/fenasaude/servicos-apoio/noticias/2-forum-da-saude-suplementar-e-o-poder-da-escolha-do-beneficiario.html


    saiba mais »

    20/11/2016 - Atuação conjunta entre Sincor-SP e Fenacor obtém liminar de suspensão das atividades da Youse

    Alexandre Camillo
    Nesta última sexta-feira, 18/11, o juiz Alberto Nogueira Junior, da 10ª Vara Federal do Rio…

    De acordo com a liminar ficam proibidas a divulgação de publicidade sobre os produtos da Youse e a renovação das apólices contratadas até hoje. A Youse também deverá publicar em seu site a íntegra da decisão tão prontamente receba oficialmente a notificação.

    De acordo com ambas as entidades, a Youse, seguradora online da Caixa Seguros, vinha atuando de forma irregular e ilegal, ao comercializar apólices de seguros mesmo sem ter a devida autorização legal do órgão regulador do mercado, a Superintendência de Seguros Privados (Susep).

    "O Sincor-SP permanece sempre atento e mobilizado no continuo e incansável combate à ilicitude e ao crime que ameacem o setor de seguros, e, consequentemente levar o consumidor a decepcionar-se com o seguro", afirma Camillo.


    saiba mais »

    20/11/2016 - Mais tempo para inscrição em exame de formação de corretores

    Mais tempo para inscrição em exame de formação de corretores
    Provas serão aplicadas em janeiro de 2017, em 20 cidades

    Mesmo diante da crise econômica pela qual o País vem passando, a indústria de seguros tem se mostrado resistente às turbulências, registrando índices de crescimento maiores do que os verificados em outros segmentos.

    O mercado vem atraindo cada vez mais profissionais, justamente por esse crescimento contínuo desde a década de 1990. É um setor que oferece diversas possibilidades de atuação e construção de sólida carreira.

    Uma das maneiras de ingressar no segmento é como corretor de seguros. O Exame para Habilitação de Corretores de Seguros, aplicado pela Escola Nacional de Seguros, concede certificado aos candidatos aprovados, que, então, podem solicitar o registro profissional à Superintendência de Seguros Privados ? Susep.

    Com inscrições abertas até 25 de novembro, o 56º Exame para Habilitação de Corretores de Seguros será ministrado entre 16 e 19 de janeiro de 2017, em 20 cidades: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Campinas (SP), Santos (SP), Ribeirão Preto (SP), Curitiba (PR), Blumenau (SC), Brasília (DF), Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG), Salvador (BA), Recife (PE), Goiânia (GO), Vitória (ES), Belém (PA), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE) e Natal (RN).

    São pré-requisitos ensino superior completo e maioridade. O investimento varia de R$ 330,00 a R$ 1.260,00, dependendo da modalidade. Candidatos dos cursos preparatórios a distância têm direito a 50% de desconto no valor integral da taxa de inscrição, desde que tenham adquirido curso em modalidade igual ou superior à do exame. As inscrições devem ser feitas no site da Escola, www.funenseg.org.br.  


    ------------------------------------------------------------------------------------
    Segs.com.br valoriza o consumidor e o corretor de seguros


    saiba mais »

    20/11/2016 - Bom texto de análise de solvência

    Francisco Galiza
    Rating de Seguros ? Comentário Econômico n? 435

    Prezados Senhores,

    Para conhecimento e para pensar...

    A instituição Geneva Association (centro de pesquisas europeu, especializado em seguros) divulgou um bom texto sobre a análise de solvência de seguradoras, denominado ?Modernising Insurance Solvency Regimes? Key Features of Selected Markets?.

    Ver... https://www.genevaassociation.org/media/951237/20160830_solvencyregimes_complete.pdf

    Além de discutir os tópicos principais com relação a esse aspecto ? por exemplo, requerimentos de capital mínimo, ?valuation?, modelos internos, etc -, alguns países são comparados entre si, citando inclusive a situação do Brasil.

    Abaixo, um exemplo.

     

    Francisco Galiza
    http://www.ratingdeseguros.com.br/ 
    http://twitter.com/ratingdeseguros


    saiba mais »

    20/11/2016 - Programa Direção Segura autua 26 motoristas em Peruíbe

    Blitze de fiscalização da Lei Seca foram realizadas entre a noite deste sábado (19) a…

    O Programa Direção Segura ? ação coordenada pelo Detran.SP para a prevenção e redução de acidentes e mortes no trânsito causados pelo consumo de álcool combinado com direção ? autuou 26 pessoas em operações de fiscalização da Lei Seca realizadas em Peruíbe entre a noite deste sábado (19) a madrugada de domingo (20).
     
    Durante as blitze, realizadas na avenida Mario Covas e praça Melvin Jones, foram aplicados, ao todo, 217 testes do etilômetro (conhecidos por bafômetro).
     
    Vinte e seis condutores foram autuados por embriaguez ao volante e terão de pagar multa no valor de R$ 2.934,70 e responder a processo administrativo junto ao Detran.SP para a suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

    Cinco desses motoristas, além das penalidades acima, responderão na Justiça por crime de trânsito. Eles apresentaram índice a partir de 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido no teste do etilômetro ou tiveram a embriaguez atestada em exame clínico realizado por médico-perito da Polícia Técnico-Científica. Se condenados, poderão cumprir de seis meses a três anos de prisão, conforme prevê a Lei Seca, também conhecida como "tolerância zero".

    Ação integrada ? Lançado no Carnaval de 2013, o Programa Direção Segura integra equipes do Detran.SP, das polícias Militar, Civil e Técnico-Científica. Pela Lei Seca (lei 12.760/2012), todos os motoristas flagrados em fiscalizações têm direito a ampla defesa, até que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) seja efetivamente suspensa. Se o condutor voltar a cometer a mesma infração dentro de 12 meses, o valor da multa será dobrado.
     
    ____________________________________________________________
    DETRAN.SP:
    O Detran.SP é uma autarquia do Governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Planejamento e Gestão.
     
    INFORMAÇÕES AO CIDADÃO:
    Portal ? www.detran.sp.gov.br
    Disque Detran.SP ? Capital e municípios com DDD 11: 3322?3333. Demais localidades: 0300?101?3333. Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, e aos sábados, das 7h às 13h.
    Fale com o Detran.SP e Ouvidoria (críticas, elogios e sugestões) ? Acesso pelo portal, na área de "Atendimento".


    saiba mais »

    20/11/2016 - Tecnólogo concede diploma de nível superior em dois anos

    Graduação inédita tem foco em Gestão de Seguros e será ministrada no Rio de Janeiro

    Uma opção rápida e segmentada para aqueles que desejam construir uma carreira em campos específicos da gestão de seguros. Esse é o objetivo do curso Tecnólogo em Gestão de Seguros, que será ministrado pela Escola Nacional de Seguros a partir de 2017, no Rio de Janeiro (RJ), e já está com inscrições abertas.

    A graduação tecnológica é destinada a quem pretende adquirir uma visão focada no setor, tornando-se um profissional com funções práticas e instrumentais do segmento. Para o diretor de Ensino Superior da Escola, Mario Pinto, o curso vem preencher uma lacuna na qualificação da mão de obra especializada.

    ?Existem profissionais que não possuem diploma de nível superior, mas, também, não dispõem de tempo para frequentar um bacharelado tradicional de quatro anos. Isso nos motivou a criar a graduação tecnológica?, explica.

    Com duração de dois anos, o curso fornece certificações profissionais parciais e, ao final, diploma de nível superior. O egresso também tem a opção de estender o curso por mais dois anos e se formar bacharel em Administração.

    O processo seletivo consiste em redação, que pode ser agendada para 3 de dezembro. A mensalidade é de R$ 710,00 e o início das aulas será em 6 de fevereiro de 2017. Alunos que realizarem matrícula até 15 de dezembro estarão isentos do pagamento da primeira mensalidade.

    As inscrições devem ser feitas no site www.profissaosegura.com.br, onde mais informações estão disponíveis.


    ------------------------------------------------------------------------------------
    Segs.com.br valoriza o consumidor e o corretor de seguros


    saiba mais »

    20/11/2016 - Em evidência, D&O é tema de novo curso de extensão

    Aulas serão ministradas em São Paulo, a partir de março de 2017

    Destinado à proteção do patrimônio de altos executivos, o Seguro D&O (Directors and Officers Liability Insurance) vem registrando crescimento no Brasil, apesar de ser recente por aqui. Para capacitar profissionais que atuam ou pretendem atuar nesse segmento, a Escola Nacional de Seguros abriu, em São Paulo (SP), inscrições para a extensão Seguro de Responsabilidade Civil Diretores e Administradores ? D&O.

    O curso fornece uma visão ampla da importância da integração dos conhecimentos voltados para a contabilidade, estatística, finanças, direito securitário, direito societário, direito da responsabilidade civil, dentre outras áreas de formação.

    Os alunos terão a oportunidade de sistematizar conhecimentos relativos aos produtos de seguros, identificar riscos inerentes às áreas estudadas, e estimular e aprimorar a capacidade crítica e o estudo científico das bases contratuais praticadas pelo mercado nacional de seguros.

    As aulas terão início em 21 de março de 2017 e acontecerão duas vezes por semana, à noite. O investimento é de R$ 4.900,00, podendo ser parcelado em até sete vezes. As inscrições já estão abertas no www.funenseg.org.br.

    ------------------------------------------------------------------------------------
    Segs.com.br valoriza o consumidor e o corretor de seguros


    saiba mais »

    20/11/2016 - Artigo aborda riscos em plantações por excesso de chuvas

    Seguro protege contra secas, ventanias e chuvas

    A primavera no Sul do País é marcada pelo grande volume de chuvas. Por causa delas, muitos agricultores perdem plantações ou não conseguem produzir o previsto. É o caso dos arrozeiros gaúchos.

    O Rio Grande do Sul é o principal produtor de arroz do Brasil, responsável por cerca de 70% do que é consumido em âmbito nacional. As grandes enchentes no estado, somadas à greve dos bancários em um momento de grandes financiamentos, prejudicou muito as lavouras.

    As intempéries climáticas que prejudicam a agricultura são fenômenos comuns nessa época do ano. O que muitos produtores desconhecem, no entanto, é que as plantações podem ser protegidas pelo seguro. O artigo ?Seguro no prato do brasileiro? trata justamente desse tema.

    Publicado no portal Tudo Sobre Seguros, da Escola Nacional de Seguros, o texto apresenta a modalidade do seguro que protege as safras contra fenômenos adversos da natureza. As coberturas não se restringem às lavouras, podem ser estendidas ao patrimônio do produtor, seus produtos, ao crédito para comercialização e até à morte do agricultor.

    A íntegra do artigo está publicada no portal. Acesse e conheça mais sobre essa modalidade: www.tudosobreseguros.org.br.


    ------------------------------------------------------------------------------------
    Segs.com.br valoriza o consumidor e o corretor de seguros


    saiba mais »

    20/11/2016 - CPES lança nova edição da Cadernos de Seguro - Teses

    Obra é fruto da tese do doutor em Engenharia Elétrica, César da Rocha Neves

    O Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), da Escola Nacional de Seguros, lançou mais um volume da série Cadernos de Seguro ? Teses: ?Ensaios sobre Modelagem Dinâmica em Seguro de vida e Previdência Privada: Longevidade, Cancelamento e Opções Embutidas?.

    A obra é fruto da tese de doutorado redigida pelo doutor em Engenharia Elétrica, César da Rocha Neves, e enfoca a mensuração e o gerenciamento dos fatores de risco relacionados à previdência social.

    As rápidas mudanças demográficas no Brasil com o avanço da longevidade e a redução da taxa de natalidade trazem grandes desafios para os sistemas de previdência e para o mercado de seguros. Tais desafios, se não enfrentados de forma eficiente, comprometem a solvência das previdências pública e privada, a solidez das suas instituições e a qualidade de vida das gerações atuais e futuras.

    Com base nessas informações, o autor propõe quatro modelos dinâmicos para ajudar as seguradoras e os fundos de pensão a avaliar e administrar seus fatores de risco e seus planos de anuidade.

    No prefácio, o diretor do CPES, Claudio Contador, afirma que os temas abordados na obra são de interesse fundamental para o desenvolvimento saudável da previdência no País. Contador acrescenta que ?a tese aborda, com maestria e rigor, modelos dinâmicos, voltados para a mensuração e gerenciamento do risco da longevidade e suas consequências?.

    O título está à venda no site da Escola, no endereço www.funenseg.org.br/livros.


    ------------------------------------------------------------------------------------
    Segs.com.br valoriza o consumidor e o corretor de seguros


    saiba mais »

    20/11/2016 - Final de novembro com ampla programação de eventos

    Palestras e seminários serão realizados em 17 cidades de 10 estados do País

    A segunda quinzena de novembro terá ampla programação de palestras e seminários gratuitos promovidos pela Escola Nacional de Seguros. Serão ao todo 18 eventos, distribuídos por 17 cidades, de todas as regiões do País.

    Haverá encontros em Vitória da Conquista (BA), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Ribeirão Preto (SP), Florianópolis (SC), Guarulhos (SP), Criciúma (SC), Pato Branco (PR), São João da Boa Vista (SP), Goiânia (GO), São Luís (MA), Cuiabá (MT), Maceió (AL), Joinville (SC), Cascavel (PR), São Paulo (SP) e Varginha (MG).

    Ética, previdência, técnicas de vendas, branding, marketing, empreendedorismo e mídias sociais são alguns dos temas a serem enfocados. Destaque para os seminários ?Opções Reais e Garantias Financeiras em Planos de Previdência?, no dia 21, no Rio de Janeiro (RJ), e ?Compliance como Ferramenta de Gestão?, no dia 29 de novembro, em São Paulo (SP).

    Todos os eventos são gratuitos e as inscrições devem ser feitas no www.funenseg.org.br/eventos, onde mais detalhes estão disponíveis.


    ------------------------------------------------------------------------------------
    Segs.com.br valoriza o consumidor e o corretor de seguros


    saiba mais »

    20/11/2016 - Superintendente Executivo Técnico da CNseg é destaque em almoço do Sindseg-RS

    Na ocasião, Alexandre Leal apresentará detalhes do Programa de Educação em Seguros da CNseg

    O superintendente Executivo Técnico da CNseg, Alexandre Leal, participa em 24 de novembro de almoço realizado pelo Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (Sindseg-RS), no Clube do Comércio de Porto Alegre.
    Na ocasião, Alexandre Leal apresentará palestra abordando o Programa de Educação em Segudo da CNseg, lançado oficialmente em outubro deste ano visando combater a desinformação dos consumidores sobre o setor e disseminar a cultura do seguro.

    O Clube do Comércio de Porto Alegre fica localizado na Rua dos Andradas, 1.085, 4º andar. O almoço começa às 12 horas e o valor é de R$60,00. Os interessados em participar podem confirmar a presença até o dia 21 de novembro pelo email sindsegrs [AT] sindsegrs [DOT] org [DOT] br ou pelos telefones (51) 3221-4333 e 3221-4960.


    saiba mais »

    20/11/2016 - Últimos dias para inscrições gratuitas no 2º Fórum de Saúde Suplementar

    Evento da FenaSaúde recebe especialistas e autoridades para debater as escolhas necessárias para o setor

    Últimos dias de inscrições gratuitas para o 2º Fórum da Saúde Suplementar ? Escolhas Necessárias para o futuro, que acontecerá nos dias 23 e 24 de novembro, no Rio de Janeiro. A proposta do evento é discutir as escolhas da sociedade para garantir a sustentabilidade do setor e debater o retrato atual do mercado e os caminhos possíveis para o seu desenvolvimento nos próximos anos. Para garantir sua participação, clique aqui.

    O fórum terá a presença de especialistas e autoridades, como o diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar, José Carlos Abrahão; vice-presidente de Finanças Globais, Edson Carlos de Marchi, superintendente do hospital do Coração (HCor), Ary Ribeiro; presidente do Conselho de Medicina e Saúde da ACRio, Josier Villar; desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, Ney Wiedemann Neto; ministro do Superior Tribunal de Justiça, Paulo de Tarso Vieira Sansevereino; além do presidente da CNseg, Marcio Coriolano; e a presidente da FenaSaúde, Solange Beatriz Palheiro Mendes, entre outros.

    ?Trata-se de uma grande oportunidade reunir essas autoridades e especialistas para debater os atuais desafios do atendimento ao sistema de saúde. A partir dessas discussões, precisamos apontar caminhos para o desenvolvimento do mercado. O momento exige mudanças e o compromisso de todos ? governo, operadoras, prestadores e beneficiários. Precisam sair de suas zonas de conforto em prol do futuro da Saúde Suplementar. Temos que fazer escolhas e o consumidor precisa estar consciente disso, como agente participativo?, afirma Solange Beatriz Palheiro Mendes, presidente da FenaSaúde.

    O 2º Fórum de Saúde Suplementar trará palestras e painéis sobre os desafios das escolhas impostas pelo cenário macroeconômico, com crescimento do desemprego e queda na geração de renda, resultando na perda de 1,6 milhão de beneficiários de planos de saúde e no encolhimento do poder econômico das famílias brasileiras; as decisões necessárias diante do envelhecimento populacional e consequente transição demográfica, da incorporação tecnológica acrítica e sem avaliação de impacto do custo-efetividade, a escalada crescente das despesas na saúde e, historicamente, acima das receitas e, ainda, a redução da capacidade de pagamento da população.

    O fórum ainda promove a discussão do custo dos procedimentos médicos e a qualidade dos serviços oferecidos como fatores fundamentais para a tomada de decisão do consumidor, tornando-o mais consciente e participativo na gestão de sua própria saúde; a utilização de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME) apenas com suporte em evidências médicas, dificultando fraudes e o implante sem a real necessidade comprovada; e, por fim, as escolhas do Poder Judiciário, que se refletem no aumento das despesas assistenciais em razão da ausência de pareceres técnicos de profissionais de saúde que possam embasar a tomada de decisão dos magistrados ? no sentido oposto, iniciativas como os Núcleos de Apoio Técnico (NATs), formados por especialistas da área de saúde, são experiências positivas para diminuir o impacto da judicialização da saúde.

     Evento: 2º Fórum de Saúde Suplementar ? As Escolhas Necessárias para o Futuro
    Datas: 23 e 24/11
    Horário: 08h30 às 18h (dia 23) e 9h às 12h35 (24)
    Inscrições gratuitas: clique aqui
    Local: Hotel Sofitel
    Shopping Cassino Atlântico ? Av. Atlântica, 4.240, Copacabana, Rio de Janeiro.

    Programação: http://www.cnseg.org.br/fenasaude/servicos-apoio/noticias/2-forum-da-saude-suplementar-e-o-poder-da-escolha-do-beneficiario.html 


    saiba mais »

    20/11/2016 - Companhia tem seguro de automóvel ideal para mulheres

    Para atender as necessidades específicas do público feminino, o Bradesco conta com o seguro ?Auto…

    As coberturas básicas são para incêndio, roubo/furto e colisão, além de danos materiais e corporais causados a terceiros. Já as coberturas adicionais abrangem acidentes pessoais de passageiros, despesas extraordinárias,danos morais, entre outras.

    Outras ofertas deste seguro são a inclusão de mais dias de carro reserva, assistência dia e noite mesmo se estiver longe da cidade e reboque limitado. Além disso, a companhia conta com uma central de relacionamento exclusiva. ?O

    Auto Mulher oferece benefícios adicionais para seguradas do gênero feminino, além de ser um público que historicamente possui colisões mais leves e com menor frequência que os homens?, aponta o superintendente, sobre os pontos positivos para quem comercializa.

    Os corretores também devem estar atentos aos diferenciais do Bradesco Seguro Auto Mulher. Segundo Cleverson, os principais pontos são os preços mais atrativos que os dos homens, serviço de reboque e por pane sem limite de ocorrência, serviço de táxi em caso de acidente ou pane dentro do município do endereço do segurado.
    Para mais informações sobre o Bradesco Seguro Auto Mulher, acesse o site www.bradescoseguros.com.br.


    saiba mais »

    20/11/2016 - Centauro-ON fortalece sua presença no mercado de São Paulo

    Atuando com uma filial desde 2015, a Centauro-ON esteve presente no Conec 2016 com um…

    O diretor comercial da companhia Carlos Rosenmann informou que a entrada no mercado paulista foi planejada para um momento oportuno como este, onde o segmento de vida têm se tornado cada vez mais atrativo ao corretor de seguros pelas suas característica de longo prazo. ? No Conec, pudemos receber nossos já parceiros de negócio, mas também tivemos a oportunidade de conhecer novos interessados em conhecer nossos diferenciais?, explica Rosenmann.

    A Centauro-ON é uma especialista em seguros de vida que conhece a fundo as necessidades de seus clientes e faz parte da Ohio National, um grupo internacional com mais de 100 anos. Possui diversas filiais para atendimento diferenciado a corretores, sendo reconhecida pela sua excelência operacional e produtos flexíveis.


    saiba mais »

    20/11/2016 - Fintech Oferece Antecipação De Recebíveis Dentro De Software Erp

    As fintechs estão transformando a vida das pessoas e essa novidade já começa a ser…

    Sem burocracia, empresária consegue taxa de juros 50% mais baixa que nos bancos e factorings

    Quem tem uma pequena ou média empresa sabe que um dos pontos mais sensíveis do negócio é o fluxo de caixa. Vende-se à prazo para os clientes, mas paga-se à vista para os fornecedores. Essa é uma realidade que faz com que muitos empreendedores tenham que recorrer a bancos e factorings para antecipar duplicatas e conseguir capital de giro para fazer o negócio funcionar. A boa notícia é que acaba de ser concluída uma parceria inédita entre uma Fintech israelense, WorkCapital, e o ERP brasileiro Omie, especializado na gestão de PMEs, que promete mudar completamente o modo como se faz essa operação.

    Esse recurso de antecipação é amplamente utilizado pela empresária do ramo de móveis para escritório, Aline Silva, de Campinas. Há 15 anos na profissão, ela sempre recorreu a bancos públicos e privados, além de factorings, para antecipar recebíveis. ?Vendo para meus clientes em até 10 vezes, mas tenho que pagar meus fornecedores em no máximo 30 ou 40 dias?, revela. Não fosse essa saída, provavelmente sua empresa não teria sobrevivido. Contudo, essa vantagem tem um preço, e não é baixo. ?Em média, eles descontam em torno de 6% do que me antecipam?.

    Além de cara, a operação também é burocrática. ?Mesmo sendo correntista do banco, somos submetidos a uma série de procedimentos, que retardam o processo. O pior deles é que precisamos entregar as notas fiscais assinadas pelo cliente, para comprovar o que há para receber. O problema é que, no nosso caso, vendemos também para outros estados, ficando muito difícil recolher essas assinaturas?, se queixa. É preciso contar ainda com a boa vontade dos funcionários. ?Precisamos ficar em cima deles. A análise dos documentos pode levar dois ou três dias para ser concluída. Por sermos pequenos, os bancos não nos levam muito a sério. Não temos poder de barganha. Enquanto isso, ficamos sem saber se teremos o capital ou não?.

    Sua realidade começou a mudar há cerca de um mês. Cliente Omie há oito meses, assim que tomou conhecimento da parceria com a WorkCapital, a empresária resolveu testar a novidade. ?O máximo que os bancos e factorings com que já trabalhei topavam me antecipar era R$ 5 mil. De cara, a Fintech já me liberou R$ 15 mil, o triplo do que tinha antes?, comemora. O atendimento diferenciado é apontado como uma das grandes vantagens. ?É tudo automático dentro do sistema. Simplesmente não tenho mais o desgaste psicológico que tinha com os bancos. Não há nenhuma burocracia e, a negociação para conseguir um limite maior também é super simples. É tão bom que fiquei imaginando onde estaria a pegadinha?, brinca.

    Mas, a maior vantagem está mesmo é no bolso. As taxas que ela vem pagando pela operação são, em média, a metade do que pagava a outras instituições financeiras, algo em torno de 3%. ?Em apenas um mês, imagino ter feito uma economia de aproximadamente R$ 5 mil. O bom é que, conforme vamos pagando, o crédito é liberado automaticamente. Ou seja, a rotatividade desse valor é grande e simples, o que nos dá muito mais autonomia para nos concentrarmos em coisas mais importantes para o nosso negócio. Agora tenho mais tempo para a minha empresa e não preciso ser maltratada pelos bancos?, evidencia.

    Para Marcelo Lombardo, CEO da Omiexperience, empresa desenvolvedora do Omie, o relato de Aline é extremamente gratificante. ?Omie foi desenvolvido especialmente para as PMEs e, como acompanhamos as finanças dos nossos clientes em tempo real, junto ao contador, notamos que as altas taxas de juros do Brasil muitas vezes comprometem a saúde financeira das empresas, chegando a inviabilizar a existência de muitas. Resolvemos atuar proativamente para mudar essa situação?, lembra. A comprovação de que esse era o caminho se deu logo na semana do lançamento do serviço. Cerca de 450 empresas solicitaram a antecipação, somando R$ 53 milhões em pedidos.

    Segundo Simão Neumark, único brasileiro entre os sócios da WorkCapital, a ideia é promover e ampliar o acesso ao crédito via antecipação de duplicatas com taxas mais baixas, que cabem no bolso dos pequenos empresários. ?Fazemos uma análise algorítmica completa da empresa, algo nunca feito no mercado de crédito para PME. Como acompanhamos a contabilidade, o risco de inadimplência é menor, o que nos possibilita trabalhar com taxas menores que as dos bancos?, explica.

    Os primeiros clientes já se demonstram plenamente satisfeitos com a novidade. Agora, a empresa planeja novas conquistas. ?Os testes foram concluídos com sucesso. Nossa expectativa agora é aumentar o número de clientes que antecipam duplicatas dentro do Omie em X%. Queremos provar que é possível fazer essa operação de forma rápida, segura. Temos certeza que isso pode revolucionar o mercado, à medida que as PMEs se tornarão mais competitivas e menos dependes dos bancos, que tradicionalmente sempre privilegiaram os grandes negócios?, finaliza Lombardo.

    Sobre Omie: www.omie.com.br
    Omie é um ERP que oferece uma plataforma completa de gestão empresarial na nuvem para controlar todos os processos financeiros, de CRM, vendas e serviços, além de emissão de boletos e NF-e, com foco em PMEs. Com um visual simples e intuitivo, o sistema é muito fácil de ser operado e todas as informações fiscais e contábeis são integradas automaticamente com o contador, independente do software que ele utilize. Tudo isso, sem limites de usuários ou cobranças adicionais. ?Ter uma gestão confiável é crucial para que uma empresa possa crescer. Acreditamos nisso e desenvolvemos um ERP capaz de atender as necessidades do negócio e ainda ser atrativo ao usuário?, esclarece Marcelo Lombardo, sócio-fundador da Omiexperience.


    saiba mais »

    21/11/2016 - Tudo pronto para a homenagem da Aconseg-RJ ao superintendente da Susep

    Luiz Philipe Baeta Neves - Presidente Aconseg-RJ
    O almoço em torno do titular da Susep, Joaquim Mendanha de Ataídes, irá contar com…

    O almoço oferecido pela diretoria da Associação das Empresas de Assessoria e Consultoria de Seguros do Estado do Rio de Janeiro (Aconseg-RJ) é exclusivo para convidados e será realizado na próxima quarta-feira, dia 23 de novembro, no restaurante Fogo de Chão, na Zona Sul do Rio.

    Para o presidente da Aconseg-RJ, Luiz Philipe Baeta Neves, ?é um honra para a entidade contar com o Superintendente da Susep, num dos seus primeiros encontros públicos desde sua posse. Para os profissionais do mercado do Rio de Janeiro esta deferência marca o início de um novo ciclo de convivência democrática e de confiança nos propósitos dos diversos segmentos do mercado fluminense, em especial, das assessorias congregadas pela Aconseg-RJ. Modelo pioneiro e vitorioso em nosso estado, as nossas associadas participam fortemente das operações do mercado de seguros no estado do Rio de Janeiro e investem cada vez mais na capacitação dos seus profissionais e na qualificação dos seus serviços e atendimento aos consumidores de seguros?, argumenta o presidente.

    Perfil - Joaquim Mendanha de Ataídes é graduado em Administração e Marketing pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás e com MBA em seguros e resseguros, pela Escola Nacional de Seguros, Ataídes habilitou-se em corretor em 1989 e, desde, 1997, atua como representante institucional em sucessivos mandatos.

    Entre os anos de 1998-2000 e 2001-2003 ele foi, respectivamente, 1º e 2º secretário na diretoria do SINCOR-GO. Assumindo a vice-presidência da casa entre 2004 e 2006. No ano seguinte, assumiu o primeiro mandato como presidente da instituição, posto que ocupou por três vezes e do qual está licenciado desde de a indicação para a Susep.

    Joaquim também é cooperado fundador e 1º vice-presidente da Cooperativa de Crédito de Livre Admissão das Micro Regiões de Goiânia e foi secretário-geral na FENACOR.

    Sobre a Aconseg-RJ |

    Fundada em 1998, a Associação das Empresas de Assessoria e Consultoria de Seguros do Estado do Rio de Janeiro (Aconseg-RJ) é uma entidade que reúne as assessorias de seguros, modelo de negócios que reformulou as áreas de produção das companhias e já movimenta mais de um bilhão e meio em prêmios por ano. A entidade realiza cursos, palestras e debates para fomentar o desenvolvimento das assessorias de seguros no Estado do Rio de Janeiro. A diretoria 2016/2018 é composta por Luiz Philipe Baeta Neves (presidente), Joffre Nolasco (1º secretário), César Braga (2º secretário), Mário Roberto Santos (1º tesoureiro) e Olívio Américo (2º tesoureiro).


    saiba mais »

    21/11/2016 - SOMPO lança seguro para Pet Shops e Clínicas Veterinárias com cobertura para serviços como banho, tosa, táxi dog e hotel

    João Carlos Mendonca
    No Brasil há mais de 108 mil estabelecimentos que atuam no segmento Pet e segundo…

    São Paulo, 21 de Novembro de 2016 ? A Sompo Seguros S.A., empresa do Grupo Sompo Holdings ? um dos maiores grupos seguradores do mundo ? acaba de lançar um novo seguro criado especialmente para atender às clínicas veterinárias, pet shops, hotéis de animais ou empresas que exerçam mais de uma dessas atividades. O novo Seguro Empresarial Segmentado Pet Shop e Clínicas Veterinárias foi desenvolvido com base em estudos desse mercado e conta com uma série de vantagens exclusivas e coberturas específicas relacionadas às ocorrências presentes no dia a dia do setor.

    O produto da Sompo Seguros conta com diversas coberturas adicionais, que vão desde aquelas tradicionais como: Roubo/Furto, Danos Elétricos, Vendaval, até outras exclusivas, como as coberturas de responsabilidade civil, que abrangem vários dos serviços prestados na área, como Banho e Tosa (caso ocorra algo com o pet enquanto estiver passando pela higienização), Dog Walker (caso ocorra algo durante os passeios), Táxi Dog (para danos ocorridos aos Pets durante o transporte de ida-volta do Pet Shop ou Clínica Veterinária) e Hotel Pet (para pets hospedados).

    Outra Cobertura Adicional exclusiva do seguro Sompo Segmentado Pet Shop e Clínicas Veterinárias é a de Deterioração de Vacinas e Medicamentos em Ambientes Frigorificados, para o caso de ocorrências (como falta prolongada de energia elétrica, por exemplo) que inviabilizem o uso desse tipo de produto. O segurado também tem a opção de contratar a cobertura para Equipamentos Portáteis de Uso Profissional, que garante equipamentos, mesmo fora do estabelecimento, quando transportados ou utilizados no exercício da atividade profissional em domicílio (secadores, tosadores, sopradores, equipamentos veterinários, notebooks e tablets, por exemplo).

    Vale considerar que a Sompo Seguros não inovou somente nas Coberturas Adicionais diferenciadas e exclusivas, mas também nas proteções que compõem a Cobertura Básica. Ao contrário do comumente praticado no mercado, além de incêndio, queda de raio e explosão, o Seguro Empresarial Segmentado Pet Shop e Clínicas Veterinárias garante ainda o estabelecimento segurado contra derramamento acidental de sprinklers (chuveiros automáticos) e recomposição de documentos, sem qualquer custo adicional.

    Experiência

    Não é a primeira vez que a Sompo Seguros investe no segmento Pet. Numa parceria com a Pet Assist, empresa especializada na assistência a cães e gatos, a companhia disponibiliza um serviço de assistência que propicia um novo lar aos animais de estimação no caso de falecimento do dono. Quem contrata o serviço terá a garantia do Seguro de Vida Sompo Seguros para que seu cão ou gato seja acolhido e receba os cuidados necessários em caso de uma eventualidade. O objetivo é possibilitar que a qualidade de vida do animal de estimação seja mantida, mesmo na falta do dono.

    O debate sobre a guarda responsável de animais está cada vez mais em voga. Tanto é que o tema do amparo ao bichinho de estimação no caso da morte do dono foi recentemente abordado em produções cinematográficas, como na animação Pets ? A Vida Secreta dos Bichos (Direção de Yarrow Cheney, Chris Renaud, EUA, 2016) e no filme Truman (Direção de Cesc Gay, Espanha / Argentina, 2015).

    Mercado Promissor

    Estima-se que o Brasil tenha um número superior à 108 mil clínicas veterinárias e pet shops em funcionamento atualmente. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), os serviços de Pet Serv, que incluem atividades como atendimento médico-veterinário, banho e tosa e outras atividades; devem alcançar um faturamento de R$ 3,3 bilhões em 2016, o que representa 16,3% do faturamento estimado para este ano para todo o mercado Pet.

    As projeções da Abinpet dão conta que o setor deve movimentar R$ 19,2 bilhões em 2016, um faturamento 6,6% superior ao registrado no ano passado, quando atingiu R$ 18 bilhões. Além da área de Pet Serv, contribuem com esse volume os segmentos de Pet Food (67,5% desse faturamento); Pet Care (equipamentos, acessórios, produtos de higiene e beleza animal, 8,1%) e Pet Vet (medicamentos veterinários, 8,1%). Isso coloca o País em terceiro lugar no ranking do mercado mundial do setor, respondendo a 5,3% do faturamento global, atrás dos Estados Unidos, país responsável por 42% de todo o mercado mundial, e Reino Unido, segundo colocado com 6,7%. Em todo o mundo, em 2016, o setor deve faturar US$ 103,7 bilhões, alta de 1,5% sobre o ano anterior.

    Outro dado interessante é que o Brasil já ultrapassa a barreira dos 132,4 milhões de pets, entre cães, gatos, aves, peixes e outros animais. Desses, mais de 52 milhões são cães, e outros 22,1 milhões são gatos. Aves totalizam 37,9 milhões. Peixes e outros contabilizam mais de 20 milhões de animais.

    QUOTE:

    João Carlos França de Mendonça, diretor de Seguros Patrimoniais da Sompo Seguros:

    ?A prestação de serviços no mercado Pet é extremamente sensível. Além da questão emocional que envolve a relação entre o dono e seu Pet, que sempre deve ser levada em conta, há a responsabilidade do prestador de serviço com o bem-estar do animal que lhe foi confiado, sem contar as demais preocupações relacionadas à gestão e funcionamento do negócio. O seguro Segmentado Sompo Pet Shop e Clínicas Veterinárias foi desenvolvido a fim de contribuir para que os empreendedores do setor possam ter a tranquilidade de administrar seu negócio, sem se preocuparem com o restabelecimento das atividades no caso de eventualidades?.

    Sobre a SOMPO Seguros S.A.

    A Sompo Seguros S.A. é uma empresa do Grupo Sompo Holdings, um dos maiores grupos seguradores do Japão e do mundo. Resultado da integração das operações da Marítima Seguros, companhia fundada em Santos em 1943, e da Yasuda Seguros, que está no Brasil desde 1959; a companhia atua nas áreas de Seguros Corporativos (Auto Frotas, Transportes, Vida em Grupo, Acidentes Pessoais Coletivo, Empresariais Segmentados, Riscos Diversos, entre vários outros) e Pessoais (Auto, Residencial e Acidentes Pessoais); bem como na área de Seguro Saúde. Atualmente a empresa conta com filiais em todas as regiões brasileiras.

    O Grupo Sompo Holdings tem sua origem no Japão, atua há 128 anos no mercado de seguros e hoje conta com subsidiárias nos cinco continentes. No Japão, disponibiliza uma vasta gama de seguros nas áreas de Ramos Elementares, Vida e Acidentes Pessoais, além de outros produtos financeiros e serviços a fim de propiciar incremento na segurança, saúde e bem-estar dos clientes.

    • sompo
    • yasuda marítima


      saiba mais »

      21/11/2016 - Diretor do CCS-RJ e da Fenacor participa de reunião com a ANS

      Diretor do CCS-RJ e da Fenacor participa de reunião com a ANS
      Diretorias das entidades conversaram sobre uma aproximação entre a agência reguladora e os corretores de…

      Na tarde desta quinta-feira, 17 de novembro, o diretor tesoureiro do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ), Amilcar Vianna, participou de reunião entre a diretoria da Fenacor, da qual faz parte como diretor de saúde suplementar, e a Agência Nacional de Saúde (ANS).

      Na ocasião, os presidentes das entidades, Armando Vergilio e José Carlos Abrahão, respectivamente, falaram sobre a presença do corretor de seguros nos contratos de seguro saúde. O presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo, também participou do encontro.

      ?Essa é uma questão muitas vezes esquecida, mas de suma importância para o mercado. Precisamos da ANS para estabelecer regras que mantenham uma boa relação com o principal canal de distribuição dos planos?, afirma Vianna. Ele conta que Abrahão tem expectativas otimistas em relação ao auxílio que os corretores podem dar na divulgação das normas da agência e no exercício da Defesa do Consumidor, que é a razão de existir da entidade. ?Nós, corretores, somos aliados naturais do crescimento do mercado?, conclui o diretor do CCS-RJ.

      Também estiveram em pauta o projeto de lei do deputado Lucas Vergilio que regulamenta o corretor de seguro saúde, e a venda do seguro saúde online, que foi objeto de audiência pública e vai precisar tratar a figura do corretor de maneira mais específica.

      Sobre o CCS-RJ |

      Fundado em 1980, o Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro tem como objetivo estimular encontros e debates que contribuam para o desenvolvimento do setor e da categoria. A entidade promove também a articulação estratégica e contínua com os demais participantes do sistema nacional de seguros privados. [http://ccsrj.com.br/]


      saiba mais »

      21/11/2016 - Clube de Vantagens Bradesco Seguros oferece descontos exclusivos na Black Friday


      saiba mais »

      21/11/2016 - ALLIANZ apresenta nova organização da área Comercial

      Eduardo Grillo - Diretor executivo Comercial e Market Management da Allianz Seguros
      A seguradora passa a atuar com sete regionais, de norte a sul do país, e…

      Para dar mais força e suporte aos corretores regionalmente, a área Comercial da Allianz Seguros, sob a gestão de Eduardo Grillo, na companhia há dez anos, passou por uma adequação. A mudança será a alavanca do novo modelo de negócios da seguradora no Brasil, que visa, sobretudo, eficiência operacional, foco no cliente, simplificação e digitalização de processos e produtos e, sobretudo, reforçar a parceria e o relacionamento com os corretores.

      Levando em consideração uma melhor distribuição territorial e concentração de negócios, a Allianz conta com sete regionais.

      Flávio Rewa fica à frente da ?SP Corporate e Empresas?;

      Soraia Silva permanece com a regional ?São Paulo?;

      Leonardo Marins assume as filiais da ?SP Interior?;

      Luciano Ambrosini é o novo responsável pela regional ?Sul?;

      Ricardo Zhouri dirige a ?Minas Gerais e Centro-Oeste?;

      Alexandro Barbosa lidera ?Norte e Nordeste?;

      Paulo Loureiro comanda ?Rio de Janeiro e Espírito Santo;?

      A Filial Digital passa a integrar a recém-criada diretoria de Canais, que está sob a responsabilidade de Antonio Soeiro.

      A diretoria conta ainda com a área de Gestão Comercial, comandada por Paulo Pires Sequeira, responsável pelo planejamento, implementação e monitoramento da estratégia comercial, e agregou a área de Market Management, sob gestão de Karine Correa Paes de Barros, responsável pela estratégia para clientes, análises mercado e marketing (corporativo, digital e eventos).

      ?A redistribuição das regionais foi feita para fortalecer a nossa rede de atendimento no mercado segurador brasileiro e permanecer entregando localmente os melhores serviços aos nossos corretores?, afirma Eduardo Grillo, diretor executivo Comercial e Market Management da Allianz Seguros.

      Atualmente, a Allianz Seguros conta com 61 filiais de Norte a Sul do Brasil. Por meio desta estrutura, a seguradora trabalha em parceria com 14 mil corretores, que são o seu principal canal de vendas.

      A expansão comercial é uma das estratégias da Allianz para ampliar seu crescimento no Brasil, tanto é que entre 2015 e 2016 foram abertas sete novas filiais: Teresina, Aracaju, Guarulhos, Campo Grande, Maceió, João Pessoa e São Luís. Houve ainda a mudança de endereço dos escritórios de Belém, do Rio de Janeiro e de Uberlândia, com o intuito de gerar à marca Allianz maior visibilidade local. Há ainda a previsão de abertura de novas filiais.


      saiba mais »

      21/11/2016 - 8 pontos fundamentais para se tornar empreendedor em 2017?

      8 pontos fundamentais para se tornar empreendedor em 2017?
      Quer ter um negócio próprio? A abrir uma empresa é uma decisão de grande responsabilidade,…

      Veja alguns pontos que o diretor executivo da Confirp Contabilidade (http://www.confirp.com/), Richard Domingos, selecionou para ser levado em conta antes de abrir uma empresa.

      Planejamento do negócio - O grande problema na maioria das empresas abertas é que isso ocorre impulsivamente, e em função disso não há um plano de negócio estabelecido, público alvo e estrutura necessária, assim, antes de qualquer coisa é necessário sentar e ver o que se pretende e como se objetiva atingir.

      Muitas vezes após essa primeira análise se percebe a necessidade de uma capacitação e hoje se encontra um grande número de cursos de capacitação para empreendedores, como os oferecidos pelo Sebrae e pela DSOP Educação Financeira (http://www.dsop.com.br/). Também é importante pesquisar como está o mercado em que pretende atuar, para ver em qual nicho de público se encaixará.

      Cálculo de custos para começar a funcionar - É preciso que se tenha em mente que para colocar uma empresa para funcionar haverá custos que vão além dos que já se conhece no dia a dia de uma empresa com infraestrutura e pessoal. Dentre esses os principais são as taxas da junta comercial e da emissão do alvará, dentre outras que variam de acordo com a localidade e o ramo de atuação.

      Para facilitar esse processo existem profissionais especializado em resolver a burocracia, para se ter ideia, a Confirp tem uma área que apenas se responsabiliza por isso, tirando do cliente qualquer 'dor de cabeça' relacionada ao tema.

      Elaboração do contrato social - Para toda empresa funcionar é imprescindível que se elabora um contrato social, é nesse documento que estão relacionados os pontos práticos do funcionamento da empresa. Pontos primordiais que devem englobar são informações como nome, endereço e atividade, capital social (valor ou bens investidos), qual a relação entre os sócios e como se dá a divisão dos lucros.

      Importante frisar que quaisquer alterações contratuais, faz com que se tenha que refazer as inscrições federal, estadual e municipal e as licenças. As sociedades limitadas só podem alteradas se 75% do capital estiver de acordo. Geralmente o registro de um contrato social pode ser agilizado procurando o sindicato da categoria da empresa, sendo que o mesmo pode possuir um posto avançado da junta comercial. Com isso, todo esse processo pode ser finalizado em até 24 horas.

      Opção pelo regime tributário que a empresa seguirá - Hoje três são basicamente três os regimes de tributação existentes, Simples, Presumido ou Real. A opção pelo tipo de tributação que a empresa utilizará deve ser feita até o início do próximo ano, mas, as análises devem ser realizadas com antecedência para que se tenha certeza da opção, diminuindo as chances de erros.

      Outro ponto é que cada caso deve ser analisado individualmente, evidenciando que não existe um modelo exato para a realização de um planejamento. Apesar de muitos pensarem que melhor tipo de tributação é o Simples, existem até mesmo casos que esse tipo de tributação não é o mais interessante, mesmo que a companhia se enquadre em todas as especificações.

      Definição da estrutura física - Além de definir o local onde será o empreendimento é necessário também que se adquira toda uma estrutura para o funcionamento da empresa, e isso dependerá de cada ramo de atuação, podendo ir desde maquinário até material de escritório.

      Sobre o local em que será é importante que se observe também se esse se adéqua ao público que pretende atingir e, principalmente, diretrizes estabelecidas pelo município referente ao local. Uma boa orientação para quem está iniciando é a utilização de espaços de coworking, como é o caso da Gowork (http://www.gowork.com.br/) em São Paulo. Que são espaços compartilhados que possibilitam foco no trabalho, network e economia.

      Obtenção de registros e licenças - hoje a burocracia é tanta para empresas que grande maioria não possuem todos os registros e licenças necessários para o funcionamento, no que se configura em um risco jurídicos para essas, dentre os registro necessários estão o habite-se do imóvel (autorização da prefeitura para que ele possa ser habitado) e as regras de ocupação de solo (cada cidade define regras específicas em leis de zoneamento), alvará de funcionamento, pagamento de taxas de funcionamento, dentre outras licenças necessárias dependendo da atividade da empresa.

      Veja todos os documentos necessários e em quais órgão buscar:
      ? Junta Comercial: registros dos atos sociais (contrato social, atas de reuniões, deliberações etc.).
      ? Receita Federal: para obtenção de registro do CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica).
      ? Prefeitura: para obtenção do Alvará de Funcionamento e nota fiscal, caso a empresa seja contribuinte do ISS (Imposto Sobre Serviços).
      ? Secretaria Estadual da Fazenda: para obtenção de inscrição Estadual.
      Contratação de uma contabilidade - Toda empresa necessita de uma contabilidade par funcionar. Essa que será responsável por estar gerando as informações imprescindíveis para a empresa esteja em dia com os órgãos públicos.

      Também são responsáveis pelo cálculo de impostos e tributos que a empresa deverá pagar, bem como análise da situação contábil da empresa e geração de informações imprescindíveis para a gestão empresarial

      Processo de contratação de profissionais - Sua empresa terá necessidade de funcionários? Se sim é necessário abrir processos seletivos para contratação, hoje esse ponto é um dos mais problemáticos para as empresas em função de um crescente apagão de mão de obra que passa o país. Após a contratação é necessário elaborar o contrato de trabalho, definir salários benefícios ver qual o melhor regime de trabalho e regularizar o mesmo junto ao INSS.


      saiba mais »

      21/11/2016 - Mercado Registra Avanço De 3,8% No 3º Trimestre

      Mercado Registra Avanço De 3,8% No 3º Trimestre
      Segundo levantamento da CNseg, o mercado de seguros registrou crescimento de 3,8% durante o terceiro…

      ?Mantivemos a dinâmica de crescimento vista no segundo trimestre, de 8,8%, sinalizando uma tendência diferente da vista no primeiro trimestre, quando o segmento cresceu 3,6%, desempenho que assustou o mercado que vinha crescendo dois dígitos?, destaca o presidente da CNseg, Márcio Coriolano.

      De acordo com o executivo, o ramo de pessoas é o grande responsável pela expansão do mercado, tendo crescido 12,5% de janeiro a setembro. Somente o seguro de vida individual teve aumento de 28%, superando o avanço dos planos de previdência VGBL, que foi de 17,8%.

      Por sua vez, os ramos elementares registraram alta de 0,3% nos prêmios emitidos durante o período. O seguro de automóvel teve destaque, quando recuou 2,8%, muito devido à crise que enfrenta a indústria automobilística. Já o seguro residencial foi uma surpresa, com avanço de 8,5% para o período.

       


      saiba mais »

      21/11/2016 - Confiança dos empresários do varejo paulistano cresce 3,7% em outubro e se aproxima da faixa de otimismo

      Confiança dos empresários do varejo paulistano cresce 3,7% em outubro e se aproxima da faixa de otimismo
      Segundo a FecomercioSP, as avaliações dos empresários sobre a situação atual foi o que mais…

      Pelo sexto mês consecutivo, os empresários do comércio paulistano estão mais confiantes. Em outubro, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) registrou alta de 3,7% ao passar de 89,3 pontos em setembro para 92,6 pontos no mês. Em comparação com outubro do ano passado o índice apontou alta de 27,3% quando o ICEC registrava 72,8 pontos. Com isso, o indicador já acumula quatro altas interanuais consecutivas, mas continua abaixo dos 100 pontos, o que denota o pessimismo dos empresários com relação ao nível de atividade em geral da economia.

      Apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o ICEC varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

      Segundo a Entidade, o pessimismo dos empresários reflete principalmente a queda das vendas do varejo. Entretanto, assim como já vinha sendo observado entre os consumidores, houve uma melhora das expectativas decorrente da formação de uma nova equipe econômica e do anúncio de medidas para enfrentar a crise.

      A pesquisa mostra que, tanto as grandes quanto as pequenas empresas registraram aumento da confiança em outubro. Enquanto nas companhias com menos de 50 funcionários o ICEC cresceu 3,7% atingindo os 92,5 pontos, nas grandes empresas, que empregam mais de 50 pessoas, o índice teve alta de 4,7% na comparação com setembro, alcançando os 100 pontos, o que não acontecia desde fevereiro de 2015. Já em relação a outubro de 2015, a alta foi de 27,2% e 31%, respectivamente.

      Para a FecomercioSP, as grandes empresas mostram uma recuperação maior na margem neste mês e voltam a ser mais confiantes do que as pequenas, como era observado ao longo da série histórica, ao contrário do que se viu recentemente. Esse princípio de retomada da liderança da confiança pelas grandes empresas também é um indício de volta à normalidade considerando o comportamento histórico do índice.

      Indicadores
      Pelo sexto mês consecutivo também, o ICEC registrou variações positivas nos seus três quesitos. O Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC), um dos componentes do ICEC, atingiu 52,6 pontos em outubro, elevação de 6,5% na comparação com setembro - principal responsável pelo crescimento do ICEC. Na comparação com outubro de 2015, a elevação foi de 49,8%.

      O Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) registrou alta de 3,4%, passando dos 139,9 pontos de setembro para os 144,6 pontos em outubro. O IEEC ainda é o único subíndice do ICEC acima do patamar dos 100 pontos e demonstra que muito da alta da confiança do empresariado está relacionada à expectativa de dias melhores.

      Já o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC), que mede a propensão dos empresários em realizar novos investimentos, registrou alta de 2,6% em outubro e atingiu 80,6 pontos. Em relação ao mesmo mês de 2015 o aumento é 14,3%.

      Para a FecomercioSP, o resultado de outubro mostra que as expectativas estão mais favoráveis, a situação atual está cada vez menos ruim e a perspectiva de novas contratações está sendo retomada, embora o ciclo de consumo e o comportamento das vendas ainda sejam fracos. A confiança dos empresários vem sendo recuperada de forma lenta e gradual acompanhando a capacidade de reação mais efetiva do lado real da economia. Entretanto, a Federação ressalta que a recente trajetória positiva do indicador sugere que os empresários já emitem sinais de maior confiança em relação à recuperação do nível de atividade econômica a partir do ano que vem.

      O momento ainda não é considerado amplamente favorável, aponta a Entidade, mas ainda que empresas e consumidores amarguem perdas e cortes de vagas, já é evidente a mudança de direção, com início da retomada de empregos, desaceleração da queda de produção (em alguns casos com a elevação da produção na margem) e com alguns dados efetivamente positivos do varejo que podem, gradativamente, se espalhar pelo setor e depois por toda economia ao longo de 2017/2018.

      Nota metodológica

      O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) contempla as percepções do setor em relação ao seu segmento, à sua empresa e à economia do País. São entrevistas com 600 empresários na capital, em painel fixo de empresas, com amostragem segmentada por setor (não duráveis, semiduráveis e duráveis) e por porte de empresa (até 50 empregados e mais de 50 empregados). As questões agrupadas formam o ICEC, que por sua vez pode ser decomposto em outros subíndices que avaliam as perspectivas futuras, a avaliação atual e as estratégias dos empresários mediante o cenário econômico. A pesquisa é referente ao município de São Paulo, mas sua base amostral reflete o cenário da região metropolitana.

      Sobre a FecomercioSP
      A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 157 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por cerca de 30% do PIB paulista - e quase 10% do PIB brasileiro - gerando em torno de 10 milhões de empregos.


      saiba mais »

      21/11/2016 - Seguros SURA inova com Seguro de Acidentes Pessoais para Passageiros

      Exclusivo para empresas, novo produto oferece proteção em caso de acidentes envolvendo táxis e ônibus,…

      Acidentes acontecem em qualquer lugar e são imprevisíveis. Para se ter uma ideia desse montante, de acordo com números do Seguro DPVAT, foram pagas, em 2015, 42.500 indenizações por morte e 515.750 por invalidez resultantes de acidentes no trânsito. Mas os imprevistos vão além das ruas. O uso de elevadores e escadas rolantes, principalmente em locais com grade fluxo de pessoas ? como prédios comerciais e shopping centers ?, pode provocar acidentes.

      Atenta a esses dados, a Seguros SURA, uma das maiores seguradoras da América Latina, desenvolveu o Seguro de Acidentes Pessoais de Passageiros, que assegura os passageiros durante sua permanência em um meio de locomoção coberto.

      Exclusivo para empresas, o novo produto oferece cobertura em caso de acidentes envolvendo diversos tipos de meios de transporte, como veículos de passeio, táxis, vans, ônibus e caminhões, além de assegurar usuários de elevadores e escadas rolantes. ?A Seguros SURA inova apresentando ao mercado uma opção única e exclusiva de um seguro voltado ao consumidor que beneficia milhões de brasileiros durante a sua locomoção?, destaca Marco Garutti, Superintendente Técnico de Vida e Affinity da Seguros SURA.

      Entre os benefícios oferecidos pelo Seguro Acidentes Pessoais da Seguros SURA estão:

      - suporte em caso de um evento inesperado, como invalidez ou morte acidental;

      - atendimento às legislações de taxistas, empresas de ônibus, caminhões e vans;

      - processo de contratação simplificado e entrega da proposta em até 48 horas;

      - cotação personalizada para frotas acima de 50 veículos ou com mais de 20 anos de uso.

      As coberturas são válidas para morte acidental, invalidez permanente total ou parcial por acidente, despesas médicas, hospitalares e odontológicas, com apoio para gastos de honorários médicos, medicamentos e tratamentos necessários.

      Para mais informações, acesse www.segurossura.com.br.

      SOBRE A SEGUROS SURA NO BRASIL

      A Seguros SURA chegou oficialmente ao Brasil em 2016, após a finalização da aquisição da operação brasileira da RSA Seguros. A Seguros SURA Brasil atua com foco em seguros de Transportes, Frota de Automóveis, Seguros para Pequenas e Médias Empresas (Vida em grupo, Empresarial e Pequenas Frotas), além de oferecer soluções em Seguros de Afinidades, Programa de Seguros para Franquias e o Seguro Residencial.  Ao todo, são mais de 300 funcionários distribuídos em escritórios nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Campinas e Ribeirão Preto. A Companhia adota uma série de práticas de gestão de pessoas que refletem no dia a dia da empresa e tem uma cultura corporativa orientada para Clientes, Pessoas e Inovação. Para obter mais informações sobre a Seguros SURA, incluindo a atuação no Brasil, acesse o nosso site: www.segurossura.com.br

      SOBRE A SEGUROS SURA

      Fundada há mais de 70 anos na Colômbia, a Seguros SURA é uma subsidiária do Grupo SURA, que possui investimentos em diversos setores do mercado latino-americano. Especializado em Seguros de Bens, Pessoas, Responsabilidades, Seguro Saúde e de Acidentes de Trabalho, atualmente é um dos maiores grupos seguradores da América Latina e oferece, além de soluções em seguros, gestão completa de tendências e riscos. A seguradora conta com 13 mil funcionários, mais de 15 milhões de clientes e prêmios líquidos que em 2015 atingiram US$ 4,2 bilhões.


      saiba mais »

      21/11/2016 - Revista Seguro Total é finalista do Prêmio Fenacor de Jornalismo

      A matéria Lições de Mariana, escrita pela jornalista Aurora Ayres, está entre as dez finalistas,…

      Selecionada entre 492 trabalhos, a reportagem conta como foi o rompimento da barragem da cidade de Mariana (MG), ? ocorrida há um ano ? seus impactos ambientais e sociais e como deve ser a atuação do seguro em tragédias como essa.

      A cerimônia de premiação será realizada no dia 30 de novembro, no Rio de Janeiro. Na ocasião, serão anunciados três vencedores em cinco categorias: mídia impressa, TV, Rádio, Web Jornalismo e Imprensa Especializada. Em todas as categorias, o primeiro colocado receberá R$ 30 mil; o segundo, R$ 10 mil; e o terceiro, R$ 5 mil.


      saiba mais »

      21/11/2016 - Seguradora Líder-DPVAT lança documentários com histórias reais para alertar perigos do trânsito

      Em 20 de novembro foi comemorado o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito…

      ?Acreditamos que essa campanha vai tocar muitas pessoas, pois, além de contar histórias reais, ela joga luz para um problema que nós alertamos todos os dias através de estatísticas e mata mais do que epidemias, guerras e desastres. O que queremos com isso é convidar a sociedade a repensar seus hábitos no trânsito enquanto motorista, passageiro ou pedestre para acabarmos com essa tragédia silenciosa que vivemos diariamente, como se fosse algo comum? afirma Carlos Guerra, Diretor de Relações Institucionais da Seguradora Líder-DPVAT.

      O primeiro documentário é protagonizado pelo ex-soldado americano Daniel Lopez, que trabalhou para Forças Armadas dos EUA. Ele passou pelas guerras da Bósnia, Afeganistão e Iraque. Voltou ileso três vezes e após retornar à sua terra natal, sofreu um acidente de carro e perdeu uma das pernas. Hoje, Daniel usa uma prótese.

      A segunda história apresentada é a de Sergio Okumoto, brasileiro que vivia no Japão. O momento de maior terror da sua vida foi em 2011 quando a Terra do Sol Nascente foi abatida por um terremoto concomitante a um tsunami. Felizmente, dessa tragédia ele conseguiu sobreviver sem sequelas. De volta ao Brasil ele foi vítima de um acidente de caminhão, que o deixou com uma das suas pernas encurtadas e hoje se locomove com o auxílio de uma muleta.

      ?Uma das características que chama a atenção neste trabalho é o uso de estatísticas. Não é raro ver comparativos entre a quantidade de vítimas geradas por guerras, catástrofes naturais e outras grandes tragédias com os números de vítimas de trânsito. E, o que mais impressiona é que o trânsito, em todos os comparativos, sempre é o mais letal. Para provar isto, fomos atrás de fatos: histórias reais de pessoas que passaram por grandes adversidades, mas foram abaladas pelo trânsito? conta Patrik Schulze, Diretor de AtendimentoMaster Comunicação.


      saiba mais »

      21/11/2016 - CNseg anuncia os finalistas da 6ª edição do Prêmio Antônio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros

      Selecionados passarão agora pela fase de defesa oral dos projetos

      A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) anunciou nesta sexta-feira, 18, os 15 finalistas do Prêmio Antônio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros, edição 2016 . Agora, os autores e coautores dos projetos selecionados, divididos nas categorias Processos, Comunicação e Produtos e Serviços, farão a defesa oral de seus trabalhos para a comissão julgadora do Prêmio. Esta etapa ocorrerá entre os dias 28 e 30 de novembro, na sede da CNseg, no Rio de Janeiro.

      Nesta edição, a Comissão julgadora é composta pela economista Maria Eugenia Buosi; a Defensora Pública Estadual Patrícia Cardoso Maciel Tavares; o professor de economia da Unicamp Antônio Márcio Buainain; o gerente geral da Associação Palas Athena do Brasil, Julio Albuquerque Bierrenbach; o diretor da Associação Brasileira de Gerentes de Riscos e cronista do jornal Estado de S. Paulo, Antonio Penteado Mendonça; o presidente nacional do Brasilcon, Bruno Miragem; o economista Sergio Besserman; o professor de Direito Constitucional da FGV ? RJ Joaquim Falcão; e o economista e professor da UFRJ Helio Portocarrero.

      Para a vice presidente da CNseg e presidente da FenaSaúde, Solange Beatriz Palheiro Mendes, a indicação de um projeto como finalista do Prêmio, já resulta em uma valorização das empresas e profissionais envolvidos. ?A indicação desses projetos como finalistas, mais do que um estímulo ao empreendedorismo e ao desenvolvimento de carreira dos autores, é algo que agrega valor ao negócio e ao cliente. Acreditamos que isso gere ainda mais valor às marcas?, afirma Solange.

      Ao final do processo, 1º, 2º e 3º lugares de cada categoria receberão prêmios de R$30 mil, R$15 mil e R$10 mil, respectivamente. Os vencedores serão conhecidos durante cerimônia de confraternização do mercado segurador, a ser realizada dia 15 de dezembro, no Rio de Janeiro.

      Confira abaixo a lista dos classificados:

      Categoria Processos

      APP Rede UNNA ? Autor: Carlos Roberto Montefusco ? Empresa: Odontoprev
      Casa Protegida: Regulação de Sinistro com WhatsApp ? Autor: Alexandre de Souza Vieira ? Empresa: Tokio Marine Seguradora
      Integração: A Evolução ao Alcance das Nossas Mãos ? Autor: José Roberto Bezerra de Lima ? Empresa: Bradesco Seguros
      Recurso de Glosa Eletrônico (RGE) ? Autor: Alexandre Nicola ? Empresa: SulAmérica Seguros e Previdência
      Agro Field Inspector App ? Autor: Seetharam Guruvayoorappan ? Empresa: Tata Consultancy Services do Brasil

      Comunicação

      Somos Todos Ouvidores ? Autora: Gisele Garuzi Oggioni de Araújo ? Empresa: Bradesco Seguros
      Plano de Comunicação de Combate à Corrupção ? Autora: Cassia Cristina Ferreira de Sousa Monteiro ? Empresa: SulAmérica Seguros e Previdência
      O Arthur Vai Amar ? Autora: Larissa Amado Osório de Almeida ? Empres: Icatu Seguros
      Painting Experience ? Autora: Fernanda Nepomuceno de Oliveira ? Empresa: IRB Brasil RE
      Vídeos Personalizados ? Autora: Etienne da Costa Gonçalves ? Empresa: Liberty Seguros

      Produtos e Serviços

      Protector Bikes - Tecnologia e Inovação em um Único Produto ? Autor: Fernando Figueiró Cantreras ? Empresa: Argo Seguros Brasil
      Projeto Parto Adequado ? Autora: Janaína Consolação Ferreira ? Empresa: SulAmérica Seguros e Previdência
      BB Seguro Residencial na Internet ? Autor: Ismael Tessari Grandi ? Empresa: BB Corretora de Seguros e Administradora de Bens
      Telemetria: Direção em Conta ? Autor: José Luiz Pessoa de Mello ? Empresa: Liberty Seguros
      A Solução que o Mercado de Turismo Aguardava ? Autor: Waldir de Menezes Júnior ? Empresa: Ifaseg Corretora de Seguros

      Sobre o Prêmio

      O Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros busca reconhecer trabalhos que contribuem para a inovação no mercado. Lançado pela Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), a premiação, que está em sua sexta edição, tem como objetivo estimular a evolução do setor e o aprimoramento das relações com o consumidor.

      O nome de Antonio Carlos de Almeida Braga foi unânime ao se pensar em um prêmio de inovação em seguros. Nascido em 1926, filho de engenheiro português dos setores imobiliário e de seguros, ele fez da Companhia Atlântica uma das maiores seguradoras da América Latina. Foi ainda o fundador, posteriormente, da Icatu Seguros, além de ter sido o pioneiro na distribuição de produtos de seguros por meio da rede bancária. Com seu espírito inovador, foi capaz de aperfeiçoar o atendimento no mercado. Por isso, mereceu esta homenagem e serve como inspiração para os seguradores da atualidade.


      saiba mais »

      21/11/2016 - Almoçando com Seguros promove painel

      Nesta terça-feira (22), a Associação de Corretores de Seguros de Sergipe ? ASCORSEG/SE - promove…

      Dessa vez, como forma de inovação, a ASCORSEG/SE promoverá um painel visando discutir as ?Tendências e Perspectivas do Mercado de Seguros para 2017? tendendo a preparar seus associados para os caminhos do futuro.

      O evento terá início às 12:00 hs no Aquários Praia Hotel, localizado na Orla de Atalaia, em Aracaju/SE. Mediado pelo Corretor de Seguros, Carlos Frederico, o painel contará com três palestrantes: (1) Carlos Kleber, executivo e gestor da sucursal Sergipe da Porto Seguro; (2) Carlos Dosea, corretor de seguros de larga experiência no mercado de seguros; e (3) Igor Nunes, jovem e promissor Corretor de Seguros.

      De acordo com o coordenador do projeto, Thiago Dosea, a discussão irá abrir os caminhos para aqueles que desejam traçar um perceptiva de futuro dos negócios no próximo ano.

      Na oportunidade também será feita uma breve retrospectiva das atividades da ASCORSEG/SE neste ano e será lançada a 4ª. edição do Natal Solidário, projeto que visa arrecadar cesta básicas para entrega às comunidades carentes.

       


      saiba mais »

      21/11/2016 - Omnichannel: a comunicação integrada que dá resultados

      Na Era da informação e do conhecimento, a tríade tempo-conteúdo-criatividade é essencial quando a comunicação…

      Hoje, o mercado pede e fala muito sobre o omnichannel, porém, há 25 anos, quando fundei o Grupo RÁI, o formato não era popular, não estava em evidência e nem tão pouco em discussão entre as agências brasileiras. E a ideia de apostar na criação de uma empresa de comunicação com este DNA e braços articulados, que trabalham de forma autônoma e se integram quando necessário, foi uma das minhas principais motivações ao empreender.

      O modelo omnichannel que criamos, e temos aperfeiçoado ao longo do tempo, alinha as áreas táticas e técnicas do Grupo para englobar todas as possibilidades: da comunicação off, de todos os bastidores do desenvolvimento de uma campanha publicitária, do compartilhamento nas redes sociais até a repercussão da marca nos principais veículos da imprensa nacional. Tudo para conectar, ao mesmo tempo, os múltiplos canais e, assim, ajudar os clientes a se relacionarem quase que instantaneamente com seus diferentes públicos.

      Por meio da integração do Planejamento, do Atendimento e da Mídia, que centralizam as estratégias para que as expertises das demais áreas que compõem a agência as executem de forma eficaz, proporcionamos uma comunicação inteligente para potencializar ainda mais as possiblidades de cada projeto. Tudo em prol de resultados homogêneos e coerentes entre qualquer vertente da comunicação, seja publicidade, promoção, eventos, assessoria de imprensa, projetos editoriais, tecnologia, mídias sociais, produção audiovisual e 3D, branding ou logística.

      É desta maneira que funciona a nossa comunicação omnichannel, reconhecida cada vez mais no mercado: alinhamos a inteligência com a tática e a operação, movimentando todas as disciplinas possíveis dentro da empresa, para a conquista de resultados positivos e globais. Tudo em um único espaço, ou seja, na mesma estrutura física que conta com cerca de 260 profissionais. O que é um grande desafio, sem dúvida, mas diminui, e muito, os atritos entre os canais gerados no meio deste caminho, como por exemplo, a briga incansável dos departamentos pela disputa da verba do cliente.

      Nossa motivação, portanto, é oferecer aos clientes as ferramentas, o suporte e as respostas necessárias para manterem suas marcas com o devido reconhecimento e relevância no mercado. Estudos do IDC Retail Insights apontam que, em relação ao multichannel, o consumo chega a ser até 30% maior com o omnichannel. As marcas atingem melhores resultados quando atuam em todos os canais e não especificamente em um. Isso reflete nos negócios, pois a experiência de ter acesso a todas as informações, em vários meios de comunicação, leva o consumidor a converter relacionamentos e, consequentemente, em vendas. Isso é resultado para você?

      As marcas que têm suas estratégias planejadas e conduzidas por um time multidisciplinar alinhado, que atua em conjunto em frentes distintas, obtêm uma economia real tangível: reduz-se tempo e recursos quando o plano de comunicação é entregue a uma única agência. Multiplicam-se, com isso, as chances de se ter uma campanha unificada, dotada de um único sentido e fortemente estruturada para atingir seus objetivos e alcançar os resultados do negócio.

      Ao longo dos anos, alguns cases me mostraram que não é somente a união que faz a força, mas, sobretudo, a comunicação omnichannel, que está no DNA da RÁI e integra todas as áreas. É ela que coloca o cliente no foco de todas as atenções e esforços da nossa agência e que realmente dá resultados. Esse é o verdadeiro omnichannel!


      Fabio Burg é fundador e CEO do Grupo Rái ? um dos maiores grupos independentes de comunicação do Brasil. Dirigido há quase 25 anos pelo publicitário, o grupo é formado por sete empresas especialistas e complementares que trabalham de forma autônoma e que se integram quando necessário. Rái, Tov, Or, Dezoito, Teolá, Yad e Awaken prestam os serviços de propaganda, promoção e eventos, soluções em tecnologia/internet, coordenação de redes sociais, assessoria de imprensa/conteúdo editorial, 3D, fotos e filmes, logística, pesquisa de mercado/branding e consultoria de inovação. O Grupo RÁI, que conta com 260 colaboradores, tem sede em São Paulo e um escritório localizado em Miami, nos Estados Unidos.
      http://www.rai.com.br

      Acesse a nossa lista de porta-vozes e baixe imagens em alta resolução na Sala de Imprensa da Dezoito. Veja em: http://www.dezoitocom.com.br/

       


      saiba mais »

      21/11/2016 - Mercado Segurador Gaúcho marca presença na glamurosa confraternização de final de ano do Sincor-RS

      A sexta-feira (18) foi marcada pelo fechamento do ano de 2016 e forte expectativa para…

      Em um ano marcado pela crise, a diretoria da entidade recebeu os convidados com entusiasmo, mostrando todo o trabalho, dedicação e união, o mercado se fortalece cada vez mais. ?Pra vencer a crise, só através da capacitação, então nós focamos em 2016 em valorizar o Corretor de Seguros, além de um investimento fortíssimo do nosso Sindicato em treinamentos e palestras por todo o estado do Rio Grande do Sul?, destacou o Presidente do Sincor-RS, Ricardo Pansera.

      Pansera abriu a noite discursando sobre as conquistas obtidas pela categoria no ano que passou e destacando a participação da Diretoria, assim chamando-os cada um ao palco e agradecendo pela parceria e esforço de todos.

      ?Nem só de trabalho nós vivemos então em oportunidades como esta que fazem que corretores, seguradores e membros do mercado possam confraternizar e agradecer por tudo aquilo que tivemos durante o ano?, diz o Presidente, sobre a grande festa que foi embalada pelas músicas de Raul Seixas, com show de ?Raulzito Almorime os Feras?. Com muita irreverência e bom humor, a banda cover colocou os convidados para dançar. A animação era evidente e comprovou o quão entusiasmados estão os Corretores de Seguros gaúchos.

      ?Desejamos um ano de 2017 com muito êxito, sucesso, com bons negócios e muito abençoado?, ressalta Ricardo Pansera, que estima a melhoria para o mercado a curto e médio prazo. ?Não existe mercado segurador forte e consistente sem a presença do Corretor de Seguros, por isso esperamos manter ou ampliar esta presença?, conclui.


      saiba mais »

      21/11/2016 - Clube da Pedrinha se reúne hoje para o encontro mensal

      Acontece nesta segunda-feira (21) o encontro mensal do Clube da Pedrinha de novembro. O evento…

      O evento começará às 19h e os Pedrinhas interessados em participar devem confirmar presença pelo e-mail marketing [AT] clubedapedrinhars [DOT] com.

      SERVIÇO:

      O quê: Encontro mensal do Clube da Pedrinha.

      Realização: Clube da Pedrinha do Rio Grande do Sul.

      Quando: segunda-feira, dia 21 de novembro, a partir das 19h.

      Onde: restaurante Casa do Marquês (Rua Marquês do Pombal, 1814) ? Porto Alegre/RS.

      Informações: marketing [AT] clubedapedrinhars [DOT] com | clubedapedrinhars [AT] gmail [DOT] com.


      saiba mais »

      21/11/2016 - Emprego na saúde suplementar mostra resiliência mesmo durante a crise

      Estudo inédito do IESS constata criação de postos de trabalho no setor mesmo quando o…

      Trabalho produzido pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), disponível em www.iess.org.br demonstra que o emprego na cadeia produtiva da saúde suplementar (que financia planos de saúde, rede de atendimento e fornecedores de materiais e medicamentos, entre outros insumos) se mostra mais estável e resiliente à crise econômica brasileira do que o conjunto da economia do País.

      No inédito ?Relatório de Emprego na Cadeia da Saúde Suplementar?, o IESS calculou, com base nos números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), um indicador do estoque de pes­soas empregadas no setor e o comparou ao conjunto da economia brasileira, tendo como base o ano de 2009, e analisou a evolução do estoque de pessoas empre­gadas até maio de 2016. O índice adota como ?base-100?, ou ponto de partida, o ano de 2009, e avalia o crescimento do estoque de empregos até abril de 2016.

      O resultado indica que a cadeia de saúde suple­mentar manteve o ritmo de crescimento desde 2009, atingindo, em abril de 2016, índice evoluiu para 132, enquanto o conjunto da economia brasileira registrava, no mesmo mês, 112.

      ?O indicador mostra que, a partir do segundo semestre de 2014, os demais setores da economia começam a apresentar queda no saldo de empregos e, por outro lado, o saldo da cadeia produtiva atrelada à saúde suplementar continuou crescendo. Note que, no período de setembro de 2014 a abril de 2016, mais de 1,5 milhão de beneficiários saíram dos planos de saúde e, mesmo assim, o setor continuou contratando?, analisa o superintendente-executivo do IESS, Luiz Augusto Carneiro.

      Segundo o relatório, o setor de saúde suplementar emprega aproximadamente 3,3 milhões de pessoas no Brasil, o que representa 7,6% da força de trabalho empregada no País em maio de 2016. A maior parte desses postos de trabalho (71,4%) é preenchida por prestadores de serviço. No total, são 2,3 milhões de médicos, enfermeiros e demais prestadores de serviço em clínicas, hospitais, laboratórios e estabelecimentos de medicina diagnóstica que atendem diretamente os beneficiários de planos de saúde. Os fornecedores de materiais médicos, equipamentos e medi­camentos, ou seja, a indústria de materiais e medicamentos, é responsável por empregar outros 802,5 mil profissionais. O que equivale a 24,1% dos postos de trabalho gerados pela cadeia produtiva de saúde suplementar. Por fim, as Operadoras de Planos de Saúde (OPS) respondem por 4,4% dos empregos do setor, ou 147,8 mil postos de trabalho.

      Na opinião de Carneiro, a resiliência da saúde suplementar decorre de diversos fatores, mesmo em momentos de crise. O principal deles é o processo de aumento de proporção de idosos no total da população brasileira. O envelhecimento populacional gera mais demanda por serviços de saúde. A complexidade da cadeia produtiva da saúde também demanda investimentos de contratação e qualificação de mão de obra. ?Mesmo com a crise, o mercado de saúde tenta, ao máximo, não demitir porque, quando a economia retomar o crescimento e houver o reingresso de beneficiários, toda a cadeia terá de estar pronta para atender. Não ter mão de obra qualificada significa ineficiência, desperdício e problemas de atendimento?, explica. Pelos mesmos motivos, a expectativa do IESS é a de que o ano feche com o volume de empregos estabilizado.

      Carneiro destaca também que quase 70% dos beneficiários são vinculados aos planos coletivos empresariais, um benefício concedido pelas empresas a seus colaboradores. Por isso, ele admite a hipótese de o temor do desemprego ter aumentado a demanda por atendimentos na cadeia da saúde suplementar. ?É evidente que se o trabalhador sabe do risco de perder o emprego e, por extensão, também o benefício do plano de saúde, ele vai antecipar consultas e exames. E essa demanda atípica também exige a mobilização de toda a estrutura do setor para prestar atendimento, o que pode ter estimulado a continuidade das contratações?, comenta.

      De acordo com o Mapa Assistencial da ANS, o número médio de consultas por beneficiário foi de 5,4 em 2015. Resultado superior ao de países como Reino Unido (5,0) e Noruega (4,2). Além disso, no mesmo ano, a taxa de internação foi de 166 para cada grupo de 1.000 beneficiários. Já na OCDE a média é de 155.

      Sobre o IESS
      O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo de promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas. O Instituto busca preparar o Brasil para enfrentar os desafios do financiamento à saúde, como também para aproveitar as imensas oportunidades e avanços no setor em benefício de todos que colaboram com a promoção da saúde e de todos os cidadãos. O IESS é uma referência nacional em estudos de saúde suplementar pela excelência técnica e independência, pela produção de estatísticas, propostas de políticas e a promoção de debates que levem à sustentabilidade da saúde suplementar.


      saiba mais »

      21/11/2016 - Cancelada autorização de corretora de resseguros e suspenso cadastro de resseguradora

      A Susep publicou duas portarias que atingem diretamente as operações de resseguro, na edição desta…

      A primeira é a Portaria 6.706/16, que cancela a autorização para funcionamento como corretora de resseguros concedida a Promass Corretora de Resseguros, com sede social na cidade de Belo Horizonte (MG), nos termos do artigo 40, parágrafo 8.º, do anexo I da Resolução CNSP nº 330/2015, o qual estabelece que ?se até o último dia do prazo de suspensão, a entidade não fizer cessar os motivos que lhe deram causa, a medida poderá ser convolada em cancelamento?.

      A segunda Portaria ? 6.715/16 ? suspende o cadastro da Allied World Assurance Company (Europe) Limited, sociedade organizada e existente de acordo com as leis da República da Irlanda, como ressegurador eventual, que fora concedido pela Portaria 209/15, em julho do ano passado.

      Neste caso, a decisão teve como fulcro o parágrafo 1º do artigo 4º da Lei Complementar 126/2007 e no parágrafo 1º do artigo 20 da Resolução 330/2015, do CNSP, o qual determina que a ressegurada a estrangeira deva estar ?constituída segundo as leis de seu País de origem, para subscrever resseguros locais e internacionais, nos ramos em que pretenda operar no Brasil tendo dado início a tais operações no País de origem há mais de cinco anos, e em situação regular quanto a sua solvência perante o órgão supervisor, inexistindo óbice por parte deste quanto ao seu ingresso como ressegurado no Brasil?.


      saiba mais »

      21/11/2016 - 37% dos corretores de seguros já atuam como empresas

      O banco de dados da Fenacor indica que do total de 104.115 corretores de seguros…

      A grande maioria dessas empresas está na Região Sudeste: 24.295, ou 63% de todas as corretoras existentes no país.

      A menor parcela está no Norte, onde atuam apenas 929 empresas corretoras de seguros.

      No Sul, estão outras 6.953 empresas; no Nordeste, 3.782; e no Centro-Oeste, 2.685.

      São Paulo abriga 16.532 empresas corretoras de seguros.

      Os dados da Fenacor apontam ainda que das 38,6 mil corretoras em atividade no Brasil, 32,2 mil operam em todos os ramos e apenas 6,4 mil são especializadas nos segmentos de Vida, Capitalização e Previdência Complementar.

       


      saiba mais »

      21/11/2016 - Troféu Paiaguás reúne mais de 300 profissionais do mercado segurador do Mato Grosso

      Mais de 300 profissionais do mercado de seguros do Mato Grosso se reuniram na última…

      Mauricio Carneiro Bressane Junior, diretor de Marketing e Eventos do Sindicato dos Corretores de Seguros de Mato Grosso (SINCOR-MT), agradeceu o apoio dos patrocinadores do evento e da participação das corretoras do estado. ?Conseguimos uma edição com excelente padrão de organização e logística, que vem despertando o interesse de toda a categoria?.

      Cristóvão Martins, presidente do Sincor-MT, avalia que o Troféu já conquistou o reconhecimento da categoria e é almejado por todo o mercado. ?Para se destacar é importante atender melhor com os produtos e ampliar o interesse da população, expandindo a cultura do seguro?.

      Dorival Alves de Souza, vice-presidente de Relações com o Mercado da Fenacor (Federação Nacional dos Corretores de Seguros), esteve no evento e ressaltou o crescimento do mercado de seguros. ?Crise para nós que atuamos no mercado tem significado crescimento e as pessoas buscam, cada vez mais, preservar e proteger seus patrimônios?, pontuou.

      Confira os ganhadores do Troféu Paiaguás 2016:

      SEGURADORAS

      ANDRÉ SEGATT (Porto Seguro)

      gestor comercial interior

      ANDERLEY ABDALAH (***)

      gestor comercial capital

      GEYSI REIS (Porto Seguro)

      gerente sucursal

      JEAN BRUNETTO (Tokio Marine)

      diretor regional

      ***

      seguradora destaque ramo automóvel

      PORTO SEGURO

      seguradora destaque ramo vida/saúde/previdência

      TOKIO MARINE

      seguradora destaque ramos elementares

      CORRETORAS

      SAMARA SEGUROS

      corretora destaque ramos elementares

      NOVA PROVÍNCIA

      corretora destaque ramo vida/saúde/previdência

      ANJO AZUL

      corretora destaque ramo automóvel

      PRÊMIO FINAL CAMPEÃS

      PORTO SEGURO

      seguradora campeã

      SAMARA SEGUROS

      corretora campeã

      HOMENAGEM

      Dekra Vistorias


      saiba mais »

      21/11/2016 - Compliance é tema de curso de extensão

      Estão abertas as inscrições para a extensão Compliance e Controles Internos, voltada para profissionais com…

      O objetivo é fornecer embasamento teórico e prático sobre as questões de controle interno voltadas ao mercado segurador, tendo em vista os padrões internacionais, a legislação e os regulamentos que obrigam as seguradoras e resseguradoras a implantar um sistema de controles internos com foco na gestão de riscos.

      O curso será no Rio de Janeiro e o investimento é de R$ 2.250, podendo ser dividido em quatro parcelas. O início das aulas está previsto para 11 de março de 2017.

      O site www.funenseg.org.br é o canal para inscrições e mais detalhes sobre o curso.


      saiba mais »

      22/11/2016 - O aprendizado do mercado de seguros com a Lava Jato será tema de debate

      THABATA NAJDEK
      Evento da Comissão de Direito Securitário da OAB-SP apresentará as experiências de seguradores e as…

      Se por um lado, o mercado de seguros enfrentou a disparada na sinistralidade do seguro D&O desde que foi deflagrada a Operação Lava Jato da Polícia Federal, por outro, construiu um sólido aprendizado. Os principais pontos desse aprendizado serão apresentados dia 29 de novembro no debate ?As experiências da Operação Lava Jato no âmbito do seguro D&O?, promovido pela Comissão de Direito Securitário da OAB-SP.

      Embora alguns dos executivos investigados pela Lava Jato já tenham perdido a garantia da apólice de D&O ao assumirem a responsabilidade dolosa por seus atos, por meio de delação premiada ou acordo de leniência, outros ainda continuam no processo. ?Muitos outros ainda estão sendo investigados, especialmente por negligência, e estes executivos terão os custos de defesa reembolsados pelo seguro?, explica a subscritora de riscos de produtos de Linhas Financeiras Thabata Najdek.

      Para Thabata, o aspecto positivo da Lava jato foi o amadurecimento do mercado de seguros brasileiro. ?A responsabilização de executivos, como no caso dessa operação, é mais um exemplo da vulnerabilidade desses profissionais na gestão de seus cargos, evidenciando a importância da proteção do seguro?, diz. No evento, ela abordará ?o que é o seguro D&O; a importância da contratação para os gestores e para a sociedade e a relação da Lava Jato com o D&O?.

      Dinir Salvador Rios da Rocha, membro da Comissão de Direito Securitário da OAB-SP, falará sobre a ?dinâmica da regulação de um sinistro D&O; os reflexos da Lava Jato nos sinistros; e os reflexos da delação premiada e acordo de leniência no seguro D&O?. Já Flávio Sá, gerente de Linhas Financeiras, apresentará ?os pilares da análise de risco do seguro D&O e os impactos do mercado e alterações na política de análise de risco frente ao aumento de exposição ao risco?.

      Com mediação de Debora Schalch, presidente da Comissão de Direito Securitário da OAB-SP, o debate será realizado das 10h às 13h, na sede institucional da OAB-SP, na Rua Maria Paula, nº 35, 3º andar, São Paulo (SP). O ingresso será uma lata ou pacote de leite integral em pó de 400g, entregue na recepção do evento. Inscrições para o evento no site da OAB-SP (www.oabsp.org.br).

       


      saiba mais »

      22/11/2016 - Em 2017, os números serão melhores

      Francisco Galiza
      Rating de Seguros ? Comentário Econômico n? 436

      Prezados Senhores,

      Em 2015 e 2016, teremos uma queda acumulada de 7% no PIB. Apesar desses números extremamente desfavoráveis, podemos dizer que, nesse segundo semestre, houve melhora em alguns indicadores. Por exemplo, o crescimento dos índices de confiança de diversos setores (da indústria, do comércio, etc); a cotação do dólar comercial, que passou de um patamar de R$ 4,00 para R$ 3,30; e a previsão de queda do PIB para o ano de 2016, que parou de piorar nas mesmas taxas anteriores, já sinalizando uma possível diminuição nas perdas. Para 2017, o cenário é mais favorável. A previsão é de crescimento do PIB de 1%, inflação de 5%, e uma elasticidade renda de seguro próximo a dois. Ou seja, o setor de seguros cresceria, em termos reais, o dobro da variação da economia.

      Em termos nominais, o setor de seguros (sem saúde e sem vgbl) cresceu 10% em 2014, 5% em 2015 e uns 4% em 2016 (os números ainda não estão completamente fechados). Separando por negócios, os seguros de pessoas terão uma evolução em 2016 um pouco melhor, quando comparados aos produtos de ramos elementares. Para 2017, porém, esperamos recuperação no setor. A expectativa é de uma variação nominal total de uns 8 a 9%. Com sorte, talvez, cheguemos a uma melhora ainda maior no segundo semestre. Já o segmento de saúde suplementar está em situação mais confortável. Ainda em termos nominais, tal setor cresceu 16% em 2014 e 14% em 2015. Para 2016, a previsão é que isso continue.

      Para o próximo ano, existe também a expectativa de que essa melhora seja acelerada e expandida, atingindo outros fatores, como uma queda nas taxas de desemprego, grande preocupação atual da sociedade. Isso, naturalmente, se reformas importantes forem feitas, em um acordo da sociedade, levando ao aumento da confiança dos agentes como um todo. A chance de que isso ocorra é boa.

      Ou seja, em 2017, os números serão melhores.

      Francisco Galiza
      http://www.ratingdeseguros.com.br/
      http://twitter.com/ratingdeseguros


      saiba mais »

      22/11/2016 - Uber do Seguro? Quem escreveu esse título não conhece de corretagem

      ARMANDO LUIS FRANCISCO
      Taxista e corretor são bem diferentes. E Uber não se parece em nada com aquilo…

      Taxista é um profissional esmerado e competente, e merece todo nosso respeito, inclusive, na concorrência com a Plataforma Uber. Entretanto, em nada se compara a dinâmica aplicada pelo Uber ? admirada pela maioria - e a hipótese daquela empresa digital.

      No seguro há empresas de corretagem digitais. Corretoras que vendem na web, exclusivamente. E ninguém, de modo algum, está querendo tirá-las do mercado de seguros.

      Entretanto, há 4 anos, aproximadamente, houve um GT da Corretagem que quis tratar o assunto com primazia, ficando numa minuta que foi arquivada por conter muitas inovações. E a minha sugestão à Susep é desenterrá-la. A discussão, antiga, poderá dar base jurídica à normatização, ao demonstrar que a preocupação com o consumidor sempre foi a primazia da autarquia.

      Mais: Os corretores de seguros são muito bem resolvidos. E os números são impressionantes: 90% dos seguros vendidos no Brasil são intermediados por profissionais autorizados a comercializar os produtos dessa indústria, depois de educados na Ciência do Seguro.

      Ademais, eu sempre achei que, na defesa dos interesses dos consumidores, deveria haver somente uma porta de entrada na angariação do seguro: Escolarização na Ciência do Seguro, Exame de Habilitação, Controle Ético, Atuação em relação as necessidades do segurado. E o motivo é simples: Um contrato bilateral intermediado a favor da parte que menos conhece as regras muito técnicas do seguro.

      Não obstante a clareza da necessidade do corretor na ponta, a própria legislação ?proíbe? o corretor do vínculo empregatício com as seguradoras, bancos e órgãos públicos, a fim de demonstrar que o corretor intermedia, com o conhecimento adquirido, a própria necessidade de um consumidor, o que seria inviabilizado com àquele vínculo descrito anteriormente.

      Outrossim, se a Fenacor estivesse mesmo interessada no monopólio do corretor de seguros, apenas para seguir em fomento da massificação de larga escala, não pediria ao ministério público para interferir na relação empresarial com o consumidor. Afinal, justamente para isto foi a empresa de larga e rica escala foi criada, mas com uma venda que não decepciona o cliente em virtude do pouco conhecimento deste mesmo candidato a segurado vendido de forma não ortodoxa.

      E o que eu vi foi um pedido claro de respeito ao mercado de seguros. Pois a atuação e a comercialização são diferentes da venda de bananas na feira de vilas. E um seguro mal vendido pode tornar-se a miséria do consumidor e sua família. Aliás, como uma empresa pública e social quer tirar o agente do bem da relação bilateral?

      A atuação forte da Fenacor, na defesa de toda a indústria do seguro, tem despertado a atenção dos profissionais da área securitária. E a complementação feita no Legislativo tornou-se interessantíssima para todos os corretores. A parte que cabe a indicação do superintendente da Susep - na cota dos direitos de representação - mostrou-se não superficial ou amena em virtude do célere conhecimento do gestor. E a tríade superou em poder e beneficência o que poderia ser danosa à população brasileira.

      Ao modelo Fenacor interessa, assim, sugerir o despertar da necessidade de um único canal de vendas, sob o prisma da defesa do interesse da sociedade. No quesito legislativo, o endurecimento de Leis que promovam o conteúdo da segurança jurídica e financeira do consumidor. Na atuação da Susep, as normas que interferem nas ações de toda a indústria do seguro. Em tudo isso, os 3 poderes podem se unir ao ?quarto poder?, que promova a atuação ética em direitos e obrigações do profissional da corretagem.

      Aliás, falando desse outro poder - nas prateleiras, mas não disponível ainda na efetividade - há uma crise de identidade que poderá ser revertida nos próximos dias. A troca de comandos, no dançar das cadeiras, mostra a preocupação com o sucesso da medida não romântica. A nova direção demonstra capacidade para entender a adesão, solucionando dilemas importantes ao engajamento.

      Voltando ao assunto, a presença da Fenacor foi decisiva para que as autoridades judiciárias barrassem, por enquanto, a venda de seguro sem corretor. Ponto para eles.

      A diferença para o Uber é que eles são completos no que fazem. Não deixam brecha.

      E quem quiser ser Uber no seguro, tem que ser um profissional corretor de seguros.         

       

      Armando Luis Francisco


      saiba mais »

      22/11/2016 - Essor participa do 17ª FetransRio

      Fabio Pinho
      Mesmo o país ainda enfrentando momentos difíceis, a 17ª FetransRio visa possibilidades de novos negócios …

      A Essor participará do evento como uma das patrocinadoras e com presença em estande, para mostrar um dos mais inovadores seguros para o transporte de passageiros oferecidos pela seguradora às empresas de ônibus brasileiras.

      Trata-se do Seguro de RC ônibus/APP. ?Vamos mostrar que o nosso produto, como todos os demais seguros da nossa seguradora, é totalmente diferenciado do que existe no mercado. Essa é a proposta da Essor: acrescentar inovação aos seus diversos produtos?, explica o CEO Fabio Pinho. 

      Para se ter uma ideia, a característica principal do Seguro RC Ônibus é o tratamento humanizado prestado por equipe especialmente treinada, às vítimas de acidentes nas estradas. Além disso, o produto tem várias coberturas e aceitação simplificada, emissão de apólice em até 72 horas, oficinas credenciadas em todo País e descontos especiais para frotistas. 

      Boas perspectivas - Segundo os organizadores do evento, mais de 10 mil pessoas, entre representantes da indústria, serviços, governo e diversas organizações voltadas para o transporte de pessoas, convidados e curiosos visitarão a 17ª FetransRio. Cerca de 100 expositores espalhados por 23 mil m2 irão participar e 100 ônibus de última geração estarão em exposição.

      Sobre a Essor Seguros |

      A Essor Seguros iniciou suas operações no Brasil no final de 2012, com o propósito de atender a demanda no mercado de seguros por produtos diferenciados e inovadores capazes de impulsionar o setor. A empresa nasceu de uma parceria - joint venture - entre dois grupos franceses atuantes no mercado segurador internacional, liderada pela Mutuelle des Architectes Français Assurances (MAF) e pelo Grupo SCOR Global P&C SE. Com sede no Rio de Janeiro e sucursal em São Paulo, a Essor foi desenvolvida para ser uma empresa com atuação nacional e investimentos focados no mercado brasileiro.

       

       


      saiba mais »

      22/11/2016 - Fintechs de crédito criam a primeira associação do setor no Brasil

      A Associação Brasileira de Crédito Digital (ABCD) nasce com a missão de garantir eficiência no…

      Com o objetivo de impulsionar o desenvolvimento do setor de crédito online no Brasil e consolidar as boas práticas do segmento, as principais fintechs de crédito do País se uniram e criaram a Associação Brasileira de Crédito Digital (ABCD). A iniciativa, inédita no mercado nacional, foi conduzida pelas empresas Biva, BankFacil (BKF), Geru, Just, Lendico, Simplic e Trigg.

      Na agenda da associação está o relacionamento com órgãos reguladores, de proteção ao crédito e defesa do consumidor, bancos e outras instituições financeiras. Neste sentido, a ABCD já nasce com um código de conduta e melhores práticas e tem na sua pauta, principalmente, o desenvolvimento do mercado de forma que o consumidor brasileiro seja beneficiado com o aumento de eficiência do setor.

      A rapidez com que este mercado vem se desenvolvendo no Brasil e seu potencial de seguir crescendo também estão no radar de atuação da ABCD. Segundo a FintechLab, que mapeia as fintechs no Brasil, o número de empresas de serviços financeiros online no Brasil mais do que dobrou desde setembro de 2015.

      A velocidade do crescimento do mercado das fintechs de crédito se dá pela a abordagem inovadora, baseada em dados, e incorporando tecnologia à análise financeira tradicional. Para lidar com os desafios criados pela rápida expansão, a associação propõe um conjunto de melhores práticas para quem oferece crédito no ambiente digital em termos de ética, respeito ao consumidor, comunicação, transparência, privacidade e segurança, entre outros.

      Os benefícios ao consumidor são muitos, já que a entrada das fintechs no mercado trouxe variedade à oferta de produtos e serviços financeiros, diminuiu o tempo gasto na contratação, aumentou a segurança e a praticidade, e tornou o atendimento mais amigável e personalizado. Além da melhor experiência do usuário, as empresas de serviços financeiros digitais têm gerado renda e novos empregos. Um recente estudo da consultoria McKinsey mostra que o setor poderá criar até 4 milhões de novos empregos e representar um aumento de PIB no Brasil de 5,5% até 2025.

      A associação é aberta e receberá outras empresas que trabalham com crédito digital no País. A ideia é gerar um ciclo de melhoria contínua e um fórum de compartilhamento de melhores práticas para as empresas do setor, bem como servir de referência para que o consumidor de crédito conheça melhor suas opções e seus direitos. 


      saiba mais »

      22/11/2016 - Previsul Seguradora engaja colaboradores e corretores em campanha do Novembro Azul

      Durante todo o mês de novembro, a companhia vem desenvolvendo ações apoiando a causa e…

      A Previsul Seguradora incentiva o cuidado com a saúde do homem. Por isso, desenvolveu a campanha ?Novembro Azul: a informação é mais forte do que o preconceito?, que conta com uma série de ações para colaboradores e corretores, demonstrando o seu apoio à prevenção do câncer de próstata. Com 110 anos de atuação, a Previsul Seguradora é referência em seguro de pessoas no Brasil.

      Nesta semana, colaboradores da matriz, em Porto Alegre (RS), das 8 sucursais e dos 8 escritórios usaram uma peça de roupa na cor da campanha e fizeram uma série de fotos para registrar e demonstrar seu apoio à causa. Desde o início do mês, a fachada da matriz está com a iluminação azul. Além disso, os colaboradores receberam fitas com o laço azul, símbolo internacional da campanha, para utilizar no crachá.

      Uma das ações internas está sendo realizada pela intranet: os colaboradores estão tendo a possibilidade de ouvir mensagens informativas sobre a saúde do homem gravadas pelos colegas. Esta ação, que engloba todos os colaboradores, incentiva a proximidade entre funcionários de diferentes áreas e o compartilhamento de dicas sobre a prevenção do câncer de próstata. Outra ação foi a distribuição de cartazes vazados que foram colados em espelhos de toda a companhia, incentivando o cuidado não apenas com a aparência, mas também com problemas de saúde que não são visíveis.

      Para estreitar o relacionamento com o corretor, principal parceiro e cliente da Previsul, e disseminar informações sobre saúde, a companhia também distribuiu cartazes para corretores de todas as regiões do Brasil. As postagens do Facebook da seguradora também estão apoiando a causa e incentivando o cuidado com a saúde do homem.

       


      saiba mais »

      22/11/2016 - Redução De Carga Tributária Para Corretoras De Seguro

      Em tempos de crise, reduzir a carga tributária tem sido uma importante estratégia das empresas…

      Afinal, as corretoras são indevidamente igualadas às corretoras de valores porque a Receita Federal as enquadra dentro do seguimento econômico citado no parágrafo § 1° do Art; 22 da Lei 8.213/91 que engloba instituições financeiras.

      No entanto, diversas corretoras ajuizaram demanda com o intuito de que fosse reconhecido o direito de se desenquadrarem da classificação como instituições financeiras mas as decisões foram controvertidas. Uma vez que posteriormente o Superior Tribunal de Justiça pacificou o entendimento que as sociedades corretoras de seguro que apenas exercem a atividade de intermediação não podem ser equiparadas a seguradora ou instituições financeiras.

      Assim, restou consolidado o entendimento de que as corretoras de seguro, por não se enquadrarem no supracitado dispositivo legal não devem recolher adicional de 2,5% sobre a base de cálculo do INSS patronal nem 3% de COFINS.

      Em decisão recente (AgRg 441705/RS) o STJ pacificou o entendimento de que as corretoras de seguros são simples intermediárias e por essa razão não se submetem ao tratamento tributário mais oneroso que é destinado as instituições financeiras.

      A Instrução Normativa n° 1.628/2016 trouxe alívio às sociedades corretoras de seguros, que estavam discutindo administrativamente e judicialmente a cobrança de 1% sobre a receita a título de COFINS. Na prática estas sociedades estavam calculando sobre a receita 0,65% de PIS e 4% de COFINS.

      Com a alteração, a sociedade corretora de seguros que apura o Imposto de Renda com base do Lucro Presumido, ou seja, calcula o PIS e a COFINS pelo sistema cumulativo vão continuar tributando 0,65%, mas passará a calcular 3,0% a título de CPFINS.

      Sendo assim, com esta medida, o PIS e a COFINS das sociedades corretoras de seguros serão calculadas de acordo com o registro adotado, cumulativo ou não. Então, é possível, por via administrativa, sustar o pagamento de adicional de 2,5% sobre a base de cálculo do INSS patronal verificar o que foi pago a mais e proceder a recuperação dos valores referentes aos últimos 60 meses.

       Através da via judicial é possível pedir a suspensão do pagamento de adicional de COFINS (alíquota 1%) e verificar o que foi pago a mais e proceder a recuperação desses valores nos últimos 60 meses.

      Diretor jurídico Dr. David Nigri, OAB 86.149.

      Bacharel em Direito pela Faculdade Candido Mendes e pós-graduado em Direito Tributário na Fundação Getúlio Vargas, o advogado David Nigri, titular do escritório que leva o seu nome, atua em Direito do Consumidor, Empresarial e Tributário. Além disso, é conselheiro do Conselho Empresarial de Franquias da Associação Comercial do Rio de Janeiro. Telefone (21) 2220-2112 ou http://www.davidnigri.com.br/


      saiba mais »

      22/11/2016 - Porto Seguro Faz oferece descontos de até 50% na Black Friday

      Empresa disponibilizará descontos em serviços do portfólio durante dias 25, 26 e 27 de novembro

      A Porto Seguro Faz, empresa de serviços de conveniência e de emergência da Porto Seguro, oferecerá um pacote com descontos de 20% a 50% em diversos serviços para casa e carro, que vão desdeinstalações de linha branca, como geladeira e fogão, até limpeza de caixas d?água e sofás. As condições especiais fazem parte de uma ação da empresa para a Black Friday, válidas de 25 a 27 de novembro, e estão disponíveis para clientes e não clientes Porto Seguro.

      ?Elaboramos um portfólio especial com descontos para a Black Friday. Optamos por disponibilizarpreços mais acessíveispara os serviços relacionados aos itens mais comprados neste período promocional, como eletrodomésticos e TVs, divulgando a Porto Seguro Faz para quem ainda não conhece os nossos serviços?, ressalta Marcos Loução, diretor da Porto Seguro Faz. De acordo com a organização oficial da Black Friday, a edição de 2015movimentou mais de R$ 1,5 bilhão, representando um aumento de 76% em relação ao ano anterior.

      Para adquirir um ou mais serviços e consultar as condições gerais e regiões de abrangência,acesse http://www.portosegurofaz.com.brou ligue para 3003-3329.Para mais informações, consulte o Corretor de Seguros ou acesse o chat online disponível no portal.

      Sobre a Porto Seguro Faz

      A Porto Seguro Faz é uma empresa de serviços de conveniência e de emergência da Porto Seguro, que disponibiliza a compra de serviços para todos, inclusive para quem ainda não é cliente da Porto Seguro, de acordo com suas necessidades, com agilidade e segurança. Com um portfólio com diversos serviços para casa e carro, a empresa oferece serviços em todo o Brasil¹ e está fortemente presente em São Paulo e no Rio de Janeiro. A Porto Seguro Faz oferece ainda a facilidade de compra e agendamento de serviços pela internet. Para mais informações sobre os serviços prestados, acesse: www.portosegurofaz.com.br.

      ¹Consulte as regiões de abrangência de cada serviço no site ou pela Central de Relacionamento


      saiba mais »

      22/11/2016 - TOKIO MARINE apresenta suas soluções de seguro de transportes no 4º Simpósio ExpoCIST

      Felipe Smith
      Empresa é uma das líderes do segmento, que cresceu 22% em 2016

      A Tokio Marine, uma das maiores seguradoras do Brasil, marca presença no 4° Simpósio ExpoCIST, que acontece no próximo dia 24, em São Paulo. Além de ser uma das patrocinadoras do evento, a companhia apresentará em seu estande os produtos de sua carteira de Transportes, que detém soluções capazes de atender todas as necessidades do segmento.

      ?A Tokio Marine é uma das líderes nesse setor, e está preparada para atender toda a cadeia de logística com soluções customizadas para cada um de seus clientes, nos mais diversos tipos de operações. Estar presente na ExpoCIST só reforça a nossa liderança e solidez no segmento, além de ser uma grande oportunidade para que empresas e profissionais da área conheçam de perto todos os diferenciais e vantagens competitivas de nossos produtos no mercado?, afirma Felipe Smith, Diretor Executivo de Produtos Pessoa Jurídica.

      O executivo ainda afirma que a Tokio Marine está entre as cinco maiores seguradoras no País no ramo de seguro transporte. Atualmente, a carteira é um dos principais produtos comercializados pela companhia, que encerrou o primeiro semestre de 2016 com um crescimento de 2,6% no segmento em relação ao mesmo período do ano passado. ?O simpósio é uma oportunidade para identificar as demandas, gerar novos negócios e fortalecer a estratégia de expansão da Seguradora?, explica Smith.

      A expectativa da ExpoCIST é reunir cerca de 300 pessoas entre expositores, visitantes, especialistas e autoridades da indústria. Durante todos os dias do 4° Simpósio ExpoCIST, a equipe da Tokio Marine estará à disposição no estande para apresentar os produtos e oferecer soluções para empresas do setor.

      Anote na agenda:

      Tokio Marine no 4º Simpósio Expocist
      Data: 24 de novembro de 2016
      Local: Hotel Tivoli Mofarrej ? São Paulo
      Endereço: Alameda Santos, 1437 - Cerqueira César, São Paulo - SP
      Horários: das 9h às 22h
      Para mais informações sobre o 4º Simpósio Expocist, acesse:
      http://www.cist.org.br/wp/

      Sobre a ExpoCIST

      Criado há quase três anos, o Clube Internacional de Seguros de Transportes (CIST) já integra o calendário de eventos do mercado, junto às entidades que trabalham pelo desenvolvimento dos profissionais. O Simpósio Expocist tem como objetivo promover capacitação e contribuir com os órgãos de classe na abordagem e posições sobre as diversas nuances da legislação. Também visa a constituir diretorias especializadas, representadas por meio de lideranças envolvidas em toda cadeia logística dos seguros de cargas, tais como: técnica, sinistros, GR, resseguro, logística, jurídico, sindicantes, vistoriadores, reguladores, seguradores, corretores de seguros, embarcadores, transportadores, social, eventos, estatística, etc. Para mais informações acesse: http://www.cist.org.br/wp/

      Sobre a Tokio Marine Seguradora

      A Tokio Marine Seguradora S.A. é uma das maiores seguradoras do Brasil e do mundo. É subsidiária da Tokio Marine Holdings, o mais antigo conglomerado securitário japonês. Fundada em 1879, possui operações em 38 países e tem sua matriz mundial localizada em Tóquio, no Japão. No Brasil desde 1959, a Tokio Marine Seguradora coloca à disposição do mercado brasileiro um amplo leque de soluções para Clientes Pessoa Física e Jurídica, por meio de uma estrutura com 72 unidades de negócios, incluindo sucursais e escritórios em todo o País. O portfólio de Produtos Massificados contempla os seguros de Automóvel, Frotas, Residencial, Condomínio e Equipamentos, além dos seguros de Vida, Acidentes Pessoais e Prestamista para Empresas. Já a carteira de Produtos Corporativos inclui Seguros para Pequenas, Médias e Grandes Empresas, Transportes, Riscos de Engenharia, Riscos Nomeados e Operacionais, Riscos de Petróleo, Garantia, Responsabilidade Civil, Equipamentos, Náutico e Aeronáutico. Em 2016, foi eleita na 8ª posição como uma das Melhores Empresas para Trabalhar, de acordo com pesquisa conduzida pelo Great Place to Work® Brasil. Para mais informações, acesse: www.tokiomarine.com.br

       

      • tokio marine


        saiba mais »

        22/11/2016 - Mercado de Brasília cresceu 49% mesmo na crise

        Dorival Alves de Sousa - Presidente do Sincor-DF
        O Sincor-DF realizou, neste sábado (19/11) a solenidade de entrega do Troféu Alvorada para os…

        No evento, ao saudar os presentes, o presidente do Sincor-DF, Dorival Alves de Sousa, destacou o excelente desempenho do mercado local este ano, mesmo diante de um cenário de crise na economia. ?Segundo dados oficiais da Susep, este mercado gerou, de janeiro a setembro, uma receita da ordem de R$ 4,3 bilhões, com expressivo crescimento de 49% em comparação ao mesmo período do ano passado?, revelou Sousa, que também é vice-presidente da Fenacor.

        Segundo ele, é ?fácil explicar esse desempenho?, pois o mercado de Brasília e da região conta com ?profissionais da mais alta qualificação, tanto nas seguradoras, quanto na corretagem de seguros?.

        Dorival Alves de Sousa observou ainda que os mais de 2,2 mil corretores de seguros em atividade no Distrito Federal são responsáveis diretos por aproximadamente 90% dos contratos de seguros firmados nesta região. ?Somos uma legião que protege e ampara a vida e a saúde das pessoas, a continuidade dos negócios, a garantia de conclusão das grandes obras públicas e privadas?, enfatizou.

        O presidente do Sincor-DF salientou também que, até setembro, o mercado devolveu para a sociedade local, sob a forma de indenizações, benefícios e sorteios, mais de R$ 1,5 bilhão, o que significa, a cada 24 horas, uma injeção na economia do Distrito Federal de algo em torno de R$ 5,5 milhões. ?Poucos setores têm números similares para mostrar, especialmente em um momento de instabilidade na economia, que já perdura por quase três anos?, frisou.

        Por fim, ele lembrou que o Sincor-DF está comemorando, em 2016, os 28 anos de fundação.


        saiba mais »

        22/11/2016 - Confira Tendências De Marketing Digital Para Alavancar Marcas Em 2017

        Confira Tendências De Marketing Digital Para Alavancar Marcas Em 2017
        Consultor Marcelo Montone destaca em quais ferramentas os empresários precisam investir para o próximo ano

        A tecnologia é, cada vez mais, algo presente na vida de todos e estar ciente das opções que ela oferece para promover o seu negócio, é imprescindível. A cada dia surgem novas ferramentas que possibilitam a exposição das marcas, e conhecer as possibilidades, pode fazer toda a diferença para a sustentabilidade da empresa. O mundo cibernético, no entanto, ao mesmo em tempo que ajuda, também consegue confundir inúmeros empresários com a infinidade de plataformas e estilos de abordagens utilizadas atualmente.

        De acordo com o consultor Marcelo Montone, especialista em Marketing Digital e fundador da Nommad.id, agência paulistana de performance digital, com o avanço da tecnologia, ficar parado no tempo não é mais uma opção. ?A cada dia, surgem novas tendências, que elevam as possibilidades com o marketing digital a um patamar imensurável, as empresas que não buscam evoluir com a mesma agilidade do mercado, começam, aos poucos, a fazer parte de um grupo defasado que têm a redução de lucros como algo inevitável. ?, contou.

        No entanto, engana-se quem imagina que apenas aparecer online é o suficiente. Cada ação digital pede estudo, analise e pesquisa. Antes de entrar 100% no mundo digital é preciso, também, responder a questões como: Quais públicos quero atingir e quais ferramentas e plataformas estão disponíveis?

        Pensando em ajudar os empresários, Montone listou cinco tendências do marketing digital para quem busca iniciar o ano com novidades e com o pé direito. As opções já são utilizadas, mas, na visão do especialista, prometem tornar-se indispensáveis no próximo ano. ?O mercado, apesar de amplo, é, cada dia mais, restrito àqueles que arriscam, que inovam e que aproveitam as oportunidades, portanto, esse é o momento para se adaptar a um mundo totalmente novo e colher com isso, os louros destinados apenas a quem se destacar.?

        Confira as dicas:

        1. Mobile: Cerca de 70% dos acessos à internet no mundo, é feita através de tecnologia mobile. Mais do que nunca, esse é o momento de investir nesse público e levar o seu produto, cada vez mais, para perto do consumidor. Invista em usabilidade, aplicativos que cativem o público, e fuja do mais do mesmo.

        2. Inbound Marketing (Marketing de Atração): A estratégia do inbound é contrária à do marketing tradicional, que visa vender uma marca. Neste caso, a proposta é vender uma ideia que gere a necessidade de determinado produto ou serviço. Para isso, utilize conteúdo atraente para o público, de modo que crie interesse e o faça buscar sua marca de forma voluntária.

        3. Content Remarketing: Esta opção atua de forma parecida com o remarketing tradicional, que utiliza as preferências e buscas do cliente para apresentar a publicidade segmentada nos sites que este sempre visita; nesse caso, porém, ao invés de direcioná-lo para o produto, a ação o manda para uma página de conteúdo que ajuda a despertar no público a necessidade adquirir o produto.

        4. Snapchat: Muitas marcas ainda não se renderam totalmente às redes sociais, mas elas têm crescido vertiginosamente quando se fala em engajamento. No caso do Snapchat, a ferramenta chegou tímida e muitos ainda nem a conhecem, porém, já se tornou um dos principais canais para a exposição de produtos e serviços.

        Os conteúdos permanecem por pouco tempo na rede, isso faz com que a rotatividade seja grande e tanto quem vende, quanto o cliente, conseguem ?ir direto ao ponto?, com uma eficiência muito maior.

        5. Vendas Multiplataformas: É a integração dos canais já existentes, através de soluções que prometem estar disponíveis já nos próximos meses. A possibilidade de fechar um negócio na internet é potencializada quando o consumidor não precisa deixar de lado sua rotina para comprar. Se essa opção existir dentro, por exemplo, de uma rede social, onde o público terá acesso não apenas à publicidade que o redireciona, mas ao botão que, efetivamente, realiza a compra, a taxa de convergência tende a multiplicar-se.


        * Sobre Marcelo Montone: Formado pela PUC, com especialização em Marketing pela ESPM e Miami AD School, Marcelo Montone vem há 18 anos pesquisando e se especializando inteiramente em internet e agências digitais. O especialista já atuou em cases de sucesso e atendeu contas importantes como a da Prefeitura de São Paulo, da marca esportiva Penalty, do banco Itaú, da MIP Brasil Farma, da rede Café do Ponto, da marca esportiva Asics e da construtora Tenda. Com pesquisas e técnicas inovadoras, Motone se mostra cada vez mais como um respiro de inovação dentro do mercado de marketing brasileiro.


        saiba mais »

        22/11/2016 - 50 anos da SUSEP

        Joaquim Mendanha de Ataídes - Superintendente da Susep
        Autarquia faz 50 anos e lança selo comemorativo

        Exatamente neste último dia 21.11.2016, a Superintendência de Seguros Privados - SUSEP completou 50 anos de sua fundação. Nesta data, exatamente há 50 anos, foi editado o decreto Lei 73/66, uma espécie de carta magna do setor de seguros.

        Assim no auditório da autarquia, em sua sede no Rio, foi realizado um evento para essa comemoração. Importantes autoridades do setor, estiveram presentes. Representando a CNseg Marcio Coriolano e pelas federações, João Francisco Borges, Marco Antonio Barros e Solange Beatriz. Pela Fenacor esteve Armando Vergílio dos Santos além de diversos presidentes de Sindicatos dos Corretores de Seguros. Na plateia também os servidores da Susep e outras autoridades.

        O evento conduzido pelo atual Superintendente Joaquim Mendanha de Ataídes, teve a premiação do Concurso Cultural 'Minha Vida Segura', uma retrospectiva dos 50 anos e homenagens prestadas aos ex superintendentes (conforme foto) e aos servidores da casa. Um selo comemorativo dos 50 anos foi lançado pelo Correio para marcar esta ocasião, da primeira obliteração.

        Em uma casa tão séria e respeitada foi muito bom participarmos de forma descontraída desse momento do nosso mercado, disse Fernando Simões. Mauro Batista, Presidente do Sindseg SP também se fez presente.


        saiba mais »

        22/11/2016 - Contribuições a planos de previdência privada aberta somam R$ 26,07 bilhões no 3º trimestre, representando crescimento de 24,02% em relação ao 3º trimestre de 2015

        Contribuições a planos de previdência privada aberta somam R$ 26,07 bilhões no 3º trimestre, representando crescimento de 24,02% em relação ao 3º trimestre de 2015
        A captação líquida apresentou um saldo positivo de R$ 13,28 bilhões no acumulado dos três…

        Os aportes a planos abertos de caráter previdenciário (que incluem os PGBLs e os VGBLs) somaram R$ 26,07 bilhões no terceiro trimestre de 2016, apresentando uma evolução de 24,02% frente ao mesmo período do ano anterior, quando as contribuições somaram R$ 21,02 bilhões, de acordo com dados do balanço da FenaPrevi, entidade que representa 67 seguradoras e entidades abertas de previdência complementar no país.

        Este foi o melhor trimestre de 2016. No primeiro, o crescimento foi ordem de 5,75% frente a igual período do ano anterior. No segundo, a expansão foi 18,54%. ?Estamos assistimos a uma recuperação no volume de novos depósitos para acumulação de recursos de longo prazo com foco na aposentadoria?, diz Edson Franco, presidente da entidade.

        A captação líquida (diferença entre depósitos e resgates) apresentou um saldo positivo de R$ 13,28 bilhões, resultado 46,26% superior aos R$ 9,08 bilhões registrados entre julho e setembro de 2015.

        Os planos individuais foram os que mais receberam recursos no terceiro trimestre. No total, foram investidos R$ 22,80 bilhões. Do volume de contribuições aos planos individuais, R$ 467,95 milhões foram investidos em planos para menores. Já os recursos destinados a planos empresariais somaram R$ 3,27 bilhões em contribuições.

        Na análise por modalidade de plano, o VGBL (indicado para quem não tem como se beneficiar da dedutibilidade fiscal prevista no formulário completo de I.R.P.F.), recebeu contribuições de R$ 23,94 bilhões no mês. O PGBL (modalidade de plano indicada para quem tem como se beneficiar da dedutibilidade prevista no formulário completo de I.R.P.F.) registrou R$ 1,92 bilhões. Os planos tradicionais de acumulação registraram R$ 212,71 milhões.

        Resultado Mensal ? Setembro

        Já na análise mensal, o total de aporte totalizou R$ 7,43 bilhões, apresentando uma evolução de 13,96% frente ao mesmo mês do ano anterior, quando as contribuições somaram R$ 6,52 bilhões. A captação líquida obteve saldo positivo de R$ 3,51 bilhões, valor 46,86% superior na comparação com a captação líquida de R$ 2,39 bilhões registrada em setembro de 2015.

        Os planos individuais foram os que mais receberam recursos em setembro. No total, foram investidos R$ 6,44 bilhões. Do volume de contribuições aos planos individuais, R$ 151,44 milhões foram investidos em planos para menores. Já os recursos destinados a planos empresariais somaram R$ 989,46 milhões em contribuições.

        De acordo com o balanço da FenaPrevi, o VGBL recebeu contribuições de R$ 6,73 bilhões no mês. Já o PGBL registrou R$ 631,50 milhões. Os planos tradicionais de acumulação registraram R$ 68,17 milhões.

        Segundo dados do balanço da FenaPrevi, o sistema registrou 82.983 pessoas usufruindo benefícios (aposentadorias, pecúlios, pensões, renda para menores e renda por invalidez) pagos por planos abertos de caráter previdenciário em setembro de 2016. No mesmo mês, foram contabilizadas 12.603.254 pessoas com planos contratados. Do total, 9.483.768 são pessoas com planos individuais e 3.119.486 pessoas com planos empresariais.

        Resultado Acumulado - Janeiro a Setembro

        Nos primeiros nove meses do ano, os aportes acumularam R$ 78,04 bilhões, apresentando uma evolução de 16,4% frente ao mesmo período do ano passado, quando as contribuições somaram R$ 67,06 bilhões. A captação líquida apresentou um saldo positivo de R$ 38,87 bilhões, representando crescimento de 18,4% em comparação à captação líquida de R$ 32,83 bilhões registrada de janeiro a setembro de 2015.

        Os planos individuais foram os que mais receberam recursos no período. No total, foram investidos R$ 68,04 bilhões. Do volume de contribuições aos planos individuais, R$ 1,43 bilhão foi investido em planos para menores. Os recursos destinados a planos empresariais, por sua vez, totalizaram R$ 10,00 bilhões em contribuições de janeiro a setembro de 2016.

        O VGBL, por sua vez, recebeu contribuições de R$ 71,72 bilhões no período. O PGBL registrou R$ 5,69 bilhões. Já os planos tradicionais de acumulação registraram R$ 627,05 milhões.

        O Tratamento Fiscal

        A opção por planos de caráter previdenciário deve considerar e priorizar uma visão de longo prazo, dada a tributação diferenciada para o poupador. No PGBL, modalidade de plano indicada para quem declara o Imposto de Renda (IR) pelo formulário completo, o poupador pode deduzir anualmente da base de cálculo do tributo, o valor total das contribuições efetuadas a planos de previdência complementar, durante o exercício social, até o limite de 12% da sua renda bruta, reduzindo o imposto a pagar ou, até mesmo, podendo ter direito à restituição.

        É o chamado diferimento fiscal, ou seja, o pagamento do IR devido sobre esses recursos, acrescidos dos rendimentos auferidos, é realizado apenas no momento do resgate total ou parcial, ou do recebimento do benefício.

        Para usufruir da dedução, o participante da previdência complementar aberta tem de estar contribuindo para a previdência oficial, inclusive no caso do titular, com mais de 16 anos, ser dependente de quem faz a declaração.

        Já no VGBL, modalidade de plano indicada para quem declara o Imposto de Renda pelo formulário simplificado, para quem se encontra na faixa de isenção do IR, ou para quem já atingiu o limite de dedução previsto para a previdência complementar (12% da renda bruta), não é possível deduzir da base de cálculo do IR os valores dos aportes realizados ao plano. No entanto, no momento do resgate ou do recebimento do benefício, o IR incide apenas sobre o valor dos rendimentos auferidos, e não sobre o valor total do resgate ou do benefício recebido, como ocorre no PGBL.

        De acordo com o presidente da FenaPrevi, é importante destacar que, para ambas as modalidades de planos (PGBL e VGBL), não há cobrança do imposto de renda a cada seis meses, sobre os rendimentos obtidos, como ocorre em alguns tipos de aplicações.

        Outra característica do PGBL e do VGBL é a possiblidade do poupador optar pelo regime de alíquotas progressivas ou de alíquotas regressivas do imposto de renda, significando, neste último caso, que, quanto mais tempo os recursos permanecerem aplicados, menor será a alíquota do Imposto de Renda incidente.


        saiba mais »

        22/11/2016 - Abertas inscrições para curso de subscrição comercial

        Quem se interessa por subscrição deve aproveitar o momento. Estão abertas as inscrições para o…

        O curso terá carga de 60 horas, com aulas presenciais e exercícios de fixação. Serão abordados tópicos como princípios fundamentais da subscrição, questões de regulação, análise e compreensão das demonstrações financeiras de empresas, precificação de produtos, comunicação e negociação. Todo o material de estudo está traduzido para o português.

        No Brasil, a Escola Nacional de Seguros é a representante da instituição norte-americana para aplicação dos programas educacionais de formação, qualificação e especialização em seguros, resseguros e gerenciamento de riscos.

        As aulas serão em São Paulo (SP) e terão início em março de 2017, com duração de cerca de dois meses. O investimento é de R$ 1.500, podendo ser parcelado em três vezes.

        Inscrições e outros detalhes do curso estão disponíveis no www.funenseg.org.br


        saiba mais »

        22/11/2016 - Aplicativo de marketing é a aposta das redes de food service para melhorar as vendas

        Bonuz, que já está presente em mais de 1,5 mil estabelecimentos, é a novidade das…

        Para melhorar as vendas no fim do ano e manter o crescimento, o setor de food service - que ano passado aumentou em 9,4% segundo pesquisa setorial da Associação Brasileira de Franchising - adere a novas ferramentas de marketing, como o aplicativo Bonuz. Presente em mais de 1,5 mil estabelecimentos do ramo de alimentação no país, o aplicativo começa a ser utilizado em 185 lojas da Divino Fogão e 150 da Patroni Pizzas.

        A proposta da empresa desenvolvedora do Bonuz, a SumOne, é levar a tecnologia e a experiência do consumidor, que são marcas do comércio digital, para o varejo físico, aposentando os velhos cartões de fidelidade em papel. A ferramenta procura empoderar franqueados e estabelecimentos locais de food service e já apresenta bons resultados. ?A conversão média é cerca de 10%, mas há alguns tipos de ofertas com até 36,6%, o que significa que três em cada dez clientes retornaram aos estabelecimentos físicos das lojas depois de receberem ofertas via plataforma?, afirma Carlos Eduardo de Souza, cofundador e diretor de marketing da SumOne.

        O Bonuz atende mais de 20 marcas de food service, incluindo o Subway e a Pizza Hut, no estado do Rio de Janeiro, e outras redes nacionais como Spoleto, Giraffas e Megamatte. Ao todo, são 1,5 mil estabelecimentos registrados no aplicativo, que conta com mais de 400 mil downloads e uma média de 100 mil usuários ao mês. O Bonuz é o maior programa de marketing para o food service no Brasil e a meta é chegar em 7 mil pontos de venda até 2018.

        Aumento da frequência e recompensas

        Agora, além de reter os clientes das redes parceiras, as ferramentas de marketing desenvolvidas pela empresa também ajudam os varejistas do segmento a captar mais consumidores. Essa é a grande novidade da empresa. ?Fizemos uma mudança no método de recompensas e conseguimos aumentar o número de novos clientes dos estabelecimentos em 27% e o resgate de recompensas em 24%. Ou seja, melhoramos o engajamento do cliente com a marca?, constata Souza. Além disso, as novas ferramentas proporcionaram um aumento de 4% na frequência dos usuários nas lojas.

        Inspirados no modelo do Uber, o aplicativo conta com três novas ferramentas para captação e retenção dos consumidores. A primeira é o ?Indique Amigos?, onde um usuário do Bonuz pode indicar um conhecido para fazer parte do programa. Por meio do sistema ganha-ganha, tanto o cliente quanto o indicado recebem benefícios da loja. A segunda é o ?Código Promocional?, onde é possível mensurar o resultado e a origem da ação, seja ela digital, como em redes sociais e no Google, ou tradicional, em flyers, panfletos e cartazes.

        Por fim, a opção de ?Satisfação do Cliente? foi aperfeiçoada. O consumidor pode avaliar o estabelecimento pontuando de uma a cinco estrelas e também consegue explicar os motivos da nota, em um campo fechado. ?Essa é mais uma ferramenta criada, a partir do Bonuz, para entregar os melhores resultados aos franqueados e tem grande aceitação. Entregamos, em média 150 mil avaliações por mês para os parceiros. O review é muito importante para o empreendedor. Ele precisa de informações estatísticas e qualitativas para aperfeiçoar o trabalho e crescer?, completa o diretor.

        A SumOne

        A SumOne é uma empresa de tecnologia e inovação focada em levar resultados para seus parceiros com conexão entre marcas e clientes por meio de relações ?ganha-ganha?. As soluções atendem, inicialmente, o varejo físico, especificamente o food service. A empresa, que tem sede operacional em Florianópolis (SC) e sede comercial no Rio de Janeiro (RJ) , é responsável pelo desenvolvimento do Bonuz, seu principal produto - voltando ao consumidor final - e do Companion - produto correlato e B2B. Em maio de 2016, a empresa recebeu aporte do fundo Cventures Primus, no valor de R$ 3 milhões.


        saiba mais »

        22/11/2016 - Business Intelligence: informação e tomada de decisão

        Comunicar-se com o seu cliente não é uma tarefa fácil, isso porque há três problemas…

        Ouvir as reclamações é sempre bom, ajuda na melhoria do negócio, mas fora isso, opiniões mais construtivas são difíceis de captar. Outro ponto é conhecer o cliente, entender o que ele quer e precisa para dialogar oferecendo sempre tópicos de seu interesse.

        E por último: o cliente tem preconceito com a comunicação ligada à empresas, isso porque relaciona essa conversa de maneira passiva onde ele será alvo para consumo. Em parte, as marcas querem sim entender como vender mais, porém, elas também querem progredir e ofertar produtos e serviços melhores para seus consumidores.

        É nesse ponto que a empresa pode virar o jogo e se dar conta de algo muito simples: o cliente já oferece um monte de informações, todo dia, de graça, e sem demandar grande esforço da sua parte. Foi isso que empresas como Google, Facebook e Twitter notaram anos atrás. O consumidor fala de si, mostra seu comportamento e dialoga com o mundo o tempo inteiro através de redes sociais e padrões de navegação.

        Essas informações dizem exatamente quem é quem na internet e consequentemente no mundo. O melhor é que ela é aberta, foi dada de graça, espontaneamente. Cabe as marcas analisá-las de forma coerente a construir ações de publicidade, marketing e negócios que possam atrair mais clientes.

        Transformar o comportamento do consumidor em consumo, a informação em dinheiro, é justamente o que se faz quando se contrata alguém para analisar redes sociais e mídias. Esses profissionais conseguem acessar e direcionar campanhas de vendas para interagir com o consumidor padrão, tudo usando os dados fornecidos gratuitamente pelo próprio consumidor.

        A todo esse processo de análise e utilização do mesmo nos planos de negócios, damos o nome de Business Intelligence. Recolher dados através dos sistemas de informação que atestem uma veracidade da analise comportamental é algo inestimável.

        Considerar o BI na tomada de decisão de sua empresa garante ações mais confiáveis em seu retorno. O ROI (retorno por real investido) é maior, o relacionamento é intensificado, e é possível abrir brechas para fidelização.

        O cliente é muito emocional, essa é uma característica humana. Conhecer bem seu comportamento pode te garantir uma criação de vínculo no mundo dos negócios. Proporcionando melhor atendimento, produtos e serviços mais focados e assertivos. É importante considerar a informação na tomada de decisão, dessa forma todos ganham.

        Thiago Coelho é fundador da Case Comunicação.

        Sobre a Case Comunicação: www.casecomunicacao.com


        saiba mais »

        22/11/2016 - Liberty Seguros é destaque no Prêmio Bandeirante

        Seguradora foi reconhecida em oito categorias da premiação promovida pelo Sincor-GO

        A Liberty Seguros foi destaque na 17ª edição do Prêmio Bandeirante, promovido pelo Sincor-GO - o Sindicato dos Corretores de Seguros e das Empresas Corretoras de Seguros, de Capitalização de Previdência Privada e de Resseguros no Estado de Goiás. A seguradora ficou entre as três mais premiadas, com oito troféus.

        A Liberty Seguros foi reconhecida na categoria ?atendimento comercial? entre os concorrentes nos ramos Automóvel e Elementares; e na categoria ?atendimento operacional? no ramo Elementares. A seguradora ainda levou o primeiro lugar na categoria ?sinistro, centro de auto-atendimento e assistência 24 horas?, nos ramos Automóvel, Benefícios e Elementares e na categoria ?atendimento operacional? em Benefícios.

        ?O sucesso da Liberty Seguros no Prêmio Bandeirante é o ápice do reconhecimento dos nossos esforços para entregar um atendimento excepcional aos corretores de seguros?, diz Clovis Roberto Martins Machado, gerente de filial da Liberty Seguros. ?Eles nos subsidiam com informações estratégicas sobre as providências que temos de tomar para avançar em qualidade nos serviços que oferecemos ao consumidor?, finaliza.

        Com votos de centenas de corretores, a Liberty Seguros também foi reconhecida como uma das melhores companhias seguradoras em todos os ramos.

        ?Ficamos muito felizes com este reconhecimento dos corretores de Goiás?, diz Alexandre Moreira, diretor Comercial da Região Minas e Centro Oeste da Liberty Seguros. ?Esse sucesso reflete nossos esforços para entregar um atendimento excepcional a eles, que além de nossos parceiros, são elos fundamentais em nossa cadeia de valor?, finaliza.

        Sobre a Liberty Seguros

        A Liberty Seguros atua no mercado brasileiro desde 1996 e está entre os dez maiores grupos seguradores do país. Com prêmios de R$ 2,7 bilhões e uma carteira com mais de 1,4 milhão de segurados, tem cerca de 1,8 mil funcionários, em 69 pontos de vendas em todo Brasil. Com mais de 13 mil corretores em todo o território nacional, a Liberty Seguros possui um portfólio com mais de 100 soluções de seguros para pessoas físicas, empresas e grandes riscos e está presente em diversos canais de venda. É pioneira em seguros personalizados para funcionários de empresas, o seguro de afinidade (Affinity) e é especialista na venda no canal Concessionária, por meio da marca Indiana Seguros.


        saiba mais »

        22/11/2016 - Balanço Previdência Privada Aberta ? Fenaprevi

        Contribuições a planos de previdência privada aberta somam R$ 26,07 bilhões no 3º trimestre, representando…

        A captação líquida apresentou um saldo positivo de R$ 13,28 bilhões no acumulado dos três meses, resultado 46,26% superior em relação aos R$ 9,08 bilhões computados entre julho e setembro do ano anterior

        Os aportes a planos abertos de caráter previdenciário (que incluem os PGBLs e os VGBLs) somaram R$ 26,07 bilhões no terceiro trimestre de 2016, apresentando uma evolução de 24,02% frente ao mesmo período do ano anterior, quando as contribuições somaram R$ 21,02 bilhões, de acordo com dados do balanço da FenaPrevi, entidade que representa 67 seguradoras e entidades abertas de previdência complementar no país. Este foi o melhor trimestre de 2016. No primeiro, o crescimento foi ordem de 5,75% frente a igual período do ano anterior. No segundo, a expansão foi 18,54%. ?Estamos assistimos a uma recuperação no volume de novos depósitos para acumulação de recursos de longo prazo com foco na aposentadoria?, diz Edson Franco, presidente da entidade.

        A captação líquida (diferença entre depósitos e resgates) apresentou um saldo positivo de R$ 13,28 bilhões, resultado 46,26% superior aos R$ 9,08 bilhões registrados entre julho e setembro de 2015.

        Os planos individuais foram os que mais receberam recursos no terceiro trimestre. No total, foram investidos R$ 22,80 bilhões. Do volume de contribuições aos planos individuais, R$ 467,95 milhões foram investidos em planos para menores. Já os recursos destinados a planos empresariais somaram R$ 3,27 bilhões em contribuições.

        Na análise por modalidade de plano, o VGBL (indicado para quem não tem como se beneficiar da dedutibilidade fiscal prevista no formulário completo de I.R.P.F.), recebeu contribuições de R$ 23,94 bilhões no mês. O PGBL (modalidade de plano indicada para quem tem como se beneficiar da dedutibilidade prevista no formulário completo de I.R.P.F.) registrou R$ 1,92 bilhões. Os planos tradicionais de acumulação registraram R$ 212,71 milhões.

        Resultado Mensal ? Setembro

        Já na análise mensal, o total de aporte totalizou R$ 7,43 bilhões, apresentando uma evolução de 13,96% frente ao mesmo mês do ano anterior, quando as contribuições somaram R$ 6,52 bilhões. A captação líquida obteve saldo positivo de R$ 3,51 bilhões, valor 46,86% superior na comparação com a captação líquida de R$ 2,39 bilhões registrada em setembro de 2015.

        Os planos individuais foram os que mais receberam recursos em setembro. No total, foram investidos R$ 6,44 bilhões. Do volume de contribuições aos planos individuais, R$ 151,44 milhões foram investidos em planos para menores. Já os recursos destinados a planos empresariais somaram R$ 989,46 milhões em contribuições.

        De acordo com o balanço da FenaPrevi, o VGBL recebeu contribuições de R$ 6,73 bilhões no mês. Já o PGBL registrou R$ 631,50 milhões. Os planos tradicionais de acumulação registraram R$ 68,17 milhões.

        Segundo dados do balanço da FenaPrevi, o sistema registrou 82.983 pessoas usufruindo benefícios (aposentadorias, pecúlios, pensões, renda para menores e renda por invalidez) pagos por planos abertos de caráter previdenciário em setembro de 2016. No mesmo mês, foram contabilizadas 12.603.254 pessoas com planos contratados. Do total, 9.483.768 são pessoas com planos individuais e 3.119.486 pessoas com planos empresariais.

        Resultado Acumulado - Janeiro a Setembro

        Nos primeiros nove meses do ano, os aportes acumularam R$ 78,04 bilhões, apresentando uma evolução de 16,4% frente ao mesmo período do ano passado, quando as contribuições somaram R$ 67,06 bilhões. A captação líquida apresentou um saldo positivo de R$ 38,87 bilhões, representando crescimento de 18,4% em comparação à captação líquida de R$ 32,83 bilhões registrada de janeiro a setembro de 2015.

        Os planos individuais foram os que mais receberam recursos no período. No total, foram investidos R$ 68,04 bilhões. Do volume de contribuições aos planos individuais, R$ 1,43 bilhão foi investido em planos para menores. Os recursos destinados a planos empresariais, por sua vez, totalizaram R$ 10,00 bilhões em contribuições de janeiro a setembro de 2016.

        O VGBL, por sua vez, recebeu contribuições de R$ 71,72 bilhões no período. O PGBL registrou R$ 5,69 bilhões. Já os planos tradicionais de acumulação registraram R$ 627,05 milhões.

        SÉRIE HISTÓRICA

        3º Trimestre 2016

          

         

        2016 (R$)

        2015 (R$)

         

        %

        Contribuições

         

        26,07 bilhões

        21,02 bilhões

         

        + 24,02

        Resgates

         

        12,79 bilhões

        11,94 bilhões

         

        + 7,12

        Captação Líquida

         

        13,28 bilhões

        9,08 bilhões

         

        + 46,26

         2º Trimestre 2016

         

         

        2016 (R$)

        2015 (R$)

         

        %

        Contribuições

         

        30,44 bilhões

        25,68 bilhões

         

        + 18,54

        Resgates

         

        13,00 bilhões

        11,3 bilhões

         

        + 15,04

        Captação Líquida

         

        17,44 bilhões

        14,38 bilhões

         

        + 21,28

         1º Trimestre 2016 

         

        2016 (R$)

        2015 (R$)

        %

        Contribuições

        21,53 bilhões

        20,36 bilhões

        + 5,75

        Resgates

        13,37 bilhões

        10,98 bilhões

        + 21,77

        Captação Líquida

        8,16 bilhões

        9,38 bilhões

        - 13,01

         


        saiba mais »

        22/11/2016 - Sebrae e Susep realizam o I Workshop de Microsseguros, em Brasília

        Em um ano, valor em prêmios emitidos dobrou, mas valor nominal ainda é considerado baixo

        Aproveitando a expansão do crédito na última década, os mais de 5 milhões de Microempreendedores Individuais (MEI) tiveram importante papel no crescimento econômico brasileiro do período, movimentando, nos valores atuais, aproximadamente 27% do PIB brasileiro. E atento à necessidade de proteger o patrimônio conquistado por esses empreendedores, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) promoveu o I Workshop de Microsseguros, em parceria com a Susep, em 09 de novembro, em Brasília.

        Na oportunidade, a SUSEP expôs os dados gerais do ramo de microsseguros, cujo valor em prêmios emitidos dobrou no último ano, apesar de o valor nominal ainda ser considerado baixo - cerca de R$ 100 milhões, de acordo os dados da autarquia. Destinado à população de baixa renda, os microsseguros possuem indenizações de valores mais baixos mas, também, prêmios mais acessíveis.

        Sua insipiência, aliada à percepção de que se configura em um grande mercado potencial, chamaram a atenção para os microsseguros por parte do SEBRAE, que começa a abrir uma nova ponte de diálogo entre seguradoras e SUSEP.

        Apesar da boa margem adquirida com os produtos dos ramos, ainda há desafios que dificultam sua oferta para microempreendedores e famílias de baixa renda. Os canais de distribuição e o elevado custo operacional são os principais entraves, mas o diálogo e o aperfeiçoamento contínuo da regulação podem superar os desafios apresentados, preparando o mercado segurador para demandas de uma economia sustentável, onde todos poderão ter acesso ao seguro.

        Com o workshop e a intenção do SEBRAE de estabelecer uma agenda permanente no tema, um importante passo foi dado.

        Participaram também do evento a Bradesco Seguros, que apresentou suas soluções em produtos ajustados ao arcabouço regulatório do Microsseguro, e abrangendo diferentes formas de distribuição, como o uso do correspondente bancário, e a Equatorial Microsseguros, seguradora que opera exclusivamente com os ramos de microsseguros no Brasil.


        saiba mais »

        22/11/2016 - Comissão Técnica Ramos Diversos recebe prestadores em Mesa Redonda

        A Comissão Técnica de Ramos Diversos do SindsegSC, coordenada por Sidnei André, recebeu na reunião…

        O objetivo é discutir temas relevantes para os profissionais que integram a comissão e também conhecer a história e experiências dos profissionais convidados.

        Estiveram presentes o Diretor Engenheiro da New Risks Reguladora de Sinistros Andrey Anderson Zanella, e o Diretor
        da Precisão Prestadora de Serviços Vilson Reichow.

        As fotos da mesa redonda já estão na galeria de fotos do SindsegSC, acesse aqui e confira!

         


        saiba mais »

        22/11/2016 - Susep terá mais participação nas decisões da Fazenda

        O Ministério da Fazenda reformulou o seu Comitê Estratégico de Gestão (CEG) do qual faz…

        Alguns dos objetivos principais dessa comissão interessam diretamente ao mercado de seguros, como avaliar os resultados apurados na implementação da estratégia ministerial; definir o processo de planejamento estratégico; e garantir o alinhamento e a convergência do planejamento estratégico das diversas áreas do Ministério da Fazenda.

        A comissão também deve buscar o alinhamento das ações relacionadas à gestão de tecnologia da informação e comunicação; de processos; de projetos; de pessoas; de riscos; e de custos.

        Poderá também, revisar periodicamente a estratégia ministerial e definir e institucionalizar mecanismos de comunicação.


        saiba mais »

        22/11/2016 - Fenasaúde Debate Escolhas Necessárias Para O Futuro Do Sistema De Saúde Privado

        O momento da saúde suplementar exige escolhas para manter a sustentabilidade do sistema de saúde…

        Especialistas e autoridades debaterão temas como os desafios das escolhas impostas pelo cenário macroeconômico; as decisões necessárias diante do envelhecimento populacional e consequente transição demográfica; da incorporação tecnológica acrítica e sem avaliação de impacto do custo-efetividade, a escalada crescente das despesas na saúde, e, ainda, a redução da capacidade de pagamento da população.

        ?O debate proposto no 2º Fórum de Saúde Suplementar visa orientar as escolhas das seguradoras e operadoras de planos de saúde, dos prestadores de serviço de saúde e, principalmente, do consumidor. A FenaSaúde entende que ?As Escolhas Necessárias para o Futuro?, tema desta edição do evento, passa, inicialmente, pela tomada de decisão da sociedade. São as definições de hoje que irão determinar a sustentabilidade do sistema de saúde privado no Brasil?, afirma Solange Beatriz Palheiro Mendes, presidente da Federação.

        O fórum ainda promove a discussão de outros assuntos, como o custo dos procedimentos médicos e a qualidade dos serviços oferecidos como fatores fundamentais para a tomada de decisão do consumidor; a utilização de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME) apenas com suporte em evidências médicas; e, por fim, as escolhas do Poder Judiciário, que se refletem no aumento das despesas assistenciais.

        Evento: 2º Fórum de Saúde Suplementar - As Escolhas Necessárias para o Futuro
        Datas: 23 e 24/11
        Horário: 08h30 às 18h (dia 23) e 9h às 12h35 (24)
        Local: Hotel Sofitel (Av. Atlântica, 4.240, Copacabana, Rio de Janeiro)

         


        saiba mais »

        22/11/2016 - ANS lança 58º ABI totalmente eletrônico

        Medida gera economia de R$ 90 mil com impressões

        A Gerência Executiva de Integração e Ressarcimento ao SUS (GEIRS) lançou nesta segunda-feira, 21 de novembro de 2016, o 58º Aviso de Beneficiário Identificado (ABI). Pela primeira vez o processamento foi feito de forma totalmente eletrônica. A inovação foi possível devido a integração entre Protocolo Eletrônico do Ressarcimento ao SUS (PERSUS) e o Sistema Eletrônico de Informações (SEI). A medida gerou uma economia de R$ 90 mil com impressões e envio de correspondências, além de possibilitar a abertura de 817 processos do 58º ABI.

        Esta mudança não afetará a rotina de trabalho das operadoras de planos de saúde, a ANS espera que futuramente estas sejam beneficiadas, pois o SEI garante maior publicidade aos processos, tornando mais fácil seu acompanhamento por servidores da Agência e pelo público externo.

         


        saiba mais »

        22/11/2016 - Portabilidades: Instituto Português Brasileiro de Assistência e HC Saúde

        A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determinou a portabilidade especial de carências para os…

        As resoluções, oriundas de regimes especiais de direção fiscal nas operadoras, foram publicadas no Diário Oficial da União no dia 21 de novembro, e fazem parte do monitoramento do desempenho econômico-financeiro do mercado feito pela agência reguladora.

        Os consumidores desses planos têm um prazo de até 60 dias para exercerem a portabilidade de carências para plano individual/familiar ou coletivo por adesão de sua escolha. Caso ainda estejam em carência no plano atual, esta continuará sendo cumprida no novo plano.

        Para exercer a portabilidade especial - caso dos consumidores do Instituto Português Brasileiro de Assistência - os beneficiários precisam antes consultar o Guia de Planos, no portal da ANS, para verificar quais planos são compatíveis. Já os beneficiários da HC Saúde, com direito à portabilidade extraordinária, podem escolher diretamente na operadora de destino um plano enquadrado em qualquer faixa de preço.

        Os beneficiários devem se dirigir à operadora escolhida, que deverá aceitá-los imediatamente se estiverem com a documentação necessária:

        ? Identidade;
        ? CPF;
        ? Comprovante de residência;
        ? Quatro boletos pagos na operadora de origem, referentes ao período dos últimos seis meses.

        Em caso de dúvidas sobre o exercício da portabilidade extraordinária e especial, os consumidores podem contatar o Disque ANS (0800 701 9656) ou ir até um dos núcleos da ANS localizados em 12 cidades do país. Confira os endereços aqui.

        Veja as resoluções publicadas no Diário Oficial:

        Resolução Operacional nº 2.102 ? Portabilidade especial do Instituto Português Brasileiro de Assistência.
        Resolução Operacional nº 2.103 ? Portabilidade extraordinária da HC Saúde


        saiba mais »

        23/11/2016 - Essor participa da 11ª FetransRio

        Essor participa da 11ª FetransRio
        Mesmo o país ainda enfrentando momentos difíceis, a 11ª FetransRio visa possibilidades de novos negócios …

        A Essor participará do evento como uma das patrocinadoras e com presença em estande, para mostrar um dos mais inovadores seguros para o transporte de passageiros oferecidos pela seguradora às empresas de ônibus brasileiras.

        Trata-se do Seguro de RC ônibus/APP. ?Vamos mostrar que o nosso produto, como todos os demais seguros da nossa seguradora, é totalmente diferenciado do que existe no mercado. Essa é a proposta da Essor: acrescentar inovação aos seus diversos produtos?, explica o CEO Fabio Pinho. 

        Para se ter uma ideia, a característica principal do Seguro RC Ônibus é o tratamento humanizado prestado por equipe especialmente treinada, às vítimas de acidentes nas estradas. Além disso, o produto tem várias coberturas e aceitação simplificada, emissão de apólice em até 72 horas, oficinas credenciadas em todo País e descontos especiais para frotistas. 

        Boas perspectivas - Segundo os organizadores do evento, mais de 10 mil pessoas, entre representantes da indústria, serviços, governo e diversas organizações voltadas para o transporte de pessoas, convidados e curiosos visitarão a 11ª FetransRio. Cerca de 100 expositores espalhados por 23 mil m2 irão participar e 100 ônibus de última geração estarão em exposição.

        Sobre a Essor Seguros |

        A Essor Seguros iniciou suas operações no Brasil no final de 2012, com o propósito de atender a demanda no mercado de seguros por produtos diferenciados e inovadores capazes de impulsionar o setor. A empresa nasceu de uma parceria - joint venture - entre dois grupos franceses atuantes no mercado segurador internacional, liderada pela Mutuelle des Architectes Français Assurances (MAF) e pelo Grupo SCOR Global P&C SE. Com sede no Rio de Janeiro e sucursal em São Paulo, a Essor foi desenvolvida para ser uma empresa com atuação nacional e investimentos focados no mercado brasileiro.

         


        saiba mais »

        23/11/2016 - Festa de confraternização do CCS-SP terá show tributo a Ray Conniff

        Festa de confraternização do CCS-SP terá show tributo a Ray Conniff
        Com orquestra e coral, sósia apresentará canções inesquecíveis do lendário maestro.

        O Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo (CCS-SP) está preparando uma festa de confraternização inesquecível para seus associados e convidados. No dia 15 de dezembro, às 19h, no Circolo Italiano, a principal atração da noite será o ?Tribute Show Ray Conniff Orquestra & Coral?, espetáculo criado em homenagem ao grande mestre dos arranjos.

        Sósia de Ray Conniff, o músico Sid Leonel, que também é interprete e produtor do show, apresentará um roteiro musical de primeira qualidade. Acompanhado de orquestra e oito cantores, ele interpretará os maiores sucessos e as inesquecíveis canções do lendário maestro, incluindo um arranjo original e inédito para ?Lara?s Theme?.

        O show fará, ainda, homenagens aos musicais da Broadway, ao mestre Glenn Miller, The Platters e às canções clássicas que embalaram os bailes e corações no mundo inteiro, como ?Besame Mucho?, ?Aquarela do Brasil?, ?New York, New York?, ?Love is a Many Splendored Thing?, ?Aquellos Ojos Verdes?, ?La Mer? e muito mais. Imperdível!

        Programe-se

        Festa de Confraternização do CCS-SP

        The Tribute Show Ray Conniff Orquestra & Coral

        Data: 15 de Dezembro

        Horário: a partir de 19h

        Local: Circolo Italiano, na Av. Ipiranga, 344, 1º andar, centro, S. Paulo (SP)

        Traje: Esporte fino

        Aos associados o convite é extensivo a um acompanhante. Para não associados, o convite terá o custo de R$ 300,00.

        Reservas: atendimento [AT] ccssp [DOT] org [DOT] br ? Tel. (11) 3104 0416


        saiba mais »

        23/11/2016 - Setor de seguros cresce 7,2% no período de janeiro a setembro

        O equilíbrio do mercado se mantém devido à estabilidade de ramos como massificados e patrimoniais,…

        O mercado de seguros supervisionado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) cresceu 7,2% no período de janeiro a setembro de 2016, frente ao mesmo período do ano anterior. De acordo com os dados compilados pela Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), foram mais de R$170 bilhões arrecadados no acumulado do ano. "Mantivemos a dinâmica de crescimento vista no segundo trimestre, de 8,7% sinalizando uma tendência diferente da vista no primeiro trimestre, quando o segmento cresceu 3,6%, desempenho que assustou o mercado que vinha crescendo dois dígitos", destaca o presidente da CNseg, Marcio Serôa de Araujo Coriolano, ao analisar o equilíbrio que se mantém devido à estabilidade de ramos como massificados e patrimoniais, e seguro de pessoas.

        Ainda que a arrecadação do seguro de automóvel tenha apresentado desaceleração de 2,8% no período de janeiro a setembro, outros ramos dos seguros gerais têm tido melhor desempenho, como os patrimoniais, que apresentaram crescimento de 1,1%, com destaque para o seguro habitacional, que teve performance de 10,4%, até setembro, e o residencial, seguro que obteve incremento de 8,5% no acumulado do ano em meio ao espaço que tem para crescer no Brasil, já que ainda é baixo o número de pessoas que têm seguro para proteger seus imóveis.

        Os seguros contra riscos financeiros como o seguro-garantia e responsabilidade civil, apresentaram alta de 9% e 5,5%, respectivamente, com destaque para o D&O, com 3% de crescimento. Além destes, o seguro rural manteve sua estabilidade e apresentou crescimento nominal de 9,5%, no acumulado do ano até setembro. Já o seguro de pessoas, apresentou 12,5% em crescimento nominal, destacando os planos de cobertura individual com 28,2% superior ao mesmo período de 2015, e os planos VGBL, que se mantiveram como grande propulsor do crescimento do mercado supervisionado pela Susep, com uma variação nominal na arrecadação de prêmios de 17,8% no acumulado do ano até setembro.

        Diante deste desempenho, Marcio Coriolano reiterou a expectativa para o crescimento do setor em 2016, de 8% a 10% em prêmios emitidos. Ele lembrou que o quarto trimestre tem forte peso no resultado anual do setor uma vez que as pessoas contratam ou reforçam seus planos de previdência para abater do imposto de renda (IR).

        Saúde Suplementar

        As provisões técnicas do setor de saúde alcançaram R$ 746 bilhões de janeiro a setembro, montante 19,7% maior em relação ao mesmo intervalo de 2015. O ritmo está bem acima dos prêmios, com crescimento de 7,2% no período, ressaltando um descompasso entre os indicadores. Segundo Coriolano, a diferença das taxas indica uma piora da sinistralidade, mas que as seguradoras seguem solventes e conservadoras. As provisões técnicas são os recursos acumulados pelas seguradoras para fazerem frente a eventuais indenizações. "É bem provável que o mercado de seguros feche o ano perto de R$ 1 trilhão em ativos totais caso mantenha a taxa de expansão de cerca de 20% em relação ao montante alcançado em 2015, de R$ 789 bilhões", afirma o presidente da CNseg.

        Projeções para 2017

        Sobre 2017, o executivo diz que ainda é difícil fazer projeções. É preciso, conforme Coriolano, ter o quarto trimestre materializado. Além disso, pondera, há vários fatores que dependem de um desfecho e que podem influenciar o desempenho do mercado de seguros no próximo ano, e cita, por exemplo, a ampliação do seguro-garantia para obras públicas, a reforma da previdência social, a aprovação do seguro de vida universal, que combina coberturas de previdência, e ainda eventos macros como a votação da PEC dos gastos públicos do governo, além da volatilidade gerada com a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos.


        saiba mais »

        23/11/2016 - Gebram cria troféu ?Marco Antonio Rossi?

        Primeira corretora de seguros a inaugurar na região de Jundiaí, a Gebram criou o troféu…

        Os condecorados da noite serão: Patrick de Larragoiti Lucas (presidente do Conselho da SulAmérica), Paulo Marraccini (conselheiro da Allianz Seguros), Francisco C. Vidigal (ex- presidente da Marítima Seguros), Sebastiana de Almeida Gebram (matriarca da família Gebram), Plácido da Rocha Miranda (ex vice-presidente da extinta Internacional Seguros); Hélio Opípari (Opípari Seguros); Jayme Garfinkel (presidente do conselho da Porto Seguro); João Gilberto Possiede (presidente da J. Malucelli); Osmar Bertacini (Humana Seguros) e Luiz Gustavo M. de Souza (diretor da Continental Seguros).

         


        saiba mais »

        23/11/2016 - Mais tempo para inscrição em exame de formação de corretores

        Mesmo diante da crise econômica pela qual o País vem passando, a indústria de seguros…

        Uma das maneiras de ingressar no segmento é como corretor de seguros. O Exame para Habilitação de Corretores de Seguros, aplicado pela Escola Nacional de Seguros, concede certificado aos candidatos aprovados, que, então, podem solicitar o registro profissional à Superintendência de Seguros Privados ? Susep.

        Com inscrições estendidas até 25 de novembro, o 56º Exame para Habilitação de Corretores de Seguros será ministrado entre 16 e 19 de janeiro de 2017, em 20 cidades: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Campinas (SP), Santos (SP), Ribeirão Preto (SP), Curitiba (PR), Blumenau (SC), Brasília (DF), Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG), Salvador (BA), Recife (PE), Goiânia (GO), Vitória (ES), Belém (PA), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE) e Natal (RN).

        São pré-requisitos ensino médio completo e maioridade. O investimento varia de R$ 330,00 a R$ 1.260,00, dependendo da modalidade. Candidatos dos cursos preparatórios a distância têm direito a 50% de desconto no valor integral da taxa de inscrição, desde que tenham adquirido curso em modalidade igual ou superior à do exame. As inscrições devem ser feitas no site da Escola, www.funenseg.org.br.

         




        saiba mais »

        23/11/2016 - 3 regras sobre 13º salário que todo empregador deve saber

        Sage elabora guia para orientar empresas sobre direito trabalhista

        O 13º salário é um benefício concedido a todos que trabalham sob o regime da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), funcionários públicos, aposentados e pensionistas brasileiros. O direito corresponde a 1/12 da remuneração devida em dezembro, por mês de serviço prestado durante o ano, e deve ser pago a qualquer trabalhador com vínculo empregatício que tenha cumprido pelo menos 15 dias de serviço dentro de um mês. Com o final do ano se aproximando, a Sage preparou orientações para ajudar os empregadores a se organizarem para o pagamento do 13º salário.

        O cálculo exato

        Entre os diversos deveres do empregador está o de calcular o valor exato do 13º salário, de modo proporcional aos meses trabalhados em um ano. Para isso é preciso aplicar uma fórmula matemática, dividindo o salário do empregado por 12 e multiplicando o resultado pela quantidade de meses de serviço prestado. São considerados como meses de serviço prestado todos aqueles em que o empregado trabalhou por pelo menos 15 dias.

        É importante salientar que todas as verbas de natureza salarial devem compor a base de cálculo do 13º salário. Desse modo, as verbas salariais variáveis, tais como horas extras, adicional noturno e comissões, devem entrar na base de cálculo por meio de médias. Já as verbas não variáveis, como adicional de insalubridade e periculosidade, devem ser apenas somadas ao valor do salário. Por outro lado, não é necessário acrescentar benefícios que não tenham natureza salarial, como vale-transporte, vale-alimentação e vale-refeição, se a empresa for inscrita no PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador).

        Parcelamento

        De acordo com a legislação, é possível pagar o benefício de uma só vez ou em duas parcelas. No primeiro caso, isso deve ser feito até o dia 30 de novembro. Já se a escolha for pelo parcelamento, a primeira parte é paga entre 1º de fevereiro e 30 de novembro, e a segunda, até 20 de dezembro.

        Casos de demissão

        Se algum funcionário pedir demissão ou for demitido sem justa causa, é preciso pagar o 13º salário proporcional ao tempo de serviço durante o ano. Nesse caso, o pagamento não é realizado no fim do ano, mas sim junto aos demais valores devidos no momento da rescisão contratual. Em caso de demissão com justa causa, o empregador não é obrigado a pagar essa gratificação.

        Sobre a Sage

        A Sage é líder no mercado de contabilidade integrada, folha de pagamento e sistemas de pagamento, apoiando a ambição de empreendedores pelo mundo. A Sage iniciou como um pequeno negócio no Reino Unido há 30 anos e agora, com mais de 13 mil colaboradores, apoia milhões de empresários em 23 países, enquanto estes alimentam a economia global. A Sage reinventa e simplifica a contabilidade das empresas por meio de uma tecnologia brilhante, trabalhando com uma próspera comunidade de empreendedores, empresários, comerciantes, contadores, parceiros e desenvolvedores. Como uma empresa FTSE 100, a Sage é ativa no apoio às comunidades locais e investe para fazer uma diferença real por meio da filantropia da Sage Foundation.

         


        saiba mais »

        23/11/2016 - SindsegNNE apoia alunos que vão para olimpíadas em Harvard

        Uma equipe formada por sete estudantes de escola pública pernambucana e um professor orientador foi…

        ?É preciso dar o primeiro passo, assim nos tornamos exemplos para que outras pessoas façam boas ações?, disse o presidente da entidade. Para ele, é importante que outras entidades e empresários busquem conhecer projetos relevantes que são desenvolvidos por estudantes e tentem ajudar esses jovens a buscar novos conhecimentos e conquistar seus sonhos. ?Tenho acompanhado os desafios que o Estado enfrenta e, cada vez mais, é preciso incentivar e valorizar essas pessoas?, finaliza.

        Os estudantes têm viagem prevista para o mês de fevereiro de 2017. Eles iniciaram uma campanha na internet para arrecadarem fundos para viabilizar as despesas como alimentação, hospedagem, entre outros. ?O Estado tem base legal para disponibilizar as passagens aéreas, mas outras despesas não, então é muito importante a busca por parcerias nesse momento?, explica o secetário de Educação, Fred Amâncio. Para ele a participação destes estudantes em olimpíadas abre novas portas. ?Essas conquistas fazem com que outros estudantes das escolas sejam incentivados a participarem. O que os nossos jovens precisam é de oportunidade, tornando-os, quem sabe, futuros funcionários e até mesmo investidores o futuro?.

        Olimpíada - Os estudantes terão que responder a testes individuais e em equipe. A estudante Michelle Cristina de Aguiar, 16 anos, conta com empolgação seus objetivos para essa viagem e a afinidade com a área de exatas. ?Desde pequena me identifico com os números, minha mãe é professora de matemática e tem me dado um suporte muito grande, ela está muito orgulhosa por mim. O meu objetivo é conquistar o 1º lugar e assim poder trazer para o meu estado um feito inédito?, fala a jovem. Além de Michelle compõe o grupo: Rondinelly Duarte; Kerolayne Beatriz Mota, ambas de 16 anos; Kássia Maria Pereira; Millena da Silva Souza; Gabriel Santos e Severina Vitória Mota, ambos de 17 anos.

         


        saiba mais »

        23/11/2016 - vantagens do plano odontológico empresarial

        Benefício está entre as quatro principais opções oferecidas pelas empresas atualmente

        Em um cenário econômico desafiador, em que as empresas estão cortando gastos e reduzindo os benefícios de alto custo, o plano odontológico surge como uma importante saída para as organizações, além de ser um grande atrativo para reter talentos.

        O benefício está entre as quatro principais opções oferecidas pelas empresas atualmente. O dado é da pesquisa realizada pela Catho Online, em 2015, que contou com a participação de 26.459 respondentes de todo o Brasil. Do total, 65% estão empregados; sendo que 35,9% são de grandes empresas (com mais de 500 funcionários).

        Segundo Júlio Cesar Felipe, CEO da Caixa Seguradora Odonto, além de contribuir na retenção de talentos, o benefício reduz o absenteísmo e colabora com a melhoria da qualidade de vida dos funcionários e familiares.

        O cenário de crise faz com que as empresas revejam os benefícios oferecidos para os funcionários e durante essas adequações, vejam as vantagens de incluírem o plano odontológico. ?As companhias estão trocando planos de saúde mais caros por opções mais acessíveis, e com isso o plano odontológico entra para complementar os benefícios dos colaboradores?, afirma o CEO da Caixa Seguradora Odonto.

        De acordo com dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar ? IESS, o segmento de planos odontológicos cresceu 2,4% em agosto de 2016, comparado com o mesmo período do ano passado, ultrapassando o número de 22,2 milhões de beneficiários. Desse total, 82,6% são de planos corporativos.

        É possível adequar o plano para diversas empresas, por exemplo, a opção PME (Pequenas e Médias Empresas) da Caixa Seguradora Odonto para companhias de duas a 199 vidas, o valor para o funcionário fica a partir de R$ 16,79 e, além do preço competitivo, o titular do plano ainda recebe Assistência Residencial 24h. São quatro planos odontológicos disponíveis: Sigma (Rol mínimo da ANS), Beta (Sigma + 13 procedimentos), Alfa (Beta + manutenção ortodôntica) e Delta (Alfa + próteses). Todos os planos possuem cobertura nacional, possibilitando assim um atendimento de qualidade onde o cliente estiver. Atualmente, a Caixa Seguradora Odonto conta com 550 mil beneficiários, 7.500 pontos de atendimento e mais de 25 mil opções de atendimento em todo o Brasil.

        Sobre a CAIXA SEGURADORA ODONTO

        A Caixa Seguradora Odonto é uma das maiores operadoras de planos odontológicos do Brasil. Com mais de 20 anos de experiência no segmento, a empresa oferece diversas opções de planos individuais e corporativos. Atualmente, a Caixa Seguradora Odonto conta com 550 mil beneficiários, 7.500 pontos de atendimento e mais de 25 mil opções de atendimento em todo o Brasil. A empresa faz parte da Caixa Seguradora, uma união bem sucedida entre duas instituições: a CNP Assurances, líder do mercado francês em seguros de pessoas, e a Caixa Econômica Federal.

        www.odontoempresas.com.br


        saiba mais »

        23/11/2016 - TOKIO MARINE celebra 10 anos da Sucursal Florianópolis

        Rogerio Spezia
        Seguradora reunirá corretoras parceiras para comemorar atuação na região e os 13% de crescimento acumulados…

        Para celebrar uma década no mercado catarinense, a Sucursal Florianópolis da Tokio Marine reunirá um grupo de corretoras, no dia 24 de novembro, para uma confraternização. Durante o evento, a Seguradora também festejará sua sólida presença na capital de Santa Catarina. Em 2016, a Sucursal apresenta um crescimento acumulado de 13%, com destaque para o produto Auto Individual, que teve um aumento de 22% nas vendas neste ano.

        ?Florianópolis é um polo estratégico e com alto potencial para a geração de negócios. Os 10 anos de atividade da Sucursal só reforçam a solidez e a robusta atuação que temos na capital catarinense. Vamos continuar investindo fortemente em inovações tecnológicas e na oferta de produtos e serviços de qualidade para entregar as melhores soluções aos nossos Corretores e Clientes?, afirma o Superintendente Comercial Varejo Sul, Rogério Spezia.

        O executivo destaca ainda o atendimento personalizado aos Parceiros de Negócios e o trabalho e dedicação das equipes comercial e técnica como diferenciais para o sucesso da atuação da seguradora. ?Com o apoio constante da Matriz e de nossos Colaboradores, comprometimento e ética, conseguimos identificar e compreender as necessidades regionais, o que ajuda a posicionar a Tokio Marine como uma das líderes do mercado de seguros catarinense?, diz.

        A Sucursal Florianópolis atende hoje 180 corretoras distribuídas pela região metropolitana - Palhoça, São José, Biguaçu, Tijucas e São João Batista - e ao Sul, desde Sombrio, Criciúma e Tubarão até o Planalto Serrano (Serra Catarinense), onde está localizada a cidade de Lages.

        Serviço: 10 anos da Sucursal Florianópolis

        Data: 24/11

        Endereço: Rua Souza Dutra, 145, loja 03, Estreito

        Horário: 19h30

        Sobre a Tokio Marine Seguradora

        A Tokio Marine Seguradora S.A. é uma das maiores seguradoras do Brasil e do mundo. É subsidiária da Tokio Marine Holdings, o mais antigo conglomerado securitário japonês. Fundada em 1879, possui operações em 38 países e tem sua matriz mundial localizada em Tóquio, no Japão. No Brasil desde 1959, a Tokio Marine Seguradora coloca à disposição do mercado brasileiro um amplo leque de soluções para Clientes Pessoa Física e Jurídica, por meio de uma estrutura com 72 unidades de negócios, incluindo sucursais e escritórios em todo o País. O portfólio de Produtos Massificados contempla os seguros de Automóvel, Frotas, Residencial, Condomínio e Equipamentos, além dos seguros de Vida, Acidentes Pessoais e Prestamista para Empresas. Já a carteira de Produtos Corporativos inclui Seguros para Pequenas, Médias e Grandes Empresas, Transportes, Riscos de Engenharia, Riscos Nomeados e Operacionais, Riscos de Petróleo, Garantia, Responsabilidade Civil, Equipamentos, Náutico e Aeronáutico. Em 2016, foi eleita na 8ª posição como uma das Melhores Empresas para Trabalhar, de acordo com pesquisa conduzida pelo Great Place to Work® Brasil. Para mais informações, acesse: www.tokiomarine.com.br.

         

        • tokio marine


          saiba mais »

          23/11/2016 - Clube dos Seguradores da Bahia irá comemorar os resultados de 2016 no CELEBRASEG

          Clube dos Seguradores da Bahia irá comemorar os resultados de 2016 no CELEBRASEG
          O Clube dos Seguradores da Bahia irá comemorar o sucesso de 2016 com a sua…

          Segundo o presidente do Clube dos Seguradores da Bahia e executivo da Previsul, Fausto Dórea, o ano de 2016 foi brilhante com resultados positivos que superaram as expectativas." Com certeza o Celebraseg será uma grande festa, onde as entidades do setor poderão comemorar juntas seus resultados ", finaliza.

          O Celebraseg é aguardado pelos corretores e executivos do mercado durante todo o ano, pois é um momento único, onde as entidades; Sindicato dos Corretores de Seguros da Bahia, o Sindicato das Seguradoras BA/SE/TO, o Clube dos Seguradores da Bahia, o Clube do Seguro de Feira de Santana e o Clube de Seguros de Pessoas da Bahia fortalecem ainda mais seus laços numa grande confraternização. Novos desafios virão em 2017, no entanto com esse time no comando, podemos brindar novas conquistas para o mercado segurador baiano.

           


          saiba mais »

          23/11/2016 - 2º Fórum da Saúde Suplementar é transmitido em tempo real pela internet

          2º Fórum da Saúde Suplementar é transmitido em tempo real pela internet
          Interessados poderão acompanhar remotamente discussões sobre a sustentabilidade do setor e avaliação atual do mercado

          O Fórum da Saúde Suplementar, evento da FenaSaúde, que acontece entre 23 e 24 de novembro, no Rio de Janeiro, tem, entre as novidades dessa segunda edição, a transmissão de todas as palestras e apresentações em tempo real, pela internet.

          Assim, aqueles que não conseguiram se inscrever em uma das 500 vagas disponíveis, poderão acompanhar remotamente as discussões sobre as escolhas da sociedade para garantir a sustentabilidade do setor e os debates sobre o retrato atual do mercado e os caminhos possíveis para o seu desenvolvimento nos próximos anos.

          Realizado em Copacabana, o 2º Fórum da Saúde Suplementar debaterá, ainda, o crescimento da judicialização na saúde, o envelhecimento e a perda de renda da população, a elevação dos custos médicos, entre outros temas impactantes para o setor de saúde privada.

          Confira os horários de transmissão na programação abaixo e clique no botão para ativá-la.


          saiba mais »

          23/11/2016 - Seguro cresce 7,2% no ano, até setembro

          Seguro cresce 7,2% no ano, até setembro
          Apólices de crescimento acentuado ajudam a neutralizar desaceleração de ramo Automóvel

          Mercado avança apesar da crise

          O mercado de seguros supervisionado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) registrou crescimento de 7,2% em sua receita no período de janeiro a setembro deste ano na comparação ao mesmo período de 2015. De acordo com dados compilados pela Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), foram mais de R$ 170 bilhões arrecadados no acumulado do ano.

          "Com este resultado, mantivemos a dinâmica de crescimento vista no segundo trimestre, de 8,7%, sinalizando uma tendência diferente da vista no primeiro trimestre, quando o segmento cresceu 3,6%, desempenho que assustou o mercado que vinha crescendo dois dígitos", afirmou o presidente da CNseg, Marcio Serôa de Araujo Coriolano, ao chamar ainda a atenção para o equilíbrio que se mantém, devido à estabilidade de ramos como massificados, patrimoniais e seguro de Pessoas.

          Ainda que a arrecadação do seguro de Automóvel tenha apresentado desaceleração de 2,8% no período de janeiro a setembro, outros ramos de Seguros Gerais têm tido melhor desempenho, como os patrimoniais, que avançaram 1,1%, com destaque para o seguro Habitacional (10,4% até setembro), e o Residencial (obteve incremento de 8,5% no acumulado do ano, em meio ao espaço potencial de expansão, já que ainda é baixo o número de imóveis protegidos).

          Os seguros contra Riscos Financeiros, como o Seguro-Garantia e de Responsabilidade Civil, apresentaram alta de 9% e 5,5%, respectivamente, com destaque para o D&O, com evolução de 3%.Além destes, o seguro Rural manteve sua estabilidade e apresentou crescimento nominal de 9,5%, no acumulado do ano até setembro. Já o seguro de Pessoas apresentou 12,5% de crescimento nominal, destacando os planos de cobertura individual com 28,2% acima do mesmo período de 2015, e os planos VGBL, que se mantiveram como grande propulsor do crescimento do mercado supervisionado pela Susep, com uma variação nominal na arrecadação de prêmios de 17,8% no acumulado do ano até setembro.

          Diante deste desempenho, Marcio Coriolano reiterou a expectativa para o crescimento do setor em 2016, de 8% a 10% em prêmios emitidos. Ele lembrou que o quarto trimestre tem forte peso no resultado anual do setor, uma vez que as pessoas contratam ou reforçam seus planos de previdência para abater o Imposto de Renda (IR).

          Saúde Suplementar. As provisões técnicas do setor de saúde alcançaram R$ 746 bilhões de janeiro a setembro, montante 19,7% maior em relação ao mesmo intervalo de 2015. O ritmo está bem acima dos prêmios, com crescimento de 7,2% no período, ressaltando um descompasso entre os indicadores. Segundo Coriolano, a diferença das taxas indica uma piora da sinistralidade, mas as seguradoras seguem solventes e conservadoras. As provisões técnicas são os recursos acumulados pelas seguradoras para fazerem frente a eventuais indenizações. "É bem provável que o mercado de seguros feche o ano perto de R$ 1 trilhão em ativos totais caso mantenha a taxa de expansão de cerca de 20% em relação ao montante alcançado em 2015, de R$ 789 bilhões", afirma o presidente da CNseg.

          Projeções. Sobre 2017, o executivo diz que ainda é difícil fazer projeções. É preciso, conforme Coriolano, ter o quarto trimestre materializado. Além disso, pondera, há vários fatores que dependem de um desfecho e que podem influenciar o desempenho do mercado de seguros no próximo ano. Como exemplo, ele cita a ampliação do Seguro-Garantia para obras públicas, a reforma da Previdência Social, a aprovação do Seguro de Vida Universal, que combina coberturas de previdência, e ainda eventos macroeconômicos, como a votação da PEC dos gastos públicos do governo, além da volatilidade gerada com a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos.


          saiba mais »

          23/11/2016 - FenaSaúde publica novo boletim de Saúde Suplementar

          FenaSaúde publica novo boletim de Saúde Suplementar
          Sudeste é responsável pela perda de mais de um milhão de beneficiários de planos de…

          A Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde) lançou, nesta quarta-feira (23), uma nova edição do boletim da Saúde Suplementar ? Indicadores Econômico-financeiros e de Beneficiários, durante o 2º Fórum de Saúde Suplementar, realizado no hotel Sofitel, em Copacabana, no Rio de Janeiro. A deterioração no mercado de trabalho e a queda do rendimento das famílias e empresas afetaram o desempenho do mercado de Saúde Suplementar, especialmente em relação à aquisição de planos coletivos empresariais. Esse tipo de contratação registrou queda 3,2% em 12 meses, passando de 33,2 milhões em setembro de 2015 para 32,1 milhões em setembro de 2016.

          Segundo as grandes regiões, o Sudeste foi responsável pela perda de mais de um milhão de beneficiários, sendo São Paulo responsável diretamente pela extinção de 549 mil vínculos nos planos de assistência médica, seguido do Rio de Janeiro, com 319 mil.

          Houve uma perda de 1,5 milhão de beneficiários de planos de assistência médica, com retração de 3,1%, entre setembro de 2015 e setembro de 2016. Nesse período, foram fechados cerca de 1,6 milhão de postos de trabalho, com declínio de 4,0%, na mesma base de comparação, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

          ?Há uma clara relação entre a dinâmica do mercado de trabalho formal e o desenvolvimento do mercado de Saúde Suplementar. Com a retração das atividades econômicas, houve queda do número de beneficiários. Os planos coletivos empresariais são responsáveis por 66% dos vínculos?, analisa Solange Beatriz Palheiro Mendes, presidente da FenaSaúde.

          Apesar de manter a trajetória de desaceleração em sintonia com a recessão econômica, o segmento de planos de saúde mostra resiliência, já que a redução do número de beneficiários foi bem menor que a queda do emprego e do PIB, nos últimos 12 meses terminados em setembro de 2016. Enquanto os planos de saúde registraram queda de 3,1%, o PIB (Produto Interno Bruto) teve uma retração de 4,6% (dados até junho) e o estoque de empregos, 4%.

          ?A crise e o desemprego geram redução no orçamento do consumidor, mas a saúde tende a ser mais resiliente porque a pessoa abre mão, primeiro, de outros serviços e mantém a assistência privada, até quando for possível. A crise também pesa para o empregador, já que o plano de saúde onera e passa ser um benefício caro?, explica Solange Beatriz.

          A publicação traz, ainda, dados do mercado por faixa etária de beneficiários, regiões demográficas, estrutura do mercado de Saúde Suplementar e indicadores operacionais das empresas do setor, além de informações especificadas das associadas à FenaSaúde.

           


          saiba mais »

          23/11/2016 - 2º Fórum de Saúde Suplementar discute futuro dos planos de saúde

          Participantes foram unânimes em defender reformas urgentes no setor

          O 2º Fórum de Saúde Suplementar, realizado no hotel Sofitel, em Copacabana, no Rio de Janeiro, hoje, dia 23 de novembro, promoveu uma profunda discussão sobre o atual momento do setor e as perspectivas futuras. Com o tema As escolhas necessárias para o futuro, os participantes apresentaram propostas e reflexões de decisões que devem ser feitas por todos para que o setor tenha continuidade.

          Para a presidente da Federação Nacional de Saúde Suplementar, Solange Beatriz Palheiro Mendes, os caminhos e alternativas do setor devem envolver toda a sociedade. ?Estamos em um momento econômico e social que aguça ainda mais a reflexão das escolhas que queremos e o que devemos fazer com as alternativas existentes e os recursos disponíveis. Os custos são crescentes e a capacidade de pagamento de pessoas e empresas é limitada. Se não fizermos as escolhas adequadas agora, poucos conseguirão usufruir deste modelo?, alerta.

          O presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), José Carlos de Souza Abrahão, reitera que os beneficiários, os provedores, as prestadoras e o governo devem se unir para a sobrevivência do sistema. ?Precisamos agir enquanto ainda dá tempo. Temos que ter o compromisso de implementar mudanças e construir uma agenda positiva para a sobrevivência deste setor?, afirma.

          A solução também passa por uma alternativa de união de esforços. Flávio Carneiro Guedes Alcoforado, subsecretario municipal de saúde, lembra que é necessário desenvolver um sistema de saúde com um todo. ?As escolhas devem ser feitas, o sistema deve pensar em conjunto para que haja uma solução única?.

          Márcio Coriolano, presidente CNSeg, afirma que o diagnóstico para as soluções do setor existe, porém há uma dificuldade em avançar nas medidas propostas. ?O sistema é disfuncional, não consegue exercer as funções da forma que foi criado. Temos empecilhos como a universalidade e integralidade de coberturas, além do aumento vertiginosos procedimentos incorporados fazendo com que operadoras de pequeno e médio porte não sobrevivam. Somados a um custo da medicina privada incompatível com a capacidade de pagamento de empresas, indivíduos e famílias. Temos que rever urgentemente a política, o modelo e a forma de financiamento do sistema?, explica.

          A situação econômica atual também foi amplamente discutida durante o 2º Fórum de Saúde Suplementar. Em sua palestra sobre os desafios de curto médio e longo prazos e as perspectivas para o investimento, Octavio de Barros, diretor e economista-chefe do Banco Bradesco, apresentou como o cenário macro da economia brasileira afeta as decisões das famílias. Diante dos mais de 6 milhões de desempregados desde 2016, o economista alerta que o desemprego vem atingindo duramente os jovens e com isso afeta diretamente o setor de saúde suplementar. ?A aprovação das reformas trabalhista e previdenciária e a definição do teto de gastos são fundamentais para recuperar a confiança e a economia do pais?.

          No painel sobre Saúde e Desenvolvimento, Marcos Bosi Ferraz, professor adjunto da disciplina de economia em gestão de saúde do departamento de medicina e escola paulista de medicina UNIFESP, afirma que o desafio do sistema é fazer escolhas coletivas, exigindo a reinterpretação do direito do cidadão e a responsabilização com a saúde. ?Temos o desafio de transformar escolhas individuais, com políticas públicas e que ainda ofereçam o direito de escolha do indivíduo. Há necessidade urgente de definir políticas públicas tanto a saúde suplementar quanto para o setor público para fortalecer o sistema?.

          Representando os contratantes de Plano de Saúde, o presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro, Paulo Sardinha, afirma que é preciso colocar a previdência e saúde em debate para que não se torne um problema sem solução. ?São assuntos e decisões que se não forem discutidos vão entrar em colapso?, alerta.

          O 2º Fórum de Saúde Suplementar continuará a debater outros temas, como o que mudou após as denúncias sobre a má utilização de órteses, próteses e materiais especiais, além da judicialização e as propostas que serão elaboradas pelo setor. As palestras continuam amanhã, dia 24 de novembro.

          Saiba mais em http://www.fenasaude.org.br


          saiba mais »

          23/11/2016 - Instituto de Longevidade Mongeral Aegon lança seus perfis em redes sociais

          O Instituto de Longevidade Mongeral Aegon lançou, neste mês, seus perfis proprietários no Facebook, Instagram…

          ?Um dos principais propósitos do Instituto é fomentar a discussão a respeito das diversas oportunidades e desafios que a longevidade nos traz. Este diálogo permanente com a sociedade é fundamental para que todos entendam a importância deste tema e preparem-se para viver mais. Queremos conversar e conversar muito. Por isso é tão importante termos todos estes canais abertos ao diálogo?, comenta Bruno Varandas, gerente de Marketing do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon.

          Links para acompanhar as redes sociais do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon

          Facebook: https://www.facebook.com/institutomongeralaegon/

          Instagram: https://www.instagram.com/institutomongeralaegon/

          Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCsgHlJowEQpVPb-OtRAe_Xw

          Sobre a Mongeral Aegon ? Presente no Brasil há 181 anos, a Mongeral Aegon tem como objetivo auxiliar as pessoas com as ferramentas necessárias para que elas planejem um futuro financeiro mais tranquilo. A companhia, com mais de 60 unidades em todo o Brasil, ultrapassou a marca de 2,5 milhões de clientes, totalizando mais de R$ 270 bilhões de capital segurado. Em 2009, a empresa se associou ao grupo internacional Aegon, uma das maiores empresas de seguro, previdência e investimentos financeiros do mundo, com sede na Holanda. A diversificação e expansão dos negócios deu origem ao Grupo Mongeral Aegon, que engloba as seguintes empresas: Mongeral Aegon Seguros e Previdência, Mongeral Aegon Fundo de Pensão, Mongeral Aegon Investimentos (MAI), Mongeral Aegon Administração de Benefícios e o recém-criado Instituto de Longevidade Mongeral Aegon. Hoje o grupo possui 1.200 funcionários e 4.000 corretores parceiros. www.mongeralaegon.com.br

           Sobre o Instituto de Longevidade Mongeral Aegon - O Instituto de Longevidade Mongeral Aegon é uma instituição sem fins lucrativos, criada pelo Grupo Mongeral Aegon com a missão de contribuir com ações concretas, especialmente na área do trabalho, de cidades e mobilização social, para colocar a questão da longevidade na agenda de desenvolvimento da sociedade brasileira e propor soluções em torno dos seus impactos sociais e econômicos. A entidade está associada a outros institutos de longevidade no mundo, como o Centro da Transamerica (Aegon EUA) para Estudos de Aposentadoria e o Centro Aegon para Longevidade e Aposentadoria (Holanda). Os três têm apoio do Grupo Aegon, que atua em mais de 20 países. O objetivo é manter sempre latente a reflexão e o debate público, além de inspirar governos e outras organizações a implantar políticas que auxiliem às pessoas a continuarem ativas por mais tempo, sempre atentas ao bem-estar e ao conceito de educação financeira. www.institutomongeralaegon.org


          saiba mais »

          23/11/2016 - SulAmérica realiza premiação da 2ª rodada do PRA Super Campeões no RJ

          A SuAmérica deu início a mais uma fase de premiações do PRA Super Campeões 2016,…

          A diretora da regional Rio de Janeiro e Espírito Santo da SulAmérica, Solange Zaquem, e sua equipe participaram do evento, que reuniu cerca de 230 convidados na Pizzaria Camelo. ?A última rodada do PRA Super Campeões deste ano continua acontecendo e os corretores ainda podem aumentar a pontuação para ganhar prêmios e garantir a vaga na premiação final?, lembra Solange.

          PRA Super Campeões

          Corretores são premiados em evento no Rio de Janeiro

          Neste ano, os grandes vencedores serão contemplados com uma viagem a Roma ou a um luxuoso resort nacional na Bahia. Para alavancar a pontuação, os parceiros da companhia podem comercializar mais de um produto do portfólio da SulAmérica e participar de treinamentos presenciais.

          Mais de 400 prêmios foram distribuídos na primeira rodada da campanha e os eventos de premiação da segunda rodada continuam sendo realizados em diversas regiões do Brasil.

          Sobre a SulAmérica

          A SulAmérica é a maior seguradora independente do Brasil, com uma rede de distribuição de mais de 30 mil corretores independentes. Fundada em 1895, a companhia possui cerca de 5,3 mil funcionários e atua em várias linhas de seguros, como saúde e odontológico, automóveis e outros ramos elementares, vida, além de outros segmentos, como previdência privada, investimentos e capitalização. A SulAmérica tem mais de 7 milhões de clientes, de pessoas físicas a grandes empresas, em todo o país. Em 2015, a companhia registrou receitas totais de R$ 17,4 bilhões.


          saiba mais »

          23/11/2016 - Sudeste é responsável pela perda de mais de um milhão de beneficiários de planos de saúde

          Boletim da FenaSaúde correlaciona queda de beneficiários com deterioração do mercado de trabalho e retração…

          A FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar) lançou, hoje (23), uma nova edição do boletim da Saúde Suplementar ? Indicadores Econômico-financeiros e de Beneficiários, durante o 2º Fórum de Saúde Suplementar, realizado no hotel Sofitel, em Copacabana, no Rio de Janeiro. A deterioração no mercado de trabalho e a queda do rendimento das famílias e empresas afetaram negativamente o desempenho do mercado de saúde suplementar, especialmente em relação à aquisição de planos coletivos empresariais. Esse tipo de contratação registrou queda 3,2% em doze meses, passando de 33,2 milhões em setembro de 2015 para 32,1 milhões em setembro de 2016.

          Segundo as grandes regiões, o Sudeste foi responsável pela perda de mais de um milhão de beneficiários, sendo São Paulo responsável diretamente pela extinção de 549 mil vínculos nos planos de assistência médica, seguido do Rio de Janeiro, com 319 mil.

          Houve uma perda de 1,5 milhão de beneficiários de planos de assistência médica, com retração de 3,1%, entre setembro de 2015 e setembro de 2016. Nesse período foram fechados cerca de 1,6 milhão de postos de trabalho, com declínio de 4,0%, na mesma base de comparação, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

          ?Há uma clara relação entre a dinâmica do mercado de trabalho formal e o desenvolvimento do mercado de saúde suplementar. Com a retração das atividades econômicas, houve a queda do número de beneficiários. Os planos coletivos empresariais são responsáveis por 66% dos vínculos?, analisa Solange Beatriz Palheiro Mendes, presidente da FenaSaúde.

          Apesar de manter a trajetória de desaceleração em sintonia com a recessão econômica, o segmento de planos de saúde mostra resiliência, já que a redução do número de beneficiários foi bem menor que a queda do emprego e do PIB, nos últimos doze meses terminados em setembro de 2016. Enquanto os planos de saúde registraram queda de 3,1%, o PIB (Produto Interno Bruto) teve uma retração de 4,6% (dados até junho) e o estoque de empregos, 4,0%.

          ?A crise e o desemprego geram redução no orçamento do consumidor, mas a saúde tende a ser mais resiliente porque a pessoa abre mão, primeiro, de outros serviços e mantém a assistência privada, até quando for possível. A crise também pesa para o empregador, já que o plano de saúde onera e passa ser um benefício caro?, explica Solange Beatriz.

          A publicação traz, ainda, dados do mercado por faixa etária de beneficiários, regiões demográficas, estrutura do mercado de saúde suplementar e indicadores operacionais das empresas do setor, além de informações especificadas das associadas à FenaSaúde.

          Saiba mais:

          http://www.fenasaude.org.br/fenasaude/publicacoes/boletim-da-saude-suplementar/


          saiba mais »

          23/11/2016 - CIO da Liberty Seguros vence a categoria Women in Tech do Prêmio Computerworld IT Leaders 2016

          Ana Lúcia D?Amaral foi reconhecida na estreia da categoria, dedicada exclusivamente às mulheres da área…

          Ana Lúcia D?Amaral, CIO da Liberty Seguros, foi a vencedora da categoria Women In Tech, do Prêmio Computerworld IT Leaders 2016. A premiação, realizada pela Computerworld, elege os 100 CIOs mais inovadores do Brasil, por meio de pesquisa realizada com mais de 1,4 mil profissionais de empresas de diversos segmentos.

          Este foi o primeiro ano da categoria Women in Tech, dedicada exclusivamente às mulheres, com o objetivo de incentivar a atuação feminina na área de Tecnologia da Informação e reconhecer a sua presença na liderança do setor. A executiva também foi uma das finalistas na categoria de Seguros.

          ?Esse é um reconhecimento que vai muito além do gênero, pois mostra que estamos no caminho certo ao incentivar o protagonismo e ao promover diferentes estilos de liderança, algo que valorizo muito no trabalho com minha equipe?, diz Ana Lúcia D?Amaral, CIO da Liberty Seguros.

          Sobre a Liberty Seguros

          A Liberty Seguros atua no mercado brasileiro desde 1996 e está entre os dez maiores grupos seguradores do país. Com prêmios de R$ 2,7 bilhões e uma carteira com mais de 1,4 milhão de segurados, tem cerca de 1,8 mil funcionários, em 69 pontos de vendas em todo Brasil. Com mais de 13 mil corretores em todo o território nacional, a Liberty Seguros possui um portfólio com mais de 100 soluções de seguros para pessoas físicas, empresas e grandes riscos e está presente em diversos canais de venda. É pioneira em seguros personalizados para funcionários de empresas, o seguro de afinidade (Affinity) e é especialista na venda no canal Concessionária, por meio da marca Indiana Seguros.

           

           


          saiba mais »

          23/11/2016 - Bidon Corretora de Seguros estreia sua participação na 26ª Franchising Fair BH

          Rede de franquias que vem conquistando o país, com apenas cinco meses de atuação, aposta…

          Com o objetivo de promover a marca e conquistar mais franqueados, a Bidon Corretora de Seguros, franquia da área de seguros participa pela primeira vez da Franchising Fair Sudeste (Belo Horizonte). A 26ª edição do evento, que acontece entre os próximos dias 25 e 27 de novembro, no Expo Minas em Belo Horizonte (MG), deve reunir mais de 150 expositores e tem expectativa de 10 mil visitantes, sendo a Bidon Corretora de Seguros, destaque entre as representantes do mercado de seguros e consórcios na ocasião.

          A Bidon Corretora de Seguros surgiu em 2010, em Campo Bom, região metropolitana de Porto Alegre (RS), e entrou para franchising em julho desse ano. Mesmo nova no setor de franquias, a rede já prevê a conquista de 100 franqueados até o final de 2016 e 500, durante os próximos cinco anos. E como a rede pretende fazer isso? Participando de eventos como esse.

          Quando o assunto é franquia, a Franchising Fair é um dos eventos mais conceituados do Brasil. ?Estarão reunidos uma infinidade de empresários, investidores e empreendedores assíduos por novos negócios ? um público selecionado e estimulado abrir seu negócio através de franquia. Nosso objetivo é fortalecer a marca e conquistar investidores tanto da capital Belo Horizonte, como de outras cidades de Minas. Queremos aproveitar o potencial da cidade e apresentar a facilidade de negociação com os candidatos pessoalmente?, conta Henrique Mol, diretor executivo da rede.

          A Bidon já contempla 20 unidades no total, pelos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo, Maranhão, Goiás, Distrito Federal e Bahia. Somente em Minas Gerais são cinco: quatro em Belo Horizonte e uma no interior: ?Nossa expectativa é de fechar, no mínimo, dois negócios durante a Franchising Fair Sudeste e prospectar 50 futuros franqueados?. Ainda, segundo ele, para 2017, a meta é completar a marca de 10 franqueados na capital mineira, complementa.

          ?Minas Gerais possui um grande potencial para o mercado de Seguros, sendo um dos principais mercados do país. Até o final de 2017, nossa intenção é que esse Estado seja o terceiro, no nosso ranking nacional, em números de franquias da rede?, acredita.

          E para conquistar novos franqueados nessa região do país a estratégia é focar em uma das principais características da rede ? o perfil de microfranquias. O modelo do negócio da Bidon Corretora de Seguros é home office, o que exige uma infraestrutura simples e enxuta. ?Além disso, nosso valor de investimento inicial (taxa de franquia + capital de giro) é acessível - pouco mais de R$10mil ? e a rede oferece lucro líquido mensal de mais de R$7 mil e prazo de retorno médio de 12 meses?, complementa Henrique.

          Os franqueados da Bidon trabalham fundamentalmente com seguros nas áreas de: acidentes pessoais, empresarial, condomínios, responsabilidade civil, risco de engenharia, imobiliário, caminhão, motos, frotas de veículos, e o carro-chefe ? seguros de automóveis. Mas, também oferece consórcios, previdência privada, finança locatícia, planos odontológicos e de saúde, e seguros de vida (individual e coletivo), residencial e de viagem.

          ?Seguros é realmente um mercado muito em alta por todo o Brasil. Para se ter uma ideia, em 2016, a projeção da CNseg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização) é de que o mercado de seguros arrecade mais de 400 bilhões de reais e cresça 10,3%, em comparação com 2015?, finaliza o investidor.

          26ª FRANCHISING FAIR SUDESTE

          Quando: 25 a 27 de Novembro de 2016

          Onde: Expo Minas ? Av. Amazonas, 6200, Belo Horizonte (MG)

          Que horas: Sexta e Sábado, das 14 às 21h, e domingo, das 14 às 19h

          www.feiradefranquias.com.br

          BIDON CORRETORA DE SEGUROS

          A Bidon Corretora de Seguros surgiu em 2010, em Campo Bom, região metropolitana de Porto Alegre (RS), e entrou para o mercado de franchising em Agosto de 2016. Ou seja, é novidade no mercado de franchising, mas com forte atuação e experiência no mercado de seguros. A marca já possui 20 franqueados, pelo sistema home office (modelo de negócio da franquia), e atua comercializando seguros nas áreas de: acidentes pessoais, empresarial, condomínios, responsabilidade civil, risco de engenharia, imobiliário, caminhão, motos, frotas de veículos, e o carro-chefe ? seguros de automóveis. Além disso, a Bidon oferece carta verde, consórcios, previdência privada, fiança locatícia, planos odontológicos e de saúde, e seguros de vida (individual e coletivo), residencial e de viagem. E o investimento inicial da Bidon Corretora de Seguros ? aproximadamente R$10 mil ? é outro grande atrativo da rede.

          www.bidon.com.br


          saiba mais »

          23/11/2016 - Contribuições a planos de previdência privada aberta somam R$ 26,07 bilhões no 3º trimestre

          Captação líquida apresentou um saldo positivo de R$ 13,28 bilhões no acumulado dos três meses,…

          Os aportes a planos abertos de caráter previdenciário (que incluem os PGBLs e os VGBLs) somaram R$ 26,07 bilhões no terceiro trimestre de 2016, apresentando uma evolução de 24,02% frente ao mesmo período do ano anterior, quando as contribuições somaram R$ 21,02 bilhões, de acordo com dados do balanço da FenaPrevi, entidade que representa 67 seguradoras e entidades abertas de previdência complementar no país.

          Este foi o melhor trimestre de 2016. No primeiro, o crescimento foi ordem de 5,75% frente a igual período do ano anterior. No segundo, a expansão foi 18,54%. ?Estamos assistimos a uma recuperação no volume de novos depósitos para acumulação de recursos de longo prazo com foco na aposentadoria?, diz Edson Franco, presidente da entidade.

          A captação líquida (diferença entre depósitos e resgates) apresentou um saldo positivo de R$ 13,28 bilhões, resultado 46,26% superior aos R$ 9,08 bilhões registrados entre julho e setembro de 2015.

          Os planos individuais foram os que mais receberam recursos no terceiro trimestre. No total, foram investidos R$ 22,80 bilhões. Do volume de contribuições aos planos individuais, R$ 467,95 milhões foram investidos em planos para menores. Já os recursos destinados a planos empresariais somaram R$ 3,27 bilhões em contribuições.

          Na análise por modalidade de plano, o VGBL (indicado para quem não tem como se beneficiar da dedutibilidade fiscal prevista no formulário completo de I.R.P.F.), recebeu contribuições de R$ 23,94 bilhões no mês. O PGBL (modalidade de plano indicada para quem tem como se beneficiar da dedutibilidade prevista no formulário completo de I.R.P.F.) registrou R$ 1,92 bilhões. Os planos tradicionais de acumulação registraram R$ 212,71 milhões.

          Resultado Mensal ? Setembro

          Já na análise mensal, o total de aporte totalizou R$ 7,43 bilhões, apresentando uma evolução de 13,96% frente ao mesmo mês do ano anterior, quando as contribuições somaram R$ 6,52 bilhões. A captação líquida obteve saldo positivo de R$ 3,51 bilhões, valor 46,86% superior na comparação com a captação líquida de R$ 2,39 bilhões registrada em setembro de 2015.

          Os planos individuais foram os que mais receberam recursos em setembro. No total, foram investidos R$ 6,44 bilhões. Do volume de contribuições aos planos individuais, R$ 151,44 milhões foram investidos em planos para menores. Já os recursos destinados a planos empresariais somaram R$ 989,46 milhões em contribuições.

          De acordo com o balanço da FenaPrevi, o VGBL recebeu contribuições de R$ 6,73 bilhões no mês. Já o PGBL registrou R$ 631,50 milhões. Os planos tradicionais de acumulação registraram R$ 68,17 milhões.

          Segundo dados do balanço da FenaPrevi, o sistema registrou 82.983 pessoas usufruindo benefícios (aposentadorias, pecúlios, pensões, renda para menores e renda por invalidez) pagos por planos abertos de caráter previdenciário em setembro de 2016. No mesmo mês, foram contabilizadas 12.603.254 pessoas com planos contratados. Do total, 9.483.768 são pessoas com planos individuais e 3.119.486 pessoas com planos empresariais.
          Resultado Acumulado - Janeiro a Setembro

          Nos primeiros nove meses do ano, os aportes acumularam R$ 78,04 bilhões, apresentando uma evolução de 16,4% frente ao mesmo período do ano passado, quando as contribuições somaram R$ 67,06 bilhões. A captação líquida apresentou um saldo positivo de R$ 38,87 bilhões, representando crescimento de 18,4% em comparação à captação líquida de R$ 32,83 bilhões registrada de janeiro a setembro de 2015.

          Os planos individuais foram os que mais receberam recursos no período. No total, foram investidos R$ 68,04 bilhões. Do volume de contribuições aos planos individuais, R$ 1,43 bilhão foi investido em planos para menores. Os recursos destinados a planos empresariais, por sua vez, totalizaram R$ 10,00 bilhões em contribuições de janeiro a setembro de 2016.

          O VGBL, por sua vez, recebeu contribuições de R$ 71,72 bilhões no período. O PGBL registrou R$ 5,69 bilhões. Já os planos tradicionais de acumulação registraram R$ 627,05 milhões.

          O Tratamento Fiscal

          A opção por planos de caráter previdenciário deve considerar e priorizar uma visão de longo prazo, dada a tributação diferenciada para o poupador. No PGBL, modalidade de plano indicada para quem declara o Imposto de Renda (IR) pelo formulário completo, o poupador pode deduzir anualmente da base de cálculo do tributo, o valor total das contribuições efetuadas a planos de previdência complementar, durante o exercício social, até o limite de 12% da sua renda bruta, reduzindo o imposto a pagar ou, até mesmo, podendo ter direito à restituição.

          É o chamado diferimento fiscal, ou seja, o pagamento do IR devido sobre esses recursos, acrescidos dos rendimentos auferidos, é realizado apenas no momento do resgate total ou parcial, ou do recebimento do benefício.
          Para usufruir da dedução, o participante da previdência complementar aberta tem de estar contribuindo para a previdência oficial, inclusive no caso do titular, com mais de 16 anos, ser dependente de quem faz a declaração.

          Já no VGBL, modalidade de plano indicada para quem declara o Imposto de Renda pelo formulário simplificado, para quem se encontra na faixa de isenção do IR, ou para quem já atingiu o limite de dedução previsto para a previdência complementar (12% da renda bruta), não é possível deduzir da base de cálculo do IR os valores dos aportes realizados ao plano. No entanto, no momento do resgate ou do recebimento do benefício, o IR incide apenas sobre o valor dos rendimentos auferidos, e não sobre o valor total do resgate ou do benefício recebido, como ocorre no PGBL.

          De acordo com o presidente da FenaPrevi, é importante destacar que, para ambas as modalidades de planos (PGBL e VGBL), não há cobrança do imposto de renda a cada seis meses, sobre os rendimentos obtidos, como ocorre em alguns tipos de aplicações.

          Outra característica do PGBL e do VGBL é a possibilidade do poupador optar pelo regime de alíquotas progressivas ou de alíquotas regressivas do imposto de renda, significando, neste último caso, que, quanto mais tempo os recursos permanecerem aplicados, menor será a alíquota do Imposto de Renda incidente.


          saiba mais »

          23/11/2016 - Primeira parcela do 13º Salário deve ser pago até o fim deste mês - tire as principais dúvidas sobre o tema

          Os empregadores de todo país tem até o próximo 30 de novembro, para pagar a…

          O 13º salário é uma obrigação para todos empregadores que possuem empregados CLT, e o seu não pagamento ou atraso é considerado uma infração, podendo resultar em pesadas multas se for autuado por um fiscal do trabalho.

          "Para se ter ideia, o valor é de 160 UFIRs (R$ 170,25) por empregado, e esse é dobrado em caso de reincidência. Lembrando que é uma multa administrativa em favor do Ministério do Trabalho e que, além dessa, terá que efetuar o pagamento e dependendo da convenção coletiva da categoria, pode ocorrer a correção do valor pago em atraso ao empregado", alerta o consultor trabalhista da Confirp Contabilidade, Fabiano Giusti.

          A Confirp elaborou matéria que elimina algumas dúvidas sobre tema:

          Como é feito o cálculo?

          O 13º é devido por mês trabalhado, ou fração do mês igual ou superior a 15 dias. Desta maneira, se o empregado trabalhou, por exemplo, de 1º de janeiro à 14 de março, terá direito a 2/12 (dois doze avos) de 13º proporcional, pelo fato da fração do mês de março não ter sido igual ou superior a 15 dias. Desta forma, o cálculo é feito mês a mês, observando sempre a fração igual ou superior a 15 dias.

          "As médias dos demais rendimentos como hora extra e comissões adicionais são também somadas ao valor do salário usado como base para o cálculo do décimo terceiro. Trabalhadores que só recebem comissão devem calcular o valor baseando-se na média aritmética das comissões recebidas durante o ano ou conforme Convenção Coletiva da categoria, seguindo sempre o que for considerado mais benéfico", acrescenta o consultor da Confirp.

          Existem descontos?

          Como em um salário normal, também ocorrem uma série de descontos no décimo terceiro do trabalhador, porém somente na 2ª parcela. Esses descontos são Imposto de Renda (IR), a contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Pensões Alimentícias, quando mensurado nos ofícios, e as famosas contribuições associativas previstas em algumas convenções coletivas.

          No que tange a impostos, no intuito de fracionar o pagamento aos empresários, diferente dos descontos, o FGTS é pago nas duas parcelas, juntamente com a remuneração salarial do mês do pagamento, seus percentuais variam: 8% para empregados celetistas e domésticos quando aplicável e 2% no caso de menor aprendiz.

          E em caso de demissões?

          Ponto importante é que é que o valor deverá ser pago na rescisão de contrato em casos de demissão sem justa causa, pedido de dispensa, fim de contrato por tempo determinado (inclusive os contratos sazonais, por safra) e aposentadoria, e o valor deverá ser proporcional aos meses em serviço. Já quando ocorre a demissão com justa causa, o trabalhador perde esse benefício e caso já tenha sido paga a primeira parcela, como o mesmo perdeu o direito ao recebimento, o valor efetivamente adiantado deverá ser abatido do saldo de salário ou demais verbas rescisórias.

          "Caso a data máxima de pagamento do décimo terceiro caia em um domingo ou feriado, o empregador deve antecipar o pagamento para o último dia útil anterior. O pagamento da gratificação em uma única parcela, como feito por muitos empregadores, normalmente em dezembro, é ilegal, estando o empregador sujeito a multa", alerta Fabiano Giusti.

           


          saiba mais »

          23/11/2016 - Em Goiânia, inscrições para exame de habilitação de corretores seguem até esta sexta, 25

          Interessados em entrar no mercado segurador para atuar como corretor de seguros devem ficar atentos:…

          Apesar do momento de crise econômica, o mercado de seguros tem sustentado crescimento acima de outros setores. Segundo especialistas, essa expansão deve continuar nos próximos anos.

          O candidato poderá ser avaliado nas áreas de Capitalização, Vida e Previdência, Todos os Ramos e Demais Ramos. O investimento varia entre R$ 330 e R$ 1.260 de acordo com a opção selecionada. Os pré-requisitos são ensino médio completo e maioridade.

          Os próximos Exames serão aplicados entre os dias 16 e 19 de janeiro de 2017. As inscrições devem ser feitas pelo site www.funenseg.org.br.

           


          saiba mais »

          23/11/2016 - Revista do SINCOR-GO é finalista do Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros; corretores que votarem até esta quarta, 23, concorrem a um iPhone

          A agência AMPLI Comunicação, responsável pela Assessoria de Comunicação do SINCOR Goiás, é finalista no…

          Os corretores que votarem concorrerão a um iPhone 6S. A votação segue aberta até esta quarta-feira, 23 de novembro. Para votar na reportagem veiculada na Revista Sincor basta inserir o CPF cadastrado na base de dados da Fenacor e escolher o trabalho ESPECIAL 30 ANOS DO SINCOR-GO.

          Nessa categoria, são avaliadas reportagens que tenham como foco exclusivo a atuação dos corretores de seguros, como principal canal de distribuição de seguros no Brasil, e no reconhecimento da importância destes profissionais como consultores especializados, que agregam valor ao produto final.

          Há dez anos no mercado, a AMPLI Comunicação é uma agência especializada no atendimento a entidades classistas e instituições, em especial no setor de seguros e no meio jurídico. A Revista Sincor é apenas um dos produtos sob a responsabilidade da AMPLI Comunicação. No atendimento à entidade, a agência disponibiliza um leque de serviços e soluções em Comunicação, como assessoria de imprensa; produção de conteúdos editoriais e curadoria de redes sociais.

           


          saiba mais »

          23/11/2016 - Prazo encerra nesta sexta feira dia 25/11/2016

          Comunicamos ao mercado de seguros do Amazonas e Roraima que estamos encerrando o processo de…

          Os indicados serão conhecidos e premiados durante o evento consagrado ?Troféu Vitória Régia? que faz parte do cerimonial da grande festa de ?Confraternização do Mercado de Seguros? e este ano realizaremos a décima primeira edição. O evento ocorrerá no dia 16 de dezembro no Party House Festas e Convenções, às 20:00.

           


          saiba mais »

          23/11/2016 - Sindseg - PR/MS realiza curso técnico de regulação de seguros agrícolas 

          Atendendo demanda de seguradoras que já atuam no seguro agrícola e outras que pretendem atuar,…

          As especificidades dos seguros para equipamentos agrícolas foram detalhadas na manhã desta quarta-feira (23) no auditório do Sindseg - PR/MS, durante o "Curso técnico de regulação de seguros agrícolas", ministrado pelo especialista Marcos Rodrigues para funcionários da área de sinistros das seguradoras associadas ao sindicato.

          Na abertura do evento o diretor executivo do Sindseg - PR/MS, Ramiro Dias, explicou que "o curso faz parte da política do Sindseg - PR/MS de promover o aperfeiçoamento do mercado por meio de cursos, palestras e treinamentos sobre temas técnicos de interesse das seguradoras".

          O curso foi uma iniciativa da Comissão Interna de Seguros Gerais do Sindseg - PR/MS, coordenada por Rogério Lobo Borba. Segundo ele, é um tema que desperta interesse tanto das seguradoras que já atuam no seguro de equipamentos agrícolas, como das que pretendem atuar.

          "Há bastante carência de mão de obra nessa área. Os equipamentos agrícolas, grandes colheitadeiras, tratores e pulverizadoras, são equipamentos muito caros, complexos e de uso intenso, que demandam seguro. O curso mostrou muito bem os riscos envolvidos na operação de cada equipamento, sinistros mais comuns e situações que podem caracterizar agravamento de risco".

          O responsável pelo treinamento, Marcos Rodrigues, é proprietário da empresa Auto Express que presta serviço para as seguradoras como reguladora de sinistros, ou seja, faz a avaliação de sinistros nessa área, orçamentos e orientação para o melhor custo/benefício na reparação do equipamento avariado.

           


          saiba mais »

          23/11/2016 - Transmissão da reunião da Diretoria Colegiada

          456ª edição será nesta quarta-feira (23/11)

          Assista ao vivo a 456º reunião da Diretoria Colegiada (DICOL) da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) que acontece nesta quarta-feira (23/11). A transmissão começa a partir das 13h,no no canal da ANS no YouTube

           


          saiba mais »

          23/11/2016 - Sincor-Pr Presta Homenagem À Susep, Que Completou 50 Anos

          A Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) completou 50 anos nesta segunda-feira (21), data de sua…

          O presidente José Antonio de Castro, e o vice-presidente e presidente da Escola Nacional de Seguros, Robert Bittar, estiveram presentes à solenidade, no Rio de Janeiro, e prestaram homenagem do SINCOR-PR à entidade, entregando uma placa pela passagem do aniversário nas mãos do superintendente, Joaquim Mendanha.

          Do Paraná também estiveram presentes o presidente do SINDSEG-PR/MS, João Gilberto Possiede, e o presidente da Centauro-ON, Ricardo Iglesias.

          Segundo Castro, a SUSEP teve e tem um papel fundamental em decisões que promovem o desenvolvimento do mercado de seguros e a garantia da qualidade no atendimento aos consumidores.

          Também em homenagem aos 50 anos da superintendência, os Correios lançaram, durante a cerimônia, um selo personalizado.

          Mendanha destaca que o setor de seguros deve ser um dos protagonistas na linha de frente da retomada do desenvolvimento econômico do país. "Asseguro a todos que a SUSEP cumprirá o seu compromisso de dialogar de forma proativa com o mercado, com uma agenda positiva, e trabalhar com afinco para disseminar as boas práticas e a oferta de produtos e serviços que atendam plenamente aos consumidores", disse.

          A solenidade de comemoração também prestou homenagem aos que se aposentaram neste ano. Os ex-superintendentes também foram homenageados e subiram ao palco na ordem cronológica decrescente: Roberto Westenberger, Paulo dos Santos, Armando Vergílio dos Santos, Renê de Oliveira, Hélio Castro, Márcio Coriolano, Luiz Felipe Martins. E em memória, estiveram presentes os parentes dos seguintes ex-superintendentes: Carlos Casado, João Regis Santos e Raul de Souza Silveira.


          saiba mais »

          24/11/2016 - Robert Bittar participou das comemorações pelos 50 anos da Susep

          O presidente da Escola Nacional de Seguros, Robert Bittar, entrega placa ao superintendente da Susep, Joaquim Mendanha, em homenagem aos 50 anos da autarquia.
          Em cerimônia realizada na tarde da última segunda-feira, 21 de novembro, na sede do Banco…

          O presidente da Escola Nacional de Seguros, Robert Bittar, participou da mesa solene, composta ainda pelo superintendente da Susep, Joaquim Mendanha, pela superintendente de Administração do Ministério da Fazenda, Maria Angela Carnaval (representante do Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles), pelo deputado federal Lucas Vergilio, e pelos presidentes Armando Vergilio (Fenacor) e Marcio Coriolano (CNseg).

          Em seu pronunciamento, Robert Bittar lembrou que a Susep foi uma das instituidoras da Escola Nacional de Seguros e destacou a harmonia entre as duas entidades. "Sempre tivemos uma relação sinérgica de colaboração e, assim, contribuímos para o crescimento e a profissionalização do mercado. Há grande admiração mútua e faço questão de registrar o respeito que temos pelos servidores desta Casa, do presente e do passado, verdadeiros construtores dessa história cinquentenária de zelo pelo setor?, declarou.

          Em seguida, Bittar entregou ao superintendente Joaquim Mendanha placa alusiva ao cinquentenário. ?Em nome de todos os dirigentes e colaboradores da Escola, desejo que a autarquia continue promovendo o desenvolvimento do mercado brasileiro de seguros?.

          Tarde de homenagens

          O momento mais solene foi o lançamento de selo comemorativo dos Correios pelos 50 anos da autarquia. A primeira obliteração coube ao superintendente Joaquim Mendanha e seu colegiado. Maria Angela Carnaval e Maria Helena Nascimento Vianna de Souza, esta última a servidora mais antiga em exercício da Susep, fizeram a segunda e terceira obliterações, respectivamente.

          Como parte das comemorações pelo aniversário foram homenageados servidores aposentados e ex-superintendentes, entre eles Carlos Plínio de Castro Casado (em memória), representado por sua filha, Paola Casado, superintendente Administrativo-Financeira da Escola Nacional de Seguros.

          O evento também foi marcado pelo lançamento dos guias e cartilhas de orientação ao consumidor de seguros, previdência complementar aberta e capitalização, e pela premiação do concurso cultural ?Minha Vida Mais Segura?, promovido pela Susep e CNseg.

          Pela Escola, estiveram presentes ainda os diretores Claudio Contador (Centro de Pesquisa e Economia do Seguro ? CPES) e Maria Helena Monteiro (Ensino Técnico), e a superintendente de Comunicação e Marketing, Carla Pieroni.

          A cerimônia também foi prestigiada pelos presidentes Tarcísio de Godoy (IRB Brasil RE), Paulo Botti (Associação Nacional das Resseguradoras Locais) e Gumercindo Rocha (Ibracor), por presidentes de diversos Sincors, por representantes de seguradoras, de resseguradoras e por jornalistas do setor.


          saiba mais »

          24/11/2016 - TOKIO MARINE oferece descontos de até 20% durante a Black Friday 2016

          Marcelo Goldman - Diretor Executivo de Produtos Massificados
          Promoção é válida para produtos das carteiras de Automóvel e Empresariais

          Aproveitando a tradicional Black Friday, que garante ao consumidor vantagens na compra de produtos e serviços, a Tokio Marine, uma das maiores seguradoras do Brasil, oferecerá descontos de até 20% na contratação de todos os seguros que não sejam renovação da própria Companhia.

          Os preços especiais serão válidos durante o dia 25 de novembro, em todo território nacional, e se aplicam aos produtos das carteiras de Automóvel e algumas atividades do Tokio Marine Empresarial Médias Empresas. ?Participamos da Black Friday pela primeira vez no ano passado e os excelentes resultados que obtivemos com os produtos Auto e Vida PME em Grupo nos motivaram a ampliar o leque de opções e incluir itens da Carteira Empresarial na ação. Estamos com uma expectativa bastante positiva quanto ao sucesso da iniciativa já que o Empresarial Médias Empresas é um dos seguros com maior demanda em nosso portfólio?, analisa Felipe Smith, Diretor Executivo de Produtos Pessoa Jurídica.

          ?No ano passado, tivemos uma elevação de 30% nas vendas de seguros novos e renovações de outras companhias na carteira de Automóvel no dia da Black Friday, e foi esse sucesso que nos impulsionou a inserir quatro produtos nessa promoção, como o Caminhão, com 4 modelos participantes e o Utilitário Carga, com outros 4 modelos, além do novíssimo Auto Roubo + Rastreador. Outra novidade é que aumentamos em 50% o número de veículos do produto de Passeio participantes este ano, atingindo a marca de 30 modelos.?, diz Marcelo Goldman, Diretor Executivo de Produtos Massificados.

          O regulamento completo e todos os produtos participantes podem ser conferidos pelos corretores diretamente no Portal Nosso Corretor.

          Portal Nosso Corretor

          Os corretores que trabalham com as linhas de seguro auto e empresarial podem ter acesso às ofertas pelo Portal Nosso Corretor (PNC). O desconto aplicado no seguro de automóvel será feito pela funcionalidade ?Super Oferta?, mecanismo de incentivo a vendas do Cotador Tokio Auto (CTA), que permite realizar o abatimento do valor na cotação em tempo real.  Já no plano Empresarial, o desconto será aplicado diretamente no cálculo de preço do produto.  O CTA está disponível no PNC e pode ser acessado também em smartphones e tablets.

          Sobre a Tokio Marine Seguradora

          A Tokio Marine Seguradora S.A. é uma das maiores seguradoras do Brasil e do mundo. É subsidiária da Tokio Marine Holdings, o mais antigo conglomerado securitário japonês. Fundada em 1879, possui operações em 38 países e tem sua matriz mundial localizada em Tóquio, no Japão. No Brasil desde 1959, a Tokio Marine Seguradora coloca à disposição do mercado brasileiro um amplo leque de soluções para Clientes Pessoa Física e Jurídica, por meio de uma estrutura com 72 unidades de negócios, incluindo sucursais e escritórios em todo o País. O portfólio de Produtos Massificados contempla os seguros de Automóvel, Frotas, Residencial, Condomínio e Equipamentos, além dos seguros de Vida, Acidentes Pessoais e Prestamista para Empresas. Já a carteira de Produtos Corporativos inclui Seguros para Pequenas, Médias e Grandes Empresas, Transportes, Riscos de Engenharia, Riscos Nomeados e Operacionais, Riscos de Petróleo, Garantia, Responsabilidade Civil, Equipamentos, Náutico e Aeronáutico. Em 2016, foi eleita na 8ª posição como uma das Melhores Empresas para Trabalhar, de acordo com pesquisa conduzida pelo Great Place to Work® Brasil. Para mais informações, acesse: www.tokiomarine.com.br

          • tokio marine


            saiba mais »

            24/11/2016 - 2º Fórum de Saúde Suplementar mostra na prática soluções com resultados positivos para uma mudança no sistema

            2º Fórum de Saúde Suplementar mostra na prática soluções com  resultados positivos para uma mudança no sistema
            Formas de pagamento diferenciadas e atendimento focado no paciente foram algumas experiências apresentadas por especialistas…

            Após uma série de palestras apresentando um cenário bastante preocupante e necessidades de mudanças para a sobrevivência do setor de Saúde Suplementar, especialistas e representantes do segmento apresentaram experiências e cases com resultados positivos sugerindo mudanças no mercado. A grande solução nas diversas áreas da cadeia da Saúde Suplementar está no acesso amplo à informação.

            O 2º Fórum de Saúde Suplementar, realizado no hotel Sofitel, em Copacabana, no Rio de Janeiro, que termina hoje (24/11), convidou representantes de diversas áreas da Saúde Suplementar para apresentar soluções, visando à recuperação do sistema. Com o tema As escolhas necessárias para o futuro, os participantes mostraram experiências positivas que podem ser exemplos de mudanças do setor.

            No painel sobre como reduzir desperdícios, iniciativas de incentivo a apresentação de resultados melhoram o desempenho final. Renato Camargos Couto, diretor do instituto de acreditação e gestão em saúde IAG Saúde e professor da Universidade Federal de Minas Gerais, expôs estudos que comprovam que é necessário mostrar os resultados do desempenho assistencial, os custos, a satisfação do usuário e os tratamentos disponíveis com informação de qualidade, independente, acessível e compreensível. ?Temos que apresentar os dados sem termos técnicos e médicos. Temos que dar a informação para empoderar o usuário?, afirmou.

            Defendendo que o consumidor esteja no centro do tratamento médico, André Volschan, coordenador de estudos do Hospital Pró-cardíaco, apresentou a campanha choosing wisely (escolher sabiamente), que altera a relação médico-paciente, elegendo o diálogo entre os dois atores do sistema. Nessa campanha, o paciente é o centro da decisão. Para isso, o médico tem que estar disposto a conversar, explicar os tratamentos e os prós e contras das soluções existentes. ?O choosing wisely visa, fundamentalmente, ser mais efetivo na solução do problema e acaba contribuindo para evitar os desperdícios?, explicou.

            Os modelos de pagamento também foram contestados. O fee for service (pagamento por serviço prestado) foi apresentado como um sistema que recompensa o uso excessivo de recursos, não reconhece as variações de resultados assistenciais e nem dá transparência para os resultados.

            Nos cálculos dos prestadores de serviços, 30% dos recursos da saúde são consumidos pelo desperdício. Para Ary Ribeiro Superintendente do Hospital do Coração (Hcor), é necessário liberar recursos saudáveis para o sistema poder funcionar. ?Através da transparência iremos induzir a melhoria na qualidade do serviço. Se melhorarmos a entrega para o paciente, temos que informar. A publicação de dados, melhora o resultado de quem presta serviço porque gera o orgulho profissional e uma competição saudável?, afirmou.

            Para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a questão da informação é um do papéis indutores de mudança para o setor. ?O uso da informação se faz necessário. A ANS ainda está no estágio de dados administrativos. Precisamos ampliar a qualidade. A Agência tem trabalhado na padronização, unificação e, ao mesmo tempo, disponibilizando essas informações para que o setor possa avaliar?, disse Marizélia Leão Moreira, gerente de padronização e interoperabilidade da ANS. A meta é divulgar as informações de prontuário no final do primeiro semestre de 2017. Os dados estão sendo padronizados para a construção de base.

            Modelos de cuidados com o paciente no centro do debate foram também apresentados no painel sobre Organização da assistência e da remuneração. Antonio Lira, diretor do Instituto de Responsabilidade Social do Hospital Sírio Libanês, apresentou o programa ?Cuidando de quem cuida? voltado aos colaboradores e familiares do Hospital Sírio Libanês.

            O programa tem como objetivo acompanhar e direcionar o colaborador nos cuidados da saúde dele e da família. ?Utilizamos um sistema de atenção primária, medicina da família e equipe multidisciplinar. Investimos em informatização com prontuário único e engajamos os colaboradores para o autocuidado. Os resultados são surpreendentes. Reduzimos a realização de exames em 43%. Diminuímos os encaminhamentos para o pronto atendimento de 16% para 4%. A maioria destes problemas foram resolvidos no ambulatório. O sucesso nos fez ampliar o programa e propor ações continuadas?, informou Lira.

            O papel da atenção primária e da medicina de família também foi tema apresentado pelo professor da disciplina de clínica geral e propedêutica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Gustavo Diniz Ferreira Gusso. Para ele, o brasileiro tem conceitos equivocados sobre a atenção primária. ?Para muitos, este modelo é definido como um sistema para populações pobres, para paciente crônico, mais focado na prevenção, além de restringir o acesso. Isso é completamente equivocado. A atenção primária visa o acesso correto ao profissional de saúde, de forma coordenada, com objetivo do cuidado abrangente ao longo da vida. O paciente no Brasil é tratado como consumidor tendo direito amplo à liberdade de escolha, mas, na verdade, o paciente precisa de um rumo para ser cuidado?, sugeriu.

            Segundo Sérgio Ricardo Santos, CEO Amil Assistência Medica Internacional, o consumidor precisa estar no centro das atenções. ?O sistema de saúde tem que considerar a linha do cuidado, entender o modelo de remuneração focado em todo o processo e não só em um serviço. O pagamento individualizado só leva a uma competição que não gera valor para o sistema de saúde. O custo de tudo isso deve considerar o paciente como o centro do evento. A mudança tem que partir de todos os envolvidos para a sobrevivência do setor?, explicou.

            Já Josier Vilar, presidente do Conselho de Medicina e Saúde da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio), a falta de confiança do setor é um dos problemas principais a ser resolvido. ?Na prática, o sistema de regulação, o financiamento, a gestão e a governança não funcionam bem. O maior motivo é a falta de confiança da sociedade no setor de saúde. Antes de discutir modelos, temos que desconstruir a relação de desconfiança. Com informação direta e transparente, começaremos a trazer todos para o debate?, afirmou.

            Fechando o debate, Martha Oliveira, diretora de desenvolvimento setorial da ANS, explicou que, para instituir uma estrutura de atenção primária, há a necessidade de organizar o sistema de saúde suplementar. ?Este modelo tem que ser financiado. Hoje o sistema é feito com médicos especializados e atendimento emergencial. É necessário se reorganizar para reverter o financiamento que está na ponta errada. Não podemos continuar com um sistema que privilegia a baixa qualidade e a ineficiência. É necessário que todos conversem para que seja encontrada a solução. A Agência tem que ser a indutora da conversa?, concluiu.

            O 2º Fórum de Saúde Suplementar está sendo transmitido pela internet. No primeiro dia, foram cerca de mil visualizações no site: http://www.fenasaude.org.br

             

             

             

             


            saiba mais »

            24/11/2016 - CSP-MG brinda à superação do mercado

            CSP-MG brinda à superação do mercado
            O ano de 2016 foi marcado por dificuldades e a palavra crise foi repetida milhares…

            Durante a tradicional solenidade, realizada no Automóvel Clube, em Belo Horizonte, as beneméritas presentes foram unânimes em afirmar que fecharam este ano com chave de ouro. De acordo a presidente do Sincor-MG, Maria Filomena Branquinho, o setor registrou um crescimento de 7,2%. O presidente do Sindseg MG/GO/MT/DF, Augusto Matos, ressaltou que os seguros de pessoas continuam representando a principal fatia do mercado.

            ?Por tudo isso, o CSP só tem motivos para comemorar e torcer para que 2017 seja ainda melhor?, pontuou o presidente do clube, João Paulo Moreira de Mello, que abriu o evento cheio de boas perspectivas, agradecendo o apoio das beneméritas.

            Ele lembrou a fundação da entidade, quando contava com apenas três beneméritas que confiaram no sucesso do CSP-MG. ?Completamos seis anos e, nesse período, o clube fez o seu papel: promover palestras, cursos e debates. Queremos conversar com o mercado segurador e conquistar o corretor para a disseminação dos seguros de pessoas?, diz ele.

            Depois de fazer uma rápida retrospectiva sobre os eventos promovidos neste ano, João Paulo frisou a campanha desenvolvida para conquistar novas beneméritas e associados. ?Este ano estamos com volume de adesão de novos sócios bem razoável. Convidamos também novas empresas a se tornarem beneméritas que, inclusive, estão aqui entre nós para conhecer o clube?.

            Após a saudação de cada uma das instituições beneméritas, foi chamado o primeiro homenageado, Clubcor-MG, instituição dedicada a defender e desenvolver a classe de corretores de seguros desde 1980. O atual presidente, Helder Lara Barbosa, agradeceu e, emocionado, estendeu a homenagem a todos os diretores e presidentes que o antecederam. Chamou para compartilhar dois deles que estavam presentes: Omar Otaviano Dantas Meira e Dr. Roberto Silva Barbosa. ?Que possamos sempre nos orgulhar do nosso clube?, ressaltou.

            Também foi homenageado o diretor executivo da Escola Nacional de Seguros, Renato Martins Campos Filho. Ele saudou o CSP-MG pela iniciativa e apresentou os integrantes da Escola presentes. Embora resida em outro estado, ele se diz bastante à vontade em Minas Gerais. ?Estou feliz com a parceria da Escola com o CSP e daremos as mãos a todas essas iniciativas de desenvolvimento do mercado?, diz, sensibilizado com o troféu que recebeu.

            A última homenageada da manhã ficou bastante emocionada. Angela Leopoldino, coordenadora da Unidade Minas Gerais da Escola Nacional de Seguros, foi surpreendida com a distinção e com a presença da família e frisou: ?Nada disso seria possível sem minha equipe?.

            Professora e pedagoga, Angela é apaixonada pela profissão e tem muito prazer em estar na sala de aula, discutir projetos e conviver com os professores e alunos. ?Agradeço ao CSP, à Simone Maiello e ao Dr. Renato Campos, que me orientam na Escola, e também aos senhores Alberto Oswaldo Continentino de Araújo e Roberto Silva Barbosa, que me ajudaram nesta caminhada profissional?, finalizou.

            Após as homenagens, foi servido o almoço aos convidados. Várias autoridades do mercado prestigiaram a solenidade que contou com presença de 120 pessoas.


            saiba mais »

            24/11/2016 - Agente de cargas com proteção securitária

            Aparecido Mendes Rocha
            A atividade profissional do agente de cargas requer cuidados com a possibilidade de responder civilmente…

            Ao contratar o agente de cargas, raramente os importadores e exportadores sabem para qual empresa de transporte suas cargas serão entregues. De acordo com as leis brasileiras, o agente de cargas possui responsabilidade objetiva (independente de culpa) pela carga que lhe foi confiada para transporte, e é responsável civilmente por serviços da mesma natureza do transportador. A Constituição Federal estabelece que a reparação civil pelos prejuízos ocasionados na prestação de serviços deve ser sempre ampla e pelo valor integral do prejuízo causado.

            Para que o agente de cargas se mantenha competitivo em um ambiente dinâmico, globalizado e com clientes cada vez mais exigentes, como ocorre no comércio internacional, é fundamental obter uma proteção securitária de responsabilidade civil que garante o pagamento ou reembolso das quantias que lhe forem impostas judicialmente em ações indenizatórias promovidas pelos seus próprios clientes e, em especial, ações regressivas de ressarcimento das companhias de seguros, ou por acordo extrajudicial autorizado pela seguradora.

            O seguro tem como cobertura principal a responsabilidade civil pela prestação dos serviços de agenciamento de cargas e, como coberturas adicionais, os riscos de: responsabilidade por perdas ou danos causados às cargas; despesas de salvamento; adiantamento para contribuições de avaria grossa; despesas adicionais de redirecionamento da carga; despesas adicionais de remoção e descarte de cargas danificadas; despesas de quarentena; despesas relacionadas à insolvência do transportador marítimo; responsabilidade civil por danos causados a terceiros; poluição, contaminação e vazamento súbitos; custos de defesa em juízo cível; e responsabilidade civil pelas perdas financeiras causadas aos embarcadores.

            A tendência de responsabilização mostra que, cada vez mais, exportadores e importadores escolhem trabalhar apenas com empresas comprometidas com a segurança e proteção de seus negócios. Assim, o seguro de responsabilidade civil é determinante para a credibilidade dos serviços oferecidos pelos agentes de cargas.

            O seguro de responsabilidade civil do agente de cargas foi desenvolvido pela Lógica Seguros, que com larga experiência internacional na atividade dos freight forwarders, adaptou as condições existentes no exterior às necessidades e normas brasileiras.

            Aparecido Mendes Rocha, especialista em seguros internacionais


            saiba mais »

            24/11/2016 - Chegou o dia da Black Friday: como eu devo atender meu cliente?

            Faltam menos de 12 horas para começar a Black Friday e apesar de esta ser…

            A Nama, empresa pioneira no desenvolvimento de um sistema próprio de Inteligência Artificial (I.A.) para robôs inteligentes de atendimento (smartbots), preparou uma lista com dicas para que as lojas virtuais não descuidem daquele que é a razão final de todos os esforços do e-commerce: o cliente.

            1) Monitore as redes sociais

            É importante deixar alguns funcionários dedicados apenas ao monitoramento de sites como o Reclame Aqui e de usuários mencionando sua marca nas redes sociais. Desde que começou a ser realizado no Brasil, há 7 anos, em todas as edições da Black Friday o enorme volume de vendas vem acompanhado de grande número de reclamações. Nesta época, o Reclame Aqui abre um canal exclusivo para receber os relatos de consumidores insatisfeitos com o serviço prestado. Somente no último ano, foram contabilizadas 165 mil menções à Black Friday brasileira no Facebook e Twitter, 36% delas de conteúdo negativo para alguma marca. Muitas vezes, o que leva esse consumidor a se irritar tanto com a empresa a ponto de querer manchar sua reputação não é simplesmente o fato de a compra não ter acontecido como ele desejava e sim a falta de atendimento ou de uma satisfação rápida e adequada.

            2) Seja omnichannel

            O consumidor está cada vez mais exigente e atento aos diversos canais em que pode chamar a atenção do maior número de pessoas, portanto oferecer um atendimento multicanal não é mais um diferencial que você pode oferecer. Estar presente e atender seu cliente de forma eficiente (e de maneira complementar) em todos os canais é uma obrigação das empresas. Hoje, a tecnologia permite que qualquer empresa ofereça ao público um atendimento omnichannel, uniforme e 24x7, permitindo, por exemplo, que uma conversa seja iniciada via Telegram e depois continue no Facebook, sem nenhum prejuízo de informação.

            3) Personalize o atendimento

            Ninguém mais quer ser tratado de maneira padrão. As informações estão todas disponíveis na web e não há mais desculpa para o big data da sua empresa não levar em conta as preferências do cliente e dados de compras anteriores para fornecer o atendimento mais personalizado possível. Chamá-lo pelo nome, facilitar a busca de produtos através de sugestões adequadas ao seu perfil e agilizar a conversão da compra com dados armazenados podem ser os fatores que distinguem sua empresa das demais. Lembre-se: fidelizar um cliente sempre sai mais barato do que captar um novo.
            4) Motive sua equipe

            Uma boa plataforma de chatbots agilizará os processos de atendimento de uma maneira geral porque fará uma triagem inteligente das demandas e conseguirá resolver boa parte dos problemas ainda em seus estágios iniciais. No entanto, sua equipe tem que estar bem preparada para resolver o restante deles. Nas semanas que antecedem a Black Friday, é imprescindível oferecer treinamento completo para que os funcionários estejam motivados para ouvir com atenção as demandas dos consumidores e atendê-los prontamente.

            5) Invista em tecnologia

            A estimativa da BlackFriday.com.br é que somente no dia 25 de novembro o e-commerce nacional receba mais de 4 milhões de pedidos. Isso significa que será humanamente impossível atender individualmente seus clientes. A solução pode ser contratar uma empresa que ofereça uma plataforma inteligente, que desenvolva um sistema personalizado para as necessidades de cada loja virtual e que automatize ao máximo o processo de atendimento ao público. Manter um chat online durante todo o dia pode ser decisivo para evitar o abandono de uma compra antes de ser concluída.


            saiba mais »

            24/11/2016 - SulAmérica recebe prêmios no XVI Troféu Alvorada

            A SulAmérica, maior seguradora independente do país, foi a vencedora em três categorias da 16ª…

            Reconhecidos pelo trabalho realizado na filial de Brasília da SulAmérica, o gerente Vitor Gomes recebeu o troféu bronze na categoria ?Melhor gerente de filial? e a gestora Nayara Freitas foi premiada com o troféu ouro na categoria ?Melhor gestor de vendas?. A companhia conquistou ainda o troféu de ?Melhor seguradora de condomínio?.

            O evento foi realizado no dia 19 de novembro no Clube ASBAC. A equipe da filial Brasília da SulAmérica participou da premiação representando a seguradora e recebeu os troféus.

            Troféu Alvorada

            Equipe SulAmérica recebe prêmios no XVI Troféu Alvorada

            Cerca de mil pessoas participaram da cerimônia, que reuniu corretores de seguros, seguradoras e autoridades do setor, entre outros convidados. O Troféu Alvorada é realizado anualmente e reconhece os destaques do mercado de seguros por meio de votação direta dos corretores.

            Sobre a SulAmérica

            A SulAmérica é a maior seguradora independente do Brasil, com uma rede de distribuição de mais de 30 mil corretores independentes. Fundada em 1895, a companhia possui cerca de 5,3 mil funcionários e atua em várias linhas de seguros, como saúde e odontológico, automóveis e outros ramos elementares, vida, além de outros segmentos, como previdência privada, investimentos e capitalização. A SulAmérica tem mais de 7 milhões de clientes, de pessoas físicas a grandes empresas, em todo o país. Em 2015, a companhia registrou receitas totais de R$ 17,4 bilhões.


            saiba mais »

            24/11/2016 - SulAmérica participa do 2º Fórum da Saúde Suplementar

            Evento organizado pela FenaSaúde tem o objetivo de discutir as decisões necessárias para viabilizar o…

            A SulAmérica, maior seguradora independente do Brasil, marca presença no 2º Fórum da Saúde Suplementar, que ocorre nos dias 23 e 24 de novembro, no Rio de Janeiro. Organizado pela FenaSaúde, o evento tem como objetivo reunir representantes do sistema de saúde suplementar para discutir os desafios atuais do setor e as escolhas necessárias para garantir um futuro sustentável. O vice-presidente de Saúde e Odonto da SulAmérica, Maurício Lopes, participa, como moderador, do painel ?Informações para Orientar Escolhas e Reduzir Desperdícios?, às 14h45 do dia 23.

            ?Na SulAmérica, entendemos a importância do equilíbrio no uso e na gestão do plano de saúde para a sustentabilidade do setor como um todo. Nossos esforços têm sido constantes no sentido de dialogar com autoridades e participantes do mercado, de modo que possamos construir juntos um sistema mais adequado. Acima de tudo, queremos empoderar o consumidor para que ele também se responsabilize pela gestão da própria saúde. Este evento da FenaSaúde é uma grande oportunidade para debatermos os caminhos possíveis para alcançar tais objetivos?, afirma o executivo.

            A programação do 2º Fórum da Saúde Suplementar inclui palestras e paineis sobre temas como os impactos do cenário macroeconômico no mercado de saúde suplementar, os desafios do envelhecimento populacional, a escalada das despesas assistenciais e, ainda, a criação de Núcleos de Apoio Técnico como alternativa à judicialização da saúde, dentre outros tópicos relevantes.

            O evento contará com a participação do diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar, José Carlos Abrahão, do ministro do Superior Tribunal de Justiça, Paulo de Tarso Vieira Sansevereino, do desembargador do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, Ney Wiedemann Neto, além de contar com a presença do presidente da CNseg, Marcio Coriolano, e da presidente da FenaSaúde, Solange Beatriz Palheiro Mendes, entre outros.

            2º Fórum de Saúde Suplementar

            Dias 23 e 24 de novembro

            Hotel Sofitel (Av. Atlântica, 4.240, Copacabana)

            Transmissão ao vivo pelo site: www.fenasaude.org.br

            Sobre a SulAmérica

            A SulAmérica é a maior seguradora independente do Brasil, com uma rede de distribuição de mais de 30 mil corretores independentes. Fundada em 1895, a companhia possui cerca de 5,3 mil funcionários e atua em várias linhas de seguros, como saúde e odontológico, automóveis e outros ramos elementares, vida, além de outros segmentos, como previdência privada, investimentos e capitalização. A SulAmérica tem mais de 7 milhões de clientes, de pessoas físicas a grandes empresas, em todo o país. Em 2015, a companhia registrou receitas totais de R$ 17,4 bilhões.


            saiba mais »

            24/11/2016 - Aconseg-SP comemora 13 anos

            Diretoria da Aconseg-SP
            Relatório econômico financeiro inédito sobre atividade das assessorias é apresentado durante comemoração

            A Aconseg-SP promoveu ontem, 23 de novembro, um jantar para celebrar seus 13 anos, no Buffet França, em São Paulo. O evento contou com a presença de executivos de seguradoras e representantes de entidades do setor.


            Marcos Colantonio

            Durante o encontro, o presidente da Aconseg-SP, Marcos Colantonio, destacou as principais conquistas da entidade em 2016. ?2016 foi um ano desafiador, mas tivemos importantes realizações, como o aumento do número de assessorias afiliadas e de seguradoras que passaram a trabalhar com elas, o que mostra que as assessorias estão cada vez mais consolidadas no mercado?, comentou.

            O presidente da Aconseg-SP também comentou que durante esse ano a associação focou no investimento em qualificação dos profissionais das áreas comercial e operacional das assessorias.  Já para 2017, uma iniciativa é a contratação de uma empresa especializada em treinamentos na área de seguros. ?Queremos aprimorar o atendimento junto aos corretores das assessorias e, principalmente, estabelecer um padrão de qualidade?, destacou.

            Entre outras conquistas, Marcos Colantonio mencionou a aproximação com as entidades do setor. ?Em 2016, por exemplo, estreitamos o relacionamento com o Sincor-SP, com a finalidade de trabalharmos juntos em alguns projetos?.

            Outro importante projeto da Aconseg-SP em 2016 foi o desenvolvimento do relatório econômico financeiro das atividades das assessorias de seguros, de autoria do economista Francisco Galiza. ?Esse material divulga de maneira transparente o perfil da Aconseg-SP e de suas assessorias associadas perante o mercado segurador?.

            O estudo aponta, entre outras questões, que a produção anual das assessorias é de cerca de R$ 1 bilhão; 70% dos prêmios são provenientes das assessorias da capital; e que as assessorias afiliadas à Aconseg-SP detêm 5% dos prêmios do seguro de automóvel no estado de São Paulo. Junto às seguradoras com as quais elas operam, esta participação chega a 15%.

            Em relação à divisão de prêmios, o relatório aponta que 57% correspondem ao ramo de automóvel, seguido por saúde, 32%, ramos elementares, 9%, e 2% em seguros de pessoas. (Cobertura Editora/Aconseg-SP)

            • aconsegsp


              saiba mais »

              24/11/2016 - Susep amplia diálogo com o mercado

              Susep amplia diálogo com o mercado
              A Superintendência de Seguros Privados (Susep) está reformulando a Comissão Especial dos Mercados de Seguros,…

              ?A nossa intenção ao reformular a Comissão Especial está calcada na importância de se estabelecer um fórum de interlocução com o mercado, visando debater as questões afetas ao setor, criando, com isso, uma agenda positiva para o seu desenvolvimento?, afirma Joaquim Mendanha.

              Farão parte da Comissão Especial o presidente da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg); presidente da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg); presidente da Federação Nacional de Capitalização (Fenacap); presidente da Federação Nacional das Empresas de Resseguro (Fenaber); presidente da Federação Nacional de Previdência Privada (Fenaprevi); presidente da Federação Nacional dos Corretores de Seguros Privados e de Resseguros, de Capitalização, de Previdência Privada, das Empresas Corretoras de Seguros e Resseguros (Fenacor); presidente da Escola Nacional de Seguros (Funenseg).

              A Comissão Especial vai se reunir ordinariamente a cada dois meses ou extraordinariamente por convocação de seu presidente. Poderão ser criadas subcomissões temáticas e grupos de trabalho para tratar de assuntos específicos.


              saiba mais »

              24/11/2016 - Planejamento tributário não é modismo e sim necessidade

              Planejamento tributário não é modismo e sim necessidade
              O tributarista Flávio de Oliveira recomenda às empresas já começarem a escolher o melhor regime…

              O que esperar de 2017 visto que o País está mergulhado em uma profunda debacle econômico? Para as empresas, a fim de amenizar os efeitos da crise, o melhor é aproveitar a proximidade do fim de ano, para escolher o melhor regime de tributação para 2017, uma tarefa que exige elaboração de contas, estudo de mercado, análise das folhas de pagamentos e simulações, uma vez que a adoção do regime errada fará com que o empreendedor pague mais impostos do que deveria. O que agravará ainda mais sua crise pessoal.

              ?E ainda há outro contratempo: depois de escolhido o regime, não é possível fazer mudanças ao longo do ano-calendário?, afirma Flávio de Oliveira, sócio-diretor do escritório Silva & Oliveira Advogados. ?Por esse motivo, é de fundamental importância que se tenha um cenário tributário prévio e muito bem definido, o qual pode ser traçado por meio de um planejamento tributário, que tem como principal função a diminuição do montante de tributos pagos. Ele é o rumo para se evitar a incidência, adiar o ônus tributário e reduzir os encargos fiscais.?

              De acordo com o especialista, um bom planejamento tributário tem início pela boa guarda e apresentação das informações econômico-financeiras. Ele é o melhor mecanismo para as empresas que querem obter a máxima eficácia com o menor custo possível. Além disso, tal estratégia é essencial para garantir bons retornos e incentivar o aproveitamento de benefícios previstos na legislação, como isenções fiscais e compensações de perdas, por exemplo.

              ?Planejamento tributário não é ficção, muito menos modismo. É, sim, uma realidade, e mais do que isso: nos dias atuais, o planejamento tributário pode ser considerado uma necessidade e questão de sobrevivência de uma maneira legal, sem que a empresa precise apelar para a sonegação?, comenta Flávio de Oliveira.

              Decisões presentes e futuras

              Parafraseando o escritor e consultor administrativo Peter Druck (1909-2005), considerado o pai da administração moderna, Flávio de Oliveira lembra que ?o planejamento de longo prazo não lida com decisões futuras, mas com o futuro de decisões presentes?. ?Isso quer dizer que toda vez que temos uma rápida perspectiva do trajeto que estamos seguindo, propendemos a tomar decisões mais fáceis, as quais, no início, podem até trazer bons resultados. Entretanto, com o passar do tempo, podem acarretar problemas.?

              Neste sentido, ele destaca a importância de um planejamento tributário: ele é fundamental para que o estabelecimento cresça, é claro, mas neste estudo há consenso sobre os momentos de crise e as medidas que podem afetar o resultado da corporação a pequeno, médio ou longo prazo. Já está comprovado que é mais plausível as empresas que se planejam, do ponto de vista fiscal, se desenvolverem e alcançarem a estabilidade, do que aquelas que não fazem nenhum tipo de planejamento.


              saiba mais »

              24/11/2016 - Seguradora investe em qualidade para obter sucesso no Sul

              No Rio Grande do Sul, a receita utilizada pela *** para obter bons resultados mesmo…

              Segundo o diretor Regional da companhia, Rubens Oliboni, o momento requer da *** uma dose extra de atenção, especialmente no que diz respeito aos resultados da operação. ?A situação financeira complicada do Rio Grande do Sul traz grandes impactos na vida do cidadão e, por extensão, no dia a dia das empresas. Os altos índices de roubo de veículos ? que nos últimos meses já apontam para uma pequena melhora ? não permitem ao mercado praticar preços mais competitivos, o que obriga o consumidor a desembolsar mais para proteger seus automóveis?, afirma o executivo, em entrevista exclusiva ao CQCS.

              Ele acrescenta que o ramo Auto ainda é o principal segmento de seguros do País. E há muito espaço para melhorias.

              Oliboni lembra que há uma grande frota não segurada e clientes que têm necessidades de proteção do seu patrimônio. Nesse contexto, o seguro auto popular surge como grande oportunidade. ?A nossa expectativa é que no médio prazo possamos ter condições e viabilidade para operacioná-lo?, revela.

              Ele diz ainda que tão importante quanto proteger os veículos de uma família, é proteger o lar que, muitas vezes, foi adquirido com muitos anos de trabalho e dedicação.

              Além dessa necessidade que já existe, o campo de atuação é extremamente amplo dado que poucas residências estão seguradas atualmente (segundo as estatísticas atuais, menos de 15%).
              Isso abre uma janela de oportunidade que o corretor deve aproveitar oferecendo produtos como o ?*** em Casa?, produto muito simples, mas de grande valia para os clientes, especialmente se for considerado o pacote de assistências comercializado junto com as coberturas principais.

              O diretor da *** afirma que, de forma geral, a companhia está em linha com o desempenho do mercado. Assim, como a indústria automotiva vem sofrendo com quedas nas vendas de veículos novos, o que impacta diretamente na venda de seguros para esses riscos, a opção é buscar nos veículos usados uma forma de compensação. ?Além disso, temos procurado aumentar um pouco mais nossa prateleira de produtos, dando mais opções aos nossos corretores e clientes?, acentua.

              Oliboni lista, entre os produtos que tiveram mais destaque, o ?Auto Perfil? e o produto voltado para frotas e caminhões leves e médios. Mas, o principal diferencial neste ano tem sido o expressivo aumento nas vendas do seguro residencial (*** em Casa). Tanto assim que o Rio Grande do Sul já é o segundo mercado que mais comercializa o produto.

              Ele frisa também que o corretor de seguros é fundamental para as estratégias de vendas da companhia, independentemente de que produto estejamos tratando. É esse profissional que leva aos clientes a marca e a solidez da ***.

              Para atender melhor a esse parceiro, a *** está sempre buscando melhorias, tanto na operação como na comercialização, objetivando facilitar o dia a dia dos corretores.

              Além da política de proximidade maior com os corretores, através de sua equipe comercial e de sistemas rápidos e ágeis, a *** procura sempre ouvir esses parceiros e entender suas necessidades. ?São eles que estão ?face to face? com o segurado e, por essa razão, são eles que entendem melhor o que precisamos melhorar e modificar?, argumenta o executivo.

              Por fim, ele observa que o corretor precisa estar constantemente atualizado e atento a todas as novas oportunidades, assumindo papel preponderante de consultor de seguros dos seus clientes, mantendo análise constante das necessidades de cada segurado.

              Na avaliação dele, fazendo isso, os corretores perceberão que existe um grande potencial de negócios não explorados, começando pela carteira já existente que, sabidamente, tem um custo menor que a busca por novos clientes.


              saiba mais »

              24/11/2016 - Planos de saúde: STJ reitera regras contratuais para reajustes por faixa etária

              Decisão do Poder Judiciário põe fim a discordâncias

              O Superior Tribunal de Justiça (STJ) reafirmou, nesta quarta-feira (23), a validade das cláusulas contratuais que preveem reajuste das mensalidades dos planos de saúde individual e familiar em razão da mudança de faixa etária. A decisão dos juízes foi unânime e fixada em recurso repetitivo. Ou seja, a orientação deve ser seguida pelos demais juízes do país. Por conta do julgamento dessa tese, o STJ contabilizava 1.412 processos suspensos em todo o Brasil, cuja a controvérsia girava em torno da validade, ou não, desse tipo de reajuste.

              ?A decisão do Poder Judiciário põe um ponto final no debate sobre a discordância do reajuste dos planos de saúde por faixa etária. O cálculo de reajuste das mensalidades leva em consideração, entre outras questões, o equilíbrio nas despesas assistenciais entre jovens e idosos, o chamado sistema de mutualismo?, afirma Solange Beatriz Palheiro Mendes, presidente da FenaSaúde.

              A tese foi firmada pela 2ª Seção por meio do julgamento do Recurso Especial 1.568.244/RJ, de relatoria do ministro Ricardo Villas Bôas Cueva. A questão reitera que a variação das prestações em razão da idade do usuário deverá estar prevista no contrato de forma clara. Para o ministro, é razoável que os planos de saúde adotem cláusulas de aumento da mensalidade em razão da idade, já que as despesas médicas de pessoas idosas são, geralmente, mais altas. ?É justo que jovens e idosos paguem valores compatíveis com os serviços prestados pelas operadoras?, apontou o relator.

              Durante o 2º Fórum de Saúde Suplementar, organizado pela FenaSaúde, o ministro do Superior Tribunal de Justiça Paulo de Tarso Vieira Sansevereino destacou as regras pactuadas: ?Estão estabelecidos vários critérios para aferir a abusividade ou não do valor do reajuste das mensalidades, como o respeito as regras da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e a exigência da previsão em contrato da elevação do valor?.

              Como funciona ? O funcionamento dos planos de saúde é regido pelo princípio básico do mutualismo, no qual os consumidores mais novos, de menor risco e que estão na vida ativa, pagam um pouco mais do que o custo médio de sua faixa etária, para que os idosos possam manter o plano.

              Para ter uma ideia, levantamento da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), de 2014, apresenta as diferenças percentuais de ?Custo por Exposto? entre jovens e idosos: o idoso custa 7,5 vezes mais no item ?Exames complementares?, 5,7 vezes mais em ?Terapias?, 6,7 vezes mais em ?Outros atendimentos ambulatoriais?, 6,9 vezes mais nas ?Internações?, e 7,7 vezes mais nas ?Demais despesas assistenciais?. O custo médio assistencial de um beneficiário acima de 59 anos é de R$8.036,35, segundo a Unidas (União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde).

              O reajuste por faixa etária foi definido na Resolução Normativa 63/2003 da ANS, que disciplinou, para os contratos celebrados a partir de janeiro de 2004, dez faixas etárias, e algumas limitações na formação do preço. O valor fixado para a 10ª faixa não poderá ser superior a seis vezes o valor da 1ª faixa etária; e a variação acumulada entre a 7ª e a 10ª faixa não poderá ser superior à variação acumulada entre a 1ª e a 7ª faixas. A primeira faixa vai até os 18 anos e a última faixa etária representa todos os indivíduos maiores de 59 anos. 


              saiba mais »

              24/11/2016 - Empresários da Experiência de Sucesso dão dicas de como melhorar o faturamento em tempos de crise

              O casal Leandro Marcondes e Danile Marcondes que trazem palestrantes internacionais renomados para o Brasil…

              Todos sabem que o Brasil está em crise. O que você faz para sair dela? É assim, que o casal de empresários da marca Experiência de Sucesso, Leandro Marcondes e Danile Marcondes, abrem suas palestras mundo afora. Leandro explica que o ser humano tem naturalmente crenças limitadoras sobre diferentes assuntos, principalmente dinheiro. ?Normalmente, as pessoas questionam o problema e não vão atrás da solução. Por isso, somente 1% da população global detém toda riqueza?, explica Marcondes.

              O empresário e sua esposa também tinham vários paradigmas. Mas, foi com os tropeços da vida, que eles aprenderam. Marcondes chegou a trabalhar mais de 22 horas por dia quando era vendedor ambulante de cerveja. O casal teve seus piores momentos em Londres quando perderam muito dinheiro. Porém, após participarem de diversos seminários sobre desenvolvimento pessoal, perceberam que eles mesmos bloqueavam o sucesso. ?A partir daí aprendemos técnicas que reestruturaram nossos pensamentos e crenças sobre dinheiro, sucesso e vida financeira. Nossa vida mudou?, conta.

              O casal percebeu que esses eventos de desenvolvimento pessoal e financeiro aconteciam na Europa, Ásia, África do Sul e América do Norte, mas não tinha no Brasil. Foi neste momento que nasceu a empresa do casal, Experiência de Sucesso, especializada em eventos de alto impacto e cujos palestrantes são alguns dos autores e profissionais internacionais mais bem-sucedidos de suas áreas de atuação.

              Dicas

              Danile conta que qualquer pessoa pode aplicar as técnicas de educação financeira. ?O primeiro passo é entender e administrar o fluxo de caixa. O segundo é ter uma renda extra como começar a fazer alimentos para vender e com o lucro investir em outra coisa. O terceiro é ter um grande motivo, um sonho, pois assim o caminho se torna mais fácil?, explica a empresária.

              Sobre Leandro Marcondes:

              Leandro Marcondes morava em Londres, onde tinha uma companhia especializada em locação de imóveis, quando uma crise no setor em 2012 fez a empresa ir para o buraco. Rapidamente, ele acumulou mais de R$ 300 mil reais em dívidas. Nesse cenário de extrema dificuldade, Leandro conseguiu um empréstimo e usou o dinheiro para fazer o ?Millionaire Mind Intensive?. Lá, conheceu T. Harv Eker, autor do livro ?Segredos da Mente Milionária?, e saiu de lá com um contrato de representação da Success Resources no Brasil, empresa líder de seminários no mundo.

              Danile Marcondes:

              Danile Marcondes é uma mulher conectada com seus sonhos e desejos. É mãe em tempo integral e empresária de alta performance, e concilia as duas atividades por entender que um pouco de bagunça no trabalho ou brinquedos espalhados pela casa é apenas sinal de vida. É com esse espírito com que, junto com o seu sócio e marido Leandro Marcondes, fundou e dirige a Experiência de Sucesso, maior empresa de seminários da América Latina, e que viaja pelo mundo afora, sempre na companhia do marido e dos filhos Theo e Lucca, pois conciliar é possível.

              Sobre a Experiência de Sucesso:

              Junto com sua esposa, Danile Marcondes, Leandro comanda a Experiência de Sucesso, que no primeiro ano de atividade foi a filial que bateu todos os recordes de público e de vendas. Ele já trouxe ao Brasil Belford Jordan, o verdadeiro Lobo de Wall Street, T. Harv Eker e Robert Kiyosaki, autor de ?Pai Rico, Pai Pobre?.

              Em dezembro, a Experiência de Sucesso traz ao país Nick Vujicic, palestrante motivacional que nasceu sem pernas nem braços para palestras em cinco capitais. Nick foi alvo de bullying na infância e tentou suicídio aos 10 anos. Nick é palestrante, autor de best-sellers e dono de um dom único de inspirar multidões para que eles também quebrem recordes e não deixem os seus sonhos para trás.

              Junto com Nick, a Experiência de Sucesso criou a campanha #SouMaisQueIsso com o objetivo de tirar o foco do bullying e reconectar as pessoas com seus sonhos. A campanha viralizou na internet com a participação de artistas e celebridades, e o lucro das vendas das camisetas será completamente doado a instituições de caridade.


              saiba mais »

              24/11/2016 - VI Encontro de Seguro-Garantia debate alterações na lei de licitações

              Presidente da comissão de Crédito e Garantia da FenSeg apresentou os pontos dos Projetos de…

              As controvérsias sobre a real necessidade de algumas exigências constantes dos editais de licitações de obras públicas, as diversas modalidades de apólices para cobrir os riscos envolvidos nas contratações públicas, e alguns ajustes necessários na nova legislação em aprovação no Congresso Nacional foram temas recorrentes do VI Encontro de Seguro-Garantia, promovido pela FenSeg, em Brasília, em 9 de novembro. Tradicionalmente, o encontro visa à aproximação do mercado segurador com os consumidores das apólices de Garantia, repassando os assuntos que mais despertam dúvidas em revista, como exigências que constam dos editais de obras públicas.

              Durante o evento promovido pela FenSeg, a especialista da Federação, Andreia Moraes, representando o diretor executivo, Julio Cesar Rosa, apresentou a cartilha ?Entenda o Seguro Garantia Judicial?, da série Entenda o Seu Seguro, que já conta com sete publicações. A ocasião reuniu cerca de 70 pessoas participantes - representantes do mercado de seguros, incluindo membros da Comissão de Seguro-Garantia da FenSeg, da Superintendência de Seguros Privados (Susep), da Câmara dos Deputados, do Ministério da Fazenda, da Infraero, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

              No encontro, o presidente da Comissão de Riscos de Crédito e Garantia da FenSeg, Roque Melo, ratificou o interesse do mercado de seguros em ampliar sua presença nos riscos envolvendo obras públicas, entende a necessidade do governo de contar com uma forma de garantia que possibilite a efetiva retomada e a conclusão das obras públicas, mas há salvaguardas que devem ser consideradas nesse avanço das coberturas oferecidas pelas seguradoras, a fim de que o mercado possa operar o produto. ?Também queremos debater alguns pontos primordiais da Lei de Licitação, que precisam de alteração e que já constam em alguns desses Projetos de Lei, principalmente no PL 559, em via de ser votado no Senado Federal?, lembrou Roque, incluindo o teto de participação do seguro, que tende a ficar em 30% do valor da obra e não mais em 100%, conforme chegou a ser debatido. ?No tocante ao percentual o assunto avançou muito e atualmente os textos da maioria dos projetos preveem garantias na ordem de 30%, mas ainda há alterações essenciais a serem feitas, sob pena de o mercado ficar impedido de operar o produto?, advertiu o executivo, para quem é preciso criar, em conjunto com o Governo, um produto que supra a necessidade do Estado, mas que também seja factível de ser operado pelas seguradoras.

              Caso aprovadas as alterações na Lei nº 8.666/93, será possível afastar a necessidade de um novo processo de licitação em caso de interrupção da obra provocada por inadimplência do contratado, bem como evitará a necessidade de aportes adicionais de recursos por parte do Estado.

              De acordo com o PL 559, para as obras públicas de grande vulto (aquelas acima de R$ 100 milhões), será exigida a contratação de Seguro-Garantia no percentual de 30% do valor da licitação. Nesse caso, a chamada cláusula de retomada prevista no seguro, explica Roque Melo, permite que a seguradora, diante de um sinistro, tenha a opção de retomar a obra e conclui-la, ou seja, contratar uma terceira empresa que possa terminar o trabalho, sem nenhum custo adicional para o Estado. Nas obras abaixo de R$100 milhões que, em tese, não são consideradas de grande vulto pelo Governo, poderá haver uma liberalidade por parte do gestor em contar com uma garantia de, no máximo, 20% do valor do contrato, porém, sem a cláusula de retomada.

              A coordenadora da Susep, Paula Suzana Ribeiro Dornelles, destacou que ?o evento promovido pela FenSeg é muito importante, porque nós, como órgão regulador do mercado, sentimos a necessidade de estar mais cientes sobre o que é o Seguro-Garantia. Na Susep, muitas vezes, recebemos reclamações de órgãos contra seguradoras por conta do Seguro-Garantia, e, muitas vezes, vemos que o fiscal ou o gestor do contrato não foi bem-orientado, não soube usar esse produto e tomar as medidas quando o problema começou a acontecer. Esses encontros, então, possibilitam que os órgãos e os gestores conheçam mais o Seguro-Garantia?.

              Representante da Comissão de Seguro-Garantia da FenSeg, João Alfredo Di Girolamo Filho, para quem o seguro é uma das alavancas de crescimento do País, avaliou as caraterísticas deste produto nos Estados Unidos, cuja legislação muda de estado para estado. ?No Alabama, as obras públicas a partir de US$ 50 mil de volume de contrato têm garantia de 50%. Já em Nova York, não há um percentual determinado para as obras abaixo desse valor. Apenas o Wisconsin garante 100% do volume de contrato nos EUA.?, esclareceu Girolamo.

              Ele também apresentou um balanço do avanço de prêmios e da sinistralidade no ramo de Garantia que, segundo ele, de 2010 a 2015, apresentou evolução expressiva em volume de prêmios, com crescimento médio de 20%, no período, o que tem relação com a entrada de novos players no mercado.

              De 2012 para 2013, o crescimento foi de 38,92%, quando houve a reestruturação da Circular nº 233, sucedida pela 457 ? para haver um melhor entendimento do produto por parte do consumidor final, além da inclusão de nova modalidade: o Seguro-Garantia Judicial (demanda reprimida do mercado que teve boa adaptação). ?A boa interlocução com o Governo, uma melhor regulamentação e o entendimento do produto foram os motivos para o crescimento desse mercado?, disse Girolamo. Até setembro deste ano, o mercado fechou em R$1,3 bilhão; em 2015, fechou com R$1,7 bilhão. ?Muito provavelmente, ultrapassaremos R$ 2 bilhões em 2016?, previu.

              Para o mercado, outra razão fundamental para o crescimento foi o apoio do resseguro para a operação de garantias de alto valor, com o maior desenvolvimento do mercado de resseguros no Brasil (40% das ofertas em resseguradoras locais).

              Ele avaliou ainda os efeitos da recessão econômica, o desequilíbrio das contas fiscais, a falta de planejamento a longo prazo e, em consequência, a menor atração de investimentos estrangeiros no País sobre os negócios do Seguro-

              Garantia. Atualmente, existem US$ 49 trilhões de dólares para serem financiados em infraestrutura, mas a execução depende da segurança jurídica e da confiança dos empresários. Desde 2015, o País apresenta desaceleração em infraestrutura: que, no seu melhor momento, chegou a alocar US$ 60 bilhões, em 2011.

              Cobertura adicional trabalhista e previdenciária

              A integrante da Comissão de Seguro-Garantia da FenSeg, Fernanda Felício Pimenta, apresentou o funcionamento, os requisitos, as finalidades e a eficácia da cobertura adicional, e chamou a atenção para um erro inicial recorrente.

              ?Achar que a cobertura adicional trabalhista é uma modalidade específica do Seguro-Garantia é o erro inicial. É simplesmente uma cobertura adicional, vinculada às apólices de performance (que não cobrem riscos trabalhistas e previdenciários).?

              Ela explica que, para evitar tal situação, será necessário que os editais e os contratos administrativos exijam do contratado a cobertura de performance, que vai garantir a execução do contrato, e a cobertura adicional que vai cobrir os riscos trabalhistas e previdenciários?.

              Vigência da apólice

              Normalmente, os editais de licitação solicitam a vigência adicional de dois anos após o fim do prazo do contrato garantido, o que, na verdade, é desnecessário, pois consta na apólice que o prazo para fazer o registro de sinistro é o mesmo prazo prescricional da Constituição, ou seja, de dois anos no caso de rescisão do contrato de trabalho ou prazo quinquenal em relação às regras trabalhistas. ?A expectativa do sinistro (que ocorre no momento em que o segurado é citado de eventual reclamação trabalhista) será convertida em reclamação quando transitado em julgado a ação, com o pagamento dos valores constantes na condenação do segurado?, acrescentou o vice-presidente da

              Comissão de Riscos de Crédito e Garantia da FenSeg, Átila Santos.

              Gestão do Contrato e Sinistros

              Sobre o tema, Hilário Ribeiro Junior, também representando a Comissão de Riscos de Crédito e Garantia da FenSeg, afirma que o principal ponto que o órgão público (segurado) deve fazer em uma apólice é avaliar a expectativa.

              Nesse sentido, explica que ?uma função primordial da administração pública e fazer uma boa gestão do contrato, de modo a garantir seus direitos, comunicando não apenas a expectativa, mas também toda e qualquer alteração contratual tão logo ocorra?.

              Por fim, há um excesso desnecessário nas exigências previstas em alguns. ?Entender os tipos de cobertura que o Seguro-Garantia oferece, ajuda a resguardar os direitos do segurado?, disse a representante da Comissão de Riscos de

              Crédito e Garantia da FenSeg, Carla Acras, ao citar que o desconhecimento do produto é, provavelmente, o principal fator a influenciar o excessivo e desnecessário número de exigências previstas nos editais e que não são passíveis de serem atendidos pelo mercado segurador.


              saiba mais »

              24/11/2016 - CCS-RJ recebe diretora regional da SulAmérica

              O Clube Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ) recebe, para o seu tradicional…

              Serviço |

              Evento: Almoço com Diretora Regional da SulAmérica

              Data: 29 de novembro

              Horário: 12h30

              Local: Restaurante Aspargus - Rua Senador Dantas, 74, 17º andar, Centro.

              Sobre o CCS-RJ |

              Fundado em 1980, o Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro tem como objetivo estimular encontros e debates que contribuam para o desenvolvimento do setor e da categoria. A entidade promove também a articulação estratégica e contínua com os demais participantes do sistema nacional de seguros privados. [http://ccsrj.com.br/]

               

               


              saiba mais »

              24/11/2016 - Preparando a empresa para 2017

              Às vésperas de um novo exercício fiscal, é chegada a hora dos empresários de todo…

              Diante de um ano de incertezas e de uma das cargas tributárias mais altas do mundo, o planejamento tributário assume papel ainda mais importante para as empresas brasileiras, tendo em vista que se constitui em uma ferramenta que viabiliza a redução de tributos, dentro das alternativas legais. 2016 foi um ano de grandes desafios, como recessão, inflação e dólar altos, desemprego e instabilidade econômica e política, e somente agora surgem alguns indicativos de melhoria deste cenário. Por isso, o estudo dos números da empresa, a promoção de análises e projeções sempre recomendados antes da escolha do regime tributário, tornou-se ainda mais importante.

              ?Com o ano de 2017 às portas, é fundamental que o empresário aproveite esta nova oportunidade que se abre na virada do ano para reavaliar a sua empresa e optar, assertivamente, pelo regime tributário mais adequado para a situação atual e o tipo de seu empreendimento?, alerta o presidente do SESCON-SP e da AESCON-SP, Márcio Massao Shimomoto, ao destacar que, quando bem utilizado, o planejamento tributário é uma grande ferramenta para orientar e preparar as empresas. ?Conhecer o negócio a fundo e estar preparado para todos estes cenários é tudo que o empreendedor precisa para superar todos os desafios do próximo ano?, completa.

              O empresário ainda alerta sobre o mito de que o Simples Nacional é o melhor regime para todas as micros e pequenas empresas. ?É para uma grande parte de organizações, mas não para todas. Em alguns casos, o sistema pode significar aumento de carga tributária?, afirma Shimomoto, ao pontuar os exemplos da folha de pagamento e dos encargos, que são decisivos para a opção ou desconsideração do sistema simplificado.

              Vale lembrar que o agendamento da opção pelo Simples Nacional - 2017 já está disponível no site da Receita Federal. ?Enquanto está aberto o período de solicitação, é permitido o cancelamento. Uma vez deferido, o pedido passa a produzir efeitos a partir do primeiro dia do ano-calendário da opção, ou seja, 1º de janeiro?, avisa o presidente do SESCON-SP.

              ?É fundamental que o empresário realize um amplo trabalho juntamente com seu assessor contábil, estudando os números, fazendo uma radiografia do negócio, realizando comparativos e simulações, antes de optar pelo Simples Nacional, pelo Lucro Presumido ou pelo Lucro Real, pois a opção não pode ser alterada em todo o ano-calendário?, finaliza o líder setorial.

               


              saiba mais »

              24/11/2016 - Omint Seguros patrocina corrida Desafio 12 Hours

              A Omint Seguros, empresa do Grupo Omint especializada em seguro viagem e seguro de vida…

              A Omint Seguros, por meio do patrocínio, incentiva a prática de esporte e promove também a integração entre os apaixonados por corrida de competição. É tradição do Grupo Omint estar presente nas principais provas esportivas. A Omint Saúde, empresa do Grupo Omint, líder em planos de saúde para o mercado de alto padrão, também patrocina as provas Fashion Run e Corporate Run.

              A competição será realizada no sábado (26) às 19:00, com término às 07:00 do domingo (27). O desafio acontece no Shopping Cidade Jardim em São Paulo. Podem participar da corrida atletas de ambos os sexos.

              As inscrições são realizadas no site do evento.

              Serviço:
              Desafio 12 Hours
              Data: 26 e 27 de novembro, 2016
              Local: Reebok - Shopping Cidade Jardim
              São Paulo (SP)
              Inscrições:http://www.ticketagora.com.br/Evento/3489/REEBOK-12-HORAS--2016?origem=assessocor

               


              saiba mais »

              24/11/2016 - Dicas para aproveitar a Black Friday nos Estados Unidos

              Especialista da Mondial Assistance dá sugestões para quem quer aproveitar o dia dos maiores descontos…

              Tradicional nos EUA, a Black Friday é a sexta-feira após o dia de Ação de Graças, ou Thanksgiving em inglês, em que as lojas oferecem os maiores descontos possíveis em seus produtos. Este ano, a Black Friday acontecerá no dia 25 de novembro, próxima sexta-feira.

              Se você está planejando viajar para os Estados Unidos a fim de obter grandes descontos e fazer ótimas compras durante a data oficial desse grande evento, não deixe de conferir as dicas selecionadas por Mário Almeida, Gerente de Marketing da Mondial Assistance, líder global na oferta de seguro e assistência viagem, atuando no Brasil como representante da Allianz Seguros S/A neste segmento:

              1. Faça uma pesquisa online antes da viagem
              Pesquise antecipadamente os valores dos produtos que pretende comprar. Na Black Friday, alguns itens acabam não tendo descontos expressivos na data e entram no meio dos demais produtos com preços que não valem muito a pena.

              2. Compare preços
              Confira o preço dos mesmos produtos em diferentes lojas. Nos Estados Unidos a divulgação da Black Friday começa uma semana antes e as lojas anunciam os produtos em encartes impressos. Faça esse comparativo também em sites.

              3. Faça um roteiro com as lojas que pretende ir
              Selecione os lugares em que estão os produtos que pretende comprar e vá direto ao destino correto. Organizar a caminhada em busca dos melhores preços economiza tempo e evita a fadiga. Nos Estados Unidos, a Black Friday é levada a sério e as filas são imensas, então é preciso ter foco.

              4. Crie uma lista de compras em ordem de importância
              Priorize a compra dos itens que você realmente precisa. Evite comprar produtos desnecessários só porque estão baratos.

              5. Utilize cupons de desconto
              A maioria das lojas oferecem descontos por meio de cupons. Leve-os impressos para apresentar no momento da compra. Os cupons ficam disponíveis nos jornais impressos e também na internet. Alguns outlets possuem livros de cupons impressos. Apesar de não serem gratuitos, vale a compra.

              6. Leve anúncios impressos
              Algumas lojas cobrem os valores de outras mediante a apresentação do anúncio. Isso é ótimo para economizar tempo e conseguir comprar todos os itens em um único lugar.

              7. Priorize produtos eletrônicos
              Produtos eletrônicos são mais caros, então os descontos acabam sendo mais vantajosos e, por isso, são os primeiros a esgotarem das prateleiras. Coloque os produtos eletrônicos no topo da sua lista de compras.

              8. Confira as especificações técnicas do produto antes da compra
              Alguns produtos nos EUA têm especificações diferentes e que muitas vezes dão trabalho para serem utilizadas ou fazer atualizações em países diferentes. Isso é comum para celulares, tablets, televisores ou vídeo games. Fique atento.

              9. Acerte no tamanho
              Roupas e calçados nos EUA têm numeração diferente do Brasil e na correria para fisgar o produto que deseja, muitas vezes acaba não dando tempo de provar. Pesquise antes por uma tabela de numeração e anote para não sair no prejuízo.

              10. Evite trocas posteriores
              Não compre algo pensando que se não der certo você poderá trocar. Nos Estados Unidos, a troca de produtos é um pouco mais complicada e pode ainda custar mais caro pela cobrança de taxas de troca.

              11. Alugue um carro
              Se você pretende viajar com a família ou em grupo para fazer as compras, alugue um carro. Além de economizar com transporte, vai facilitar na hora de levar as compras, garantido não esquecer nada no taxi.

              12. Separe a equipe
              Se for às compras em grupo, separem-se para que cada um consiga comprar o que deseja, sem ter que esperar pelas compras dos outros.

              13. Vá a lojas de departamento
              Se você não liga para produtos de coleções passadas, as lojas de departamento são ótimas opções. Você pode encontrar roupas, bolsas, óculos e tênis de marcas renomadas por preços bem atraentes. Entretanto, é preciso garimpar bastante. Essas lojas costumam ser enormes e não costumam oferecer muitas peças do mesmo modelo, mas vale a pena dar uma conferida. As lojas mais conhecidas são: Macys, TjMaxx e Ross.

              14. Aproveite sem estresse
              A lojas estão sempre muito lotadas durante a Black Friday, então vá com bastante paciência. Tenha na cabeça a ideia de que se conseguir adquirir a metade das coisas que deseja, você já conseguiu fazer ótimas compras.

              15. Faça um seguro viagem
              Depois de fazer tantas compras, não dá para correr o risco de perder sua mala e sair no prejuízo, certo? O seguro viagem oferece cobertura para extravio de bagagens e uma série de outros itens que vão garantir sua segurança e tranquilidade durante todo o passeio.

              Confira mais dicas sobre compras no exterior no blog Mondial Travel.

              Blog Mondial Travel
              Com diversas dicas de passeios, cuidados que devem ser tomados durante as viagens, sugestões de passeios para destinos nacionais e internacionais, informações sobre a gastronomia de cada país e dicas sobre o seguro viagem, o blog Mondial Travel traz informações para quem vai viajar ou apenas ama o mundo do turismo.

              Sobre a Mondial Assistance
              No mundo, a Mondial Assistance é líder em serviços de assistência 24 horas nos segmentos Automotivo, Viagem, Residencial, Saúde e Vida. São 34 centros de operações, cobrindo todos os continentes: 16 mil colaboradores falando 70 idiomas, 400 mil prestadores de serviços e 180 correspondentes, atuando em 75 países. No Brasil são 20 anos de atuação, com cerca de 1.700 profissionais, uma célula médica com equipe bilíngue e 14.000 prestadores de serviços que vivem para ajudar. Neste ano, a companhia foi uma das 1000 empresas listadas pelo Especial Melhores e Maiores 2016 da revista EXAME. A Mondial Assistance no Brasil é a representante de seguro da Allianz Seguros S/A no segmento de Viagem.

              Sobre a Allianz Seguros

              No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em seguros de danos, pessoas e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 61 filiais. A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia. A Allianz SE, holding do Grupo, é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).


              saiba mais »

              24/11/2016 - IRB Brasil RE participa do 4º simpósio ExpoCIST

              "Cenário atual e perspectivas do resseguro de transportes do país" será tema de palestra durante…

              O O IRB Brasil RE, líder em resseguros no Brasil, estará presente no IV Simpósio ExpoCIST, maior evento do mercado de seguros de transportes, organizado pelo Clube Internacional de Seguros de Transportes, que acontece nesta quinta-feira, dia 24, em São Paulo. O tema da edição deste ano será ?O cenário dos seguros de transportes no Brasil? e a programação conta com palestras de profissionais da área de transportes, corretoras, seguradoras, resseguradoras e prestadoras de serviços.

              Sérgio Vasconcellos Dias, especialista em Subscrição de Transportes do IRB Brasil RE, irá ministrar a palestra ?O Resseguro de Transportes no Brasil - Cenário Atual e Perspectivas?. Em sua apresentação, Dias fará um panorama do mercado de resseguros com base em uma linha do tempo que mostra a evolução do segmento em números.

              Durante a palestra, Sérgio irá falar sobre o cenário atual e a atuação do IRB nesta linha de negócio, além das soluções oferecidas pela companhia para o transporte nacional e internacional em todos os modais, suporte de resseguro nos seguros dos transportadores, operações de DSU e STP, treinamento para clientes, entre outros. As novas demandas para o setor, os desafios e as perspectivas do mercado de resseguros também serão alguns temas abordados.

              Hoje, no Brasil e no mundo, o IRB protege a movimentação de cargas nos segmentos aéreo, marítimo, terrestre, ferroviário e por dutos. A companhia conta com uma equipe altamente especializada que atende as mais variadas necessidades do mercado, com soluções integradas e customizadas.


              saiba mais »

              24/11/2016 - Últimos dias para aproveitar desconto de 20% na inscrição do evento

              Segue até a próxima quarta-feira (30) o período de vigência do desconto mais vantajoso para…

              Os profissionais deste grupo que adquirirem o pacote em novembro investirão R$ 360, na inscrição sem hospedagem, e terão uma economia de R$ 280 em relação ao próximo mês, quando entra em vigência o próximo pacote. Caso necessitem de hospedagem, corretores vinculados ao SINCOR-GO podem aderir ao pacote ao valor de R$ 942, incluindo três diárias no Hotel Comfort Goiânia. Nas duas opções é permitido o parcelamento.

              A diferença de valor para quem garantir seu pacote agora pode chegar a R$ 1 mil em comparação aos pacotes disponibilizados nos dias próximos ao evento. Os valores dos pacotes serão reajustados a cada dois meses. Filiados que não estejam em dia com as obrigações sindicais pagam o valor do pacote para não associado. Informações: (62) 3945-0808 e asspresidencia [AT] sincorgo [DOT] com [DOT] br.

              Confira aqui os valores da inscrição com hospedagem e aqui sem hospedagem.

              Para adquirir o pacote e efetuar a inscrição, os associados devem ir até a sede do SINCOR-GO e falar com a colaboradora Clarice Souza. Os profissionais precisam ter em mãos seus documentos pessoais e dos respectivos acompanhantes.

              Programe-se

              O 20º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros, o 4º Congresso Brasileiro de Saúde Suplementar e a 19ª Exposeg serão realizados simultaneamente, nos dias 12, 13 e 14 de outubro de 2017, no Centro de Convenções, em Goiânia (GO). Mais de 4 mil profissionais do mercado de seguros são aguardados no congresso. O local do encontro fica na Região Central da cidade, próximo a conveniências e pontos turísticos da capital.

              Situada na região do cerrado brasileiro, Goiânia detém grande quantidade de áreas verdes, o que a qualifica como a cidade mais arborizada do país. Por esse motivo, a metrópole já recebeu o título de Capital verde do Brasil e de melhor qualidade de vida. Parques a céu aberto, museus, bares e feiras livres são as atrações mais procuradas pelos visitantes.

              O símbolo do congresso

              A logomarca do 20º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros foi idealizada com base em duas importantes referências para o povo goiano e a Região Central do Brasil: o Monumento às Três Raças, localizado no Centro de Goiânia, que é uma homenagem à miscigenação entre as etnias branca, negra e indígena, de onde se originou a população do Estado; e a flor do pequi, fruto bastante popular na culinária goiana.


              saiba mais »

              24/11/2016 - Dpvat: corretores esclarecem dúvidas da população

              Como parte da campanha ?Corretores de Seguros Juntos com Você?, filiados ao Sincor-SP foram para…

              Além da capital, a campanha vai passar por outras 25 cidades paulistas, nas quais o sindicato possui escritórios regionais. ?Ao enfatizar que o atendimento do DPVAT é um direito e que os corretores de seguros estão à disposição de vítimas e familiares para orientar sobre o recebimento do seguro sem qualquer custo, estamos destacando, mais uma vez, nosso papel como agentes do bem-estar social?, explica o presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo.

              O coordenador do departamento Social do Sindicato e responsável pelo projeto, Luiz Morales, explica que ?muitas pessoas usam a situação para intermediar o atendimento desse seguro, cobrando uma porcentagem por algo que não deve ter custo financeiro algum?, diz Morales. Suspeitos chegam a cobrar 30% do valor da indenização, de acordo com o sindicato.

              O Sincor-SP, por meio de seus 30 escritórios regionais, oferece um serviço gratuito de orientação à população, além de auxiliar, também sem ônus, na entrada e andamento dos processos para recebimento dos valores.

              DPVAT

              O seguro Dpvat indeniza por morte ou invalidez permanente, seja ela parcial ou total, e reembolsa despesas comprovadas com atendimento médico-hospitalar, exclusivamente a danos pessoais causados por acidentes de trânsito, inclusive causados por queda de carga.

              O pagamento da indenização é obrigatório em todo o território nacional, chegando a R$ 13,5 mil em caso de morte.

               


              saiba mais »

              25/11/2016 - Prêmio: Fenacor de Jornalismo anuncia a lista dos 60 finalistas

              Prêmio: Fenacor de Jornalismo anuncia a lista dos 60 finalistas
              Está concluído o processo de escolha dos 10 finalistas do "Prêmio Nacional de Jornalismo em…

              Profissionais de Imprensa de todas as regiões do Brasil inscreveram 491 reportagens em seis categorias (?Mídia Impressa?, ?Televisão?, ?Rádio?, ?Webjornalismo?, ?Mídia Especializada? e ?Categoria Especial Corretores de Seguros?).
              Desse total, 51,3% foram geradas em veículos da Região Sudeste; 20,4%, do Nordeste; 18,1%, do Sul; 9,6%, do Centro-Oeste; e 0,6%, do Norte.
              Os finalistas foram escolhidos por um júri formado por jornalistas, executivos e técnicos do mercado e professores da Escola Nacional de Seguros.
              Na categoria especial ?Corretores de Seguros?, os 1.025 profissionais de todo o Brasil que votaram no aplicativo FENACOR ou diretamente no site da Federação, para eleger as reportagens vencedoras, irão participar do sorteio de um iPhone.
              O primeiro colocado em cada categoria receberá R$ 30 mil; o segundo, R$ 10 mil; e o terceiro, R$ 5 mil. No caso da ?Categoria Especial Corretores de Seguros?, o primeiro colocado terá direito ainda a uma viagem com acompanhante para a Itália.
              O anúncio dos premiados será feito em solenidade marcada para a próxima quarta-feira, dia 30 de novembro, a partir das 19 horas, no Rio de Janeiro.

              Categoria

              Nome

              Estado

                Título do Trabalho

              Mídia impressa

              Flavia Galembeck

              RS

              A bomba relógio da Sete Brasil

              Mídia impressa

              Hamilton Bunn Ferrari

              DF

              Acesso a planos de saúde fica mais difícil

              Mídia impressa

              Daniela Meibak de Oliveira

              SP

              Setor de seguros vive momento aquecido em fusões e aquisições

              Mídia impressa

              Flavia Simone Galembeck

              SP

              Quem irá defender os CEOs de Sérgio Moro?

              Mídia impressa

              Danilo Solano Fariello

              DF

              Mudança na lei prevê seguro para obras públicas

              Mídia impressa

              Carlos Manoel Machado Guimarães Filho

              PR

              Lavouras protegidas contra chuvas e trovoadas

              Mídia impressa

              João sorima neto

              SP

              Cresce a procura por seguros contra terrorismo

              Mídia impressa

              Danylo Martins

              SP

              Hora de alçar voos mais altos

              Mídia impressa

              Aline Scherer

              SP

              Remédio contra o custo

              Mídia impressa

              Cleomar Almeida

              GO

              Acordo favorece indenização

              Televisão

              nathalia ingrid cavalcante dos santos lopes

              AL

              Corretoras: as mulheres e a ascensão da profissão no Brasil

              Televisão

              Júlia Sidon Senna Carvalho

              RS

              Corretor de Seguros: O profissional para todos os momentos

              Televisão

              PAULO HENRIQUE DOS SANTOS

              GO

              SEGURO É FUNDAMENTAL

              Televisão

              MARIANA BARROS DE ALMEIDA

              PE

              PROGRAMA CAPACITA JOVENS DE ESCOLAS PÚBLICAS PARA MERCADO SEGURADOR

              Televisão

              MAURO WEDEKIN BONILHA

              AL

              SUÍCIDIO.COM

              Televisão

              Thiago Correia

              AL

              O Seguro Popular

              Televisão

              WILSON SOLER

              PR

              TALENTO EM PAUTA - AS OPORTUNIDADES DA CARREIRA DE CORRETOR DE SEGUROS

              Televisão

              DIEGO DE OLIVEIRA BARROS

              SE

              SEGURO PRESTAMISTA GARANTE PAGAMENTO DE DÍVIDAS

              Televisão

              Luan Vosnhak

              SC

              Rota da Insegurança: investimentos para evitar roubo de cargas

              Televisão

              Camilla Teixeira e Silva Guimarães

              GO

              Aumento de roubos em Goiânia impulsiona venda de seguros para bicicletas

              Rádio

              ALEXSANDRO SANTOS CARVALHO

              SE

              SEGURO PIRATA:NÃO CAIA NESSA ARMADILHA

              Rádio

              Verônica Teodora Pimenta

              MG

              Série Especial: "O setor de seguros na economia e na vida do brasileiro"

              Rádio

              Camila Soares

              ES

              ATIVIDADE SECURITÁRIA CRESCE EM MERCADO E DEMANDA PROFISSIONAL

              Rádio

              Tiago Cassiano Muniz Relvas

              SP

              Longevidade Segura

              Rádio

              Luiz Geraldo Teixeira

              GO

              Sem educação financeira para planejar o futuro, brasileiros sentem na pele a falta de uma renda extra que garanta mais tranquilidade na aposentadoria.

              Rádio

              Aiana Freitas

              SP

              Saúde em Primeiro Plano - Série Especial

              Rádio

              Valeria Batista Rodrigues

              RJ

              Cresce 85% número de clientes que usam capitalização no aluguel

              Rádio

              Paulo Cesar Cavalcante de Oliveira

              RJ

              A questão da carga e o mercado de seguro

              Rádio

              Nathália Cristina de lima

              GO

              Proteção veicular não é seguro de veículos

              Rádio

              Fausto Rodrigues Borges

              GO

              Seguro Fiança - O locador é seu próprio fiador

              Webjornalismo

              Pedro Henrique de Carvalho

              SP

              Editor

              Webjornalismo

              José Pedro Soares Martins

              SP

              Setor de seguros está ativo frente às mudanças climáticas, mas Brasil precisa acelerar o passo

              Webjornalismo

              Thayanne Maria Monte Magalhães Viana

              AL

              Seguro de vida cobre morte por suicídio?

              Webjornalismo

              Gilson Monteiro

              AL

              Respondendo por 6% do PIB, mercado de seguros entra na pauta do Congresso Nacional

              Webjornalismo

              Waldelúcio Barbosa da Silva Sousa

              PI

              É hora de planejar gastos com escola para o próximo ano

              Webjornalismo

              Júlia Lewgoy Martini

              SP

              Por que você deveria fazer um seguro de vida?

              Webjornalismo

              Kelly Cristina Lubiato

              SP

              Autorregulação ainda possui desafios a vencer

              Webjornalismo

              Rhudy Crysthian

              GO

              Seguro deve reduzir apólice em 30%

              Webjornalismo

              Aline Bronzati

              SP

              EXCLUSIVO: JUDICIALIZAÇÃO DE CASOS DE ÁGIO PODE ABRIR MERCADO BILIONÁRIO PARA SEGURO GARANTIA

              Webjornalismo

              Talita Bedinelli

              SP

              Proposta de plano de saúde popular cria polêmica entre defensores do SUS

              Impressa especializada

              Aurora Maria Guimarães Ayres

              SP

              LIÇÕES DE MARIANA

              Impressa especializada

              Camila Alcova

              SP

              Proteção híbrida

              Impressa especializada

              Marcia Alves de Lima Silva

              SP

              O protagonismo do seguro de Responsabilidade Civil

              Impressa especializada

              Rodrigo Amaral

              PR

              Mercado alternativo para riscos tem apetite, mas ainda não decolou na AL; Energética aciona mercado de capitais contra a seca

              Impressa especializada

              Laís Muniz Rodrigues

              RJ

              Reforma pode estimular Previdência Privada

              Impressa especializada

              Helio Marques

              PR

              O trabalho invisível do Corretor de Seguros

              Impressa especializada

              Oscar Rocker Netto

              PR

              Lei e 'acomodação' dificultam flexibilidade nos contratos

              Impressa especializada

              WILLIAM ANTHONY SILVA PEREIRA

              RS

              Proteções garantidas pelo Seguro Viagem

              Impressa especializada

              Marcio da Rocha Santos

              SE

              Seguro residencial: garantia de proteção

              Impressa especializada

              Ivan Pinto Netto

              RS

              Corretor de seguros: o profissional de múltiplas funções

              Corretor de seguros

              Lívia Sousa Silva

              SP

              Um novo tempo

              Corretor de seguros

              SILVIO MENEZES

              PE

              Garantia de tranquilidade

              Corretor de seguros

              Tany Lucila Gomes Fernandes Faroni

              SP

              Corretores de Seguros: suas aflições e perspectivas

              Corretor de seguros

              EDSON MOURA (JULIEDSON MOURA)

              AL

              CORRETOR DE SEGURO: A GARANTIA NECESSÁRIA NA HORA DE PROTEGER SEU PATRIMÔNIO

              Corretor de seguros

              Amanda Cruz

              SP

              Encontrando nichos

              Corretor de seguros

              Elaine Lisbôa

              SP

              Pela sobrevivência das corretoras de seguros

              Corretor de seguros

              Bruna Vieira de Oliveira

              PB

              Seguros

              Corretor de seguros

              KARIN PERINI FUCHS

              SP

              CORRETOR, O MOTOR DA INDÚSTRIA DE SEGUROS

              Corretor de seguros

              Maria Amélia Ávila da Silva Varginha

              MG

              A importância do corretor de seguros na vida do cidadão e na economia do País

              Corretor de seguros

              DEIRE CARLOS ASSIS

              GO

              ESPECIAL 30 ANOS DO SINCOR-GO

               

               

              • fenacor


                saiba mais »

                27/11/2016 - Prêmio Allianz Seguros de Jornalismo anuncia vencedores

                Vencedores do 9° Premio Allianz de Jornalismo
                Exame, APTS Notícias, Exame.com, A Gazeta (ES), TV Brasil, Rádio Gaúcha, Portal Unemat e O…

                São Paulo, 25 de novembro de 2016 ? Na noite ontem, quinta-feira, 24, foram revelados durante cerimônia de premiação, em São Paulo, os vencedores do 9º Prêmio Allianz Seguros de Jornalismo. Com recorde de matérias participantes ? cerca de 2,5 mil ?, o concurso atingiu a marca de 11.870 inscrições desde sua primeira edição.

                Do total de inscrições vindas de jornalistas de 55 cidades brasileiras, 40 chegaram à final e oito ganharam o Prêmio. Os vencedores foram eleitos após análise e debate do Comitê de Premiação, composto por jornalistas e especialistas nos temas do concurso, sem qualquer participação da Allianz Seguros. Confira aqui os currículos dos jurados.

                ?Além de uma empresa, a Allianz é uma cidadã corporativa e, como tal, deseja contribuir para o desenvolvimento do país em todos os aspectos. Como elemento da sociedade, queremos contribuir na disseminação da cultura do seguro, importante não apenas como negócio, mas também como meio de precaver o segurado em momentos de necessidade. Também almejamos disseminar ideias sustentáveis, um dos nossos pilares, começando com atitudes dentro da própria seguradora. Por último, temos o objetivo de construir uma comunidade mais igualitária e, nesse caso, não há arma mais poderosa do que a educação. Todas essas atitudes, engajamento dos nossos funcionários e o Prêmio Allianz Seguros de Jornalismo corroboram o comprometimento da companhia com o futuro do país? afirma Miguel Pérez Jaime, presidente da Allianz Seguros.

                No tema ?Seguros?, concorriam 15 finalistas, cinco por categoria. E as reportagens vencedoras foram as assinadas por Daniel Barros, da Exame; Márcia Alves, da APTS Notícias; e Priscila Yazbek, do portal Exame.com. As matérias finalistas deste tema, foram julgadas pelo comitê formado por Denise Bueno, Hélio Gurovitz e Walter Polido. O jornal O Estado de S.Paulo e a revista Exame ainda receberam menções honrosas por terem sido os veículos que mais deram espaço a notícias relacionadas ao mercado segurador, considerando as matérias inscritas na categoria Nacional e Regional.

                Em ?Sustentabilidade ? Mudanças Ambientais?, 20 trabalhos, de quatro categorias, veiculados em impressos, portais, emissoras de rádio e TV e meios de comunicação corporativos estavam na final. Os ganhadores são: Patrik Camporez, de A Gazeta (ES); Patrícia Araújo, da TV Brasil; Eduardo Matos, da Rádio Gaúcha; e Hemília Maia Ribeiro, do Portal Unemat.

                O trabalho vencedor da categoria ?Linguagem Escrita ? Nacional e Regional? foi eleito por Aldem Bourscheit, Dal Marcondes e Luciana Soler. Os dois últimos jurados, acompanhados por José Pascowitch, também foram responsáveis por apontar o primeiro colocado em Comunicação Corporativa.

                Heródoto Barbeiro e Priscila Brandão compuseram o júri de Telejornalismo e Anchieta Filho e Mariza Tavares o de Radiojornalismo. Os dois comitês contaram ainda com a participação e análise de Paulo Artaxo, que atuou como jurado técnico-científico.

                Pela primeira vez no concurso, o troféu do tema ?Especial Educação Allianz Auto Instituto Ayrton Senna? foi conquistado por Luiz Fernando de Toledo, de O Estado de S.Paulo. As matérias finalistas deste tema foram julgadas por Daniel Cara, Renata Cafardo e Renato Janine Ribeiro.

                Confira abaixo a lista dos vencedores do 9º Prêmio Allianz Seguros de Jornalismo

                • allianz


                  saiba mais »

                  27/11/2016 - Susep apoia assessorias de seguro da Aconseg-Rio

                  O superintendente da Susep, Joaquim Mendanha de Ataídes (D), recebe homenagem do presidente da Aconseg-RJ, Luiz Philipe Baeta Neves
                  A Aconseg-RJ fará parte da Comissão da Susep com o mercado de seguros, que está…

                  Mendanha afirmou ainda que o trabalho de assessoramento é extremamente importante para que o corretor exerça o seu papel efetivo de levar a proteção ao consumidor. ?A presença das grandes operadoras de seguros neste evento prova que elas também reconhecem a relevante atuação das assessorias para a produção do setor?, disse, acrescentando: ?Como lembrou o presidente da Aconseg-RJ, Luiz Philipe Baeta Neves, as empresas associadas foram responsáveis, somente no Rio de Janeiro, por 1,5 bilhão em prêmios no ano passado, oferecendo infraestrutura e consultoria para mais de 3.500 corretores?.

                  Durante o evento, que reuniu cerca de 100 profissionais do mercado, incluindo lideranças das principais seguradoras, entre as quais: o superintendente da Bradesco Seguros, Duílio Varnier, o vice-presidente de Auto da SulAmérica, Eduardo Dal Ri, o presidente da Tokio Marine, José Adalberto Ferrara, o diretor executivo da Sompo Seguros, Fernando Grossi e o vice-presidente da Icatu, Alexandre Vilardi, o superintendente destacou ainda: ?É uma honra estar aqui hoje, especialmente por se tratar da mesma semana em que comemoramos os 50 anos de fundação da Susep?, agradeceu Mendanha. O executivo também demonstrou admiração pelo trabalho realizado pela Aconseg-RJ na disseminação da cultura do seguro, por meio de seu relacionamento direto com o corretor. ?A corretagem é a minha origem, da qual muito me orgulho?, afirmou.

                  Nesse sentido, a última iniciativa da Aconseg-RJ foi a campanha Corretor Certo, lançada no Dia do Corretor de Seguros, que disponibilizou, gratuitamente, um kit de divulgação digital que explica e reforça a posição do corretor como único representante legal junto às seguradoras. ?Foram mais de mil cadastros no site da campanha em menos de 10 dias. A ideia é abrir canais a todos os públicos: seguradoras, corretores de seguros, entidades parceiras e consumidores. Eles precisam conhecer a importância do corretor e das assessorias para a manutenção e o crescimento do mercado e para o conforto e tranquilidade das famílias e empresas do nosso estado?, declarou Baeta Neves em seu discurso.

                  Além dos executivos das seguradoras, prestigiaram o evento: o presidente da Fenacor, Armando Vergilio, o presidente do Sincor-RJ, Henrique Brandão, o diretor executivo do Sindseg-RJ\ES, Ronaldo Vilella; o presidente da Aconseg-MG, Jader Pereira, o presidente e os diretores do Clube dos Corretores do Rio de Janeiro, Jayme Torres, Amilcar Vianna e Luiz Mario Rutowitsch; o presidente e o vice-presidente do Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ), Marcello Hollanda e Carlos Ivo Gonçalves, e vários presidentes e diretores de seguradoras internacionais e nacionais com forte operação no Estado do Rio e São Paulo.

                  Sobre a Aconseg-RJ |

                  Fundada em 1998, a Associação das Empresas de Assessoria e Consultoria de Seguros do Estado do Rio de Janeiro (Aconseg-RJ) é uma entidade que reúne as assessorias de seguros, modelo de negócios que reformulou as áreas de produção das companhias e já movimenta mais de um bilhão e meio em prêmios por ano. A entidade realiza cursos, palestras e debates para fomentar o desenvolvimento das assessorias de seguros no Estado do Rio de Janeiro. A diretoria 2016/2018 é composta por Luiz Philipe Baeta Neves (presidente), Joffre Nolasco (1º secretário), César Braga (2º secretário), Mário Roberto Santos (1º tesoureiro) e Olívio Américo (2º tesoureiro).

                  • aconsegrj


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - 8 dicas práticas para o empreendedor planejar 2017

                    8 dicas práticas para o empreendedor planejar 2017
                    Em um ano de incerteza econômica, deve-se minimizar ao máximo os riscos do negócio. Levantamento…

                    Estima-se que o Brasil tenha mais de 9 milhões de micro e pequenos negócios, representando 27% do PIB brasileiro, de acordo com levantamento feito pelo SEBRAE. O País já formalizou mais de 6 milhões de microempreendedores individuais desde 2008 e, até setembro deste ano, já são mais de 6,4 milhões.

                    No entanto, a taxa de mortalidade das empresas é ainda alta, segundo o levantamento ?Demografia das Empresas 2014?, realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). De cada dez empresas, seis encerram as atividades após cinco anos.

                    Alguns motivos justificam o desarranjo, como abrir o próprio negócio sem se planejar, estudar o mercado, prever cenários e ter uma reserva de capital.Ricardo Assaf, presidente da ABSCM - Associação Brasileira das Sociedades de Microcrédito, dá dicas de como o empreendedor deve se organizar desde já para iniciar bem o próximo ano, a começar pela parte mais importante que é o planejamento.

                    1. Como o empreendedor pode se planejar financeiramente para começar com o pé direito nos negócios em 2017?

                    O planejamento é fundamental para qualquer fase do negócio. Não há exatamente uma fronteira de tempo, prazo e escopo para fazer, pois é aberto e inteiramente dependente do empreendedor. Por este exato motivo as pessoas acabam não focando no plano e apenas nas questões operacionais do dia a dia e execução. Normalmente, as empresas se planejam durante um ano e, é claro que ajustes são necessários ao longo da operação, pois isso o planejamento é dinâmico e não estático. Em resumo: um bom plano começa com grandes perguntas e, a partir delas, cria-se uma teia de ações, além de indicar diversos cenários.

                    2. O que empreendedor deve levar em consideração na hora de fazer um bom planejamento?

                    Todo e qualquer planejamento deve focar nas principais perguntas que afetam o negócio. Elas, normalmente, são difíceis de responder já que são amplas e dependem de muitas variáveis. ?Como aumentar meu faturamento?? e ?Como abaixar meu custo?? devem nortear o plano. Para ajudar a definir estas questões existe um modelo muito usual chamado de 3Cs, que foi desenhado pelo famoso teórico organizacional japonês Kenichi Ohmae, professor dos programas de MBA em Stanford e UCLA.
                    O método foca em três grandes grupos: clientes, ajuda a definir as principais necessidades de públicos-alvo, competidores: explora as vantagens competitivas da proposta de valor e corporation: (empresa), detecta habilidades efetivas da corporação para criar valor, se diferenciar da concorrência e atender de forma efetiva a clientela.

                    3. Qual a importância de se ter uma reserva financeira, capital, além do já previsto para a abertura da empresa?

                    O plano financeiro é fundamental e, normalmente, é esboçado em um orçamento anual, com metas bem realistas de gastos, principalmente naqueles que são chaves ao seu negócio. O processo de abertura de empresa é algo que, implicitamente, tem um grande risco e pode afetar o fluxo de caixa inicial, impactando o desenvolvimento futuro. Um dos fatores de fracasso das empresas nos primeiros cinco anos, segundo apurado pelo Sebrae, é a falta de capital e lucro, bem como a ausência de um planejamento. Não é à toa que a taxa de mortalidade inicial é muito alta. Em 2013, a porcentagem de empresas que fecharam as portas, com até seis meses de abertura, foi de 82%.

                    4. Quais são os pontos de risco na abertura da empresa?

                    Os mais comuns são clientes que ainda não estão acostumados com a marca, produto ou serviço, o tempo de acerto do modelo do negócio, questões que envolvem a organização da matéria-prima, ponto de venda e os custos inicias que podem ter sido estimados de forma errada ou otimistas demais. O empreendedor sempre terá contratempos e pontos críticos não previstos durante o início do empreendimento. E acreditem, o fluxo inicial de qualquer negócio é muito pesado.

                    5. Como reduzir os riscos?

                    É muito importante prever uma ?gordura?, ou seja, capital para garantir o fluxo de caixa mês a mês. Especialistas apontam que é necessário ter uma garantia de 6 a 12 meses, ou seja, um saldo suficiente na conta bancária para segurar esse período que, no início, é sempre mais delicado e arriscado.

                    6. Quais as opções hoje no mercado que o microempreendedor tem para dar uma guinada nos negócios?

                    O empreendedor precisa estar antenado para as novas tendências de mercado e às mudanças nas plataformas tradicionais. Ele deve aproveitar as lições de mercado de forma rápida e adaptá-las ao seu negócio. Um caso muito prático: durante a crise há muita substituição de produtos e serviços por mais algo mais em conta. Pegamos como exemplo o seguro de carro: os tradicionais podem custar muito caro em relação ao valor do bem segurado. Por outro lado, as assistências, apesar de não serem seguros, se tornam muito procuradas na crise, pois o custo é menor que um seguro tradicional e proporcionam itens como guincho gratuito, convênio com oficinas, aluguel de carro em caso de problema ou pane e outros serviços. Em muitos casos há uma substituição efetiva dos seguros tradicionais, mais caros, pela assistência, mais barata.

                    7. O ano de 2017 será bom para empreender?

                    A crise normalmente cria oportunidades magníficas aos empreendedores, pois novos modelos de negócio são criados, produtos alternativos são levados ao mercado e plataformas tradicionais são desafiadas. O ditado popular diz que: ?enquanto existem pessoas que choram, há outras vendendo o lenço para enxugar as lágrimas?. Todo e qualquer empreendedor precisa, incialmente, ter esta filosofia e aplicar o planejamento + ação para transformar em realidade o seu desejo.

                    8. Por que o crédito produtivo é uma opção segura para quem está começando a empreender?

                    O crédito é um aliado ao negócio desde que bem usado. Por exemplo: há grandes descontos na compra de produtos ou serviços à vista, porém, muitas vezes, nos deparamos com a impossibilidade de usar o dinheiro da empresa para esse fim. O crédito pode reduzir imediatamente o custo da empresa e, ao mesmo tempo, beneficiar o fluxo de caixa já que pode ser parcelado em diversos meses. Muito comum também é a necessidade de usar o fluxo por conta de um imprevisto. Dependendo do custo, o crédito também pode ajudar a empresa. Uma instituição financeira qualificada pode antecipar este fluxo e impactar de forma positiva a produção. As SCMEEPPs - Sociedades de Crédito ao Microempreendedor e à Empresa de Pequeno Porte são uma opção interessante, pois estão reguladas pelo Banco Central do Brasil, como uma forma de fomentar o empreendedorismo no Brasil.

                    A ABSCM

                    É uma Associação Brasileira das Sociedades de Microcrédito é uma associação civil sem fins lucrativos, criada no ano 2000, com o objetivo de fomentar o empreendedorismo no País, facilitar as condições operacionais e fortalecer institucionalmente as SCMEEPPs. Atualmente conta com 27 instituições credenciadas e está presente em 12 Estados brasileiros. A ABSCM desempenha papel importante como interlocutora entre as associadas e os públicos de interesse, visando a mudança e a modernização do marco legal e regulatório em favor do crescimento e consolidação do setor.


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - FenSeg debate os riscos inerentes à indústria plástica e as formas de mitigá-los

                    FenSeg debate os riscos inerentes à indústria plástica e as formas de mitigá-los
                    Seminário de Riscos Patrimoniais - Grandes Riscos ocorreu em 27 de outubro, em São Paulo

                    A FenSeg realizou em 27 de outubro, em São Paulo, o Seminário de Riscos Patrimoniais - Grandes Riscos, tendo como tema Qualidade de Risco e contando com 48 participantes, entre representantes das seguradoras, dos resseguradores e dos corretores de seguros.

                    O evento, realizado no auditório do Sindseg?SP, foi uma iniciativa da Comissão de Riscos Patrimoniais Grandes Riscos da Federação e teve como objetivo compartilhar boas práticas e disseminar o conhecimento no processo de subscrição de Indústrias Plásticas, apresentando dados de mercado e estudo de casos. Durante o encontro também foi avaliadas qualidade e tipos de riscos e como mitigar as exposições a estes, de acordo com as boas praticas de gerenciamento de riscos.

                    Contando com grande participação da plateia nos debates, Jonathas Abdou, da Travelers Seguros, e Welton Ribeiro da Silva, da Allianz Seguros, demonstraram o processo de transformação da indústria plástica e seus riscos inerentes, evidenciando que alta concentração de material estocado, em caso de incêndio, pode liberar grande quantidade de fumaça densa e toxica e de que forma se deve mitigar esses riscos.

                     


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Coach a profissão que mais cresce no Mundo

                    Coach a profissão que mais cresce no Mundo
                    Coaching é a melhor metodologia de desenvolvimento e capacidade humana existente na atualidade, além de…

                    Coaching em Rio das Ostras

                    ?No futuro todos os líderes serão coaches. Quem não desenvolver esta habilidade, automaticamente será descartado pelo mercado. Essa é uma frase dita por Jack Welch ? o CEO da Google, o CEO mais admirado do mundo.
                    Coaching é a profissão do momento
                    O instante ideal para se qualificar com os cursos mais valorizados no mercado é agora. No mês de dezembro - nos dias 02, 03 e 04 - terá o curso de Coaching em Rio das Ostras. O evento terá o total 24h e será ministrado por Gustavo Simões que é especialista em atendimento a clientes, palestrante e diretor da Academia Brasileira de Performance.

                    ?Coaching é a melhor metodologia de desenvolvimento e capacidade humana existente na atualidade, além de ser a carreira que mais cresce no mundo. É um mix de recursos que utiliza técnicas, ferramentas e conhecimentos de diversas ciências como administração, gestão de pessoas, psicologia, neurociência, linguagem ericksoniana, recursos humanos, planejamento estratégico, entre outras visando à conquista de grandes resultados em qualquer contexto, seja pessoal, profissional, social, familiar, espiritual ou financeiro?, ressalta Gustavo.

                    O processo de Coaching é uma oportunidade de visualização clara dos pontos individuais, de aumento da autoconfiança, de quebrar barreiras de limitação, para que as pessoas possam conhecer e atingir seu potencial máximo. Com isso, alcançar suas metas de forma objetiva e assertiva.
                    De acordo com o diretor da Academia de Performance, esse curso é para pessoas comuns que querem alcançar resultados espetaculares em sua vida pessoal e profissional. ?Você vai aprender os pilares e as ferramentas da melhor metodologia do mundo na atualidade para conquista de resultados. Vai ter benefícios como: alinhamento de valores, aumento de produtividade, autoconhecimento, senso de propósito, além de poder exercer uma nova profissão?, afirma Gustavo.

                    O Coaching tem sido utilizado por organizações em todo o mundo com objetivo de potencializar e acelerar o alcance de grandes e efetivos resultados no mundo dos negócios. Além de desenvolver o potencial do capital humano.
                    ?No futuro todos os líderes serão coaches. Quem não desenvolver esta habilidade, automaticamente será descartado pelo mercado. Essa é uma frase dita por Jack Welch ? o CEO mais admirado do mundo. Assim, Jack nos mostra como um Treinamento em Coaching pode ser fundamental no alcance do sucesso de profissionais e organizações para todo o Brasil?, finaliza Gustavo Simões.

                    As inscrições para este curso serão feitas através do celular (22) 99871-4215, falar com Mara Gabri, ou através do e-mail: coach [AT] gustavosimoes [DOT] com [DOT] br


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Empresas Brasileiras devem se atentar para a escolha de seu Regime Tributário

                    Empresas Brasileiras devem se atentar para a escolha de seu Regime Tributário
                    Cenário extremamente competitivo com forte apelo à tributação reforça a importância de se escolher o…

                    A opção de regime tributário deve analisar situações de suma importância que vão impactar na lucratividade da empresa.

                    Carga tributária elevada em parceria com o alto custo dos impostos indiretos detiveram o desenvolvimento do País durante o ano de 2016. Mesmo com o evidente esforço empresarial, o crescimento industrial no Brasil emperrou devido à falta de fontes competitivas de financiamento. Neste colégio de desafios, os segmentos de varejo e distribuição vivenciam mudanças de perfil de consumo.

                    Atento ao profundo obstáculo inerente, infelizmente, ao Brasil, o empresário mira estratégias mais bem definidas com relação à tributação. Sempre em pauta, porém em evidência máxima atualmente, há a importância de se escolher o regime tributário mais adequado ao perfil das empesas. Para isso há três regimes: Simples Nacional; Lucro Presumido ou Lucro Real. ?A opção de regime tributário deve analisar situações de suma importância que vão impactar na lucratividade da empresa. O Simples nacional é adequado às micros e pequenas empresas com faturamento entre R$ 60.000 a R$ 300.000,00/mês e com as atividades permitidas que se enquadram neste regime. Já o Lucro presumido exige regime no qual as empresas, de qualquer porte, devem obedecer o limite anual de R$ 78.000.000/ano. É uma opção definida por aproximadamente 80% das empresas pela própria natureza da lucratividade e principalmente devido ao cálculo do PIS/COFINS, regime cumulativo ou não?, explica Dr. Alberto Oliveira, Diretor Jurídico da Golden Distribuidora, sócio diretor da A. Oliveira Advogados Associados e membro do Instituto Brasileiro de Direito Tributário da Universidade de São Paulo ? IBDT/USP.

                    Muitas empresas como financeiras/seguradoras e pessoas jurídicas - com lucro no exterior - têm de migrar ao Lucro Real. ?Porém as demais devem, com base em seu balanço/balancete, analisar a projeção orçamentárias de receitas, custos e despesas e assim definir estrategicamente a situação tributária com o menor ônus?, completa o Diretor Jurídico da Golden Distribuidora, Dr. Alberto Oliveira.

                    Entra em pauta aqui a recente decisão favorável do Supremo Tribunal Federal (STF) à devolução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O regime de substituição tributária permite aos Estados exigir dos fabricantes, antecipadamente, o pagamento do ICMS futuro, isto é, relativamente a todas as etapas posteriores da cadeia econômica com base num valor arbitrado, tendo em vista que não se sabe qual será o valor efetivo de venda da mercadoria. Diante dessa técnica de arrecadação, o valor cobrado antecipadamente em tributos, em muitos casos, acaba sendo muito superior ao preço final de venda da mercadoria - o que traz sérios prejuízos às empresas.

                    O julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 593849 foi concluído pelo Supremo Tribunal Federal (STF) com repercussão geral reconhecida, no qual foi alterado entendimento do STF sobre o regime de substituição tributária do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

                    Por isso, o Dr. Alberto Oliveira frisa que o empresário deve junto ao seu advogado e contador e, por meio de um planejamento tributário eficiente, fazer a análise da escolha do regime a ser adotado no ano posterior entre setembro a novembro do exercício corrente. ?Nos dias atuais, as empresas dependem mais do que comprar e vender bem. Precisam de um excelente planejamento tributário para que a lucratividade seja satisfatória. E, definitivamente, atingir a meta depende totalmente do regime tributário. É importante também esclarecer que uma empresa ao optar por determinado regime tributário, dar-se a efetivamente quando o empresário pagar o primeiro imposto federal no exercício seguinte. Vamos o exemplo: em janeiro/17 os impostos serão pagos no mês subsequente, ou seja, fevereiro 17 e então com o pagamento está definido o regime. A legislação não permite a mudança do regime no mesmo exercício?, avisa.

                    Definir para não errar. No momento da escolha pelo regime tributário mais adequado vale estudar minuciosamente para não ser surpreendido. Recentemente, por exemplo, a Câmara dos Deputados aprovou, por unanimidade, o projeto de lei que altera os limites de faturamento para que micro e pequenas empresas possam aderir ao Simples Nacional, mais conhecido como Supersimples. Com a nova lei nº 125/2015, sancionada pelo presidente Michel Temer, o teto do programa de pagamento simplificado de tributos, que atualmente é de R$ 3,6 milhões, passará a ser de R$ 4,8 milhões. Dessa maneira, um número maior de empresas será beneficiado com o Supersimples, que permite um regime diferenciado e unificado de tributação reduzindo, em média, 40% da carga tributária quando comparado ao lucro real ou presumido.

                    Surge então a expectativa de aquecimento da economia, principalmente na geração de empregos. A estimativa é de que esta alteração no Supersimples passe a valer a partir de 2018. ?O simples nacional é adequado às pequenas e médias empresas, mas para o enquadramento neste regime é determinante o faturamento e a atividade para atender a legislação e as exigências?, pontua o Diretor Jurídico da Golden Distribuidora, Dr. Alberto Oliveira.

                    Sobre a Golden Distribuidora
                    Fundada em 1990, pelo seu atual CEO, Davi Saadia, quando tinha apenas 18 anos, a Golden Distribuidora é reconhecida nacionalmente por ser uma provedora flexível de soluções em diferentes mercados e canais. Atua em todo o território brasileiro por meio de sete Unidades de Negócios (Revenda, Corporativo, Governo, Outsourcing, Papéis, Varejo e Telecom). Conta com sete filiais com estoques e distribuição localizadas: no Estado de São Paulo (Capital, Osasco e Ribeirão Preto); no Estado de Minas Gerais (Extrema); Estado do Espírito Santo (Serra); no Estado do Paraná (Curitiba) e no Distrito Federal (Brasília).

                    A Golden está preparada para fornecer toda a linha de suprimentos de informática (Cartuchos, Cilindros e Toners), Artefatos de Papel (Bobinas, Papel Cortado, Etiquetas e Formulários), Projetores, Monitores, Monitores-TV, Hard-Disks, Nobreaks, Estabilizadores, Impressoras, Multifuncionais, Memórias, Pen-Drives, Cartões de Memória, Periféricos, Acessórios, Notebooks, Roteadores, Processadores e modernos smartphones. Na divisão industrial, conta com parceria com as grandes fabricantes de papéis tanto nacional como multinacional. Já na área de informática conta com mix amplo e com base em renomados fabricantes de tecnologia.

                    Informações sobre a Golden Distribuidora e seus negócios, acesse: www.goldendistribuidora.com.br


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - O papel do corretor no Seguro Saúde

                    O papel do corretor no Seguro Saúde
                    A 4ª edição do Seminário Multidisciplinar abordou o tema saúde suplementar, e aconteceu no dia…

                    O coordenador da Comissão, Ariovaldo Bracco, abordou as mudanças no perfil dos clientes nos últimos anos, lembrando que a população desconhecia que o corretor trabalhava com o segmento. ?O mundo passou por uma transformação, tornando o seguro saúde uma efetiva necessidade. Temos a nosso favor uma carteira de clientes que, com certeza, precisa desse produto e que confia no trabalho que oferecemos?, destacou o coordenador.

                    A importância do gerenciamento da carteira por parte do corretor, os tipos de seguros disponíveis no mercado, as legislações vigentes e a judicialização no setor também foram abordadas durante o treinamento.

                    O Seminário Multidisciplinar, organizado pela Assessoria Técnica do Sincor-SP, contou ainda com a presença da 2ª vice-presidente e diretora executiva responsável pela área, Simone Martins, e pelo presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo.

                     


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - DSM lança campanha global para promover soluções inovadoras em energia limpa

                    DSM lança campanha global para promover soluções inovadoras em energia limpa
                    O Bright Minds Challenge avalia projetos inovadores em energia solar e armazenamento de energia pelo…

                    A DSM, empresa global com foco em ciência e que desenvolve soluções inovadoras (ingredientes e matérias-primas) para melhorar a qualidade de vida das pessoas, anuncia o lançamento mundial do Bright Minds Challenge, uma ação inédita, realizada globalmente, para desafiar pesquisadores, cientistas, estudantes e curiosos de todo o planeta. Com foco em energia solar e armazenamento de energia, o Bright Minds Challenge é um prêmio que reconhecerá o talento de pessoas com ideias inovadoras e projetos audaciosos voltados para os dois temas deste ano.

                    A participação no prêmio é aberta a todas as pessoas, entre empreendedores, estudantes, pesquisadores e profissionais ligados ou não a universidades, empresas, instituições de pesquisa, Organizações Não Governamentais (ONGs), startups etc. Para a DSM, uma das líderes no campo da ciência com impacto social no mundo e na América Latina, reconhecer talentos originais e inovadores é fundamental para realizar negócios. Neste contexto, a empresa enxerga na ciência o caminho para resolver questões relacionadas à pesquisa e desenvolvimento e à sustentabilidade.

                    ?A DSM acredita que a ciência pode mudar o mundo e, por meio das suas empresas, cria soluções para melhorar a vida das pessoas atualmente e para as gerações futuras. Como sabemos que existem inúmeras mentes brilhantes e ainda desconhecidas em todo o mundo, com grandes ideias e soluções para os principais problemas da humanidade, a DSM quer ajudar a transformar projetos em realidade?, afirma o presidente da companhia na América Latina, Maurício Adade.

                    Apoio e infraestrutura para transformar projetos em realidade

                    Os projetos vencedores terão o apoio da DSM para financiar a transformação de ideias em realidade. Aos três primeiros colocados, a companhia oferecerá a infraestrutura necessária para o desenvolvimento dos projetos, como acesso aos seus centros de pesquisa no mundo e aos laboratórios de universidades e empresas parceiras na Europa, Estados Unidos e Ásia. Adicionalmente, os ganhadores receberão treinamentos de marketing e de conteúdos para gerar e potencializar negócios. Mas a DSM ressalta, porém, que o principal benefício aos vencedores é a visibilidade mundial gerada pelo prêmio para as inovações.

                    Os interessados em mostrar suas ideias devem criar um vídeo sobre os seus projetos inovadores e inscrevê-los no site www.sciencecanchangetheworld.org a partir de 26 de outubro. Os vídeos serão submetidos à votação popular de janeiro a fevereiro de 2017. Na etapa seguinte, em abril, os participantes que enviaram os dez vídeos com maior número de votos seguirão para a Europa para apresentar pessoalmente o projeto para um grupo de jurados (a DSM arcará com as despesas de viagem e hospedagem de um participante por equipe / projeto). Após isso, o júri definirá os três finalistas, cuja colocação será conhecida em uma cerimônia especial de premiação em junho, na Europa (o local ainda está em definição ? nesta fase, a DSM arcará com os custos de viagem e hospedagem de dois participantes por equipe / projeto).

                    Sobre a participação da América Latina, a DSM tem perspectiva de receber um grande número de projetos devido ao potencial local de desenvolvimento de inovações na área de energia renovável e do crescimento do setor pelo reconhecimento sobre o futuro papel dessa fonte na matriz energética. A empresa lembra que, no que diz respeito à evolução da aplicação de energia solar no Brasil, por exemplo, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) espera que cerca de 1,2 milhão de unidades consumidoras devem produzir sua própria fonte de energia elétrica até 2024, deixando de ser consumidores para se tornarem geradores de energia.


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Você É Um Líder Que Inspira Ou Que Oprime?

                    Você É Um Líder Que Inspira Ou Que Oprime?
                    Uma liderança inspiradora é, antes de tudo, servidora. Ao se colocar a serviço de seus…

                    Uma liderança inspiradora é, antes de tudo, servidora. Ao se colocar a serviço de seus subordinados, o líder inicia um relacionamento de confiança entre ambas as partes, capaz de transformar o ambiente profissional e engajar sua equipe.

                    Como vão os resultados da sua equipe? Têm sido satisfatórios ou deixam a desejar? Saiba que, independentemente de quais forem, eles são o reflexo do seu exemplo e da sua gestão. Portanto, se os resultados vão mal, definitivamente a grande parcela de culpa está no gestor que não soube extrair de seus colaboradores o melhor que têm a oferecer. Por outro lado, se os resultados surpreendem positivamente, saiba que, por trás deles, há um líder inspirador.

                    Liderar, acima de qualquer coisa, é ajudar as pessoas a obterem sucesso naquilo que fazem. O líder funciona como um farol, um guia, um mentor para que as atividades sejam esclarecidas e se tornem mais fáceis de serem desempenhadas.

                    Foi-se o tempo em que aquele modelo de chefe durão, opressor, que delegava as funções e não dava suporte para equipe fez sucesso. Hoje, cada vez mais, as empresas reconhecem a importância do capital humano e, consequentemente, procuram por líderes capazes de inspirar suas equipes a darem o melhor de si. Afinal, os resultados são vistos diretamente no faturamento da empresa.

                    De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, os trabalhadores que se consideram felizes em seus empregos, tendem a ser 31% mais produtivos e a realizarem vendas 37% superiores aos que se consideraram infelizes. A conta é simples e fácil de ser compreendida, basta que você observe os diferentes departamentos da empresa em que trabalha e perceba a relação entre líderes e seus subordinados. Equipes que mantêm um bom relacionamento, onde as pessoas trabalham em sinergia e de bem com a vida, tendem a entregar resultados, em quantidade e qualidade, infinitamente superiores a aquelas que trabalham sob um regime ditador e opressor.

                    Uma liderança inspiradora é, antes de tudo, servidora. Ao se colocar a serviço de seus subordinados, o líder inicia um relacionamento de confiança entre ambas as partes, capaz de transformar o ambiente profissional e engajar os colaboradores nas causas da empresa. Com isso, trabalhar em equipe não será mais um desafio, mas algo estimulante de se fazer.

                    Mas como fazer para sair do círculo vicioso de que ?chefe manda e funcionário obedece?? Para se tornar um líder inspirador, o profissional deve ter em mente que seu exemplo tem o poder de fazer com que todos se movam em um objetivo comum. Contudo, para alcançar a contribuição de seus colaboradores, o líder deve se comprometer a conhecer cada membro de sua equipe particularmente e ter a sensibilidade para tratar cada um de maneira personalizada.

                    Com isso, o tratamento abusivo e a ?muleta? da reafirmação sobre a ordem hierárquica poderão ser dispensadas, uma vez que líderes inspiradores são reconhecidos por seus talentos e competências e, não, porque a equipe o teme.
                    Para você, o que é melhor? Ser motivo de inspiração ou de tortura? Cada vez mais as empresas reconhecem a importância de uma liderança inspiradora. Como Gandhi certa vez disse: ?Seja você a mudança que quer ver no mundo?.

                    Tathiane Deândhela é especialista em Gestão do Tempo e Produtividade. Publicou recentemente a 2ª edição do livro "Faça o Tempo Trabalhar para Você". É palestrante, mestre em liderança pela Universidade de Atlanta, fundadora do Instituto Deândhela, empresa especializada em treinamentos executivos de alta performance nas áreas de gestão do tempo, negociação com metodologia aprendida em Harvard, atendimento com metodologia aprendida na Disney e oratória.


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - APTS Notícias vence o Prêmio Allianz Seguros de Jornalismo

                    Reportagem de Márcia Alves foi uma das oito vencedoras da nona edição do concurso

                    A reportagem ?Desastres ambientais desafiam indústria de seguros?, de Márcia Alves, venceu em Seguros, categoria Linguagem Escrita ? Especializado em Seguros. O anúncio foi feito na noite desta quinta-feira, 24, quando foram revelados durante cerimônia de premiação, em São Paulo, os vencedores do 9º Prêmio Allianz Seguros de Jornalismo. Com recorde de matérias participantes ? cerca de 2,5 mil ?, o concurso atingiu a marca de mais de 11.870 inscrições desde sua primeira edição.

                    A matéria da revista APTS Notícias retrata as dificuldades das seguradoras em relação a incidentes causados por catástrofes ambientais, seja por intervenção humana ou como consequência das mudanças climáticas. A reportagem também traz os impactos para a sociedade e as soluções adotadas por outros países.

                    Do total de inscrições vindas de 746 jornalistas de 55 cidades brasileiras, 40 chegaram à final e oito ganharam o Prêmio ? os vencedores das sete categorias de imprensa ganharam R$ 15 mil e o da "Categoria Especial Comunicação Corporativa", Menção Honrosa. Os vencedores foram eleitos após análise e debate do Comitê de Premiação, composto por jornalistas e especialistas nos temas do concurso, sem interferência da Allianz Seguros. Confira aqui os currículos dos jurados.

                    No tema ?Seguros?, concorriam 15 finalistas, cinco por categoria. E as reportagens vencedoras foram as assinadas por Daniel Barros, da Exame; Márcia Alves, da APTS Notícias; e Priscila Yazbek, do portal Exame.com. As matérias finalistas deste tema, foram julgadas pelo comitê formado por Denise Bueno, Hélio Gurovitz e Walter Polido. O jornal O Estado de S.Paulo e a revista Exame ainda receberam menções honrosas por terem sido os veículos que mais deram espaço a notícias relacionadas ao mercado segurador, considerando as matérias inscritas na categoria Nacional e Regional.

                    Em ?Sustentabilidade ? Mudanças Ambientais?, 20 trabalhos, de quatro categorias, veiculados em impressos, portais, emissoras de rádio e TV e meios de comunicação corporativos estavam na final. Os ganhadores são: Patrik Camporez, de A Gazeta (ES); Patrícia Araújo, da TV Brasil; Eduardo Matos, da Rádio Gaúcha; e Hemília Maia Ribeiro, do Portal Unemat.

                    O trabalho vencedor da categoria ?Linguagem Escrita ? Nacional e Regional? foi eleito por Aldem Bourscheit, Dal Marcondes e Luciana Soler. Os dois últimos jurados, acompanhados por José Pascowitch, também foram responsáveis por apontar o primeiro colocado em Comunicação Corporativa.

                    Heródoto Barbeiro e Priscila Brandão compuseram o júri de Telejornalismo e Anchieta Filho e Mariza Tavares o de Radiojornalismo. Os dois comitês contaram ainda com a participação e análise de Paulo Artaxo, que atuou como jurado técnico-científico.

                    Pela primeira vez no concurso, o troféu do tema ?Especial Educação Allianz Auto Instituto Ayrton Senna? foi conquistado por Luiz Fernando de Toledo, de O Estado de S.Paulo. As matérias finalistas deste tema foram julgadas por Daniel Cara, Renata Cafardo e Renato Janine Ribeiro.


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Previsul Seguradora incentiva doação de sangue

                    A Previsul Seguradora realizou uma ação especial em prol do dia Nacional de Doador de…

                    De acordo com o Ministério da Saúde, em 2015, foram coletadas 3,7 milhões de bolsas de sangue no país. Ainda que o Brasil siga os parâmetros internacionais de doação de sangue, é preciso ampliar e fidelizar o número de doadores. O ato de doação de sangue é rápido, simples e pode salvar até três vidas.

                     

                     


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Extensões inéditas têm enfoque na área de Direito

                    Serão realizados três cursos inéditos, em Recife (PE) e Porto Alegre (RS)

                    A Escola Nacional de Seguros está oferecendo três cursos de extensão inéditos na área de Direito, em Recife (PE) e Porto Alegre (RS).
                     
                    Intermediação na Contratação do Seguro ? Reflexos Jurídicos terá início no dia 16 de dezembro. O curso acontecerá em Porto Alegre e visa analisar os limites objetivos e legais da atividade de corretagem de seguros na contemporaneidade.
                     
                    O docente será o administrador Márcio Ribeiro e o investimento é de R$ 584,00, podendo ser dividido em duas parcelas de R$ 292,00.
                     
                    Já o curso Direito Securitário, também com início no dia 16 de dezembro, abordará as principais inovações em relação ao contrato de seguros contidas no Código Civil, enfatizando as obrigações e direitos do segurador e do segurado. Marcadas para Recife, as aulas serão conduzidas pelo doutor em Direito, Itapuã Beltrão. O investimento é de três parcelas de R$ 292,00.
                     
                    Também em Recife, será realizada a extensão Direito Processual Securitário. Ministrado pelo advogado Márcio Malfatti, o curso apresentará os principais impactos causados pelas alterações do novo CPC no mercado de seguros e outras mudanças no rito processual. O investimento é de três parcelas de R$ 291,66.
                     
                    Ao final do curso, cumprindo os requisitos para aprovação, o aluno poderá solicitar aproveitamento dos créditos nos cursos regulares de MBA, de acordo com os respectivos programas.
                     
                    Para participar é necessário nível superior completo e interesse nos aspectos processuais da operação de seguros. Inscrições e mais informações estão disponíveis no www.funenseg.org.br.

                     


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Amigo do Seguro capacita jovens em São Paulo

                    Turma foi realizada em parceria com os institutos Techmail e Porto Seguro

                    Responsáveis pelo Amigo do Seguro, professores e alunos do curso

                    O programa Amigo do Seguro, da Escola Nacional de Seguros, acaba de capacitar mais 12 jovens em São Paulo (SP). A cerimônia de formatura foi realizada na última segunda-feira, 21 de novembro.
                     
                    Os alunos passaram por aulas de Língua Portuguesa, Noções de Informática, Orientação Profissional, Excelência no Atendimento, Conceitos Básicos de Seguros e Laboratório de Seguros. Agora, os aprovados estão disponíveis para estagiar em empresas do mercado. No ano passado, 128 jovens foram contratados por companhias do setor.
                     
                    Esta turma do projeto foi organizada em parceria com o Instituto Porto Seguro, que cedeu o espaço para as aulas e realiza o encaminhamento dos jovens para o mercado, e com o Instituto Techmail, que auxilia no recrutamento e processo seletivo.
                     
                    A responsável pelo Amigo do Seguro na Escola, Tatiana Freire, destaca que o programa beneficia a todos os envolvidos na parceria. ?Os alunos têm a oportunidade de se capacitar para um novo mercado de trabalho e podem concorrer às vagas, enquanto as empresas podem recrutar jovens recém qualificados e motivados. Para a Escola, é uma recompensa ver a formação desses novos talentos, que futuramente contribuirão para o desenvolvimento dessa indústria?, afirma.
                     
                    Além de Tatiana, estiveram presentes no evento o diretor do Instituto Techmail, Luiz Fernando Carvalho, a representante do Instituto Porto Seguro, Rosana Aparecida, a coordenadora Pedagógica Angela Simões, e os professores Márcia Pavão Camilini e Ricardo Baptista.
                     
                    Criado em 2002, o Amigo do Seguro é uma ação de responsabilidade social da Escola Nacional de Seguros, que tem como objetivo oferecer qualificação profissional a jovens, entre 16 e 20 anos, que estiverem cursando o Ensino Médio em escolas públicas.


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Subscrição e Precificação são temas de novo livro da série Textos Didáticos

                    Livro pode ser adquirido no site da Escola, por R$ 35,00

                    A subscrição e a precificação de riscos por parte das seguradoras são processos técnicos e complexos que envolvem muitas etapas.
                     
                    A subscrição é um aumento do capital deliberado por uma empresa para a obtenção de recursos. Já a precificação de seguros é o motor mais importante da rentabilidade das seguradoras e responsabilidade primordial dos atuários.
                     
                    Assim, são processos que levam em conta diversos fatores. Envolvem a tomada de decisão seletiva, de riscos aceitáveis, determinação do prêmio a ser cobrado, os termos do contrato e o monitoramento das decisões.
                     
                    O terceiro título da série Textos Didáticos, ?Subscrição de Riscos e Precificação de Seguros?, que acaba de ser lançado pela Escola Nacional de Seguros, aborda os diversos métodos e técnicas relativos aos procedimentos dessas atividades.
                     
                    De autoria do engenheiro mecânico Sergio Ricardo de Magalhães Souza, a obra visa debater os assuntos nos meios acadêmico e empresarial, motivando as pessoas envolvidas a explicitarem suas experiências, contribuindo, assim, para a construção de um mercado ainda mais forte.
                     
                    ?O autor discute os diversos métodos e técnicas relativos aos dois processos, que garantem o crescimento das companhias e do mercado em que operam. O texto objetiva ser referência nos cursos superiores da Escola sobre esses temas?, afirma no prefácio o assessor da Diretoria Executiva da Escola e editor executivo do livro, Lauro Faria.
                     
                    O livro pode ser adquirido no www.funenseg.org.br, por R$ 35,00.


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Bacharelado forma administradores para cargos gerenciais

                    Continuam abertas as inscrições para o Bacharelado em Administração, que será ministrado pela Escola Nacional…

                    O curso oferece uma visão transversal e ampla da Administração e tem como proposta formar profissionais com perfil para atuação em cargos gerenciais. O conteúdo contempla toda a grade encontrada nos bacharelados tradicionais de Administração, com o diferencial de oferecer mais de 300 horas/aula de disciplinas sobre seguros e temas afins, garantindo um amplo leque de opções para os egressos, incluindo carreira acadêmica.
                     
                    Os vestibulares para as duas capitais devem ser agendados para uma das datas pré-estabelecidas: 3, 5, 7 ou 10 de dezembro. O processo seletivo é feito por meio de redação, mas também há outras três formas de ingresso: aproveitamento da nota do ENEM (últimos dois anos), transferência externa e apresentação de diploma de nível superior.
                     
                    As mensalidades são de R$ 840,00 no Rio de Janeiro e de R$ 950,00 em São Paulo, com desconto de 10% para pagamentos efetuados até o dia 10 de cada mês. Alunos que se matricularem até 15 de dezembro estarão isentos da primeira mensalidade. As inscrições devem ser feitas no hotsite www.profissaosegura.com.br, onde mais informações estão disponíveis.
                     
                    Formatura
                     
                    No dia 18 de novembro, foi realizada cerimônia de colação de grau de 12 alunos do Bacharelado em Administração de São Paulo. A formatura aconteceu no auditório da Unidade da Escola na capital paulista.
                     
                    Representaram a Instituição o diretor executivo, Renato Campos, que outorgou o grau aos formandos, o diretor acadêmico Mario Pinto, e os professores Sidney Dias e Maurício Manzali, escolhidos, respectivamente, como patrono e paraninfo da turma.
                     
                    ?Os alunos que se formam hoje estão capacitados para atuar no mercado de seguros, que segue em crescimento e exige profissionais cada vez mais qualificados. Esperamos que esses jovens aproveitem as oportunidades e façam grandes carreiras nesse setor?, afirmou Renato Campos, na ocasião.


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Diretor executivo recebeu homenagem do CSP-MG

                    A manhã da última quarta-feira, 23 de novembro, foi de homenagens no Clube de Seguros…

                    Na cerimônia, também foi reconhecido o trabalho de executivos que contribuíram de maneira significativa para o resultado positivo do mercado. O diretor executivo da Escola Nacional de Seguros, Renato Campos, foi um dos homenageados.
                     
                    Ao receber a homenagem, Campos falou sobre as boas perspectivas para os seguros de Vida. ?São produtos com grande potencial de crescimento e tema de cursos, eventos e publicações da Escola, entre outras iniciativas que fazemos?. O diretor também comentou a parceria entre as duas entidades. ?Estou muito feliz com a relação que mantemos com o CSP-MG, seguiremos juntos em todos os projetos para desenvolvimento do mercado?, disse.
                     
                    A coordenadora da Unidade da Escola em Belo Horizonte, Angela Leopoldino, também foi reconhecida por sua atuação no estado. ?Nada disso seria possível sem a minha equipe?, agradeceu.
                     
                    O presidente do Clube, João Paulo Moreira de Mello, lembrou a criação da entidade, há seis anos. ?Nesse período, o Clube cumpriu o seu papel: promoveu palestras, cursos e debates. Queremos conversar com o mercado e conquistar o corretor para a disseminação dos seguros de pessoas?, destacou.

                     


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Tecnólogo concede diploma de nível superior em dois anos

                    Uma opção rápida e segmentada para aqueles que desejam construir uma carreira em campos específicos…

                     A graduação tecnológica é destinada a quem pretende adquirir uma visão focada no setor, tornando-se um profissional com funções práticas e instrumentais do segmento. Para o diretor de Ensino Superior da Escola, Mario Pinto, o curso vem preencher uma lacuna na qualificação da mão de obra especializada.
                     
                    ?Existem profissionais que não possuem diploma de nível superior, mas, também, não dispõem de tempo para frequentar um bacharelado tradicional de quatro anos. Isso nos motivou a criar a graduação tecnológica?, explica.
                     
                    Com duração de dois anos, o curso fornece certificações profissionais parciais e, ao final, diploma de nível superior. O egresso também tem a opção de estender o curso por mais dois anos e se formar bacharel em Administração, de acordo com a disponibilidade de vagas no bacharelado.
                     
                    O processo seletivo consiste em redação, que pode ser agendada para 3, 5, 7 ou 10 de dezembro. A mensalidade é de R$ 710,00 e o início das aulas será em 6 de fevereiro de 2017. Alunos que realizarem matrícula até 15 de dezembro estarão isentos do pagamento da primeira mensalidade.
                     
                    As inscrições devem ser feitas no site www.profissaosegura.com.br, onde mais informações estão disponíveis.

                     


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - Por trás de uma grande rede de franquias existe sempre um grande empreendedor

                    O candidato a uma franquia precisa conhecer o que levou a rede de franquias que…

                    Analisando a história de muitas redes de franquias de sucesso no Brasil percebe-se que tudo foi conseguido com muito trabalho, com uma luta diária dos empreendedores em busca de resultados, de melhores processos, da qualidade de seus produtos e do atendimento ao cliente. O sucesso não veio por acaso. Muitas empresas passaram por todos os estágios de desenvolvimento dos negócios, da fase Empreendedora à de Desenvolvimento e por último da Maturidade. Uma grande parte está na fase de Desenvolvimento, onde a busca por ocupação de mercado e de maior volume de venda é o foco principal.

                    Por mais que este empreendedor ainda tenha que percorrer algumas etapas de seu processo de desenvolvimento, até chegar ao estágio de maturidade ele detém um conhecimento profundo sobre o seu negócio. A curva de aprendizado percorrida permitiu a ele um domínio sobre o que é melhor para o sucesso do seu negócio, mais especificamente no que diz respeito a produtos, clientes e mercado. Por vezes, ainda lhe falta aperfeiçoamento na estrutura e nos processos, mas, a essência do negócio ele domina.

                    Conhecer as informações do passado e do presente das redes fica mais fácil para os candidatos a uma franquia ou para os franqueados entenderem o conceito do negócio e os processos e critérios definidos pela franqueadora em manuais e contratos, bem como o que deu certo e o que não deu e as razões; Por que esse produto e não aquele; Por que esse preço e não da rede tal e por que não fazer isso ou aquilo.

                    Por vezes, em processos de seleção de franqueados, nos deparamos com comportamentos de profissionais querendo "reinventar a roda" e com questionamentos precipitados e muitas vezes sem conhecimento de causa e sem embasamento técnico, sobre a gestão e os processos formatados para a franquia. O franqueador deve estar atento para esse tipo de comportamento, pois se aspectos levantados pelo candidato ou pelo franqueado não forem devidamente esclarecidos - e aqui vai uma alerta - com paciência e entendimento do momento de ansiedade que ambos estão passando, podem ocorrer duas situações: No caso do franqueado, pode levá-lo a desviar o foco de sua atenção que deve estar 100% voltada para o conhecimento da operação e capacitação da equipe. Se for um candidato, ele pode optar por outra rede e, geralmente aquela que, mais atenta, respondeu à sua necessidade de informações durante o processo de seleção.

                    Diante deste cenário vai uma alerta aos futuros franqueados: Se a essência do franchising está em replicar um modelo de sucesso, procure avaliar antes os fatores de sucesso da rede que está pesquisando, tire todas as dúvidas com os franqueadores e, se necessário, peça ajuda a especialistas. O que não conhecemos, não temos como avaliar, muito menos questionar. Não dá para discutir sobre o Mark up de um negócio sem entender a cadeia de abastecimento dos produtos, logística, preços de mercado, custos internos e outros dados que só a franqueadora terá condições de esclarecer, salvo que o candidato seja alguém do mercado e que domine o assunto. O que não quer dizer que o candidato deva aceitar tudo que está numa planilha, mas, deve conhecer as premissas utilizadas junto ao franqueador e entrar no negócio após ter esclarecido todas as dúvidas quanto aos resultados projetados para os primeiros cinco anos.

                    Só o fato do franqueado entender as razões que levaram a rede ter o sucesso que tem, o relacionamento com o franqueador tende a fluir melhor no futuro, sem o estresse que às vezes acontece no início de qualquer relacionamento. O conceito de interdependência deve estar claro desde o início do relacionamento na mente do franqueado e do franqueador. Este deve ver o franqueado como um cliente e parceiro de valor e o franqueado por outro lado deve ver o franqueador como líder que domina o negócio e que as regras do sistema de franquia formatado por ele devem ser praticadas, antes de qualquer outro processo ou ideia que deseje implantar.

                    Finalizando, a confiança que o franqueado deposita no franqueador e vice-versa é o caminho para uma relação saudável e lucrativa no futuro. Portanto, sucesso!


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - 24ª Revista Aconseg-RJ: ?Internet das Coisas? e os novos caminhos do seguro

                    A 24ª edição da Revista da Aconseg-RJ traz matéria sobre a forma como a Internet…

                    A versão mais dinâmica da revista Aconseg-RJ, estreada em agosto, mostrou que agradou ao público. A mudança editorial fica ainda mais clara na 24ª edição, que acaba de entrar em circulação: como tema principal, o veículo aborda a Internet das Coisas, que permite a conexão e a interação entre objetos sem intervenção humana ? e prometendo revolucionar o mercado de seguros, principalmente o segmento de Auto.

                    ?A tecnologia deverá provocar uma revolução na subscrição de riscos dos veículos, que hoje consideram idade, sexo, tempo de habilitação, infrações de trânsito e histórico de acidentes do motorista?, contou Henrique Motta, membro da AIDA Brasil e advogado da Motta, Soito e Sousa Advocacia, em entrevista.

                    A partir desta edição, a revista conta ainda com artigo fixo de Henrique Brandão, presidente do Sincor-RJ. Em sua estreia, o executivo cita o papel de transformação social do corretor de seguros, que, para ele, pode ajudar a resolver um dos males que estão no centro dos problemas que o Brasil enfrenta: a ainda baixa penetração do segu­ro.

                    A publicação também relembra a campanha ?Correto Certo?, lançada pela Aconseg-RJ para comemorar o Dia do Corretor de Seguros, em 12 de outubro. Segundo o presidente da Aconseg-RJ, Luiz Philipe Baeta Neves, a iniciativa tem o objetivo de prestigiar a profissão, valorizando suas estratégias de comunicação com os segurados e futuros clientes.

                    Essas e outras matérias imperdíveis estão disponíveis na Revista Aconseg-RJ. A versão digital você acessa no site www.aconseg-rj.com.br.

                    Sobre a Aconseg-RJ |

                    Fundada em 1998, a Associação das Empresas de Assessoria e Consultoria de Seguros do Estado do Rio de Janeiro (Aconseg-RJ) é uma entidade que reúne as assessorias de seguros, modelo de negócios que reformulou as áreas de produção das companhias e já movimenta mais de um bilhão e meio em prêmios por ano. A entidade realiza cursos, palestras e debates para fomentar o desenvolvimento das assessorias de seguros no Estado do Rio de Janeiro. A diretoria 2016/2018 é composta por Luiz Philipe Baeta Neves (presidente), Joffre Nolasco (1º secretário), César Braga (2º secretário), Mário Roberto Santos (1º tesoureiro) e Olívio Américo (2º tesoureiro).


                    saiba mais »

                    27/11/2016 - 10º Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável

                    A premiação reconhece os melhores projetos nas áreas de empreendedorismo e sustentabilidade de todo o…

                    Já estão abertas as inscrições para a 10ª edição do Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável, iniciativa do Instituto Superior de Administração e Economia (ISAE). Realizado anualmente, o prêmio homenageia um dos grandes empreendedores da história brasileira e é considerado uma das grandes celebrações do empreendedorismo sustentável, reunindo projetos de todos os cantos do país que contribuam para o desenvolvimento da sociedade.

                    Em sua décima edição, o Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável está dividido em quatro categorias (Empreendedorismo Social, Empreendedorismo Ambiental, Empreendedorismo na Educação e Empreendedorismo Econômico) que abrangem três modalidades: Empresarial (Empresa de Micro e Pequeno porte, Empresa de Médio porte, Empresa de Grande-Médio e Grande porte), Comunidade Acadêmica (Graduação e Pós-Graduação) e Pessoa Física. Além disso, nessa edição o prêmio apoia os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), lançados pela Organização das Nações Unidas (ONU).

                    O Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável chega ao seu décimo ano de história reconhecendo ideias e projetos que contribuem para a melhoria de vida de milhares de brasileiros. ?Ao longo desses anos, ficou claro para nós que o conjunto das iniciativas destacadas pela premiação traz uma mudança de paradigmas. Isso é motivador e nos empolga, dando a certeza de que com criatividade e incentivo, os empreendedores brasileiros podem construir uma sociedade digna e justa para todos?, comemora Norman de Paula Arruda Filho, presidente do Instituto Superior de Administração e Economia (ISAE).

                    Sobre Ozires Silva

                    Formado em engenharia pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Ozires Silva traz um longo histórico de contribuição para o desenvolvimento do país, principalmente para o avanço da indústria aeronáutica brasileira. Foi um dos fundadores da Embraer, presidente da Petrobras e, posteriormente, ministro da Infraestrutura. Já publicou cinco livros e recebeu diversas condecorações internacionais.

                    As inscrições para o 10º Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável são gratuitas e podem ser realizadas até o dia 07 de dezembro por meio do site do prêmio (www.isaebrasil.com.br/premio). Os grandes vencedores serão conhecidos na festa de premiação, que será realizada em Curitiba, no dia 08 de fevereiro de 2017. Mais informações pelo e-mailpremio [AT] isaebrasil [DOT] com [DOT] br ou (41) 3388-7817.


                    saiba mais »

                    28/11/2016 - CELEBRASEG 2016 foi um grande sucesso

                    CELEBRASEG 2016 foi um grande sucesso
                    O CELEBRASEG evento que já se tornou tradição na Bahia reuniu na última sexta-feira(25), no…

                    Os representantes das entidades subiram ao palco , falaram das conquistas e a importância do encontro, fazendo um brinde no final de seus discursos, dando seguimento com muita interação , confraternização e som ao vivo de altíssima qualidade. O público foi presenteado com uma festa em grande estilo.

                    Segundo o presidente do Clube dos Seguradores da Bahia e executivo da Previsul, Fausto Dórea, o evento foi inesquecível, bem organizado e com a presença de mais de 400 convidados. "Estamos todos de parabéns", enfatiza.

                    Vale ressaltar que todo esse movimento positivo deve-se a união e coletividade das entidades que a cada ano se fortalecem mais, trazendo para o segmento uma ação simultânea, beneficiando o mercado baiano de seguros .

                     


                    saiba mais »

                    28/11/2016 - 20 anos da lei: Experiência da Arbitragem no Seguro foi tema de evento da AIDA

                    20 anos da lei: Experiência da Arbitragem no Seguro foi tema de evento da AIDA
                    No último dia 21 de novembro, no Hotel Maksoud Plaza - São Paulo, o Grupo…

                    "O evento foi de suma importância ao mercado segurador, pois apresentou as possiblidades de uso da Arbitragem nos contratos de seguro e resseguro e destacou, principalmente, que no Brasil a cultura da arbitragem vem crescendo a cada ano e convidando as partes instituírem os Tribunais Arbitrais para causas de maior complexidade e custo elevado", explica Vivien Lys Porto, presidente do GNT de Solução de Conflitos.

                    O evento teve como objetivo abordar temas pertinentes à interface da Arbitragem com as questões securitárias, tais como: o Seguro Garantia; Poder Público; Intervenção de terceiros; Regulação e Instituição da Arbitragem no Brasil por players internacionais. Como palestrantes recebemos os Drs. Sergio Ruy Barroso de Mello, Carlos Forbes e Ricardo Aprigliano e a Dra. Selma Lemes. Como moderadora, Dra. Ana Marcato, Vice-Presidente do GNT de Solução de Conflitos.

                    Foi concluído que a essência da Arbitragem aplicável aos contratos de seguros de grandes riscos e resseguros é a possibilidade de sua instituição no Brasil, pois as algumas Câmaras Brasileiras possuem estrutura e qualidades iguais ou superiores às Câmaras internacionais.


                    saiba mais »

                    28/11/2016 - O mercado contabiliza quem perdeu e explica a razão do sucesso de alguns negócios

                    Marcos Biaggio
                    Para muitos empresários, o ano já está liquidado; para outros, chegou a hora de aproveitar…

                    Vale mencionar também que muitos negócios cresceram e prosperaram, apesar das barreiras conjunturais. Esses que tiveram resultados satisfatórios, e não são poucos, são administrados sob um pensamento que conta com menos variáveis externas e com mais inteligência na conquista e na preservação de clientes, além de elevada capacidade de gestão dos seus custos.

                    Aqueles que ficaram bem abaixo de seus planos culpam a alta carga tributária, a falta de incentivos, a elevação dos custos de produção, a concorrência estrangeira... E, é claro, a queda na demanda com o desaquecimento da economia.

                    Outras razões explicam o baixo desempenho das empresas, como falta de empenho do seu dono, incapacidade de estruturar uma força de venda atuante ou falha ao planejar finanças, marketing, produção, distribuição e serviços aos clientes. Se analisarmos o que os negócios bem-sucedidos têm em comum, entenderemos mais fácil ainda o que faltou aos empresários que não alcançaram êxito.

                    Tipicamente, as empresas bem estruturadas e rentáveis apresentam as seguintes características:

                    • O dono do negócio possui uma mente aberta e está sempre disposto a aceitar as mudanças que ocorrem (mercado, consumidor, concorrência, tecnologia etc) e possui grande capacidade de se adaptar rapidamente às mudanças.
                    • Orientação. O empresário preocupa-se em orientar-se e aconselhar-se junto a especialistas e consultores. Normalmente se orientam com contadores, advogados, experts em marketing e vendas etc sobre como fazer o seu negócio crescer.
                    • O empresário está disposto a tirar vantagem das mudanças tecnológicas, progresso da economia do país e das novas ferramentas dos processos de vendas. Ele é capaz de transformar dificuldades em oportunidades.
                    • Consciência. Empresários bem-sucedidos são conscientes do andamento do seu fluxo de caixa e rentabilidade e estão sempre dispostos a fazer mudanças com agilidade, se necessário. Sua características mais marcante é a capacidade de identificar necessidades e implementar mudanças no negócio.
                    • Eles criaram um sistema de gestão e geração de resultados (mais clientes, mais vendas e maiores lucros) que é claro e simples de ser aplicado no seu negócio. Por conta desse sistema, esses empresários podem focar os seus esforços no crescimento do seu negócio.
                    • O empresário bem-sucedido é capaz de criar uma boa cultura e excelente clima na sua empresa. A comunicação entre os departamentos é bem conduzida de modo que o negócio possa contar com uma equipe que trabalha de forma produtiva em busca de objetivos comuns.

                    No processo de desenvolvimento de um negócio competitivo, os seis pontos expostos acima são essenciais e decisivos para garantir o sucesso empresarial. O empresário, independente do porte da sua empresa, tem a opção de aprender sozinho as boas práticas de gestão capazes de levá-lo ao sucesso, o que pode levar muito tempo e às vezes até com perda de dinheiro; ou ainda contar com o apoio de um conselheiro de confiança, alguém capaz de mantê-lo focado e com a habilidade necessária para desenvolver as competências comuns aos donos de negócios bem-sucedidos.

                    Cabe a cada empreendedor identificar o tipo de suporte capaz de apoiá-lo na construção de um negócio de êxito.

                    ===================================================

                    O autor é coach empresarial e consultor de vendas.
                    Solicite informações sobre o programa de formação de equipe de vendedores de alto desempenho para mais clientes, mais vendas e maiores lucros.
                    Ligue 11 97594-0660 ou acesse www.mbmastercoach.com


                    saiba mais »

                    28/11/2016 - Com tantos atos indignos (e a Lei do Gérson em plena expansão) importa muito a defesa dos interesses de classe

                    Armando Luis Francisco
                    Indignação, é somente o que se vê neste Brasil. A leitura policial e a política…

                    A verdade é que ninguém aguenta mais as nuances dos três Poderes. E temos um histórico de destruição patrimonial sem precedentes neste mundo globalizado. Os animais em plena extinção. E ?os animais? destruindo. A máquina de interesses individuais é crescente e nojenta. Os humanos parecem dizer que os seus iguais valem muito pouco ou nada.

                    Tudo bem que a Lava Jato está mudando a nação. Infelizmente, no alto custo da vertiginosa queda do PIB e quebra de empresas.  E o câncer da corrupção está tão enraizado que é preciso tirar o coração para se combater a doença.

                    Eu ouso dizer, também, que a corrupção é um tema de fé. A descrença em Deus e Sua justiça, ou a crença em um "Deus Perdoa Tudo Simplista", de maneira instantânea, sem restituição e sem mudança de comportamento, são dois polos diferentes que levam ao mesmo lugar chamado Brasil Sujo, ou melhor: O mundo Sujo.

                    O Cabral, na Bahia, descobriu o Brasil. O do Rio de Janeiro, como exemplo, os anéis de ouro. De Norte a Sul, vez por vez, os Estados decretam falência: RJ e RS, são exemplos. A criminalidade, o Recesso na Educação, a Pilhagem do Estado; a riqueza desproporcional de alguns, a Saúde Precária dos outros, o Judiciário doente, o Estado falido, o Legislativo naufrago, o Déficit maior que a Receita e o agir do povo - como eunucos nos haréns dos marajás.

                    O que é certo vira errado, como exemplo: Corretores de seguro comercializando apólices. E o que é errado fica certo: Seguros piratas e o banco público vendendo seguro, livremente, online mesmo sem autorização e com restrição judicial vigente e multa (Basta olhar no Google e Facebook).

                    Sem querer parecer uma pregação religiosa, quero trazer um pensamento expresso na época de Jesus: ?Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é a RAIZ de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos?. I Timóteo 6: 9-10 ? grifo acrescentado

                    Porém, cada qual tem sua própria maneira de encarar o Juízo de Deus e o beneplácito dos homens. Entretanto, também, é racional pensar que devemos desenvolver nossa própria moral elevada e compartilhar aspectos de crescimento pessoal, ainda que nossa vertente de pensamento não esteja engajada aos aspectos de fé e espiritualidade. Relativamente, devemos entender que nossas opções envolvem a dinâmica da engrenagem num mundo de engrenagens humanas. Como exemplo, os fins nem sempre justificam os meios. Basta dizer que Fidel Castro é amado por uns e odiado por outros; os paredões ficarão na história para quem quiser ter uma opinião sobre o santo carrasco guerrilheiro.

                    Por isso eu entendo que a defesa do interesse de classe também se comporta como um novelo assimétrico que deve ser desenrolado com certa cautela, estigma e ação corporativa nos nossos dias. A consolidação dos objetivos honestos e profissionais desenvolvem-se de maneira superior aos que descrevi acima na corrente da incorreção. E a retórica da contribuição máxima que poderíamos dar não se subjugam a inércia de comportamento grotesco e doente de outras instituições. Resumindo: Lutar até a fixação dos valores, preservando a dignidade e o interesse coletivo.

                    E tenho visto o desenvolvimento desta atitude de luta em nosso meio profissional. Afirmando que, em relação a ação para defesa do interesse dos corretores, estamos vivendo em um momento oportuno de ações ortodoxas contra intemperantes medidas do governo brasileiro e aventureiros de plantão. E vou mais longe,  dando nomes as ações:  O SuperSimples, as diversas atitudes no Legislativo e Judiciário, as Prerrogativas de Classe, os objetivos sindicais explorados com maestria, o combate ao seguro marginal, o embate contra as seguradoras que não receberam autorização para funcionar, o envolvimento na estrutura da política brasileira, o envolvimento na estrutura de normas e regulamentos para benefício do consumidor, etc.

                    Por isso, finalmente, em meio aos tantos atos perniciosos que temos notícia na mídia, importa a necessidade de termos uma defesa forte e institucional da categoria, verificando as brechas que surgem a cada instante no periódico brasileiro, para não se tornar mais refém de todas as mazelas da corrupção humana.   

                     

                    Armando Luis Francisco


                    saiba mais »

                    28/11/2016 - Como avançar na carreira de forma estratégica?

                    O fim do ano já se aproxima e é chegado o momento de avaliar o…

                    Pode parecer uma tarefa bem difícil, mas existem alguns atalhos que você pode tomar para ter mais clareza sobre como conquistar o estágio profissional que deseja. Veja a seguir algumas atitudes que poderão te ajudar a avançar na carreira de forma estratégica.

                    Antecipe tendências ? atualmente, vivemos no mundo da informação e da tecnologia, portanto, se olharmos com um pouco mais de atenção ao que acontece a nossa volta, conseguimos prever alguns cenários com os dados que temos disponíveis. Grandes organizações e empresas que trabalham com um bom planejamento estratégico fazem isso com facilidade. Crises econômicas e apagões, por exemplo, muito antes de acontecerem já estão no radar de profissionais para que os impactos sejam minimizados. A boa notícia é que você também pode utilizar essas informações e acompanhar de perto as novidades da sua área de atuação para prever e se preparar para as novas tendências do mercado.

                    Avalie seus pontos fortes ? depois de estar atualizado sobre que é ou não tendência na sua área, é importante que você faça uma análise bem estruturada dos seus principais diferenciais para descobrir quais convergem melhor com essas oportunidades. Assim, você poderá utilizar e desenvolver ainda mais seus pontos fortes para atender as novas demandas do seu segmento.

                    Desenvolva sua humildade ? da mesma forma que você olhou para os seus pontos positivos, você deve ter humildade para reconhecer, avaliar e trabalhar seus pontos passíveis de melhoria. Para fazer isso, você pode começar com uma análise interna, ponderando sobre quais aspectos você deveria se desenvolver. Contudo, a melhor maneira de fazer isso é perguntando a opinião das pessoas mais próximas de você e ouvindo-as sem contestar. Assim, poderá analisar com clareza e perceber onde precisa melhorar. Depois disso, é só sair da zona de conforto para fazer as mudanças necessárias ao seu crescimento profissional e, até mesmo, pessoal.

                    Ao refletir com base nestes três aspectos você conseguirá criar metas e planos muito mais estratégicos para se desenvolver na carreira. Em tempos em que a busca por melhoria contínua está cada vez mais valorizada, nada melhor do que aliar o autoconhecimento aos cenários externos para obter os melhores resultados. Essa já pode ser sua primeira resolução de ano novo!

                    Luciano Zorzal é palestrante, consultor, diretor de expansão da Zorzal Franquias e sócio-fundador da Zorzal Consultores & Auditores Associados, empresa com onze anos de atuação nacional na área de gestão empresarial e da qualidade, já certificada em conformidade com a ISO9001:2015 em janeiro de 2016.

                    Sobre a Zorzal Consultores & Assessores Associados:

                    www.zorzal.com.br/

                    Com onze anos de atuação na área de gestão empresarial e de qualidade, a Zorzal Consultores & Auditores Associados oferece serviços estruturados e personalizados capazes de atender às necessidades de cada organização, independente do porte ou área de atuação. Dentre as soluções oferecidas estão: consultorias, auditorias e treinamentos na área da qualidade e gestão empresarial, incluindo a implementação de modelos de gestão tendo como referência a consagrada norma internacional ISO 9001. Com todo esse know-how, a empresa optou por expandir pelo modelo de franquias no início desse ano.


                    saiba mais »

                    28/11/2016 - Quer tirar férias e o chefe não deixa? Tire essa e outras dúvidas sobre o tema

                    As férias é um período muito esperado pelos trabalhadores, proporcionando o descanso físico e mental…

                    O que são as férias?

                    Férias são períodos de descansos, para se ter direito a esses períodos é necessário trabalhar por doze meses consecutivos, o que é chamado período aquisitivo. Assim, após esse período desgastante de atividade laboral o empregado conquista o direito a 30 dias de férias com salário integral acrescido de um terço.

                    Esse acréscimo na remuneração visa proporcionar a possibilidade de desfrutar de atividades de lazer com sua família sem comprometer o sustento familiar, daí a obrigação da empresa em pagar, além do salário normal, o terço constitucional.

                    Quem define as férias?

                    Já vi muitas brigas trabalhistas relacionadas às férias, isso se dá pela confusão de conceito do trabalhador de que por ser seu direito essa poderá ser aproveitada quando bem desejar, esse é um erro comum.

                    Ponto que poucos se atentam é que por mais que seja um direito do trabalhador, o período a ser tirado pode ser determinado pelo empregador. Assim, se o empregado quiser tirar as férias em outubro e a empresa decidir por dezembro, vale o que o empregador quiser. Mas nesse ponto o ideal sempre são os acordos.

                    Quando se perde esse direito?

                    Há quatro situações nas quais o empregado perde o direito, conforme descreve o artigo 133 das Consolidações das Leis do Trabalho (CLT). Essas são:

                    Quando deixa o emprego e não é readmitido dentro de um período de 60 (sessenta) dias subsequentes à sua saída;
                    No caso do trabalhador que permanece em licença recebendo salários, por mais de 30 dias no período do ano ou que acumula esse período em faltas justificadas para ir ao médico, ao dentista, por falecimento de parente, em que são apresentados atestados para abono das faltas;
                    Quando não trabalha pelo período de mais de 30 (trinta) dias, em virtude de paralisação parcial ou total dos serviços da empresa, recebendo o salário;
                    Tenha ficado afastado do trabalho pela Previdência Social em função de acidente de trabalho ou de auxílio-doença por mais de 6 (seis) meses, mesmo que descontínuos.

                    Isso ocorre pelo motivo de que nesses casos o trabalhador já obteve o período de descanso, assim a justiça entende que a finalidade é atingida e não haveria obrigação por parte da empresa em conceder novo período de descanso. Em todos os casos a perda do direito se dá por motivo alheio à vontade da empresa, ou seja, por força maior (paralisação da empresa), por vontade do empregado (licença por motivo de seu interesse, ainda que seja para resolver problemas pessoais, se for de consentimento da empresa) ou ainda, por motivo de doença ou acidente.

                    As faltas justificadas podem colocar as férias em risco ou reduzir o período de 30 dias drasticamente. Com até 5 faltas justificadas há a garantia dos 30 dias de férias. De seis a 14 faltas, estão garantidos 24 dias; de 15 a 23 faltas, 18 dias; de 24 a 32 ausências, 12 dias. Acima de 32 faltas, o direito às férias remuneradas é perdido de acordo com artigo 130 da CLT.

                    Venda das férias

                    Outro ponto que causa grande confusão em relação ao tema é a possibilidade de venda de férias. Essa é sim possível, desde que a solicitação seja do trabalhador, com objetivos de aumentar a renda. O empregador não pode impor a venda desse período.

                    Caso o trabalhador opte pela venda, ele deverá comunicar a empresa até quinze dias antes da data do aniversário do contrato de trabalho. Resta ao empregador decidir o período do ano em que as férias serão concedidas, pagando o valor proporcional aos dez dias que o funcionário vai trabalhar. Importante é que o período máximo de férias permitido para se vender é de um terço.

                    Mas fique atento, muitas empresas sequer consultam os empregados para saber se este quer ou pode sair 20 ou 30 dias, simplesmente emitem o aviso e recibos de férias já com 10 dias convertidos em abono, os quais sentindo-se constrangidos em negar o pedido, acabam cedendo à vontade da empresa por conta da manutenção do emprego.

                    Divisão de férias

                    Existem também os casos em que os trabalhadores podem dividir suas férias, mas isso também dependerá de um acordo com o patrão, lembrando que isso só ocorrem em casos que as férias forem individuais, Mesmo assim a divisão terá que ser no máximo em dois períodos, não podendo ser nenhum deles menor que 10 dias. Já nas férias coletivas pode haver fracionamento mesmo que não haja anormalidade ? logo, o tratamento das férias coletivas é diferente.

                    Gilberto de Jesus Bento Junior é advogado e presidente da Bento Jr. Advogados.


                    saiba mais »

                    28/11/2016 - Até setembro, Capitalização distribui R$ 863 milhões em sorteios

                    Os clientes de capitalização têm muito a comemorar. Entre os meses de janeiro e setembro,…

                    Esse dinheiro ajuda muitos brasileiros a antecipar e realizar seus sonhos por meio dos sorteios. "Entretanto, nossas pesquisas apontam que o sorteio é um atrativo adicional, não sendo determinante para a compra do produto de capitalização. Quando adquire um título, o que o cliente deseja, seja ele de baixa ou alta renda, é o desenvolvimento de disciplina financeira para formação de uma reserva. Com a Capitalização, por meio de mecanismos como a carência para resgates, presente em praticamente todas as modalidades, e do débito direto em conta-corrente, é possível criar o hábito de guardar dinheiro. A possibilidade de ser sorteado é um estímulo para que economizar passe a ser uma rotina?, afirma Marco Antonio Barros, presidente da FenaCap.

                    Ainda segundo os dados da Federação, os resgates, valores que são retornam aos clientes e suas famílias ao fim da vigência dos planos de capitalização, ou até mesmo antes, por meio de resgates antecipados, atingiram os R$ 14 bilhões, registrando assim um aumento de 17,3% em relação ao mesmo período de 2015.

                    As provisões técnicas - valores acumulados pelos clientes e que serão resgatados ao fim do prazo de vigência dos títulos - superaram os R$ 29 bilhões. A receita global do segmento de títulos de capitalização atingiu R$ 15,5 bilhões.

                    Transparência

                    As empresas de capitalização estão investindo cada vez mais em produtos para os mais variados perfis de consumidores. Mas para garantir que o cliente saiba exatamente o que está comprando, a melhoria na comunicação tem sido uma prioridade, o que inclui desde a produção de materiais promocionais e peças publicitárias em linguagem clara e objetiva até a intensificação do treinamento de equipes de vendas. "O cliente, hoje em dia, tem mais consciência dos seus direitos e a percepção do funcionamento dos títulos de capitalização é muito maior", finaliza Marco Barros.

                     


                    saiba mais »

                    28/11/2016 - SulAmérica conquista troféus regionais no Prêmio Aberje 2016

                    A SulAmérica, maior seguradora independente do país, foi a vencedora em duas categorias na regional…

                    Na categoria ?Comunicação Integrada?, a companhia foi premiada pelo case da campanha de 120 anos, assinada pela agência Grey. A campanha marcou o aniversário da SulAmérica com o conceito ?A vida é imprevisível e, acredite, isso é muito bom? e contou com a exibição de fatos e invenções de imprevistos que aconteceram no mundo nos últimos 120 anos.

                    A seguradora também foi contemplada na categoria ?Mídia Audiovisual? com o case ?Os Estagiários, a websérie?, criada e produzida pela Oficina Produções. Dividida em quatro episódios, a série narra o desempenho da companhia em 2015, apresentando o tradicional Relatório Anual em um formato inovador.

                    A premiação chega à sua 42ª edição e reconhece anualmente as melhores práticas de comunicação empresarial no Brasil. Na ocasião, a SulAmérica foi a única seguradora premiada entre as vencedoras regionais.

                    Sobre a SulAmérica

                    A SulAmérica é a maior seguradora independente do Brasil, com uma rede de distribuição de mais de 30 mil corretores independentes. Fundada em 1895, a companhia possui cerca de 5,3 mil funcionários e atua em várias linhas de seguros, como saúde e odontológico, automóveis e outros ramos elementares, vida, além de outros segmentos, como previdência privada, investimentos e capitalização. A SulAmérica tem mais de 7 milhões de clientes, de pessoas físicas a grandes empresas, em todo o país. Em 2015, a companhia registrou receitas totais de R$ 17,4 bilhões.

                     


                    saiba mais »

                    28/11/2016 - CVG-SP recebe do CVG-PR o Troféu Pinhão de Ouro na categoria Parceiro do Ano

                    David Novloski, entregou o troféu Pinhão de Ouro para o presidente do CVG-SP, Dilmo B. Moreira
                    A edição 2016 do Troféu Pinhão de Ouro, promovido pelo CVG-PR na noite de 24…

                    No mesmo dia, ambas as entidades firmaram um Acordo de Parceria Educacional, pela qual o CVG-SP transfere ao CVG-PR a sua expertise na área de formação profissional para que a entidade possa oferecer no Paraná sua própria grade de cursos com certificação técnica. A parceria estabelece, ainda, a responsabilidade do CVG-SP pela emissão de Certificação Técnica aos alunos formados pelo CVG-PR.

                    No depoimento gravado em vídeo, o presidente do CVG-SP manifesta sua satisfação com a parceria. ?Com muito orgulho, recebemos esse troféu. O CVG-PR é um grande parceiro e o David um grande amigo. É motivo orgulho também dividir com o CVG-PR um pouco da experiência e das conquistas do CVG-SP?, disse Dilmo B. Moreira. Marcelo de Figueiredo também comentou a parceria. ?É muito gratificante para nós, porque demonstra que estamos expandido e demonstrando que a especialização não deve ser regionalizada, mas universal, para todo o mercado de seguros. Por isso, é motivo de orgulho para o CVG-SP concretizar esse antigo sonho?, afirmou.

                    Sobre a premiação
                    Realizada anualmente, a premiação reconhece os destaques do mercado de seguros de Vida, Previdência, Saúde e Dental no território paranaense. O levantamento é feito por meio de votação online, no site da entidade, pelos corretores de seguros que atuam na região e têm cadastro ativo na Superintendência de Seguros Privados (Susep).

                    Em 12ª edição, o Troféu Pinhão de Ouro premiou as categorias:

                    Profissional Destaque 2016: Ramiro Fernandes Dias ? Diretor Executivo do Sindseg-PR/MS
                    Parceiro do Ano: CVG-SP ? Representado por Dilmo B. Moreira ? Presidente do CVG-SP
                    Corretor de Seguros Dental: Sektor Corretora de Seguros
                    Corretor de Seguros Saúde: Rossi Corretora de Seguros
                    Corretor de Seguros Benefícios Interior: Condor Corretora de Seguros
                    Corretor de Seguros Previdência: Essenciale Corretora de Seguros
                    Corretor de Seguros Vida: Magicel Corretora de Seguros
                    Assessoria de Benefícios: FBR Assessoria de Seguros
                    Profissional de Dental: Najeane Rosa Rodrigues Lunelli ? Bradesco Seguros
                    Profissional de Saúde: Juliane Wladeka ? Equatorial Soluções em Saúde
                    Profissional de Benefícios Interior: Elenilson Coimbra de Souza ? FBR Assessoria de Seguros
                    Profissional de Previdência: José Gouveia ? Icatu Seguros
                    Profissional de Vida: Izabel Sabim da Rosa ? Icatu Seguros
                    Seguradora Dental: MetLife
                    Seguradora Saúde: Bradesco Seguros
                    Seguradora Previdência: Icatu Seguros
                    Seguradora Vida: Tokio Marine Seguradora 

                    • cvgsp


                      saiba mais »

                      28/11/2016 - SOMPO contrata executivo para expandir atuação no interior de São Paulo

                      Rogério Santos
                      A Sompo Seguros S.A., empresa do Grupo Sompo Holdings ? um dos maiores grupos seguradores…

                      Formado em Administração de Empresas (UNICEP) e com MBA em Gestão de Mercado de Seguros (CUML/Funenseg), Rogério Santos tem 21 anos de experiência em cargos executivos de grandes companhias nacionais e multinacionais do segmento de seguros. Em sua carreira atuou sobretudo nos segmentos de Ramos Elementares e Benefícios e nos canais de Varejo e Corporativo dos Estados de São Paulo e Paraná, bem como em regiões como Centro Oeste, Norte e Triângulo Mineiro. Além disso, o executivo também foi responsável por projetos de desenvolvimento e reestruturação de equipes de vendas. 

                      Equipe reforçada

                      A contratação de Santos é parte de uma série de mudanças que a companhia vem realizando no seu quadro com o objetivo de reforçar a base executiva e atingir a meta de crescimento esperada para os próximos anos. Em janeiro, Valter Hime iniciou como novo Diretor da Sompo Saúde Seguros, em fevereiro Fernando Grossi assumiu o posto de diretor responsável pela área comercial da companhia em todo Brasil, em abril, a equipe foi reforçada com João Melo e Silva como Superintendente Comercial, e em junho Eduardo Fazio iniciou como Diretor Comercial responsável pelo Rio de Janeiro. Em âmbito regional, Thiago Rodrigues foi contratado em fevereiro para assumir a gerência da filial Brasília.

                      QUOTE

                      Fernando Grossi, diretor comercial da Sompo Seguros:

                      ?O Rogério é um profissional renomado, que tem excelente relacionamento e conhece as demandas dos corretores do Interior do Estado de São Paulo, tanto no âmbito do Varejo, quanto no Corporativo. Ele está totalmente alinhado à política da Sompo de atuar sempre próximo do corretor, a fim de disponibilizar as soluções mais adequadas para os clientes?.

                      Sobre a SOMPO Seguros S.A. 
                      A Sompo Seguros S.A. é uma empresa do Grupo Sompo Holdings, um dos maiores grupos seguradores do Japão e do mundo. Resultado da integração das operações da Marítima Seguros, companhia fundada em Santos em 1943, e da Yasuda Seguros, que está no Brasil desde 1959; a companhia atua nas áreas de Seguros Corporativos (Auto Frotas, Transportes, Vida em Grupo, Acidentes Pessoais Coletivo, Empresariais Segmentados, Riscos Diversos, entre vários outros) e Pessoais (Auto, Residencial e Acidentes Pessoais); bem como na área de Seguro Saúde. Atualmente a empresa conta com filiais em todas as regiões brasileiras. 

                      O Grupo Sompo Holdings tem sua origem no Japão, atua há 128 anos no mercado de seguros e hoje conta com subsidiárias nos cinco continentes. No Japão, disponibiliza uma vasta gama de seguros nas áreas de Ramos Elementares, Vida e Acidentes Pessoais, além de outros produtos financeiros e serviços a fim de propiciar incremento na segurança, saúde e bem-estar dos clientes.

                       

                      • sompo
                      • yasuda marítima


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Bacharelado forma administradores para cargos gerenciais

                        Bacharelado forma administradores para cargos gerenciais
                        Continuam abertas as inscrições para o Bacharelado em Administração, que será ministrado pela Escola Nacional…

                        O curso oferece uma visão transversal e ampla da Administração e tem como proposta formar profissionais com perfil para atuação em cargos gerenciais. O conteúdo contempla toda a grade encontrada nos bacharelados tradicionais de Administração, com o diferencial de oferecer mais de 300 horas/aula de disciplinas sobre seguros e temas afins, garantindo um amplo leque de opções para os egressos, incluindo carreira acadêmica.

                        Os vestibulares para as duas capitais devem ser agendados para uma das datas pré-estabelecidas: 3, 5, 7 ou 10 de dezembro. O processo seletivo é feito por meio de redação, mas também há outras três formas de ingresso: aproveitamento da nota do ENEM (últimos dois anos), transferência externa e apresentação de diploma de nível superior.

                        As mensalidades são de R$ 840,00 no Rio de Janeiro e de R$ 950,00 em São Paulo, com desconto de 10% para pagamentos efetuados até o dia 10 de cada mês. Alunos que se matricularem até 15 de dezembro estarão isentos da primeira mensalidade. As inscrições devem ser feitas no hotsitewww.profissaosegura.com.br, onde mais informações estão disponíveis.

                        Formatura

                        No dia 18 de novembro, foi realizada cerimônia de colação de grau de 12 alunos do Bacharelado em Administração de São Paulo. A formatura aconteceu no auditório da Unidade da Escola na capital paulista.

                        Representaram a Instituição o diretor executivo, Renato Campos, que outorgou o grau aos formandos, o diretor acadêmico Mario Pinto, e os professores Sidney Dias e Maurício Manzali, escolhidos, respectivamente, como patrono e paraninfo da turma.

                        ?Os alunos que se formam hoje estão capacitados para atuar no mercado de seguros, que segue em crescimento e exige profissionais cada vez mais qualificados. Esperamos que esses jovens aproveitem as oportunidades e façam grandes carreiras nesse setor?, afirmou Renato Campos, na ocasião.


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Essor participa de homenagem da Aconseg-RJ ao Superintendente da Susep

                        Essor participa de homenagem da Aconseg-RJ ao Superintendente da Susep
                        O presidente da Essor Seguros, Fabio Pinho, foi um dos convidados recepcionados pelo presidente da…

                        Na ocasião, o superintendente prestou apoio irrestrito às assessorias e destacou a importância que elas têm para o desenvolvimento do seguro no Rio. Para se ter uma ideia, em 2015 elas arrecadaram R$ 1,5 bilhão de prêmios, o que equivale ao faturamento de algumas pequenas e médias seguradoras. Cerca de 3.500 corretores são atendidos pelas Assessorias, fornecendo suporte total para as suas operações e vendas.

                        O presidente da Essor, Fabio Pinho, disse que tem uma expectativa bastante positiva com relação ao trabalho que será desenvolvido com a Aconseg-RJ. "Pretendemos ampliar os nossos negócios no Rio de Janeiro, com a parceria qualificada deste modelo diferenciado e que cresce bastante no estado", afirmou.

                        O presidente da Aconseg-RJ reafirmou que conta com o suporte de Mendanha, que é corretor de seguros, na missão de buscar sempre a valorização da categoria, bem como das assessorias de seguros. "E também contamos com a parceria de grandes seguradoras, como a Essor, que reconhece o trabalho pioneiro e inovador das nossas empresas?, disse.

                        Sobre a Essor Seguros |

                        A Essor Seguros iniciou suas operações no Brasil no final de 2012, com o propósito de atender a demanda no mercado de seguros por produtos diferenciados e inovadores capazes de impulsionar o setor. A empresa nasceu de uma parceria - joint venture - entre dois grupos franceses atuantes no mercado segurador internacional, liderada pela Mutuelle des Architectes Français Assurances (MAF) e pelo Grupo SCOR Global P&C SE. Com sede no Rio de Janeiro e sucursal em São Paulo, a Essor foi desenvolvida para ser uma empresa com atuação nacional e investimentos focados no mercado brasileiro.

                         


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Atual momento do país desenha as perspectivas da saúde suplementar

                        Atual momento do país desenha as perspectivas da saúde suplementar
                        Pela primeira vez em 30 anos, o comércio mundial cresce abaixo do PIB mundial; a…

                        Para sair desse cenário e pensar no futuro, o economista-chefe do Banco Bradesco, Octavio de Barros, afirma que é preciso ter algumas atitudes como indivíduos e sociedade. ?Precisamos priorizar as escolhas, considerar o longo prazo, aumentar nossa eficiência e entender a saúde como investimento?.

                        Barros enfatiza que o investir depende de alguns fatores. ?Tudo depende da estratégia de curto, médio e longo prazo; da demanda atual e futura do mercado; regulamentação clara e estável; estimativas de riscos e de incertezas. E tudo isso baseado na ética?.

                        Segundo ele, um dos maiores desafios do Brasil é a qualidade e não a quantidade. ?O Brasil está em retomada de discussão de qualidade, sobretudo nos gastos de saúde e educação. A aprovação das reformas trabalhista e previdenciária e a definição do teto de gastos são fundamentais para recuperar a confiança e a economia do País?, disse durante o 2º Fórum da Saúde Suplementar, promovido na última semana, pela FenaSaúde, no Rio Janeiro. (Tany Souza)


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Capitalização distribui mais de R$ 860 mi em prêmios

                        Dados da FenaCap mostram que houve alta de 13,9% no acumulado do ano até setembro

                        No acumulado do ano até setembro, o segmento de Capitalização distribuiu mais de mais R$ 860 milhões em sorteios, registrando um crescimento de 13,9% em relação ao mesmo período do ano passado. O montante equivale ao pagamento de R$ 4,5 milhões em prêmios por dia útil no período. As informações são da Federação Nacional de Capitalização (FenaCap).

                        Esse dinheiro ajuda muitos brasileiros a antecipar e realizar seus sonhos por meio dos sorteios. "Entretanto, nossas pesquisas apontam que o sorteio é um atrativo adicional, não sendo determinante para a compra do produto de capitalização. Quando adquire um título, o que o cliente deseja, seja ele de baixa ou alta renda, é o desenvolvimento de disciplina financeira para formação de uma reserva. Com a Capitalização, por meio de mecanismos como a carência para resgates, presente em praticamente todas as modalidades, e do débito direto em conta-corrente, é possível criar o hábito de guardar dinheiro. A possibilidade de ser sorteado é um estímulo para que economizar passe a ser uma rotina?, afirma Marco Antonio Barros, presidente da FenaCap.

                        Ainda segundo os dados da Federação, os resgates, valores que são retornam aos clientes e suas famílias ao fim da vigência dos planos de capitalização, ou até mesmo antes, por meio de resgates antecipados, atingiram os R$ 14 bilhões, registrando assim aumento de 17,3% em relação ao mesmo período de 2015.

                        As provisões técnicas - valores acumulados pelos clientes e que serão resgatados ao fim do prazo de vigência dos títulos - superaram os R$ 29 bilhões. A receita global do segmento de títulos de capitalização atingiu R$ 15,5 bilhões.

                        Transparência. As empresas de Capitalização estão investindo cada vez mais em produtos para os mais variados perfis de consumidores. Mas para garantir que o cliente saiba exatamente o que está comprando, a melhoria na comunicação tem sido uma prioridade, o que inclui desde a produção de materiais promocionais e peças publicitárias em linguagem clara e objetiva até a intensificação do treinamento de equipes de vendas. "O cliente, hoje em dia, tem mais consciência dos seus direitos e a percepção do funcionamento dos títulos de capitalização é muito maior", finaliza Marco Barros.


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Sindseg-RS: Nota de Falecimento


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Falta pouco! Confraternização de Fim do Ano do Sincor-RS será nesta sexta, dia 18 de novembro

                        A partir das 20h30min o Sincor-RS promove sua tradicional confraternização de final de ano.

                        Será na Associação Leopoldina Juvenil (Rua Marquês do Herval, 280 - Moinhos de Vento, Porto Alegre).

                        Uma oportunidade de reencontrar amigos e começar as despedidas do ano que finda. Os convites estão praticamente esgotados (doze unidades na secretaria do Sincor). Garanta já o seu. Depois, só na lista de espera por alguma devolução...


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Sancor leva corretores gaúchos à matriz, na Argentina

                        Nos dias 3 e 4/11 o presidente Ricardo Pansera acompanhou corretores convidados do RS, a…

                        Foram recebidos pelo presidente Eduardo Bovo e sua Diretoria, oportunidade que reafirmaram o propósito de prestigiar o canal corretor, principal distribuidor dos produtos da Sancor.

                        Também salientaram que estão muito satisfeitos com o crescimento da Sancor Brasil e estimam que nos próximos 5 anos os negócios no Brasil atinjam e superem o tamanho da Sancor Argentina. Portanto, vão investir firmemente na operação local, sempre contando com os corretores.

                        Na oportunidade o presidente Pansera formulou convite oficial à alta direção da seguradora para que participem do 12º Encor que será realizado em Bento Gonçalves em 2017.


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - CVG-SP celebra parceria educacional com o CVG-PR para a oferta de cursos

                        Por meio de Acordo de Parceria Educacional, o CVG-PR passa a contar com a expertise…

                        A partir do próximo ano, os profissionais do mercado de seguro de pessoas do Paraná já podem contar com a oferta de cursos de formação e qualificação profissional, inclusive com certificação técnica, em seu próprio estado. A iniciativa inédita é resultado de um Acordo de Parceria Educacional firmado entre o CVG-SP e o CVG-PR, dia 24 de novembro, em Curitiba (PR). O documento foi assinado conjuntamente pelos presidentes do CVG-SP, Dilmo Bantim Moreira, e do CVG-PR, David Novlosky, além dos diretores Marcelo de Figueiredo e Igor Filus Ludkevitch.

                        Os cursos oferecidos ao mercado de seguros paranaense serão idênticos aos cursos promovidos pelo CVG-SP. Isso porque, pelos termos do acordo, o CVG-SP fornecerá toda a expertise sobre os temas, conteúdo relativo às apostilas dos cursos e respectivos exames, bem como o registro dos alunos, controle dos dados e emissão dos certificados de Certificação Técnica. Há mais de onze anos o CVG-SP oferece cursos com Certificação Técnica na área de riscos pessoais, desde que obteve a condição de entidade certificadora conferida pela Susep, por meio do processo nº 15414.004669/2005-07.

                        De acordo com o presidente do CVG-SP, o acordo visa a atender as necessidades de formação e especialização nos ramos de benefícios dos profissionais do mercado de seguros do Paraná. ?A parceria permite ao CVG-SP cumprir a sua missão precípua de promover o aprimoramento profissional para um número cada vez maior de pessoas?, diz Dilmo B. Moreira. Para o presidente do CVG-PR, a parceria representa um grande passo. ?Demonstra, ainda, que CVG-PR e CVG-SP têm o interesse comum de atuar pelo desenvolvimento do mercado de seguro de pessoas no país?, diz David Novlosky.

                        Sobre os cursos do CVG-SP
                        Reconhecido como tradicional formador de profissionais, o CVG-SP se orgulha de promover o aprendizado e a especialização daqueles que atuam ou desejam iniciar nos segmentos de seguros de vida, previdência, saúde e capitalização.

                        Os cursos, oferecidos nos níveis introdutório, básico e avançado, são ministrados por experientes instrutores, todos atuantes no mercado de seguros. Já os materiais de consulta e apostilas são constantemente atualizados, garantindo a melhor performance didática e técnica. Atualmente, a grade é composta por 20 cursos, dos quais oito com certificação técnica, além de três exames livres para os profissionais que já atuam na área.

                         


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - É preciso reduzir desperdícios e encontrar soluções para a saúde suplementar

                        É preciso reduzir desperdícios e encontrar soluções para a saúde suplementar

                        Paciente no centro das decisões e informação unificada são caminhos discutidos

                        Por Tany Souza

                        Uso excessivo de médicos e pedidos de exames exagerados mostram que é preciso informar o consumidor de saúde suplementar para que ele saiba escolher e usar seu plano de saúde adequadamente, para que o sistema tenha como sobreviver. Esse foi um dos motes da palestra do 2º Fórum da Saúde Suplementar, realizado, no Rio de Janeiro, pela FenaSaúde.

                        O diretor do Instituto de Acreditação e Gestão em Saúde (IAG Saúde) e professor da Universidade Federal de Minas Gerais, Renato Camargo Couto, mostrou estudos que ressaltam a necessidade de que é preciso trazer resultados do desempenho assistencial, os custos, a satisfação do usuário e os tratamentos disponíveis com informação de qualidade, de forma independente, acessível e compreensível. ?Temos que apresentar os dados sem termos técnicos e médicos. Temos que dar a informação para empoderar o usuário?, afirmou.

                        Além da informação correta, é vital também que o consumidor esteja no centro do tratamento médico. O coordenador de estudos do Hospital Pró-cardíaco, André Volschan, apresentou a campanha choosing wisely, que significa ?escolher sabiamente, que altera a relação médico-paciente, valorizando o diálogo entre os dois atores do sistema, colocando o paciente no centro da decisão. ?O choosing wisely tem como objetivo ser mais efetivo na solução do problema e acaba contribuindo para evitar os desperdícios?, explicou.

                        Nos cálculos dos prestadores de serviços, 30% dos recursos da saúde são consumidos pelo desperdício. Para o superintendente do Hospital do Coração (HCor), Ary Ribeiro, é necessário liberar recursos saudáveis para o sistema poder funcionar. ?Através da transparência, iremos induzir a melhoria na qualidade do serviço. Se melhorarmos a entrega para o paciente, temos que informar. A publicação de dados melhora o resultado de quem presta serviço porque gera o orgulho profissional e uma competição saudável?, afirmou.

                        Para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a questão da informação é um dos papéis indutores de mudança para o setor. ?O uso da informação se faz necessário. A ANS ainda está no estágio de dados administrativos. Precisamos ampliar a qualidade. A Agência tem trabalhado na padronização, unificação e, ao mesmo tempo, disponibilizando essas informações para que o setor possa avaliar?, disse a gerente de padronização e interoperabilidade da ANS, Marizélia Leão Moreira. A meta é divulgar as informações de prontuário no final do primeiro semestre de 2017. Os dados estão sendo padronizados para a construção de base.

                        Os modelos de pagamento também foram contestados. O fee for service, pagamento por serviço prestado, foi apresentado como um sistema que recompensa o uso excessivo de recursos, não reconhece as variações de resultados assistenciais e nem dá transparência para os resultados.

                         


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Ciclos de palestras do Sincor-RS em 2016 foram prestigiados por cerca de mil corretores

                        Um dos principais objetivos do Sincor-RS é o aperfeiçoamento profissional dos corretores de seguros e,…

                        Promovemos dois seminários regionais, com grande repercussão.

                        O primeiro aconteceu em abril, em Santa Maria, com 130 participantes. O segundo em junho, em Caxias do Sul, assistido por 240 colegas. O grande sucesso dos eventos demonstra o interesse dos profissionais corretores de seguros em qualificar-se.

                        CALENDÁRIO INTENSO

                        Entre março e novembro, o Sincor-RS promoveu mais de 20 eventos de formação. Os eventos foram levados a todas as cidades sede das delegacias regionais do Sindicato. Os temas foram variados, tais como ?Planejamento Estratégico e Comunicação integrada para Corretores?, ?Estratégias sensibilizadoras para a comercialização de seguros e previdência?, ?Direito do Consumidor e Comercialização de Seguros?.

                        Um ciclo de palestras que despertou muitos elogios dos corretores foi o de ?Decisões Judiciais e o RCF-V?, em que os advogados especialistas em direito do seguro demonstraram, com casos reais, como o judiciário está julgando e condenando por danos decorrentes de acidentes.

                        ENCONTRO FEMININO

                        Além disso, o Encontro Feminino, em Porto Alegre, reafirmou o importante papel da mulher corretora no mercado segurador gaúcho e brasileiro. As mais de 500 presentes no Centro de Eventos do Hotel Plaza São Rafael deram uma demonstração da força e mobilização das mulheres.

                        Uma rápida repassada nos ciclos de palestras que fizemos:

                        Em março:
                        Reunião Técnica Sincor-RS
                        Porto Alegre (16/03)

                        Em abril:
                        - 1º Seminário de Seguros
                        Santa Maria (07/04)
                        - Palestra: Planejamento Estratégico e Comunicação integrada para Corretores
                        Pelotas (12/04)
                        Santana do Livramento (13/04)
                        - Palestra: Estratégias sensibilizadoras para a comercialização de seguros e previdência
                        Novo Hamburgo (25/04)

                        Maio:
                        - Palestra: Empreendedorismo
                        Novo Hamburgo (30/05)
                        Porto Alegre (31/05)

                        Junho:
                        - Palestra: Seguro ? soluções para crises
                        Canoas (07/06)
                        Caxias do Sul (08/06)
                        - Seminário Regional de Seguros
                        Caxias do Sul (22/06)
                        - Palestra: Direito do Consumidor e Comercialização de Seguros
                        Passo Fundo (28/06)
                        Santo Ângelo (29/06)

                        Julho:
                        - Palestra: Decisões Judiciais e o RCF-V
                        Canoas (27/07)

                        Setembro:
                        - Palestra: Decisões Judiciais e o RCF-V
                        Santa Cruz do Sul (15/09)
                        - Palestra: Empreendedorismo
                        Lajeado (22/09)

                        Outubro:
                        - Palestra : Contrato e sinistro
                        Pelotas (04/10)
                        - Palestra: Educação Financeira
                        Uruguaiana (18/10)
                        Santo Ângelo (19/10)
                        Capão da Canoa (25/10)

                        Novembro:
                        Palestra: Estratégias sensibilizadoras para seguros e previdência
                        Porto Alegre (08/11)
                        Caxias do Sul (09/11)

                        Facebook Twitter Google+ Google Gmail Outlook.com Yahoo Mail WhatsApp PrintFriendly


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Leitura indicada | Alienação de carteiras de plano de saúde não pode prejudicar direitos do consumidor

                        A alienação das carteiras de plano de saúde é possível e legítima, desde que a…

                        O entendimento unânime foi proferido pela Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ao julgar recurso da Associação de Defesa dos Usuários de Seguros, Planos e Sistemas de Saúde (Aduseps) contra a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a Golden Cross Internacional de Saúde Ltda. e a Unimed Rio Cooperativa de Trabalho Médico do Rio de Janeiro Ltda.

                        De acordo com a turma, a transferência durante a vigência do contrato exige que a substituição seja feita por estabelecimento equivalente, que haja comunicação à ANS e aos consumidores com no mínimo 30 dias de antecedência e que seja mantida eventual internação de beneficiário iniciada antes da substituição.

                        A associação ajuizou ação civil pública na qual alegou que a transferência de carteiras dos contratos de plano de saúde ocorrida entre a Golden Cross e a Unimed Rio, autorizada pela ANS, não manteve a mesma rede credenciada de profissionais, hospitais, clínicas, laboratórios e afins para o atendimento dos usuários.

                        Relatou casos de associados em tratamento de doenças graves que, após a transferência, não conseguiram atendimento em hospitais ou clínicas; de usuários que não foram devidamente comunicados das alterações promovidas e de outros que, embora comunicados, não receberam as carteiras de identificação necessárias para atendimento na rede conveniada.

                        Requereu que a Unimed Rio mantivesse a rede credenciada prestada pela Golden Cross ou, caso não atendida essa determinação, que fosse cancelada a transferência de carteiras.

                        Condições

                        O Tribunal Regional Federal da 5ª Região entendeu que não ficaram demonstrados nem a diminuição da rede credenciada, nem os prejuízos aos consumidores, razão pela qual considerou lícita a transação.

                        A associação apresentou recurso no STJ. O ministro Marco Aurélio Bellizze, relator do recurso, afirmou que as operadoras de plano de saúde que pretendam transferir voluntariamente suas carteiras devem formular requerimento, instruindo-o com a documentação exigida, perante a ANS, que poderá aprovar a transferência de carteiras.

                        Bellizze lembrou que devem ser observados os procedimentos estabelecidos pelas normas editadas pela ANS, sobretudo o disposto na Resolução Normativa 112/2005, que exige que a nova operadora mantenha as mesmas condições contratuais vigentes em relação aos beneficiários, sem lhes restringir direitos ou causar-lhes prejuízos.

                        O relator esclareceu que, em regra, também deve ser mantida a mesma rede de serviços credenciados que a operadora alienante oferecia à época da transferência de carteiras, somente sendo autorizada sua alteração se forem observadas as diretrizes estabelecidas no artigo 17 da Lei 9.656/98, em observância ao princípio da boa-fé objetiva e à proteção das legítimas expectativas do consumidor.

                        Acompanhando o voto do ministro, a turma entendeu que a transferência das carteiras da Golden Cross atendeu as exigências legais e que as violações aos direitos dos consumidores citadas pela associação deveriam ser analisadas caso a caso, em ações individuais, ?com largo lastro probatório?.


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Cinco startups para facilitar a vida de PMEs

                        Conheça empresas especializadas em serviços para pequenos empresários

                        Hoje, muitas startups oferecem serviços focados em pequenas empresas. De acordo com o Sebrae, as micro e pequenas empresas respondem por 27% do PIB, a soma dos bens e serviços produzidos no país, e por 57% dos empregos formais. Os dados revelam que há um mercado consumidor de produtos para PMEs bastante promissor às empresas que se interessam a atuar neste universo.
                        Conheça 5 startups que estão ganhando espaço no mercado com soluções voltadas para PMEs:

                        Eu Entrego

                        Com a missão de revolucionar o sistema de entregas brasileiro nasceu o Eu Entrego, um aplicativo que conecta pessoas e empresas à comunidade de entregadores independentes, oferece uma alternativa fácil, flexível e de baixo custo para levar ou trazer qualquer coisa de qualquer lugar 24 horas por dia, sete dias por semana. Ele é ideal para empresas que precisam realizar pequenas entregas durante o dia. ?Somos uma solução para questões logísticas, facilitando a realização de entregas durante o dia-a-dia?, explica João Paulo Camargo, CEO e Co-Fundador do Eu Entrego.

                        Equals ? Gestão Financeira Inteligente

                        Sabendo que fluxo de caixa saudável representa negócios mais saudáveis a Equals, especializada em gestão e conciliação de vendas com cartões de crédito e débito, possui um app de sua plataforma para controle das transações realizadas. Com ele, o executivo tem total controle dos recebíveis, possibilitando um aumento considerável na produtividade e uma grande redução de perdas. Além disso, funciona em tempo real, permitindo visualizar e resolver problemas no mesmo instante em que eles aparecem ? sem comprometer o controle do fluxo de caixa. ?Oferecemos aos nossos clientes um entendimento maior de tudo o que se passa com as finanças de sua empresa, levando a informação onde o gerente financeiro estiver ? dentro ou fora do escritório?, comenta Fabrício Costa, CEO da Equals.

                        F(x)

                        A F(x) ? lê-se ?efe de xis? ? surgiu com objetivo de aproximar empresas que precisam de financiamento dos bancos e fundos que desejam conceder crédito. As companhias precisam informar dados simples do negócio, como faturamento e segmento, enquanto os investidores criam um perfil de crédito com as condições do financiamento, como prazos e garantias. Um algoritmo dentro da plataforma da empresa realiza o match ao localizar interesses em comum e faz a primeira aproximação entre as partes para começar a negociação. ?Facilitamos a busca das companhias por crédito e aproximá-los de melhores condições de financiamento. Conosco, isso acontece rapidamente para as duas partes envolvidas?, comenta Dan Cohen, financista e cofundador da F(x).

                        NFe Cloud

                        Após o pagamento de uma pesada multa por não arquivar corretamente as Notas Fiscais eletrônicas de sua companhia, Alison Flores, empresário do ramo de confecção decidiu criar a NFe Cloud, tecnologia para armazenamento de NFes em nuvem. A aplicação realiza de forma simples a consulta, gestão, localização e download de NFes na nuvem, e é integrada aos ERPs (sistemas para gestão empresarial) e aos sistemas das Secretarias Estaduais da Fazenda ? SEFAZ, para monitoramento dos status em tempo real. ?Temos clientes em diversos segmentos; de postos de gasolina a papelarias, de siderúrgicas a lojas de games. Independentemente do setor, toda empresa tem a obrigação de arquivar suas notas de entrada e saída. Porém, as pequenas empresas muitas vezes não fazem esse controle, seja por desconhecimento ou por falta de estrutura interna para fazer à gestão de Notas Fiscais. Nossa tecnologia é acessível e recomendada a todas?, explica Alison.

                        Tecvidya

                        Criada em 2012, ela aposta no potencial do mercado de web vídeos para criar produtos e serviços. A menina dos olhos da empresa é o aplicativo Lynx, que foi criado a partir de um vasto estudo de mercado e público, que as PMEs podem fazer uso como um canal de comunicação em vídeo de baixo custo, ou mesmo como um sistema de monitoramento 100% conectado à web. ?Temos funcionalidades que faltam nos concorrentes, como a possibilidade de embed code em websites e o envio de notificações para outras plataformas além do Facebook e do Twitter, como, por exemplo, o WhatsApp e o LinkedIn?, ressalta Rafael Multedo, CEO da Tecvidya. Segundo ele, o app faz transmissão em vídeo ao vivo, e é pioneiro do tipo em plataformas mobile no Brasil, com mais de 15 mil usuários ativos, propondo-se a criar uma ?rede social? de WebTVs.


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - 13º Salário - tire dúvidas sobre atrasos, valores e multas

                        Os empregadores de todo país tem até o próximo 30 de novembro, para pagar a…

                        A Confirp elaborou matéria que elimina algumas dúvidas sobre tema:

                        O que ocorre em caso de não pagamento e atrasos?

                        O 13º salário é uma obrigação para todos empregadores que possuem empregados CLT, o seu não pagamento ou atraso é considerado uma infração, podendo resultar em pesadas multas se for autuado por um fiscal do trabalho.

                        Como é feito o cálculo?

                        O 13º é devido por mês trabalhado, ou fração do mês igual ou superior a 15 dias. Desta maneira, se o empregado trabalhou, por exemplo, de 1º de janeiro à 14 de março, terá direito a 2/12 (dois doze avos) de 13º proporcional, pelo fato da fração do mês de março não ter sido igual ou superior a 15 dias. Desta forma, o cálculo é feito mês a mês, observando sempre a fração igual ou superior a 15 dias.

                        "As médias dos demais rendimentos como hora extra e comissões adicionais são também somadas ao valor do salário usado como base para o cálculo do décimo terceiro. Trabalhadores que só recebem comissão devem calcular o valor baseando-se na média aritmética das comissões recebidas durante o ano ou conforme Convenção Coletiva da categoria, seguindo sempre o que for considerado mais benéfico", acrescenta o consultor da Confirp.

                        Existem descontos?

                        Como em um salário normal, também ocorrem uma série de descontos no décimo terceiro do trabalhador, porém somente na 2ª parcela. Esses descontos são Imposto de Renda (IR), a contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Pensões Alimentícias, quando mensurado nos ofícios, e as famosas contribuições associativas previstas em algumas convenções coletivas.

                        No que tange a impostos, no intuito de fracionar o pagamento aos empresários, diferente dos descontos, o FGTS é pago nas duas parcelas, juntamente com a remuneração salarial do mês do pagamento, seus percentuais variam: 8% para empregados celetistas e domésticos quando aplicável e 2% no caso de menor aprendiz.

                        E em caso de demissões?

                        Ponto importante é que é que o valor deverá ser pago na rescisão de contrato em casos de demissão sem justa causa, pedido de dispensa, fim de contrato por tempo determinado (inclusive os contratos sazonais, por safra) e aposentadoria, e o valor deverá ser proporcional aos meses em serviço. Já quando ocorre a demissão com justa causa, o trabalhador perde esse benefício e caso já tenha sido paga a primeira parcela, como o mesmo perdeu o direito ao recebimento, o valor efetivamente adiantado deverá ser abatido do saldo de salário ou demais verbas rescisórias.

                        "Caso a data máxima de pagamento do décimo terceiro caia em um domingo ou feriado, o empregador deve antecipar o pagamento para o último dia útil anterior. O pagamento da gratificação em uma única parcela, como feito por muitos empregadores, normalmente em dezembro, é ilegal, estando o empregador sujeito a multa", alerta Fabiano Giusti.


                        saiba mais »

                        28/11/2016 - Economia inteligente: programa de fidelidade incentiva vendas e beneficia clientes

                        Celebrando 1 ano de parceria com o Prezunic, Dotz se torna complemento de renda em…

                        Enquanto a crise afetou gravemente vários segmentos da economia e reduziu o poder de compra do consumidor, o Prezunic apostou na fidelização para aquecer as vendas e dar benefícios relevantes aos clientes. Após um ano do início da parceria com a Dotz ? maior programa de fidelidade por coalização do país ? mais de 950 mil clientes aderiram ao programa e 67% costumam trocar os Dotz por compras no Prezunic.

                        A aderência é tão significativa que a rede corresponde a 65% da emissão de todos os pontos Dotz no Rio de Janeiro, onde o programa tem mais de 1,4 milhão de clientes. ?A fidelização é capaz de alavancar vendas ao mesmo tempo em que é uma clara vantagem econômica para o consumidor, que já percebeu o benefício também como uma alternativa de complementar a renda. Isso representa uma economia inteligente para o cliente e, para nós, uma vantagem competitiva, pois além da qualidade dos produtos e serviços, temos Dotz como diferencial?, afirma Alex Ribeiro, diretor comercial da rede.

                        Para o varejo, outra vantagem está na possibilidade de conhecer melhor os clientes e realizar ações de marketing mais direcionadas e assertivas. ?A fidelização está na contramão da instabilidade econômica e vem auxiliando os varejistas e consumidores a enfrentarem esse momento delicado do país. O Prezunic sabe que o caminho é fidelizar o cliente e mapear os hábitos de cada um para oferecer atendimento e promoções especiais. Desta forma, o resultado não tinha como ser diferente, pois o consumidor está buscando formas de driblar a crise e tem dado preferência a estabelecimentos que lhes deem algum benefício concreto?, diz Saulo Bruno, Gerente Regional da Dotz.

                        Para comemorar a parceria, em novembro, as lojas da rede sortearam 31 milhões de pontos Dotz entre os clientes. Os Dotz foram convertidos em vale-compras no valor de R$ 500,00. ?A ideia é garantir a ceia de Natal sem pôr a mão no bolso?, disse o executivo.
                        Consumidor aprova ações de fidelização

                        Segundo pesquisa da Nox4Think realizada este ano, 26% das pessoas optam por comprar em estabelecimentos que permitem acumular pontos por serviços e produtos. No primeiro trimestre de 2016, o número de trocas Dotz em supermercados, por exemplo, cresceu 135%. De 2014 para 2015, houve um aumento de 95% na troca de pontos por vale-compras em supermercados (R$ 30 milhões em pontos).

                        Sobre o Grupo Cencosud

                        Líder em vendas na América Latina e quarto maior varejista do Brasil, o Grupo Cencosud tem como foco fornecer aos clientes os melhores preços e produtos. Para atingir esta meta, opera no país com mais de 220 lojas e cerca de 28 mil colaboradores, estando presente em oitos estados (Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro e Sergipe) por meio das bandeiras GBarbosa, Bretas, Prezunic, Perini e Mercantil Rodrigues. Possui ainda um escritório administrativo na cidade de São Paulo. No país desde 2007, o Grupo Cencosud atua com vários modelos de varejo: super e hipermercados, atacado, farmácias e lojas de eletroeletrônicos (Eletro Show). Fundado em 1963, possui ações nas bolsas de Santiago e Nova York, além de atuar em cinco países ? Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e Peru ? e manter escritório comercial na China. A companhia emprega diretamente mais de 130 mil colaboradores em mais de 900 estabelecimentos comerciais.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Quando a SUSEP está no caminho certo

                        Armando Luis Francisco
                         A Susep sempre foi cobiçada pelos partidos políticos.

                         

                        O órgão é um regulador de mercado sem status quo de Agência Reguladora. A liberdade, portanto, e a descentralização poderiam deixar a autarquia mais eficiente em suas decisões e controles.

                        E os últimos seis gestores desenvolveram as melhores e mais conhecidas práticas nas Normas do seguro.

                        Infelizmente, a Susep, não por ineficiência dos funcionários, precisa de uma grande modificação e investimentos.

                        E a valorização do funcionalismo desta autarquia deveria ser uma das principais medidas a serem implantadas. Porque o corpo técnico é dos melhores que existem no governo federal.

                        O CNSP tem sua parcela de culpa nos imbróglios e decisões que poderiam melhorar o relacionamento desta indústria. E como exemplo eu cito a atualização das normas de corretagem.

                        O Ministério da Fazenda, de outrora, também pôde contribuir com fatos negativos.

                        Quanto a gestão do Ministério da Fazenda, de hoje, eu ainda não sei avaliar o quanto pode impactar o valor das decisões daquela superintendência. Mas se a prática culminar em punir a direção, por denunciar maus práticas no seguro, como no caso de seguradoras que não atendem o interesse social e não são autorizadas a funcionar, então nada mudou na filosofia corporativa do Executivo.

                        Em tempos de turbulência todos sabem que os interesses não são sazonais se o clima não estiver regrado. Essas mesmas interferências são consideradas abusivas em detrimento da melhoria das condições de mercado. Por isso que certas questões podem ser consideradas como o recente caso do Iphan e prejudicar as relações institucionais e políticas.

                        A indústria do seguro, especialmente, estará observando os movimentos que mexem na condução sistemática do órgão regulador de mercado. A suspeita existe e está exposta.

                        Armando Luis Francisco
                        Jornalista     


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Subscrição e Precificação são temas de novo livro da série Textos Didáticos

                        Subscrição e Precificação são temas de novo livro da série Textos Didáticos
                        A subscrição e a precificação de riscos por parte das seguradoras são processos técnicos e…

                        Já a precificação de seguros é o motor mais importante da rentabilidade das seguradoras e responsabilidade primordial dos atuários. Assim, são processos que levam em conta diversos fatores. Envolvem a tomada de decisão seletiva, de riscos aceitáveis, determinação do prêmio a ser cobrado, os termos do contrato e o monitoramento das decisões.

                        O terceiro título da série Textos Didáticos, ?Subscrição de Riscos e Precificação de Seguros?, que acaba de ser lançado pela Escola Nacional de Seguros, aborda os diversos métodos e técnicas relativos aos procedimentos dessas atividades.

                        De autoria do engenheiro mecânico Sergio Ricardo de Magalhães Souza, a obra visa debater os assuntos nos meios acadêmico e empresarial, motivando as pessoas envolvidas a explicitarem suas experiências, contribuindo, assim, para a construção de um mercado ainda mais forte.

                        ?O autor discute os diversos métodos e técnicas relativos aos dois processos, que garantem o crescimento das companhias e do mercado em que operam. O texto objetiva ser referência nos cursos superiores da Escola sobre esses temas?, afirma no prefácio o assessor da Diretoria Executiva da Escola e editor executivo do livro, Lauro Faria.

                        O livro pode ser adquirido no www.funenseg.org.br, por R$ 35,00.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Natal do Clube da Bolinha será em 3 de dezembro

                        Natal do Clube da Bolinha será em 3 de dezembro
                        Está chegando o dia do tradicional jantar de final de ano do Clube da Bolinha.…

                        A Reitoria 2016/2018 conta com a participação de todos neste que será o primeiro evento de final de ano de sua gestão. As confirmações podem ser feitas até 25 de novembro.

                        Serviço |

                        Jantar de final de ano do Clube da Bolinha

                        Data: 3 de dezembro de 2016

                        Horário: 20h

                        Endereço: Cobertura do Hotel Windsor Barra, na Avenida Lúcio Costa nº 2.630, Barra da Tijuca

                        Observação: Recomenda-se o uso de táxi

                        Sobre o Clube da Bolinha |

                        É uma confraria criada por membros do mercado segurador que se reúne mensalmente para trocar ideias, estreitar o networking e ter um momento de lazer. A Reitoria 2016/2018 é composta por Anselmo Abrantes Fortuna, Jorge Carvalho e Gilberto Villela.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Coach Awee4life mostra como planejar metas para 2017

                        Confira 6 dicas de Nany Martins para colocar em prática promessas de Ano Novo

                        Faltando pouco mais de um mês para o Ano Novo, muitas pessoas já começam a fazer planos para 2017. No entanto, sem uma estratégia de ação, as listinhas de promessas poderão ficar mais uma vez apenas no papel.

                        Segundo um estudo feito pela pesquisa da Universidade de Scranton, nos Estados Unidos, 45% das pessoas fazem listas de promessas no Ano Novo, mas somente 8% das pessoas conseguem colocá-las em prática.


                        Nany Martins, coach Awee4life, dá dicas de como planejar metas para 2017:

                        1 ? Liste suas prioridades

                        A prática das listinhas de desejos no fim do ano é muito comum, mas, na maioria dos casos, grande parte deles não sai do papel. Muitas vezes isso acontece porque você quis colocar tudo em uma só lista. Pois então, aí vai a minha dica: comece com aquilo que é prioridade na sua vida. O que realmente precisa ser feito? Qual mudança tem que acontecer na sua vida?

                        Quando falamos em prioridades, nos referimos aos desejos/ objetivos que têm um grande significado, ou seja, são extremamente importantes. Compreender a importância de seus desejos e objetivos o ajudará a lutar mais por eles. Com isso, você entrará em estado de alerta para as oportunidades que surgirão no meio do caminho.

                        2 ? Faça um planejamento

                        Com suas prioridades na mão, já é possível batalhar para que seus objetivos sejam alcançados. Então, não adianta apenas desejar, é preciso planejar cada passo. Pergunte-se: o que é preciso para fazer para chegar lá?

                        3 - Determine prazos

                        Estabeleça a si mesmo um prazo de quando pretende chegar lá. Depois, faça um calendário das suas ações para que as coisas realmente aconteçam. Dessa forma, seu tempo será inteiramente dedicado aquilo que você realmente quer.

                        4 ? Tenha em mente os imprevistos

                        Comece o ano sabendo que imprevistos poderão acontecer no meio do caminho, mesmo que tenha cada passo planejado. Se esse objetivo for realmente importante, você achará maneiras de lidar com todos eles. Se puder, antecipe-se e cogite alguns desses possíveis imprevistos e crie possíveis soluções para eles. Assim ficará mais seguro.

                        5 ? Evite procrastinar suas ações

                        Deixar para depois as suas ações para alcançar o seu objetivo pode ser uma armadilha. Aos poucos você pode esquecer sua real importância para a realização pessoal. Algumas dicas para lidar com a procrastinação são: procure mudar de ambiente, compartilhe seus objetivos com amigos e familiares, elimine as distrações e mantenha-se focado nos pontos positivos do seu objetivo final.

                        6 ? Procure fazer uma autoavaliação

                        A cada mês, faça uma autoavaliação do que deu certo e do que deu errado. Não se culpe, apenas procure usar seus erros para melhorar nos próximos passos. Identifique os seus pontos positivos e foque no que você tem de melhor.

                        Sobre a Awee4life

                        A Awee4Life, foi criada para transformar vidas, levá-las através de um caminho totalmente novo. A empresa promete uma transformação da rotina em Awesome Business Life, um método inovador que leva a vida a um alto nível de performance através do Coaching e Mentoring, proporcionando vivências ainda não experimentadas, os levando a sentir a verdadeira felicidade genuína através das ações sociais e do esporte.

                        A Awee4life, durante esse processo de transformação, proporciona o contato com os melhores profissionais, se deparando com o mais alto nível de conhecimento e experiência. Mais informações em http://www.awee4life.com e https://www.instagram.com/awee4life.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Caixa Seguradora aposta em outsourcing da Microcity para otimizar gestão de infraestrutura de TI

                        Projeto envolve a terceirização de ativos e serviços e permite à empresa concentrar ainda mais…

                        Com o objetivo de otimizar a infraestrutura de TI e melhorar a qualidade do atendimento aos clientes internos (atendentes e demais colaboradores), a Caixa Seguradora, uma das maiores empresas de Seguros, Previdência, Consórcios, Capitalização, Saúde e Odontológico do país, anuncia a renovação de dois projetos com a Microcity ? empresa brasileira líder em outsourcing de serviços e ativos para infraestrutura de Tecnologia da Informação, um de terceirização de ativos de TI e outro de Service Desk.

                        O projeto de terceirização de ativos, que teve início em 2012, envolve 2.000 equipamentos (desktops, notebooks e monitores) alocados pela Microcity nas empresas que formam a Caixa Seguradora, a Previsul e a Odonto Empresa. Antes, os equipamentos de TI eram comprados pela própria empresa e renovados à medida que havia a necessidade de troca. "Além de controlar a defasagem das máquinas, também éramos responsáveis pela compra de peças para manutenção, o que demandava uma dedicação da equipe interna?, revela Ricardo Nogueira, gerente executivo na Caixa Seguradora.

                        No projeto de Service Desk, oito profissionais da Microcity atuam, desde 2014, dentro da estrutura da Caixa Seguradora e de suas filiais prestando todo o atendimento técnico necessário, como eventuais paradas em equipamentos de telefone, sistemas operacionais, softwares e hardwares, problemas em gerenciadores de e-mail, falhas de segurança, gerenciamento de permissões, etc. Ao todo, as chamadas para o Service Desk chegam a somar 1.300 ligações mensais. ?Ao delegar o Service Desk à Microcity ganhamos agilidade para resolver os problemas antes que eles impactem nos resultados do nosso negócio. Aspectos como logística, implantação e gestão de manutenção da TI deixaram de ser problema. Estamos agilizando os processos e poupando mão de obra interna. Consequentemente, conseguimos concentrar o foco de atuação em nosso core business?, destaca Ricardo.

                        Além de oferecer a mão de obra alocada na Caixa Seguradora, a Microcity forneceu, em parceria com a HP, uma nova ferramenta para gerenciar os chamados técnicos, o HP Service Manager. ?Com a solução da HP obtemos uma maior precisão e detalhamento nas informações, e também relatórios atualizados em tempo real. A Microcity nos proporcionou um projeto completo, com outsourcing de ativos e serviços de alta qualidade. Tudo foi tão bem executado que pudemos fazer tudo de um dia para o outro, sem que o usuário final percebesse?, diz o gerente executivo da Caixa Seguradora.

                        Para ele, outro diferencial da empresa é o SLA (Service Level Agreement) que permitiu a resolução dos problemas de forma mais ágil. ?Nosso SLA é de quatro horas para a sede e de sete horas para as filiais. Desta forma, a gestão é feita de forma bastante evoluída. Além disso, temos acesso a relatórios mais assertivos e um maior controle na configuração dos dispositivos?, afirma.

                        A Caixa Seguradora espera ampliar as oportunidades de negócios com a Microcity. ?É um dos nossos principais parceiros, confiamos no trabalho que prestam e os temos como referência em infraestrutura de outsourcing completa, tanto de ativos, como de serviços?, completa Ricardo Nogueira.

                        Sobre a Microcity

                        Com mais de 30 anos de atuação, a Microcity fornece Infraestrutura de TI como serviço para médias e grandes empresas, com uma base instalada de mais de 200 mil ativos distribuídos em todo o território nacional. A Microcity é conhecida por sua excelência em gestão, sendo premiada nos últimos anos em gestão financeira, gestão sustentável, empreendedorismo, além dos reconhecimentos regionais e nacionais como uma das melhores empresas para se trabalhar. Prioriza a sustentabilidade e neutraliza todo o CO2 emitido pela sua operação com o plantio de mais de 50.000 árvores.

                        Hoje, com cerca de 350 funcionários e filiais nas regiões Sul, Sudeste, Centro Oeste e Nordeste, a Microcity se consolida como uma grande plataforma de negócios. A empresa prioriza a sustentabilidade e neutraliza todo o CO2 emitido pela sua operação com o plantio de mais de 50.000 árvores. Assim, todos os serviços prestados durante a vigência do contrato, inclusive os equipamentos instalados nos clientes e a energia elétrica consumida por essas máquinas, são neutralizados.

                        Sobre a Caixa Seguradora

                        Quinta maior empresa do setor no Brasil, a Caixa Seguradora é uma bem sucedida parceria entre o grupo francês CNP Assurances e a Caixa Econômica Federal ? maior agente de políticas públicas do governo brasileiro. Com mais de 40 produtos em seu portfólio, a empresa oferece soluções de seguros, previdência, capitalização, consórcio e saúde aos seus mais de 11 milhões de clientes em todo o país. Considerada uma das mais rentáveis seguradoras brasileiras, a Caixa Seguradora apresentou no último ano lucro líquido de R$ 1,89 bilhão.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Boa notícia para startups: alteração na lei incentiva investidores-anjo

                        A partir de 1º de janeiro, legislação elimina risco de investidor arcar com dívidas e…

                        A partir do primeiro dia de 2017, entra em vigor uma alteração na legislação brasileira que pode incentivar investimentos em empreendimentos de pequeno e médio porte. A Lei Complementar n.º 155, de 27 de outubro de 2016, que trouxe basicamente alterações nos limites de receita bruta permitida aos optantes do Simples Nacional, aproveitou e inseriu uma medida que vai minimizar os riscos daquele que se convencionou a chamar de investidores-anjo: eles terão como risco limítrofe a perda do capital investido, nada além disso. Em outras palavras, não responderão por qualquer dívida da empresa, inclusive se esta entrar em recuperação judicial ou até mesmo vier a falir.

                        Um dos aspectos legais que ainda inibe o crescimento deste tipo de investimento são os riscos de passivos e contingências eventualmente decorrentes do fracasso do negócio, como dívidas com fornecedores e processos trabalhistas.

                        Investidores-anjo são fundamentais para que pequenos e médios empreendedores tirem suas boas ideias do papel e as transformem em negócios que gerem renda, empregos e, principalmente, desenvolvimento econômico, social e tecnológico, uma vez que empreendimentos de tal porte nem sempre geram receita em quantidade e velocidade suficientes para arcar com os juros que as linhas de crédito tradicionais praticam.

                        ?Por meio de acordos mais flexíveis, estes investidores-anjo podem ter a paciência que as instituições financeiras não possuem, esperando que o novo empreendimento decole e se estabeleça no mercado antes de cobrar o investimento inicial. São, em última análise, essenciais para o crescimento da economia?, analisa o advogado Vinícius Camargo Silva, do CSDS Advogados.

                         

                         


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - SulAmérica lança cartilha de prevenção de incêndio para bares e restaurantes

                        57% das ocorrências são causadas por uso incorreto ou má conservação de equipamentos de cozinha,…

                        A SulAmérica, maior seguradora independente do Brasil, desenvolveu o Guia de Proteção e Prevenção de Riscos voltado aos estabelecimentos que trabalham nas atividades de bares, restaurantes, lanchonetes, padarias e similares. A cartilha traz dicas de segurança para evitar incêndios nesses estabelecimentos.

                        Segundo dados levantados pela seguradora, 57% das ocorrências de incêndios nesses estabelecimentos estão relacionadas a utilização incorreta ou problemas de conservação ou limpeza de equipamentos de cozinha como fritadeiras, fogões, fornos e sistemas de exaustão. Devido ao uso de chamas e gases combustíveis, esses ambientes estão mais expostos ao risco de incêndio, que pode ser minimizado com condutas adequadas.

                        Entre os tópicos abordados no guia estão orientações de segurança sobre a utilização correta de extintores, verificação de instalações elétricas e a gás e limpeza e manutenção de coifas e dutos de exaustão. Outro ponto importante abordado na cartilha é o treinamento dos colaboradores da empresa.

                        ?O segmento de bares e restaurantes tem suas próprias características e requer soluções de proteção específicas. Dada a sua natureza, é um segmento que se beneficia diretamente da gestão de riscos, e a informação é uma grande aliada nesse processo?, afirma o vice-presidente de Auto e Massificados da SulAmérica, Eduardo Dal Ri.

                        A iniciativa está em linha com a estratégia da companhia para pequenas e médias empresas, que inclui a oferta de seguros específicos para diversos ramos. O portfólio do SulAmérica Empresarial conta com mais de uma dezena de produtos personalizados para segmentos variados, entre eles o SulAmérica Bares e Restaurantes. Entre suas principais coberturas estão danos ao cliente causados pelo fornecimento de alimentos ou bebidas, roubo de valores transportados por motoboy durante a entrega de pedidos e quebra de vidros (incluindo louças, cristais e porcelanas), além das coberturas básicas de incêndio, explosão, queda de raio, queda de aeronaves e fumaça, além de contar com diversos serviços de assistência 24 horas como chaveiro, limpeza, transporte e guarda de móveis e diversos outros, gratuitos no plano 1 e outros ofertados por um valor adicional no plano 2.

                        Sobre a SulAmérica

                        A SulAmérica é a maior seguradora independente do Brasil, com uma rede de distribuição de mais de 30 mil corretores independentes. Fundada em 1895, a companhia possui cerca de 5,3 mil funcionários e atua em várias linhas de seguros, como saúde e odontológico, automóveis e outros ramos elementares, vida, além de outros segmentos, como previdência privada, investimentos e capitalização. A SulAmérica tem mais de 7 milhões de clientes, de pessoas físicas a grandes empresas, em todo o país. Em 2015, a companhia registrou receitas totais de R$ 17,4 bilhões.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Facilidades de investir em uma franquia

                        Quando alguém decide investir em um negócio próprio, deve-se levar em conta todas as facetas…

                        A escolha por investir em uma franquia traz muitas comodidades, como saber exatamente quanto vai precisar investir a curto, médio e longo prazo. O ideal é que invista-se 80% do total com recursos próprios e 20% com capital de terceiros (empréstimos). Assim o negócio pode começar de forma mais segura e estruturada.

                        Pesquisar o nicho de mercado em que a franquia atua também é essencial. Atualmente a área da saúde é umas das mais favoráveis para o investimento. Com o abandono em que se encontra o SUS (Sistema Único de Saúde) e os planos de saúde cobrando valores altos demais para a maioria da população, o negócio de clínicas médicas populares vem ganhando força.

                        A Docctor Med é a maior rede de clínicas populares do Brasil. Atuando em 11 estados, com mais de 40 unidades, a rede expande o seu alcance por meio de franquias, que tem o objetivo de manter o padrão de qualidade estabelecido.

                        Com uma grande demanda e um plano de negócios sólido, pode-se afirmar que a Docctor Med é uma das franquias de maior sucesso no País.




                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Alarme Mais com seguro é a nova solução da Porto Seguro Proteção e Monitoramento para residências

                        Além de câmeras e sensores para monitoramento, o novo benefício oferece seguro a residências contra…

                        A Porto Seguro Proteção e Monitoramento apresenta mais uma solução em seu portfólio, o Alarme Mais com seguro. A solução de monitoramento agora oferece seguro residencial gratuito, com cobertura para incêndio, subtração de bens e responsabilidade civil familiar, que garante danos a terceiros provocados pelo segurado, parentes, animais de estimação e empregados.

                        Além disso, para imprevistos do dia a dia, o cliente poderá contar com serviços emergenciais tais como: chaveiro comum; telefonia; vidraceiro; reparos hidráulicos, elétricos e de manutenção para centrífuga e tanquinho, fogão a gás e micro-ondas, geladeira, refrigerador e freezer, lava-louças, lavadora e secadora de roupas.

                        E em caso de sinistro o cliente conta com:

                        ? Cobertura provisória de telhados;

                        ? Segurança e vigilância;

                        ? Limpeza;

                        ? Transferência de móveis;

                        ? Hospedagem.

                         

                        O Alarme Mais com seguro residencial gratuito, oferece comodidade ao cliente e reforça a segurança patrimonial. A solução é composta por câmeras móveis ou fixas, alarme e automação, registro de acesso, sensor de presença e abertura, comunicação por voz e vídeo e controle por monitoramento remoto acessado por qualquer dispositivo móvel.

                        O produto pode ser utilizado, por exemplo, para monitoramento de pais que deixam os filhos com babás, possibilitando o contato pelo sistema de comunicação por voz. Além disso, como o alarme é ativado e desativado por leitor biométrico, o proprietário recebe, no celular, o aviso de entrada e saída de pessoas, além de notificações em caso de falta de energia. O produto está disponível no estado de São Paulo para a capital, grande SP, litoral, Campinas, Sorocaba, Ribeirão Preto, Vale do Paraíba, além do Rio de Janeiro (capital e região), Belo Horizonte, Brasília, Goiânia, Curitiba e Porto Alegre e pode ser adquirido em kits com câmera a partir de 12 vezes de R$160,00 (compra do equipamento), mais R$ 119,00 mensais para serviços de monitoramento.

                        ?Pensando nas necessidades de nossos clientes e no cuidado com as ações do dia a dia, a Porto Seguro Proteção e Monitoramento aprimorou o Alarme Mais e oferece uma solução que contempla também o seguro residencial gratuito, promovendo uma experiência ainda mais completa e integrada. Isto reforça o comprometimento da empresa em entregar ferramentas eficientes para a segurança do patrimônio?, afirma Fabio Braga, Superintendente da Porto Seguro Proteção e Monitoramento.

                        Para mais informações procure seu Corretor de Seguros ou ligue para 4004-2288 (regiões metropolitanas) ou 0800 727 0343 (demais regiões).

                        Sobre a Porto Seguro Proteção e Monitoramento

                        A Porto Seguro Proteção e Monitoramento iniciou operação em 1998 e atualmente atende cidades do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Com estrutura completa de serviços e profissionais treinados em cada região, com portfólio completo de produtos e serviços para a prevenção de roubos, furtos em imóveis residenciais, comerciais e condomínios. A oferta abrange alarmes monitorados, videomonitoramento, botão de pânico para idosos (Porto Seguro Alerta) e rastreadores para veículos.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - 3 reflexões para começar 2017 com uma nova atitude

                        3 reflexões para começar 2017 com uma nova atitude
                        O final do ano é uma época de comemorações, mas também de muita reflexão. O…

                        É comum buscarmos títulos de livros com o segredo e a solução para todos os problemas, como ?10 atitudes para atingir o sucesso? e ?7 segredos para a felicidade eterna?. É necessário ter a consciência de que se o segredo estivesse em fórmulas mágicas e que se encontrássemos todos os passos e o processo para solução que irão ao encontro da felicidade eterna, o mundo seria no mínimo sem graça, sem desafios que nos trazem a sensação de dever cumprido ao final de cada dia. Hoje pode ser o primeiro dia do resto de sua vida e você ainda pode mudá-lo, independente da época do ano.

                        Não importa qual sua posição e seus sonhos, seja buscar uma recolocação profissional ou apenas uma satisfação ao acordar pela manhã, passar mais tempo com a família, começar a prática de exercícios ou parar de fumar, o sentimento de conquista só fará presença para aqueles que lutarem em meio ao pessimismo e mostrarem a que mundo pertencem. O segredo para suas realizações não está em sonhar mais um sonho, não está em colocar mais um objetivo no papel. Ter atitude para executar os sonhos antigos para que os novos possam vir com segurança, talvez seja tão ou mais importante do que simplesmente desejar algo novo. O mais incrível de tudo isso é que, se começar agora, você fará parte de uma pequena parte da população que toma uma atitude imediata, não importa quais seus problemas e as limitações.

                        Não espere somente o último dia do ano. Mesmo que seja um pequeno passo, tenha atitude e dê ele agora, faça deste dia tão especial quanto sua passagem de final de ano. Confira algumas reflexões para você fazer nesse período e começar 2017 com uma atitude renovada e motivação para realizar os planos e objetivos de uma nova maneira:

                        Por que você vive como se tivesse 60 anos de vida pela frente? Imagino que você tenha seus problemas de vida. Independentemente de quem é a culpa e o modelo de percepção que você tem, a realidade é única. Cada um coloca o seu ponto de vista sob as coisas e o outro entende de acordo com sua criação, cultura e personalidade. A única coisa que temos em comum é que vamos morrer. Pelo fato de termos opiniões e percepções diferentes, vivemos tentando convencer o outro que a nossa opinião é a mais importante e a única verdade. Isso gera uma série de discussões e stress. Você acorda de manhã todos os dias, vive sua vida, faz as mesmas coisas dias, semanas e anos após anos. Você não se dá conta de que pode a qualquer momento morrer e se apega a coisas muito pequenas que, provavelmente, não vão te levar a nada. O ponto chave para que esse seja o primeiro dia do resto da sua vida não está nas coisas ou nos outros, está dentro de você. Aquiete-se e escute a si mesmo por um instante. Você já percorreu uma longa estrada e chegou até aqui, lidere-se de forma que cada dia seja vivido como se fosse o último, pois esse dia poderá ser hoje.

                        Com quantos amigos você está conectado nas redes sociais? Destes, quantos amigos realmente você tem contato? De tudo o que posta, entre fotos e mensagens, o que realmente seria importante dividir com esses amigos que fazem parte da sua vida real? Ultimamente perdemos o foco do que realmente importa entre amigos, familiares, trabalho, objetivos de vida. A conexão excessiva faz com que nos desconectemos do resto do mundo aos olhos de uma sociedade falida por sua dependência de não estar onde realmente está. Temos a necessidade de mostrar o que não estamos vivendo. Sentir-se feliz só fará sentido se você tiver com quem compartilhar. Preocupe-se com a felicidade dos outros para que a sua própria possa durar um pouco mais.

                        Quanto dessa vida você gostaria de levar em sua memória? Comece a tomar atitudes novas e intensas. O que você viveu até o momento não tem como mudar, é passado. Se por algum momento você não estiver satisfeito com sua história de vida, a única verdade é que, se chegou até aqui da forma que está, feliz ou não, a responsabilidade é inteiramente sua, não tem como culpar alguém. Todas suas ações hoje, imprescindivelmente determinarão o que será amanhã. Você tem a chance de descrever os seus objetivos em páginas em branco, esse fato não está atrelado ao seu passado se não buscar sua realidade de mudança, basta começar a agir agora. Direcionamento e tempo dependerão de suas competências e a composição das necessidades em prazos estipulados por sua dedicação e foco.

                        Construa seu caminho no hoje, escolha definitivamente para onde ir, apenas decida como vai ser, não importa o quanto vai ser maluco para os outros, apenas tome uma decisão e siga. Um bom ano novo!

                        Fabio Ribeiro é formado em Comunicação e Marketing, pós-graduado pela ESPM em Gestão de Negócios ? Marketing e concluindo mestrado em Gestão de Competitividade. Entusiasta pela gestão de pessoas, é licenciado pela Sociedade Brasileira de Coaching ? Professional e Personal. Atua como executivo em uma grande multinacional, buscando resultado a alta performance como ponto focal à competência humana.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Quatro em cada dez empregados no Brasil não estão plenamente engajados com seu trabalho e com o atual empregador

                        Empresas operando em mercados emergentes, entre eles o Brasil, continuam a encontrar dificuldades na atração…

                        A pesquisa Global Talent Management and Rewards Survey, da Willis Towers Watson, um estudo com mais de 2.000 empresas em todo o mundo (sendo 140 no Brasil), reflete, claramente, o momento difícil da economia e do mercado de trabalho. Somente 24% dos empregadores no Brasil afirmam que as atividades de contratação cresceram nos últimos 12 meses, enquanto mais da metade (51%) relatou redução no número de contratados. Em termos de rotatividade, 37% das empresas relataram aumento nos últimos 12 meses e outros 29% informaram redução nesta taxa.

                        ?Estes dados confirmam a difícil situação vivida pelas organizações no Brasil, que vem buscando gerenciar o seu pipeline de talentos em meio a uma das piores crises econômicas da história do nosso país. ?, comenta Glaucy Bocci, diretora de Gestão de Talentos para a América Latina. ?É fato que a rotatividade de profissionais afetou mais alguns setores do que outros, mas de forma geral o movimento das organizações tem sido de redução de pessoas e não de contratação. Para se ter uma ideia, em 2014, 53% dos empregadores afirmavam ter aumentado suas atividades de contratação ? isso representa mais do que o dobro em relação a este ano (24%). Já a redução nas contratações em 2014 estava na casa dos 11% e hoje está em 51%, ou seja, há um movimento oposto gerado pela crise: menos contratações e mais desligamentos?, complementa Glaucy Bocci.

                        De acordo com a pesquisa, é impressionante o número de empresas que vêm experimentando dificuldades na atração de empregados com habilidades críticas (67%), de alto desempenho (84%) e de alto potencial (84%). E os desafios não param na atração: 57% das empresas participantes da pesquisa afirmaram encontrar desafios na retenção de empregados de alto potencial, não deixando muito para trás as dificuldades de reter pessoal de alto desempenho (52%) e com habilidades críticas (42%).

                        ?Nossas pesquisas mostram que os empregados estão buscando trabalhar para organizações que oferecem remuneração competitiva, oportunidades de crescimento na carreira e estabilidade no emprego. Ainda que as empresas, em geral, entendam essas prioridades, seus pontos de vista divergem dos de seus empregados em algumas áreas importantes e, muitas vezes, os processos desenvolvidos pelas organizações não dão conta de atender às expectativas dos melhores profissionais, sejam eles profissionais de alto desempenho ou de alto potencial?, revela Glaucy Bocci.

                        Analisando a pesquisa Global Workforce Study, da Willis Towers Watson, aplicada a 31 mil empregados em todo o mundo (sendo 1.024 no Brasil), observamos que a estabilidade no emprego é o 4º motivo mais citado pelos empregados para juntarem-se a uma nova empresa e a 7ª razão mais citada pela qual deixariam suas organizações. Os empregadores, no entanto, elegem a estabilidade como 10º e 11º fatores de atração e retenção, respectivamente.

                        ?Estabilidade no emprego tem diferentes significados para aqueles empregados que o citam como uma prioridade quando o assunto é atração ou retenção. Conseguimos identificar cinco padrões, sendo o principal (26%) aqueles que têm um sentimento de medo de perder o emprego, seguido de perto por 24% dos que não tem interesse em mudar suas tarefas e atividades e 22% que têm receio sobre a sua situação financeira?, comenta Carlos Ortega, líder da área de consultoria em Engajamento de Empregados.

                        Enquanto o trabalho desafiador se mostra um importante fator de atração tanto do ponto de vista da empresa (4ª posição) quanto do empregador (3ª posição), a capacidade de exercer um impacto real no desempenho da organização é citada como 5º fator de atração de empregados do ponto de vista do empregador e aparece somente em 8ª posição na classificação dos empregados.

                        O crescimento na carreira é fator chave na atração e retenção de empregados

                        A pesquisa Global Workforce Study também revelou que as oportunidades de avanço na carreira são fundamentais para atrair e reter empregados: 55% dos empregados pesquisados citaram as oportunidades de crescimento na carreira como um bom motivo para juntar-se a uma nova empresa (2º fator de atração) ou para deixar (32%) uma empresa (3º fator de retenção). Enquanto 57% indicaram que sua organização realiza um bom trabalho ao oferecer oportunidades de progresso na carreira, outros 44% afirmaram que precisariam deixar sua organização para avançar em suas carreiras.

                        Do ponto de vista das empresas, a grande maioria (85%) acredita que são eficazes ao oferecer oportunidades de crescimento profissional, enquanto 43% afirmam que a oferta de oportunidades de avanço na carreira vem aumentando.

                        ?Hoje as (boas) empresas oferecem oportunidades de crescimento para as pessoas certas e no momento oportuno, seja pelo alto desempenho ou potencial, e cada vez menos um tão sonhado plano de carreira. Mas isso não exime a empresa de atender às expectativas dos funcionários de falar sobre oportunidades de carreira. O estudo comprova que menos da metade das empresas faz um bom trabalho de explicar os possíveis passos de carreira e apenas 55% dos empregados entendem que carreira e desenvolvimento foi assunto na sua última avaliação anual de desempenho", revela Carlos Ortega.

                        A pesquisa Global Workforce Study também revelou que ainda há o que melhorar quanto ao engajamento de empregados Brasil. Apenas um pouco mais de um terço (38%) dos empregados brasileiros encontravam-se altamente engajados no momento da pesquisa. O estudo também identificou a comunicação como um dos principais fatores de engajamento sustentável, seguida pela imagem e integridade da empresa, relação com o gestor imediato, metas e objetivos claramente definidos e benefícios para empregados. Contudo, os dados mostram que há espaço para melhoria na comunicação das empresas, em geral, do ponto de vista dos empregados: apenas 40% acreditam que a empresa faz um bom trabalho de comunicação das razões por traz das decisões importantes tomadas pelo empregador e somente 42% afirmam que as decisões tomadas pela alta liderança são comunicadas adequadamente para o pessoal do seu nível.

                        ?O momento de crise econômica, é um dos cenários mais desafiadores para a liderança. É nessa hora que as pessoas mais precisam de alguém explicando os fatos, esclarecendo as decisões difíceis e criando comprometimento para um projeto de sucesso de longo prazo ? dar clareza sobre o propósito e como chegaremos lá. Comunicação e liderança eficazes exercem um papel crucial no engajamento de empregados, sobretudo quando o mercado se torna mais desafiador?, afirma Carlos Ortega.

                        Sobre as pesquisas

                        A pesquisa global da Willis Towers Watson sobre Gestão de Talentos e Recompensas da (Global Talent Management & Rewards Survey) foi realizada entre abril e junho de 2016, e contou com respostas de 2.004 empresas em todo o mundo, incluindo 140 organizações no Brasil. Os participantes representam uma ampla amostra de setores econômicos e regiões geográficas.

                        Nosso Estudo Global da Força de Trabalho (Global Workforce Study) envolveu mais de 31 mil empregados selecionados a partir de amostras que representam as populações de empregados trabalhando em horário integral em grandes e médias organizações atuando em diversos setores econômicos em 29 mercados em todo o mundo. Foi realizada online durante os meses de abril e maio de 2016. A amostra do Brasil inclui 1.024 empregados.

                        Sobre a Willis Towers Watson

                        A Willis Towers Watson (NASDAQ: WLTW) é uma empresa global líder em consultoria, corretagem e soluções, que auxilia os clientes ao redor do mundo a transformar risco em oportunidade para crescimento. Com origem em 1828, a Willis Towers Watson tem 39.000 colaboradores em mais de 120 países. Desenhamos e entregamos soluções que gerenciam riscos, otimizam benefícios, desenvolvem talentos, e expandem o poder do capital para proteger e fortalecer instituições e indivíduos. Nossa perspectiva única nos permite enxergar as conexões críticas entre talentos, ativos e ideias ? a fórmula dinâmica que impulsiona o desempenho do negócio. Juntos, desbloqueamos potencial.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Prêmio Brasilcap Solidário comemora 5º aniversário

                        Reconhecimento de importantes iniciativas de parceiros marca premiação

                        A Brasilcap, empresa referência em capitalização, comemora o 5º ano do Prêmio Brasilcap Solidário, que foi criado com o objetivo de divulgar e reconhecer boas ações, projetos e demais iniciativas socioambientais. Nesta edição, o reconhecimento foi voltado para as corretoras de seguros parceiras do Cap Fiador em todo o Brasil. As grandes vencedoras do prêmio, que aconteceu no último dia 23, foram, nesta ordem, a Triunfo Brasil Insurance, de Belo Horizonte; a Dosea Corretora de Seguros, de Sergipe; e a Unioncorp, de São Paulo.

                        A Triunfo Brasil organizou a gincana ?Juntos Somos Mais?, entre seus colaboradores, para arrecadação de brinquedos, alimentos e visita em três instituições carentes, com o objetivo de vivenciar a solidariedade. A Dosea Corretora de Seguros, que conquistou o segundo lugar, organizou uma ação para distribuir mudas frutíferas à comunidade, clientes e colaboradores, para contribuir com um meio ambiente mais saudável.

                        Já a Unioncorp, terceiro lugar no prêmio, organizou uma doação de ativos para o Centro Espírita Nosso Lar Casas André Luiz, que oferece atendimento gratuito para pessoas com deficiência intelectual, além comprar brindes corporativos desde 2009 da Vocação, entidade sem fins lucrativos que trabalha para desenvolver o potencial das pessoas e suas comunidades.

                        A Brasilcap, signatária dos Princípios para Sustentabilidade em Seguros ? PSI, sigla em inglês, fornecido pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, vem incorporando cada vez mais os pilares de responsabilidade socioambiental (RSA) em suas práticas de negócios e administrativas. A Companhia tem buscado disseminar e desenvolver esses conceitos entre funcionários, colaboradores e os demais públicos de relacionamento da empresa. No ano passado, a Brasilcap direcionou R$ 13,2 milhões para ações de RSA, beneficiando mais de 138 mil pessoas em todo o país.




                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Instituto de Longevidade Mongeral Aegon lidera debate sobre projeto de lei que propõe inserir o aposentado no mercado de trabalho

                        O gerente Institucional do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, Antônio Leitão, será um dos palestrantes…

                        O RETA - Regime Especial de Trabalho do Aposentado ? é um projeto de lei que propõe inserir o aposentado com mais de 60 anos no mercado de trabalho, tornando sua contratação atraente às empresas. ?O aumento da expectativa de vida do brasileiro convida para debates como esse, que não podem ser mais adiados pela sociedade?, reforça Antônio Leitão.

                        Sobre o Instituto de Longevidade Mongeral Aegon - O Instituto de Longevidade Mongeral Aegon é uma instituição sem fins lucrativos, criada pelo Grupo Mongeral Aegon com a missão de contribuir com ações concretas, especialmente na área do trabalho, de cidades e mobilização social, para colocar a questão da longevidade na agenda de desenvolvimento da sociedade brasileira e propor soluções em torno dos seus impactos sociais e econômicos. A entidade está associada a outros institutos de longevidade no mundo, como o Centro da Transamerica (Aegon EUA) para Estudos de Aposentadoria e o Centro Aegon para Longevidade e Aposentadoria (Holanda). Os três têm apoio do Grupo Aegon, que atua em mais de 20 países. O objetivo é manter sempre latente a reflexão e o debate público, além de inspirar governos e outras organizações a implantar políticas que auxiliem às pessoas a continuarem ativas por mais tempo, sempre atentas ao bem-estar e ao conceito de educação financeira. www.institutomongeralaegon.org

                        Serviço

                        II Congresso de Gerontologia da USP

                        Palestra ?O RETA: inovação em políticas públicas para o trabalho dos 60+?, 01/12, das 18h às 18h30

                        Rua Arlindo Béttio, 1000 - Ermelino Matarazzo, São Paulo

                        (Transporte público - Estação USP- Leste com acesso direto ao Campus EACH-USP)

                        Tel.: (11) 3091-1004

                        http://congressogerontologiausp.strikingly.com/#ii-congresso-de


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Mercado de trabalho qualificado é uma das principais exigências na Indústria 4.0, segundo especialistas

                        Empresários se reuniram no Paraná para o Simpósio Internacional: Indústria 4.0 ? Paraná e Baden-Württemberg

                        A qualificação profissional para cargos na indústria será um dos grandes desafios para que o Brasil consiga ingressar de fato na indústria 4.0. É o que revelaram alguns especialistas durante o Simpósio Internacional: Indústria 4.0 ? Paraná e Baden-Württemberg, nesta segunda-feira (28), em Curitiba (PR). Empresários dos dois países debateram quais os caminhos necessários para se enfrentar os desafios dessa nova fase de revolução industrial, que traz novas tecnologias e, consequentemente, necessidade de qualificação para o mercado de trabalho.

                        O simpósio teve a participação, no painel de abertura, do diretor do Conselho Temático de Política Industrial, Inovação e Design da Fiep, Rodrigo Martins, que disse que a Indústria 4.0 não é só um conceito, mas uma tendência natural de evolução tecnológica das indústrias, com repercussão social e econômica, porque afeta o ganho de produtividade das empresas que adotam esse tipo de automação. Quando se fala em aumentar a qualificação profissional, segundo Martins, isso tende a trazer melhor qualidade tanto no trabalho quanto para a renda do empregado da indústria.

                        ?A gente está falando de um nível de tecnologia importante, e automaticamente, se você tem mais qualificação, aumenta a renda do trabalhador?, explica. O diretor diz ainda que a criação de novos postos de trabalho e o aperfeiçoamento dos já existentes vão gerar uma migração no mercado de trabalho e as escolas de educação profissional terão papel importante nesse sentido. "Não só o Senai, o próprio Sesi, a academia, o IEL PR têm uma responsabilidade grande sobre esse tipo de formação, e as universidades de uma maneira geral estão se atentando a isso?, diz.

                        O vice-presidente executivo da Seção Brasil da American Society For Engineering Management, Maximiliano Vargas, destacou o trabalho das federações, como a Fiep e a Fiesp, em São Paulo, na formação profissional, além do Senai, mas disse que os próprios profissionais que já fizeram carreira na indústria, precisam ficar atentos para essas mudanças trazidas pela Indústria 4.0 para não perderem espaço. ?[São profissionais que] já estão operando, e vão sofrer o maior impacto. Se eles não se prepararem de maneira condizente, podem perder o emprego?, alerta.

                        Preparação

                        O superintendente do Sesi e do IEL no Paraná e diretor regional do Senai no Paraná, José Antonio Fares, destacou o preparo do Senai, com os institutos de tecnologia e inovação. ?Ao falar em Indústria 4.0, é importante dizer que o Senai vem se organizando e encontra-se em plenas condições técnicas de dar sustentação às empresas?. Ele também acrescentou o papel do Sesi na área de qualidade de vida, e do IEL, na formação de lideranças, para essa nova realidade da indústria que chega ao país.

                        Martins disse que o Brasil precisa ter pró-atividade quando o assunto é o avanço tecnológico com a Indústria 4.0. ?Nós no Brasil geralmente compramos tecnologias que já estão consolidadas em outros países. Nós temos a oportunidade nesse momento de nos inserir efetivamente na Indústria 4.0 como fornecedores?. Ele também destacou o papel dos Institutos Senai de Tecnologia e Inovação (ISTs e ISI) como meios para o desenvolvimento dessas tecnologias.

                        Na opinião do gerente da empresa alemã Landesnetzwerk Mechatronik, Volker Schiek, um dos grandes desafios que a nova revolução industrial traz é a complexidade. Ele dá como exemplo a Alemanha, que está atingindo um alto estágio de complexidade, do qual se faz necessário encontrar novos caminhos para revolvê-la. ?Nós estamos falando de uma complexidade e de uma gestão de complexidade poupando recursos e favorável para o meio ambiente?. O gerente cita a cooperação entre diferentes regiões do mundo dentro desta nova realidade industrial. ?Tudo tem que funcionar junto, seja em Stuttgart, seja em Curitiba. Nós temos diferentes pontos de vista, nós temos diferentes desafios, temos definições diferentes. E essas definições tem que combinar?, diz, sobre as alianças entre os países.

                        Este foi o primeiro dia de palestras do simpósio, que será realizado também em Maringá, no Noroeste do Paraná, nesta quarta-feira (30), e em Londrina, no Norte do estado, nesta sexta-feira (2). O evento é uma parceria do Sistema Fiep com o Ministério da Economia, Trabalho e Habitação de Banden-Württemberg, na Alemanha.

                        Serviço:

                        Simpósio Internacional: Indústria 4.0 ? Paraná e Banden-Württemberg

                        Maringá

                        Data: quarta-feira (30)

                        Local: Instituto Senai de Tecnologia em Metalmecânica - Rua José Correia de Aguiar, 361 ? Jardim Leblon

                        Horário: 9h às 17h30

                        Londrina

                        Data: sexta-feira (2)

                        Local: Senai Londrina - Rua Belém, 844, Centro.

                        Horário: 9h às 17h30


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Juliana Baroni É A Nova Cara Da Genial Seguros

                        A Genial Seguros, uma das cinco maiores online do país, terá uma cara nova estampando…

                        ?A Juliana vive um momento fantástico de sua carreira com milhões de seguidores e um público que abrange desde aqueles que a acompanhavam quando era paquita até crianças que assistem à novela que está no ar atualmente, em que ela é protagonista. Ela tem essa imagem de família, responsabilidade e cuidado, valores que fazem parte da Genial Seguros?, afirma Evandro Pereira, CEO da Geração Futuro, gestora de investimentos proprietária da Genial Seguros.

                        As primeiras peças publicitárias vão focar nas pesquisas que mostram que mais de 60% das pessoas ainda não cotam seus seguros on-line, mostrando que a economia através destes canais pode chegar a quase 50% em relação aos meios tradicionais.

                        [+] SOBRE A GERAÇÃO FUTURO

                        A Geração Futuro administra R$ 9 bilhões e possui mais de 300 mil clientes, que tem à disposição soluções financeiras inovadoras e adequadas a seus perfis. Em sua trajetória bem sucedida, combina mais de 20 anos de existência e sua longa experiência em renda variável com resultados consistentes, inovação e investimentos em tecnologia.

                        Comprometida com o desenvolvimento do mercado nacional, a Geração Futuro especializou-se na distribuição de produtos financeiros para o varejo, com investimentos a partir de R$ 100,00. Também foi pioneira ao promover educação financeira no Brasil e investe fortemente no desenvolvimento de soluções tecnológicas, a fim de assegurar a expansão de seus negócios.

                         

                         


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - A cultura como uma aceleradora de negócios

                        Quando assumi recentemente o controle da empresa onde atuo, me perguntei: qual é o recurso…

                        Você pode pensar que TI não é um negócio de pessoas, que é tudo sobre tecnologia. Mas isso estaria errado. Claro que é importante ter uma grande variedade de produtos, serviços e processos operacionais fáceis. Entretanto, acredito que não é onde se encontra o verdadeiro diferencial.

                        No mundo complexo de serviços globais de TI, o que realmente diferencia organizações é a atitude de suas pessoas, porque é isso que traz uma grande experiência ao cliente. Se seus funcionários estão felizes em ir além para ver seus clientes bem-sucedidos, isso é uma prova de que tudo realmente se resume a fatores culturais.

                        Cultive a cultura para acelerar o sucesso

                        Consultor líder em cultura corporativa na Booz & Company, Jon Katzenbach disse para a Harvard Business Review[i] de julho de 2012: ?Quase toda empresa que atingiu um pico de desempenho vê a cultura como uma vantagem competitiva ? um acelerador de mudanças, não um impedimento.? Eu concordo e pretendo acelerar o desempenho da companhia em que trabalho me concentrando na nossa cultura.

                        Fontes de um verdadeiro diferencial competitivo são raras e estão ficando mais escassas, mas a cultura é uma delas. Se a sua cultura é distinta e você coloca um grande esforço para alimentá-la e comunicá-la na sua organização, ela pode ser um acelerador do seu sucesso.

                        Se conseguir que seus líderes sêniores comecem a falar sobre suas pessoas o tempo todo ? como eles estão desenvolvendo-as, o que estão fazendo para atrair os melhores talentos e mantê-los apaixonados, motivados e incentivados ? há um poder enorme nisso.

                        Eles deveriam se concentrar em como atrair pessoas talentosas, ajudando-as a construir sua experiência e gerenciando ativamente suas carreiras. Ajude-as a aprender e a desenvolverem-se, exponha-as a estender desafios de negócios, dê a elas feedback, recompense-as e comemore suas realizações. É aí que está o poder de estar à frente dos competidores.

                        Não só uma boa cultura, a cultura certa

                        Mas você não quer apenas qualquer cultura forte ? você precisa de uma que seja certa para seu negócio. Nos anos 90, dois acadêmicos, Kotter e Heskett, fizeram um estudo famoso sobre Cultura Corporativa e Desempenho[ii]. Eles descobriram que não é suficiente ter uma cultura ?forte?, coesa, claramente definida e persistente.

                        Na verdade, o ?conteúdo? de uma cultura é tão ou mais importante quanto sua força. Kotter e Heskett disseram que não há uma cultura única vencedora. Para eles, uma cultura é boa apenas se ela se encaixar em seu contexto. Em outras palavras, sua cultura precisa se ajustar à sua estratégia de negócios.

                        Quando eu assumi meu novo cargo de CEO, tive sorte de herdar uma organização na qual a cultura e a estratégia de negócios já estavam alinhadas. Nossa estratégia de negócios é ajudar clientes a alcançar grandes feitos com a tecnologia; e nossa cultura é ajudar nossas pessoas a alcançar excelência profissional e pessoal.

                        Não estamos dizendo que a ?nossa cultura é a melhor do mundo?, mas, sim, que ela é absolutamente certa para o que queremos entregar aos nossos clientes.

                        O que é bom para seus colaboradores é bom para seus acionistas

                        Outro critério fundamental é adotar melhores práticas no RH. Não é exatamente o mesmo que cultura, mas é uma parte crítica de como você canaliza o poder de suas pessoas para acelerar o sucesso de seu negócio.

                        O Instituto Top Employers[iii] estudou a correlação entre melhores práticas de RH e o desempenho de ações, e descobriu que companhias com uma gestão líder de pessoas tendem a superar o índice de ações em 51% em seus países.

                        O Instituto avalia de forma independente as práticas de RH das empresas, que são então auditadas por um terceiro para garantir uma acreditação verdadeiramente objetiva.

                        Lidere com autenticidade

                        Gerenciar uma cultura pode ser notoriamente difícil. Mas uma coisa que todos parecem concordar é que isso começa do topo. Liderar por exemplos é crítico e, na minha experiência, a melhor maneira de fazer isso é ser você mesmo.

                        Durante a minha carreira, encontrei muitos estilos de liderança. Não acredito que há necessariamente uma maneira certa ou errada de liderar. Minha visão é de que você deve liderar do seu próprio jeito.

                        Líderes que são fiéis a si mesmos e que são vistos liderando de uma maneira que é natural para eles são vistos como autênticos. E isso estabelece confiança com seus funcionários.

                        Líderes que foram bem-sucedidos ao colocar as pessoas em primeiro lugar

                        Há muitos líderes empresariais de sucesso, mas os verdadeiros destaques sempre tiveram um forte foco nas pessoas.

                        Tome como exemplo Louis V. Gerstner, ex-CEO da IBM. Eu trabalhava na IBM quando ele assumiu o cargo. Na época, a moral era baixa e havia um sentimento entre muitos de que a IBM estava condenada como um negócio. Ver Gerstner mudar completamente a IBM foi uma experiência incrível. Depois disso, a empresa teve sua melhor época por 10 a 12 anos, baseada no que Gerstner colocou em prática.

                        Outro destaque é Richard Branson, fundador do Grupo Virgin. Considere apenas o número de indústrias que ele transformou. Música, companhias aéreas, celulares, até os setores de saúde e seguros. O que Branson conseguiu é fenomenal. E ele fez isso com uma cultura de colocar suas pessoas em primeiro lugar, clientes em segundo, e acionistas em terceiro.

                        Esses líderes realmente me mostraram que concentrar-se na cultura pode acelerar o sucesso do negócio em qualquer setor. E é exatamente isso que pretendo alcançar como CEO.

                        *Jason Goodall, novo CEO da Dimension Data, multinacional focada em serviços e soluções de tecnologia da informação.

                        [i] Cultural Change That Sticks por Jon R. Katzenbach, Ilona Steffen, e Caroline Kronley, Harvard Business Review, Julho-Agosto 2012 https://hbr.org/2012/07/cultural-change-that-sticks

                        [ii] Corporate Culture and Performance, J. P. Kotter & J. L. Heskett, The Free Press, New York, 1992

                        [iii] http://www.top-employers.com/media/press-release/New-Research-Links-HR-Best-Practices-with-Better-Business-Performance/


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Quer abrir uma franquia? Confira três tendências certeiras para 2017

                        O fim do ano já está chegando e, junto com ele, o tempo de se…

                        Então, se você está realmente considerando investir nesse mercado, confira a seguir algumas tendências bem relevantes para o setor, tendo por base a última pesquisa realizada pela Euromonitor com mais de 20 mil pessoas em 20 países, incluindo o Brasil, para apresentar os principais comportamentos globais dos consumidores.

                        #1. Comida ?verde?: quando falamos do segmento de alimentos, sem dúvida, uma das maiores tendências é a franquia de alimentação saudável e natural. Isso porque, além de se preocupar com a saúde em si, os consumidores estão cada vez mais interessados na qualidade e na procedência dos alimentos que adquirem. Segundo a pesquisa já citada, os atributos que mais preocupam os consumidores em relação à alimentação referem-se ao quanto o produto escolhido é natural, utiliza açúcar e ingredientes artificiais. Além disso, percebe-se uma valorização de alimentos produzidos localmente e também das marcas que minimizam a utilização de embalagens, reduzindo o desperdício de recursos naturais.

                        # 2. Comprando tempo: uma das frases mais comuns de se ouvir por aí é ?Não tenho tempo para nada!?. E, justamente por isso, as pessoas tem percebido cada vez mais o valor em ter tempo disponível. Dessa forma, além de limitarem seu horário de trabalho, nas horas vagas preferem pagar por serviços e produtos que otimizem seu tempo para poderem aproveitá-lo de outra forma, se dedicando a atividades que realmente se interessam. Assim, franquias que, além de vender seus produtos e serviços, priorizem economizar o tempo dos seus clientes possuem uma grande chance de sucesso. Um bom exemplo são as marcas focadas na venda de refeições saudáveis por delivery, duas tendências em uma!

                        #3: Desafiando a idade: com o aumento da participação do número de idosos na população, esse mercado vem ganhando peso na economia mundial. Os novos idosos, entretanto, não estão satisfeitos em descansar. O objetivo é ficar ativo tanto mentalmente quanto fisicamente. Tais características aliadas ao aumento da expectativa de vida favorecem as empresas que se preocupem em proporcionar mais qualidade de vida para a famosa melhor idade.

                        Essas são as principais tendências com base nas últimas mudanças ocorridas no comportamento dos consumidores. Contudo, outro ponto a ser considerado refere-se ao atual cenário econômico brasileiro. Não é novidade como a crise econômica tem afetado drasticamente o consumo. Mas, também não faltam negócios que podem ser beneficiados nesta fase.

                        Por isso, se você quer fazer parte do franchising não acredite na sorte. Pesquise muito antes de definir qual é a melhor franquia para você. E, se quiser um pouco de inspiração não deixe de conferir em nosso blog o post completo com exemplos de quais marcas se alinham melhor a cada tendência.

                        Diego Simioni é administrador de empresas e fundador do FranquiAZ consultoria especializada no segmento de franquias.

                        Sobre a FRANQUIAZ

                        http://franquiaz.com.br/

                        (11) 2501 9949


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - AIG Participa De Eventos Do Setor De Combustíveis E Lubrificantes Em Campinas

                        A American International Group, Inc. (AIG), uma das organizações líderes no mercado securitário internacional e…

                        Promovidos a partir da parceria entre o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Campinas e Região (Recap) e o Sindicato Interestadual do Comércio de Lubrificantes (Sindilub), os eventos promoveram discussões de temas de interesse da categoria.

                        A presença da AIG no evento foi em parceria com a NN Corretora de Seguros para levar informações sobre as diferentes soluções de seguros para este setor, entre eles o Seguro Empresarial, que conta com mais de 50 coberturas diferentes para danos patrimoniais, como incêndio, raio, explosão, roubo etc.; e o Seguro Ambiental para transportes.

                        A proximidade com executivos de Campinas e região também foi fator preponderante para a presença da AIG nos congressos. A Companhia dispõe de escritório na cidade, com profissionais especializados no mercado do interior paulista. ?Um dos motivos para o sucesso e para a continuidade dos negócios da AIG no Interior de São Paulo é o fato de estarmos sempre ao lado dos clientes e dos corretores, falando a mesma língua e atendendo-os de maneira personalizada?, ressalta Alessandra Brantegani, Gerente Regional da AIG.

                         


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - ANS discute o estímulo a hábitos saudáveis

                        A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) realizou, na sexta-feira (25), a segunda oficina de…

                        Karla Coelho

                        A diretora da Dipro, Karla Santa Cruz Coelho, fala aos participantes da oficina Promoprev

                        O evento foi aberto pela gerente-geral de Regulação Assistencial da ANS, Raquel Lisbôa, que apresentou, de forma resumida, os temas discutidos na primeira oficina Promoprev, realizada dia 31/11, também no Rio de Janeiro. Alguns dos tópicos apresentados foram a necessidade de avaliação de indicadores de saúde dos beneficiários e o acesso e análise de informações como ferramenta estratégica para elaboração de ações no campo da saúde, além da criação de incentivos.

                        Raquel Lisbôa

                        A gerente-geral de Regulação Assistencial, Raquel Lisbôa, abriu a oficina no Rio de Janeiro

                        Na sequência, o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rudi Rocha, falou aos participantes da oficina sobre técnicas de avaliação de impacto de políticas e programas e alguns desafios que se apresentam neste tipo de atividade, como a necessidade de bases de dados sólidas sobre um determinado tema, ao longo do tempo e de grupos semelhantes. Dessa forma, é possível realizar estudos mais consistentes e traçar um panorama do antes e depois de uma intervenção. E, para isso, Rocha destacou como pontos favoráveis o aumento exponencial do volume de informações, a evolução de técnicas de análise e a crescente interação entre pesquisadores, governos e empresas para transformar massa de informação em conhecimento.

                        Houve também a apresentação de Alberto J.N. Ogata, coordenador do Laboratório de Inovações Assistenciais em Promoção da Saúde e Prevenção de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar - ANS/Organização Pan-americana de Saúde (Opas). Ele comentou sobre diversos aspectos relacionados às motivações e incentivos no campo da promoção da saúde e como essas iniciativas podem impactar na mudança de comportamento do beneficiário. Um deles é o incentivo econômico. De acordo com Ogata, há estudos que mostram que 77% das empresas do ramo de planos de saúde dos Estados Unidos e Canadá concedem incentivo financeiro como forma de estimular pessoas a participarem de programas de promoção da saúde. Mas, segundo ele, esse tipo de ação pode perder o efeito positivo com o passar do tempo se não houver outros esforços para que a ação tenha êxito, como trabalhar a motivação interior. Para estudiosos do tema, como McCaul e Cols, ?incentivos econômicos parecem ser eficazes no curto prazo para os cuidados preventivos simples e para atingir metas comportamentais distintas e bem definidas?.

                        O período da tarde foi ocupado com a discussão sobre como avançar no campo da promoção da saúde na saúde suplementar. Como base nos resultados da primeira oficina, essa segunda edição da atividade centrou esforços no debate sobre a qualificação dos programas. O grupo de discussão concluiu que é necessário aumentar a quantidade de beneficiários envolvidos em programas, bem como a qualidade e a efetividade das atividades planejadas. O debate apontou também para a necessidade de revisão do atual modelo dos programas e de implementação de ações calcadas na atenção primária e integral à saúde do beneficiário.

                        A segunda oficina Promoprev reuniu cerca de 30 representantes da ANS, operadoras de planos de saúde e prestadores de serviços, além da Opas e UFRJ.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Mudanças no RCO: último dia para sugestões

                        Termina nesta terça-feira, 29 de novembro, o prazo para o envio de comentários e sugestões…

                        Os interessados poderão encaminhar seus comentários e sugestões, por meio de mensagem eletrônica dirigida ao endereço cgcom [DOT] rj [AT] susep [DOT] gov [DOT] br ou copat [DOT] rj [AT] susep [DOT] gov [DOT] br, devendo ser utilizado quadro padronizado específico, disponível na página da Susep na Internet.

                         


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - 5º Encontro Das Ars Mostra Resultados E Perspectivas

                        Apesar do cenário econômico desfavorável em diversos setores no Brasil, para a certificação digital o…

                        ?Tais resultados são fruto do nosso trabalho, do nosso empenho e do nosso comprometimento, pois acima de tudo, somos profissionais conscientes do nosso papel de transformação?, ressalta o presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo.

                        As ARs presentes receberam relatório completo de suas operações, separados por grupo de cores, como verde, amarelo e vermelho, que indicavam a situação de cada Autoridade. ?O documento foi realizado com atenção voltada para cada uma das ARs, trazendo detalhes da operação, além de dicas de melhoria?, explica o coordenador da Comissão das ARs, Carlos Caporali.

                        Durante o painel, a Comissão apresentou os pontos negativos que levam a uma baixa produção, destacando que as ARs receberão atenção para aprimorar os negócios. Caporali ainda destacou o Plano de Expansão, que visa qualificar os pretendentes, aumentar a rigidez das regras de credenciamento, além de fortalecer o empreendedorismo.

                         


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Saúde nas empresas em tempos de crise

                        Planejamento evita gastos desnecessários e descrença nos projetos de qualidade de vida

                        O conceito de qualidade de vida envolve diversos aspectos, da cultura à espiritualidade. Parte essencial desta questão, a saúde (emocional e física) percorre todas estas variáveis até chegar ao trabalho, ambiente responsável por concentrar expectativas em relação à carreira e às finanças.

                        A busca por equilíbrio em cada área da vida tem se tornado cada vez mais frequente e um bom ambiente de trabalho, alinhado aos interesses do indivíduo, gera entusiasmo e comprometimento. Cientes deste retorno, empresários aderem a diferentes projetos para a conquista de equipes saudáveis.

                        Contudo, empresas bem estabelecidas costumam ter em seu corpo de colaboradores pessoas com idades distintas, desde os aprendizes até os profissionais com décadas de experiência. Para entender as necessidades de cada grupo, é preciso trabalhar em pesquisas e diagnósticos assertivos para que os investimentos sejam certeiros.

                        A grande barreira para essas ações encontra-se no orçamento justo e na premissa de que somente grandes projetos podem influenciar de maneira positiva o comportamento humano. Felizmente, algumas mudanças na rotina diária podem desencadear hábitos poderosos no sentido esperado.

                        Quando o tema são os hábitos de vida, vale lembrar que existem teorias estabelecidas sobre a fase que cada pessoa está em relação ao comportamento desejado. São as chamadas fases de prontidão para a mudança como, por exemplo, podemos pensar em pessoas que nunca desejaram começar a caminhar e outras que já iniciaram, mas não conseguiram manter. Dessa forma, cada pessoa será incentivada de maneira diferente, por isso, é importante aliar informação, oportunidades e reforços frequentes até atingir a aderência desejada.

                        Os comportamentos de saúde também podem ser influenciados pelas crenças pessoais de cada um, aconselhamentos de equipe multidisciplinar (médicos, educadores físicos e psicólogos) ou opinião de pessoas próximas, como família e amigos. Existem ainda alguns questionários de qualidade de vida que ajudam a identificar quais aspectos merecem maior atenção.

                        As ações podem ser focadas em quatro esferas da vida:

                        Cuidados com a saúde: fornecer dicas periódicas com as principais recomendações de saúde, tais como orientações de exercício, alimentação saudável, importância do sono e a realização dos exames de prevenção, alertando as necessidades de cada faixa etária, entre outras ações.
                        Cidadania: criar uma rede de voluntários internos para o ensino de algumas práticas, sendo essas de domínio do colaborador, como aulas de línguas, ioga, instrumentos musicais, utilização de alguns softwares e palestras de temas de interesse para a melhora dos processos internos. Para alcançar a adesão esperada, a empresa pode oferecer benefícios para os voluntários.
                        Lazer: divulgar eventos gratuitos de cultura e lazer, incentivando o entretenimento variado, é uma das alternativas.
                        Relacionamentos: incentivos para a melhoria na convivência com os colegas e interação entre os departamentos, seja propondo almoços entre os setores ou reuniões em locais inusitados.

                        Para a conquista de um ambiente harmonioso, as ações precisam estar alinhadas aos valores de cada organização, sem desvincular aos interesses do grupo e de cada indivíduo. A crise econômica leva o gestor a repensar investimentos, mas não são somente os projetos grandiosos que estimulam a adoção de hábitos saudáveis. Um bom planejamento evita gastos desnecessários e uma possível descrença nos resultados em projetos de qualidade de vida.

                        Sobre a autora

                        Aline Chrispan, educadora física, é coordenadora de projetos de qualidade de vida na assessoria esportiva Amplo Movimento. Criada em 2012, a empresa presta serviços de ginástica laboral, ioga, pilates e grupos de corrida, além de oferecer coaching esportivo à distância para indivíduos que desejam treinar por conta própria.
                        www.amplomovimento.com.br

                         


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - ANS realiza a 2ª Reunião do GT Remuneração

                        ANS realiza a 2ª Reunião do GT Remuneração
                        A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) realiza nesta terça-feira, 29/11, a 2ª Reunião do…

                        Os interessados poderão acompanhar o evento ao vivo pelo celular usando o aplicativo Periscope. Para isso é preciso fazer o download do app, se cadastrar como usuário e acessar o perfil do evento digitando ?ANS reguladora? na ferramenta de busca. Também haverá transmissão em tempo real pelo Twitter (@ANS_reguladora).

                        Leia mais sobre o GT de Remuneração.

                         


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - As novas regras do Simples Nacional e seus impactos serão debatidos gratuitamente

                        O evento será promovido pelo escritório Silva & Oliveira Consultoria Contábil, no próximo dia 6…

                        A Lei sancionada pelo governo aprovou mudanças no simples nacional, às novidades devem entrar em vigor no ano de 2018, e garantem aumentar o teto de faturamento para micros e pequenas empresas que participam do regime. As mudanças prometem gerar condições de faturamento favoráveis para as empresas de todo o País. No entanto, apesar do anúncio positivo de novos tempos para os empreendedores, a lei não tem convencido, e tem gerado muitas dúvidas entre os contribuintes.

                        De acordo com o tributarista Flávio de Oliveira, é de fundamental importância que se tenha um cenário tributário prévio e muito bem definido. ?A empresas devem se atentar desde já para entender as novas medidas e buscar soluções técnicas a fim de evitar a incidência e reduzir os encargos fiscais? afirma.

                        A atividade é destinada aos empresários, contadores e profissionais que atuam na área. Para se inscrever basta acessar o site da Silva & Oliveira Consultoria Contábil.

                        O encontro terá a duração de três horas e na oportunidade os palestrantes Flávio de Oliveira e João Paulo Marques, explanaram as principais mudanças da nova lei do Simples Nacional e como essa nova medida deve afetar a vida dos empresários. Dessa forma, os participantes presentes terão a oportunidade de entender com exemplos práticos como efetuar um bom planejamento, além de manter a empresa com segurança, assim como, esclarecer as dúvidas mais frequentes no âmbito empresarial.

                        Flávio de Oliveira é Contabilista, graduado em Direito, especialista em Direito Tributário. Oliveira é sócio-diretor do escritório Silva & Oliveira Consultoria Contábil, e atua diretamente com estratégias direcionadas ao planejamento tributário, societário e sucessório. E João Paulo Marques é Contabilista e consultor tributário no grupo Silva & Oliveira, com experiência nos diferentes regimes tributários aplicáveis e ainda amplo conhecimento em ICMS, Substituição Tributária, Sat, Retenções na fonte de PIS- PASEP, COFINS CSLL, bem como, na legislação atinente ao IRPF-IRPJ.

                        A atividade acontece no Birô espaço compartilhado, situado da rua Groelândia, 906- Jardim Europa , São Paulo.

                        SERVIÇO: PALESTRA: NOVAS REGRAS DO SIMPLES NACIONAL E SEUS IMPACTOS.
                        Data: 06 de dezembro de 2016 (Terça-feira), das 09 às 12h
                        Valor: Gratuito
                        Local: Rua Groelândia, 906- Jardim Europa, São Paulo.
                        Inscrições: https://www.sympla.com.br/palestra-novas-regras-do-simples-nacional-e-seus-impactos__99981

                         


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Aluguel residencial pode subir 7,12% em dezembro

                        Essa é a variação IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), que corrige a maior…

                        Em dezembro, os contratos de locação residencial poderão sofrer reajuste de 7,12%. Esse percentual compreende o período entre dezembro de 2015 a novembro de 2016 (12 meses) e deve ser aplicado aos contratos de locação residencial com aniversário em dezembro e cláusula de reajuste pelo IGP-M/FGV (Índice Geral de Preços - Mercado, da Fundação Getúlio Vargas), ou seja, a maioria dos aluguéis do mercado.

                        O IGP-M é eleito como um dos principais indicadores para reajustes contratuais por ser divulgado primeiro, ainda dentro do mês de referência. A variação no mês de novembro foi de -0,03%.

                        Para facilitar o cálculo do novo aluguel, o Secovi-SP (Sindicato da Habitação) divulga fator de atualização que, no caso, será de 1,0712. Por exemplo: para atualizar um aluguel de R$ 1.500,00 que vigorou até novembro de 2016, realiza-se a multiplicação de R$ 1.500,00 por 1,0712. O resultado, R$ 1.606,80, corresponde ao aluguel de dezembro, a ser pago no final do mês de dezembro ou início de janeiro de 2017.
                        Fatores de Reajustes de aluguel

                        ? Contrato com aniversário em dezembro/16 e pagamento em janeiro/17: 1,0712
                        ? Contrato com aniversário em novembro/16 e pagamento em dezembro/16: 1,0878
                        ? Contrato com aniversário em outubro/16 e pagamento em novembro/16: 1,106
                        ? Contrato com aniversário em setembro/16 e pagamento em outubro/16: 1,1149
                        ? Contrato com aniversário em agosto/16 e pagamento em setembro/16: 1,1163
                        ? Contrato com aniversário em julho/16 e pagamento em agosto/16: 1,1221
                        ? Contrato com aniversário em junho/16 e pagamento em julho/16: 1,1109
                        ? Contrato com aniversário em maio/16 e pagamento em junho/16: 1,1063
                        ? Contrato com aniversário em abril/16 e pagamento em maio/16: 1,1156
                        ? Contrato com aniversário em março/16 e pagamento em abril/16: 1,1208
                        ? Contrato com aniversário em fevereiro/16 e pagamento em março/16: 1,1095
                        ? Contrato com aniversário em janeiro/16 e pagamento em fevereiro/16: 1,1054
                        ? Contrato com aniversário em dezembro/15 e pagamento em janeiro/16: 1,1069

                         


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Escola lança livro sobre subscrição e precificação

                        ?Subscrição de Riscos e Precificação de Seguros" é o terceiro título da série Textos Didáticos

                        Em tempos em que a política de subscrição e a precificação de riscos tornam-se ainda mais estratégicas, um novo livro da Escola Nacional de Seguros deve estar no radar dos profissionais do mercado segurador. Trata-se do terceiro título da série Textos Didáticos, ?Subscrição de Riscos e Precificação de Seguros?, que aborda os diversos métodos e técnicas relativos aos procedimentos dessas atividades.

                        A subscrição e a precificação de riscos por parte das seguradoras são processos técnicos e complexos que envolvem muitas etapas. Os setores de subscrição das seguradoras desempenham um papel fundamental na seleção e acolhimento de riscos que se comportam de forma semelhante, ou na avaliação das condições de aceitação para riscos dessemelhantes.
                        Já a precificação de seguros é o motor mais importante da rentabilidade das seguradoras e responsabilidade primordial dos atuários. Assim, são processos que levam em conta diversos fatores. Envolvem a tomada de decisão seletiva, de riscos aceitáveis, determinação do prêmio a ser cobrado, os termos do contrato e o monitoramento das decisões.

                        O livro é do engenheiro mecânico Sergio Ricardo de Magalhães Souza, cuja obra visa debater os assuntos nos meios acadêmico e empresarial, motivando as pessoas envolvidas a explicitarem suas experiências, contribuindo, assim, para a construção de um mercado ainda mais forte. ?O autor discute os diversos métodos e técnicas relativos aos dois processos, que garantem o crescimento das companhias e do mercado em que operam. O texto objetiva ser referência nos cursos superiores da Escola sobre esses temas?, escreve, no prefácio, Lauro Faria, assessor da Diretoria Executiva da Escola e editor executivo do livro.

                        O livro pode ser adquirido no www.funenseg.org.br, por R$ 35,00.


                        saiba mais »

                        29/11/2016 - Mercado segurador começa a se despedir de 2016

                        Mercado segurador começa a se despedir de 2016
                        Mais uma vez o Sindseg-BA/SE/TO, o Sincor-BA, o CSP-BA e o Clube do Seguro de…

                        Antonio Jorge de Souza, presidente do Clube do Seguro de Feira de Santana, destacou que o evento é resultado da sinergia das entidades. ?É um festa importantíssima para o mercado segurador baiano porque acontece a sinergia de entidades para um momento de congraçamento em que estamos reunidos para agradecer as conquistas de 2016?, destacou.

                        Para o presidente do Sindseg BA/SE/TO, João Giuseppe, a união das entidades mostra a maturidade do mercado segurador baiano. ?É uma felicidade enorme encerrar o ano com o Celebraseg. É o terceiro ano que fazemos essa festa mostrando a maturidade do mercado e também que a união faz a força?, destacou. Para ele, 2016 foi um ano desafiador. ?Terminamos satisfeitos com o trabalho feito pelo Sindseg?, disse ele.

                        Solon Barreto, presidente do Clube de Seguro de Pessoas e Benefícios da Bahia, afirmou que 2016 foi difícil, mas não tão desafiante quanto a capacidade dos executivos. ?Apesar da queda dos planos de saúde houve esforço e retenção com outras vias de negócio e isso ajudou a manter os corretores firmes?, disse.

                        Wanderson Nascimento, presidente do Sincor-BA, afirmou que o ano de 2016 vai servir de base para se fazer um 2017 melhor para ajudar no fortalecimento do mercado. ?Todos saem ganhando com isso: entidades e sociedade que pode ter um serviço de atendimento do mercado segurador melhor a cada ano?.

                        Fausto Dórea, presidente do Clube dos Seguradores da Bahia, acredita que 2016 foi de muito aprendizado para todos. ?Tenho grandes expectativas para 2017. Hoje é especial e o Clube dos Seguradores está honrado em participar?, disse.


                        saiba mais »

                        30/11/2016 - TOKIO MARINE Seguradora recebe ?Prêmio Visão 2016?

                        Julio Sato - Diretor Comercial Varejo SP Interior I
                        Companhia é homenageada pelos destaques em diversas carteiras e pela atuação de suas equipes

                        Como reconhecimento por sua atuação nos segmentos de Seguro de Transporte Internacional, Seguro Residencial, Seguro Vida em Grupo e Seguro Riscos de Engenharia, a Tokio Marine, uma das maiores seguradoras do Brasil, recebe o ?Prêmio Visão 2016?, entregue pelo Clube dos Corretores da Costa da Mata Atlântica (CCS). Nesta edição, foram selecionadas cinco seguradoras em cada categoria, sendo que somente os primeiros e segundos colocados mais lembrados pelos profissionais de seguros receberam o prêmio.

                        A regional São Paulo Interior I da Tokio Marine também ganhou os dois prêmios mais cobiçados do mercado que são Melhor Equipe de Atendimento de Sucursal (Santos) e a Melhor Gerente Comercial - Danila Andrade. A escolha dos homenageados foi feita pelos sócios da entidade, que é presidida pelo corretor Edmundo Paulo de Oliveira Paschoal.

                        ?Estamos muito gratos pela indicação, que demonstra o reconhecimento que nossos parceiros de negócios têm por nosso trabalho. Retribuiremos essa confiança mantendo a excelência nas entregas de nossos produtos e serviços.?, afirma o Diretor Comercial Varejo SP Interior I, Júlio Sato.

                        O executivo também destaca que a Tokio Marine disponibiliza ao mercado um amplo portfólio de produtos que, além de atender as demandas dos clientes, oferece inúmeras oportunidades de negócios aos seus parceiros. Para os próximos meses, a expectativa da regional é continuar investindo na capacitação e motivação de sua equipe e manter a agenda de encontros com os corretores e assessorias, com o objetivo de identificar as necessidades da região e propor soluções adequadas. ?Também estamos trabalhando fortemente para manter o ritmo de crescimento acima da média do mercado?, afirma Sato.

                        A cerimônia ocorreu no dia 25 de agosto durante jantar dançante no Clube Internacional de Regatas, em Santos, no litoral de São Paulo.

                        Sobre a Tokio Marine Seguradora

                        A Tokio Marine Seguradora S.A. é uma das maiores seguradoras do Brasil e do mundo. É subsidiária da Tokio Marine Holdings, o mais antigo conglomerado securitário japonês. Fundada em 1879, possui operações em 38 países e tem sua matriz mundial localizada em Tóquio, no Japão. No Brasil desde 1959, a Tokio Marine Seguradora coloca à disposição do mercado brasileiro um amplo leque de soluções para Clientes Pessoa Física e Jurídica, por meio de uma estrutura com 72 unidades de negócios, incluindo sucursais e escritórios em todo o País. O portfólio de Produtos Massificados contempla os seguros de Automóvel, Frotas, Residencial, Condomínio e Equipamentos, além dos seguros de Vida, Acidentes Pessoais e Prestamista para Empresas. Já a carteira de Produtos Corporativos inclui Seguros para Pequenas, Médias e Grandes Empresas, Transportes, Riscos de Engenharia, Riscos Nomeados e Operacionais, Riscos de Petróleo, Garantia, Responsabilidade Civil, Equipamentos, Náutico e Aeronáutico. Em 2016, foi eleita na 8ª posição como uma das Melhores Empresas para Trabalhar, de acordo com pesquisa conduzida pelo Great Place to Work® Brasil. Para mais informações, acesse: www.tokiomarine.com.br.

                         

                        • tokio marine


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - 96% dos profissionais de marketing no Brasil acreditam que uso de tecnologia é essencial para conquistar consumidores, aponta pesquisa do DOT digital group

                          Apesar do peso dado à tecnologia nas campanhas de marketing, apenas um quarto (25%) dos…

                          2016 ? Um estudo realizado pelo DOT digital group ? grupo brasileiro especializado em soluções digitais para Educação e Marketing ? identificou que 96% dos profissionais de marketing que atuam no Brasil concordam (total ou parcialmente) que o uso da tecnologia representa uma estratégia fundamental para criar campanhas voltadas a conquistar os consumidores do século 21.

                          Apesar desse resultado, a pesquisa ? que ouviu 170 profissionais de marketing em empresas de pequeno, médio e grande portes, entre os meses de agosto e setembro de 2016 ? identificou que apenas um quarto (25%) dos entrevistados conhecem o conceito de MarTech, que prevê o uso de tecnologia, associada à análise de grandes volumes de dados, para elaboração de campanhas de marketing customizadas e adaptadas em tempo real.

                          Entre as ferramentas e serviços mais utilizados pelos entrevistados para ações de marketing estão redes sociais (31%), automação de e-mail marketing (29%), marketing de conteúdo (14%), análise de métricas digitais (13%), geolocalização (7%), uso de algoritmo de aprendizado de máquina (3%), microtargeting (2%) e outro (1%).

                           

                          De acordo com o estudo do DOT digital group, 41% dos entrevistados admitem que as ferramentas de marketing usadas hoje por suas empresas são insuficientes para atingir os resultados esperados.

                          ?Esse estudo confirma nossa percepção de que, apesar de o uso de MarTech ser ainda tímido no Brasil, os profissionais do setor começam a acordar para o fato de que o uso de tecnologias avançadas para análise de informações e comportamentos dos clientes representa um caminho sem volta para garantir os resultados das ações de marketing?, afirma Luiz Alberto Ferla, CEO do DOT digital group. ?Trata-se de uma tendência bastante difundida em países como Estados Unidos e que aos poucos começa a chamar a atenção das empresas no mercado brasileiro. Nos últimos meses, no DOT temos percebido um aumento expressivo da procura e da implementação de projetos de MarTech, que devem reverter em uma ampliação de 80% no faturamento do grupo com esse mercado neste ano?, acrescenta. 

                          O estudo do DOT digital group mostra que as principais barreiras no Brasil para adoção de ferramentas mais sofisticadas, que reúnam marketing e tecnologia, são: falta de orçamento (38%), desconhecimento sobre benefícios (18%) e falta de habilidades (9%).

                          Quanto ao que motiva as empresas a buscar novas tecnologias no mercado, 51% dos entrevistados apontam que estão sempre à procura de soluções tecnológicas, 37% admitem que costumam analisar essas ferramentas quando não atingem os resultados esperados, 6% quando um superior solicita, 3% quando escutam falar sobre uma novidade e 2% apenas se têm um orçamento adicional.

                          Sobre investimentos em soluções, a maioria (40%) dos entrevistados aponta que, no último ano (2015), destinou de 0% a 5% do orçamento de marketing para ferramentas e/ou serviços de tecnologia e só 5% aportaram mais de 50% das verbas para uso de soluções tecnológicas.

                          Sobre as três principais prioridades das áreas de marketing e tecnologia nos próximos três anos estão a análise e monitoramento competitivo (18%), Big Data (14%) e Marketing e Fidelização (12%).

                          ?A digitalização das informações e dos negócios representa hoje uma realidade, que impacta empresas dos mais diversos portes e setores. No caso do marketing, essa adaptação para esse novo mercado passa, necessariamente, pelo uso de tecnologias voltadas a trazer melhores resultados e se diferenciar dos concorrentes. Nesse sentido, MarTech representa um caminho sem volta?, conclui o CEO do DOT digital group.

                          A pesquisa completa poderá ser consultada no site do DOT digital group a partir do dia 07 de dezembro. Acesse: http://dotgroup.com.br/

                          Sobre o DOT digital group

                          O DOT digital group e? especialista em soluções digitais de EdTech (Tecnologia para Educação) e MarTech (Marketing Technology). O portfo?lio DOT conta com soluções como: EAD, Gamification e Games, Simuladores e Sistemas Interativos, Redes Sociais Corporativas, Comunicação Digital, Inteligência Competitiva, Big Data e Microtargeting.

                          Para saber mais acesse: www.dotgroup.com.br


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Uma boa virada da ANS.

                          No dia de ontem, 29.11.16, acompanhamos um evento promovido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar…

                          Com participação de grande parte dos representantes do setor, advogados, representantes dos órgãos de defesa do consumidor, ministério público e consultores, a ANS, numa medida inédita, se propôs a ouvir o mercado frente a frente, para que todos pudessem se manifestar sobre, resumidamente, duas perguntas:

                          1) A fiscalização da ANS é efetiva?

                          2) O que deve ser aprimorado?

                          A ANS abriu o evento mostrando a aceleração da solução do imenso estoque de processos existente, uma preocupação que parece, finalmente, em busca da solução.

                          Estudo recente da Capitolio mostrou que no ano de 2016, foram julgados, ainda em primeira instância, autos de infrações foram iniciados em 2007 (um Processo) e entre 2009 a 2013 (432 processos)

                          Em seguida foram os presente chamados a opinar e foi de fácil percepção, pelas opiniões expressadas, a conclusão de que a fiscalização não é efetiva para ninguém; nem para o beneficiário e nem para as operadoras.

                          As queixas principais foram relacionadas à razoabilidade e a proporcionalidade das multas, em relação ao tipo de infração e ao porte da empresa.

                          Pela não entrega de uma carteira ao associado no prazo pode-se ser penalizado em R$ 80.000,00, da mesma forma que se aplica o mesmo valor, por uma negativa de exame ou uma negativa de cirurgia que pode colocar em risco a vida de alguém. Também os agravamentos excessivos foram objeto das queixas.

                          Algumas empresas de pequeno porte são multadas em valores capazes de leva-las à falência, tornando muitas das multas inócuas, pois não haverá a mínima capacidade de pagamento, o qual não será feito, arrastando-se juridicamente por muitos anos.

                          As autogestões, por sua vez, alegaram que não se equiparam a planos de saúde e que deveriam estar fora do alcance da ANS. Em parte com boa razão.

                          Outra questão interessante é que o consumidor que se sente prejudicado levando sua reclamação à agência, de forma nenhuma é beneficiado com a aplicação da multa, uma vez que sua necessidade básica não é atendida, que não recebe o valor da multa e, mais ainda, corre o risco de ter seu reajuste recalculado levando-se em conta as despesas que a operadora terá com multas pagas.

                          Sugestões para que as multas não sejam pagas pecuniariamente foram propostas. Os valores das multas seriam revertidos em melhorias para os usuários, como por exemplo, ampliação de hospitais próprios, aumento de consultórios médicos, etc...

                          Alteração dos fatores de agravamento, reparação espontânea do motivo que gerou o auto de infração antes da elaboração da NIP, melhora de acesso aos documentos para recurso e, de forma geral, um aprimoramento no processo de fiscalização.

                          Nossa opinião.

                          Em relação à pergunta ?A fiscalização da ANS é efetiva??, não há como não concordar com a constatação da falta de efetividade para todos os atores do processo.

                          - Acúmulos na ANS gerando muito tempo ente o auto e a possibilidade de receber a multa (na maioria das vezes não pagas)

                          - Falta de efetividade para o CONSUMIDOR.

                          - Falta de razoabilidade e proporcionalidade em relação às OPERADORAS.

                          Um banquinho de três pernas, cada uma com um tamanho e difícil de ficar equilibrado na forma em que se encontra.

                          Com relação a ?O que deve ser aprimorado??, além das tantas opiniões dadas, mas que de alguma forma trataram muito mais de valores de multas, em relação à razoabilidade e proporcionalidade, gostaríamos de sugerir uma mudança de conceito:

                          Transformar a fiscalização, hoje excessivamente policialesca em uma fiscalização de qualidade em que ANS e Operadoras possam entregar ao cliente a solução dos problemas levantados, através do diálogo e deixando a aplicação de penalidades pecuniárias quando houver uma insistência em burlar a legislação atual.

                          Haja vista que, no passado, a mudança das auditorias policialescas para auditorias de qualidade visando resolver os problemas, alterou radicalmente a visão sobre a atividade.

                          Acreditamos que a ANS está rigorosamente certa ao partir para o caminho do diálogo com o setor, buscando ouvir as soluções que modifiquem o panorama atual da fiscalização.

                          É aguardar para ver os resultados.

                          Por: Roberto Parenzi - Diretor da Capitolio Consulting


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Marca própria chega ao setor de serviços

                          Novo comportamento do consumidor faz modelo ganhar até o segmento de franquias

                          Ninguém é capaz de discordar do quanto o comportamento do consumidor mudou. Com a economia colaborativa, que incentiva a troca, doação e o compartilhamento, o consumidor está muito mais bem informado. Além de mais consciente, ele está buscando novas formas de economizar. Nesse movimento, um dos setores que vem registrando alta é o de marcas próprias. Hoje, a resistência em relação a produtos com a marca do supermercado, por exemplo, está cada vez menor.

                          De acordo com a consultoria Kantar World Panel, o Brasil conquistou 500 mil novos consumidores de marcas próprias só no ano de 2015, cerca de 7,5% mais que em 2014. Muito disso porque, em média, eles costumam ser em torno de 20% mais baratos. De acordo com a ABMAPRO - Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização, esses produtos já atingem cerca de 31,9 milhões de lares brasileiros. Para 2016, a expectativa da Associação é dobrar o crescimento do ano anterior, alcançando 15%.

                          Além desse crescimento, o setor vem acompanhando a diversificação desse modelo de negócios a segmentos antes impensáveis, como o de franquias, por exemplo. Famosos pela rigidez e engessamento, até o franchising está se rendendo ao modelo de negócios de marca própria. O melhor exemplo na categoria é a Seu Professor Empreendedor e Negócios. A empresa, proprietária de uma plataforma de educação online que disponibiliza um professor particular virtual para correção de redações, simulados, entre outros serviços personalizados, acaba de anunciar sua migração do sistema de franquias para White Label, ou seja, marca branca.

                          De acordo com Ricardo Althoff, CEO da empresa, as pessoas hoje estão muito menos ávidas a cumprir regras e padrões. ?Os empreendedores querem mais liberdade para testar, inovar. Em especial entre os mais jovens há uma grande resistência em simplesmente replicar modelos?, acredita. Se antecipando a essa tendência mundial de comportamento, a empresa mudou seu modelo de negócios para o White Label, que é um conceito comum no exterior, mas ainda uma novidade no Brasil.

                          O modelo, focado no mercado de franquias de serviços, consiste em fornecer o know how necessário para o funcionamento do negócio, porém excluindo a necessidade de se utilizar a marca do ?franqueador?, que passa a vender uma licença de marca branca para que a empresa venda serviços usando o sistema e infraestrutura padrão, mas sob uma marca própria. É uma maneira de garantir serviços de qualidade, com um suporte padronizado. Ao desenvolvedor, cabe a excelência. Ao licenciado, a habilidade de captação de clientes.

                          Segundo Althoff, as vantagens são muitas. ?Um dos maiores motivos para as pessoas procurarem uma franquia é o fato de receberem os processos prontos. Mas, depois disso, a frustração toma conta com a impossibilidade de fazer a gestão ao seu modo. Com a Seu Professor, o empreendedor passa a ter total liberdade. Nós entregamos a plataforma e todo o suporte. A ele cabe designar o preço adequado à sua região, as estratégia de marketing e vendas e tudo o que mais desejar para ter uma empresa que seja de fato ?própria??, defende.

                          Outro grande benefício é em relação ao valor do investimento. Se para abrir uma franquia o empreendedor precisaria desembolsar em torno de R$ 100 mil, com o White Label, o valor cai a menos de 20% desse montante. ?Nós vendemos a licença de uso por três anos e entregamos a plataforma educacional que conta com aulas e suporte nas matérias de Biologia, História, Geografia, Física, Química, Matemática, Língua Portuguesa, Redação, Espanhol e Inglês, para a maior quantidade de alunos que o empreendedor conquistar?, finaliza. Em suma, a palavra de ordem da nova economia é liberdade. Quanto mais opções as empresas apresentarem aos seus clientes, consumidores e investidores, melhor.

                          Sobre a Seu Professor Empreendedor & Negócios: www.seuprofessor.com.br


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Alarme Mais com seguro é a nova solução da Porto Seguro Proteção e Monitoramento para residências

                          Além de câmeras e sensores para monitoramento, o novo benefício oferece seguro a residências contra…

                          A Porto Seguro Proteção e Monitoramento apresenta mais uma solução em seu portfólio, o Alarme Mais com seguro. A solução de monitoramento agora oferece seguro residencial gratuito, com cobertura para incêndio, subtração de bens e responsabilidade civil familiar, que garante danos a terceiros provocados pelo segurado, parentes, animais de estimação e empregados.

                          Além disso, para imprevistos do dia a dia, o cliente poderá contar com serviços emergenciais tais como: chaveiro comum; telefonia; vidraceiro; reparos hidráulicos, elétricos e de manutenção para centrífuga e tanquinho, fogão a gás e micro-ondas, geladeira, refrigerador e freezer, lava-louças, lavadora e secadora de roupas.

                          E em caso de sinistro o cliente conta com:

                          ? Cobertura provisória de telhados;

                          ? Segurança e vigilância;

                          ? Limpeza;

                          ? Transferência de móveis;

                          ? Hospedagem.

                          O Alarme Mais com seguro residencial gratuito, oferece comodidade ao cliente e reforça a segurança patrimonial. A solução é composta por câmeras móveis ou fixas, alarme e automação, registro de acesso, sensor de presença e abertura, comunicação por voz e vídeo e controle por monitoramento remoto acessado por qualquer dispositivo móvel.

                          O produto pode ser utilizado, por exemplo, para monitoramento de pais que deixam os filhos com babás, possibilitando o contato pelo sistema de comunicação por voz. Além disso, como o alarme é ativado e desativado por leitor biométrico, o proprietário recebe, no celular, o aviso de entrada e saída de pessoas, além de notificações em caso de falta de energia. O produto está disponível no estado de São Paulo para a capital, grande SP, litoral, Campinas, Sorocaba, Ribeirão Preto, Vale do Paraíba, além do Rio de Janeiro (capital e região), Belo Horizonte, Brasília, Goiânia, Curitiba e Porto Alegre e pode ser adquirido em kits com câmera a partir de 12 vezes de R$160,00 (compra do equipamento), mais R$ 119,00 mensais para serviços de monitoramento.

                          ?Pensando nas necessidades de nossos clientes e no cuidado com as ações do dia a dia, a Porto Seguro Proteção e Monitoramento aprimorou o Alarme Mais e oferece uma solução que contempla também o seguro residencial gratuito, promovendo uma experiência ainda mais completa e integrada. Isto reforça o comprometimento da empresa em entregar ferramentas eficientes para a segurança do patrimônio?, afirma Fabio Braga, Superintendente da Porto Seguro Proteção e Monitoramento.

                          Para mais informações procure seu Corretor de Seguros ou ligue para 4004-2288 (regiões metropolitanas) ou 0800 727 0343 (demais regiões).

                          Sobre a Porto Seguro Proteção e Monitoramento

                          A Porto Seguro Proteção e Monitoramento iniciou operação em 1998 e atualmente atende cidades do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Com estrutura completa de serviços e profissionais treinados em cada região, com portfólio completo de produtos e serviços para a prevenção de roubos, furtos em imóveis residenciais, comerciais e condomínios. A oferta abrange alarmes monitorados, videomonitoramento, botão de pânico para idosos (Porto Seguro Alerta) e rastreadores para veículos.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Planos e prioridades dos fornecedores de sistemas centrais para a Internet das coisas ?Edição seguros de automóvel?

                          Celent (www.celent.com) lançou um novo relatório intitulado "Planos e prioridades dos fornecedores de sistemas centrais…

                          Internet das coisas já não é uma previsão do futuro, mas uma realidade. Tem o potencial de cumprir muitas metas desejadas faz tempo por parte das seguradoras, tais como personalização de produtos em grande escala, se afastar de ter um foco exclusivamente na compensação e avançar para um produto orientado à prevenção e a uma fonte de inovação real em termos de serviços e modelos de negócio. Internet das coisas oferece uma enorme quantidade de dados que precisam ser integrados e processados ??pelos sistemas centrais. Celent analisa o que os prestadores destes sistemas estão fazendo para a línea de negócios de seguro de automóvel.

                          Principais conclusões:

                          - Os prestadores estão profundamente envolvidos com a Internet das Coisas. 59% deles tem desenvolvido totalmente o conceito em sua oferta atual de produtos ou estão desenvolvendo protótipos.

                          - Fornecedores medianos e grandes estão à vanguarda liderando em termos de investimento na Internet das Coisas. Riscos é a área onde os provedores acreditam que é o seu principal valor, seguido pelas políticas de desenvolvimento / gestão de produtos e de serviços apólice.

                          - Para os fornecedores de sistemas centrais, a internet das coisas está se tornando uma parte integrante de sua solução e de sua oferta de serviços. Os fornecedores estão usando uma combinação de modelos para oferecer Internet das coisas, como parte de suas soluções, apesar de que suas áreas de gestão de produto e inovação são as preferidas.

                          "Os prestadores de sistemas centrais vão ver crescer seu orçamento para pesquisa e desenvolvimento. Os sistemas centrais já estavam suficientemente complexos sem considerar a Internet das coisas. Agora se tornará ainda mais complexo e caro para eles se querem ser um jogador relevante ", disse Juan Mazzini.

                          "Internet das coisas vem junto com uma série de tecnologias emergentes e tendências que precisam ser combinadas com os esforços de Investigação e Desenvolvimento. Celent mapeou cerca de 46 tecnologias emergentes apenas na prática de seguros gerais ", conclui Mazzini.

                          Acerca da Celent: Trata-se de uma empresa de pesquisa e assessoria que oferece suporte a instituições financeiras para formular estratégias de negócios e tecnologia.

                          Conta com um grupo de analistas internacionais e está posicionada de maneira única para oferecer assessoria estratégica e uma perspectiva do mercado com abordagem global.

                          A Celent é membro do Oliver Wyman Group, integrante do grupo de companhias Marsh & McLennan.

                          Alguns dados: Pesquisa ativa em 4 continentes. Trinta e cinco analistas em 13 países. Seus analistas trabalham com mais de 18 idiomas. Mais de 170relatórios publicados no último ano. Clientes em 37 países.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Como turbinar a recolocação profissional

                          Deise Leia Farias Hofmeister*

                          O mercado de trabalho sofreu transformações ao longo dos anos. A principal delas é que vamos viver mais e, consequentemente, vamos trabalhar mais. Como todos sabemos, atualmente, muitas corporações estão demitindo e, se você não está desempregado, comece a cogitar a situação. Lidar com a demissão nem sempre é fácil. Ser demitido não significa não ter contribuído com a empresa ou ainda que não possui competência para trabalhar. É hora de arregaçar as mangas e começar a definir seus objetivos na busca de uma nova oportunidade de trabalho.

                          As empresas, cada vez mais, buscam profissionais que atuem de forma próxima aos seus valores e objetivos. Sendo assim, você precisa se reinventar. A recolocação rápida acontecerá na medida em que você estiver apto a oferecer o que o mercado deseja. Não basta apenas ter um currículo excelente - é preciso compreender a conexão do mercado. É preciso, muitas vezes, mais qualificação e, mais que isso, manter o relacionamento com pessoas que fazem parte das suas relações profissionais, o famoso e eficiente networking.

                          Mas como ganhar visibilidade perante tamanha concorrência? Será que você é a pessoa certa, para a vaga certa? Temos hoje vários questionamentos quanto à recolocação no mercado de trabalho. O seu posicionamento para uma recolocação mais rápida deve estar pautado em planejamento e manter a mente aberta quanto às novas formas de busca por emprego. A rede de contatos Linkedlin, por exemplo, cujo o foco é manter as relações corporativas e os contatos de trabalho, é considerada pelas empresas uma fonte forte das suas buscas por profissionais certos para vagas certas.

                          Defina bem seu perfil profissional, tanto ao preencher o cadastro de vaga, quanto numa rede social: isso possibilitará uma maior visibilidade, visto que os recrutadores de várias corporações buscam por profissionais em constante conexão e preocupados com seu perfil profissional. Se você, infelizmente, está desempregado, não continue fazendo o que sempre fez. Perceba as oportunidades, defina suas tarefas, reorganize seu tempo e aprimore sua técnica enquanto profissional. Isso significa ter autonomia na busca por um novo emprego. Neste processo de recolocação, a sua atitude é rever a sua conformidade quanto ao seu empenho. Procure um propósito, deseje atuar em algo que permita mostrar a sua excelência como oxigênio da sua alma. Lembre-se do ditado ?quem gosta do que faz não vai trabalhar nunca? e busque algo que realmente goste de fazer.

                          Então, em algum ponto das nossas vidas, a questão é ter persistência e dedicação. O seu trabalho, no momento da recolocação, é buscar pelo emprego.

                          *Deise Leia Farias Hofmeister, coordenadora do curso de Gestão em Recursos Humanos do Centro Tecnológico Positivo.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Marca Branca: tendência e oportunidade para reinventar uma franquia

                          Por Ricardo Althoff

                          O modelo de franquia é bastante disseminado no mundo todo. Já há uma certa familiaridade com suas regras e processos. Não é a toa que só em 2014, esse mercado faturou R$ 127 bilhões e registrou um crescimento de 7,7% em relação ao ano anterior no Brasil. O número de novos negócios e de unidades franqueadas vem crescendo há vários anos. Entretanto, apesar das mais otimistas expectativas, esse é um setor que precisa de renovação.

                          Para 2016, a ABF - Associação Brasileira de Franchising estima que o crescimento do faturamento do setor continue com as mesmas margens, entre 7% e 9%. Pode parecer um crescimento sólido, porém a verdade é que ele está relativamente estagnado. Por mais que ainda haja bons negócios a serem feitos, uma mudança de visão sobre o setor se faz necessária, a fim de que esses patamares de crescimento voltem a subir significativamente.

                          Foi justamente para isso que o modelo White Label, a marca branca, nasceu. Para aqueles que não estão familiarizados com o nome, comum fora do Brasil, mas ainda novidade em terras verde e amarelas, o White Label é um modelo de negócio bastante usual e que traz ganhos significativos tanto para o fornecedor quanto para o licenciado.

                          O modelo, focado para o mercado de franquias de serviços, consiste em fornecer o know how necessário para o funcionamento do negócio, assim como o suporte - porém excluindo a necessidade de se utilizar a marca do ?franqueador?, que passa a vender uma licença de marca branca para que a sua empresa venda serviços usando o sistema e infraestrutura padrão, mas sob uma marca própria.

                          É uma maneira de garantir serviços de qualidade, com um suporte padronizado. Ao desenvolvedor, cabe a excelência. Ao licenciado, a habilidade de captação de clientes. Isso leva a um baixo investimento e uma menor burocracia. Fornecendo a licença, mais barata do que a da compra de uma franquia, o licenciado tem toda a liberdade para gerir sua empresa conforme desejar - sem o modo engessado como a franquia trabalha.

                          As vantagens estão em ambos os lados. O fornecedor oferece um produto de qualidade e garante uma anuidade fornecendo suporte, e o licenciado trabalha a sua própria empresa, sem estar preso a regras que muitas vezes beneficiariam um outro franqueado e não a ele, mas pelo modelo, é obrigado a seguir.

                          A flexibilidade permite que haja adequação ao público, à região, e à ambição do licenciado. O White Label se adequa ao licenciado, ao seu público alvo, e permite que o fornecedor seja livre para melhorar seu produto, sem se preocupar com detalhes do dia a dia de uma franquia.

                          É um modelo muito mais independente e pautado em um mercado cada vez mais empreendedor, que quer aplicar ideias novas e crescer com suas próprias escolhas, mas não tem como investir em uma empresa própria, desenvolvendo produto e infraestrutura.

                          Um dos fatores primordiais é o regionalismo. Nem toda região consegue suprir a demanda do dono da rede de uma franquia. Cada lugar é um cenário diferente, porém o franqueador não quer saber disso. As possibilidades de negócio se tornam desiguais entre unidades.

                          Com o White Label há oportunidade idêntica para todos. Essa tendência já vem mostrando que em um mercado cada vez mais amplo é a flexibilidade que permitirá às empresas passarem por todas as turbulências econômicas, e se desenvolverem ao seu máximo. Vale a pena analisar essa opção mercadológica, sair do modelo engessado e galgar algo mais. As vantagens são inúmeras.

                          Ricardo Althoff é CEO da Seu Professor Empreendedor & Negócios.

                          Sobre a Seu Professor Empreendedor & Negócios: www.seuprofessor.com.br


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Como aproveitar a relação entre franqueado e franqueador?

                          Por Eduardo Marques

                          Às vezes, o mercado de franquias pode parecer uma faca de dois gumes. Se por um lado trata-se de um segmento sólido, com crescimento na margem de 9% ao ano e baixas taxas de mortalidade, por outro, há reclamações de engessamento e estagnação derivada das regras e padronizações.

                          A rigidez do sistema é justamente o que garante que o negócio vai funcionar bem, dá segurança de um método testado e aprovado por dezenas de outros empresários. Contudo, a falta de autonomia e flexibilidade, acaba impedindo que a unidade franqueada lide de forma mais precisa com problemas ou oportunidades locais.

                          Algumas unidades podem poupar muito comprando de fornecedores locais, por exemplo. Algo que inclusive faz bem para a economia local da unidade. Porém, na maioria das franquias, é preciso comprar de um fornecedor fixo, com quem a franqueadora já tem uma parceria. Isso nem sempre é bom para o franqueado, e no fundo, nem para o franqueador.

                          Outro exemplo são ações de marketing direto no ponto de venda (PDV). Poder fazer certas alterações de valores, promoções, sem precisar demandar diversas autorizações e passar por vários procedimentos junto ao franqueador, pode significar que aquela unidade específica vai ter um ótimo dia de vendas.

                          Assim, é possível aproveitar situações únicas de negócios que podem ser muito lucrativas. O engessamento que assegura o franqueado, também o impede de alcançar alguns patamares mais altos, principalmente se ele tem um bom tino para negócios.

                          É por isso que as franquias colaborativas estão se mostrando uma grande alternativa para sanar essa problemática. Em situações onde não há a chamada ?fórmula secreta?, há muito mais oportunidade. A liberdade entre ambas as partes pode ser interessante para todos.

                          Isso não significa perder o padrão, a qualidade e muito menos a segurança de se estar comprando o produto prometido - independentemente de qual unidade o cliente esteja. Longe disso. Tudo deve ser comunicado à franqueadora para que seja testado e, dando certo, quem sabe até acabe sendo incorporado à rede toda.

                          O mesmo ocorre com promoções e o marketing no PDV. Em certos locais, em certas horas e dias, determinados produtos podem ser mais vendáveis, e não há porque um franqueado não se aproveitar dessa oportunidade que o seu mercado consumidor regional lhe proporciona.

                          Essa relação próxima com o franqueador pode ser muito proveitosa. Não raro, franqueados, como estão na linha de frente da operação, observando tudo, provocam grandes inovações na rede. Até o sanduíche mais famoso do mundo, o BigMac, foi criado por um franqueado. Essa liberdade criativa faz a diferença.

                          É claro que contratos de franquia colaborativa demandam mais cuidado e muito mais atenção para ambas as partes. Não é tão simples quanto seguir a receita de bolo. Porém, eles também podem trazer muito mais vantagem para todas as partes, inclusive os clientes e fornecedores locais.

                          Apesar de ser muito bom, o modelo de franquias precisa de atualização, e logicamente, de um pouco de ousadia. As redes que souberem tirar o melhor proveito da relação entre franqueador e franqueado, certamente serão as que terão maior sucesso. Pode apostar na flexibilidade e na colaboração.

                          Eduardo Marques é CEO da franqueadora Let?sWok.

                          Sobre a Let´s Wok:

                          www.letswok.com.br

                          (13) 3307-2542


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - AIDA põe em pauta a importância da Jurisprudência no direito moderno

                          No último 28 de novembro, no Auditório do SindsegSP em São Paulo, AIDA Brasil realizou…

                          "A Jurisprudência vem ganhando como fonte do direito uma importância que não se pode desprezar, principalmente a Jurisprudência sedimentada nos tribunais superiores, no caso o STJ que é mais alta corte de justiça infraconstitucional do Brasil e o STF que é a corte constitucional", afirma Ricardo Bechara.

                          Segundo o palestrante Washington Luis Bezerra da Silva, o importante é que consigamos descobrir como a Jurisprudência pode impactar em produtos, negócios e principalmente em precificação das empresas, porque hoje a Jurisprudência é um fator decisivo na criação de novos produtos, na mudança dos que já tem, para criação da possibilidade de adequação de produtos em casos a mais de cobertura e principalmente dar uma visão melhor aos empresários do que eles podem ou não fazer.

                          A presidente da AIDA relata que o judiciário brasileiro hoje se apresenta de uma maneira protagonista de tudo o que está acontecendo no nosso país, todas as questões, sejam elas políticas, sociais ou econômicas acabam em última instância dentro do judiciário. Lá atrás, quando falávamos em processo, era dito que o processo era uma evolução, porque as pessoas pararam de fazer justiça com as próprias mãos e passaram a processar e isso foi um marco da civilização, você confiava ao Estado para decidir uma discussão entre particulares, só que essa civilidade está sendo esquecida no momento em que qualquer questão é passada pro judiciário e isso faz com que a demanda aumente.

                          "Para amenizar as demandas foi criada uma obediência a Jurisprudência para decidir alguns casos em blocos e com isso começa preocupação, pois esses casos em bloco no caso do seguro, que na primeira analise parecem todas simulares, porém não são. Não se pode decidir de uma maneira globalizada para casos em que cada demanda vai ter sua particularidade, a vigência, o pagamento do prêmio, as clausulas que foram contratadas, ou seja, todas aquelas particularidades estabelecidas naquele contrato, tudo isso precisa ser levado em consideração, daí é preciso entender qual é o movimento criado em relação à Jurisprudência", conclui Ana Rita Petraroli.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - 7 lições para motivar o empreendedor a abrir um negócio em 2017

                          Laercio Aro, sócio fundador da Especialista do Lar.
                          O ano está acabando, mas as ideias e planos para o próximo ano já começam…

                          Considerando que a economia brasileira vive momentos turbulentos, o empreendedor precisa ser otimista para ver os movimentos de abertura de mercado, pois onde há risco também existem oportunidades. O ?dinheiro? está por aí e só muda de endereço e segmento.

                          Para fazer um bom planejamento e ajudar o empreendedor a dar os primeiros passos, Laercio Aro, sócio fundador da Especialista do Lar, que tem mais de 10 anos de experiência em governança corporativa, gestão estratégica e projetos, elencou os principais pontos que devem fazer parte do plano de quem deseja ter um negócio em 2017.

                          Reveja sonhos, necessidades e vontades.

                          Sonhar grande é importante, mas o empreendedor deve planejar e realizar tudo isso por etapas, degrau por degrau.

                          Rever e estabelecer metas

                          Revisar o planejamento das ações, avaliar o que conseguiu realizar, verificar as pendências, entender se vale a pena resolvê-las ou partir para novas ações.

                          Foco no que é foco

                          Estabelecer um novo planejamento de ações, definindo critérios para ter prioridades por temas, como a capacidade de executar a ação, ou seja, ter as pessoas certas e disponíveis, ter o tempo necessário para empreender e capital necessário para investir.

                          Menos é Mais

                          Ter frieza no momento de priorizar as ações e escolher aquelas mais simples, com menor esforço e com maior impacto no resultado. Faça um quadrante para plotar todas suas ações e marque somente aquelas com menor esforço e maior impacto. Normalmente você terá 20% das ações neste quadrante.

                          Controle do planejado x realizado

                          Defina controles para avaliar o resultado baseado no que você planejou e realizou efetivamente. Com base nas metas estabelecidas, entenda se houve desvios consideráveis, busque entender os problemas identificando as causas, trace ações de contorno e quando possível elimine o fato gerador dos problemas.

                          Junte forças sempre

                          Avalie os pontos fortes e os que precisam melhorar. Procure resolver seus pontos vulneráveis juntando-se às pessoas que possuem qualificações para superá-las, e maximize seus pontos fortes.

                          O caixa é o rei

                          Tenha o controle do seu fluxo de caixa. Muitos empreendedores, no início de seu negócio, devido à falta de conhecimento e/ou experiência não planeja o capital de giro para suprir o faturamento da venda parcelada, as contas a pagar da obra e o fluxo de recebimento, tendo como consequência um saldo negativo da sua conta corrente. Algumas dicas para evitar este descasamento:

                          Para parcelamento maior do que três parcelas, faça no cartão de crédito, pois é possível você antecipar o recebimento no banco, com taxas bem atrativas;

                          Tenha o controle de suas despesas fixas, principalmente as de uso pessoal, aluguel e impostos.

                          Procure um especialista para te ajudar neste planejamento e entendimento dos conceitos e mecanismos de controle do caixa.

                          Evite pagar contas após o vencimento, não deixe isso virar uma rotina, pois vai corroer a margem de lucro a longo prazo.

                          A empresa

                          A franquia Especialista do Lar oferece serviços de manutenção, reparo, construção e reforma para residências, condomínios e empresas, além de projetos de adaptação para pessoas com necessidades de mobilidade. Projeta abrir 20 novas franquias e 2 filiais próprias até o final de 2017. O objetivo, além de aumentar a participação no segmento conhecido popularmente como ?marido de aluguel?, é engordar a receita em mais de R$ 5 milhões, contra R$ 2,5 milhões previstos até o fim desse ano que, se confirmar, representa um aumento de 50% de crescimento.

                          A taxa de abertura da franquia é R$ 50 mil e o investimento para a implantação da unidade franqueada é em torno de R$ 40 mil para uma área a partir de 30 m². O faturamento estimado para o franqueado varia de R$ 30 a R$ 80 mil, de acordo com o modelo de atuação escolhido pelo empreendedor.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Social Business e a Transformação Digital das relações humanas

                          Social Business e a Transformação Digital das relações humanas
                          *Por Ricardo Croffi

                          Muito se fala sobre as redes sociais estarem criando ?condomínios virtuais?, que permitem a interação de públicos restritos, e círculos fechados de informação na internet. Também ouvimos que as pessoas estão regredindo na forma de escrever devido ao mundo digital e, até mesmo que, a virtualização está nos distanciando do contato humano e da interação presencial.

                          Mas, vamos considerar um olhar diferente sobre essa questão. A convergência de diversas tecnologias móveis, apps e mídias sociais, a capacidade de lidar com grandes volumes de dados (Big Data) e a computação em nuvem, tem permitido à nossa sociedade uma capacidade de compartilhamento de ideias numa escala global nunca antes vista. Diante desse cenário, nosso desafio é encontrar formas das pessoas se identificarem com a nossa mensagem. Afinal, quanto mais informação disponível, maior a necessidade de se diferenciar os conteúdos a fim de atrair a atenção do público para determinada informação e ressoá-la com suas próprias ideias no mundo digital.

                          Ao mesmo tempo em que as redes sociais têm criado ?condomínios virtuais?, elas também estão conectando milhões de pessoas que antes não se conheciam, promovendo a troca e o debate sobre temas de interesse global. Há de se reconhecer que temos muito mais pessoas escrevendo e publicando suas ideias hoje em dia, atingindo milhares de posts nas redes sociais todos os dias.

                          E se mudarmos o enfoque das relações pessoais para as relações corporativas, veremos a mesma realidade. É por isso que empresas têm investido a fundo para planejar e agir sendo produtivas, eficientes e bem posicionadas diante de toda essa transformação.

                          Embora seja muitas vezes imperceptível, nesse mundo digital, grande parte de nossos comportamentos e atitudes pessoais são armazenadas. Publicamos fotos, compartilhamos opiniões sobre diversos assuntos e convidamos amigos para eventos: tudo isso é de alguma forma monitorado. Já parou para pensar que essa transformação também acontece no mundo corporativo? Se, no trabalho, elaboramos relatórios, promovemos reuniões e trocamos documentos, tudo isso também pode ser gerenciado.

                          O enorme volume de dados das organizações, considerado hoje um de seus principais ativos, passa agora a contar com tecnologias capazes de registrar, processar e promover valiosos insights combinando todas essas informações, aumentando exponencialmente nossa capacidade de análise.

                          Cabe então às organizações superar o desafio de influenciar o mercado, seus clientes e seus próprios funcionários diante desse atual ambiente em rede, caracterizado pela interação e colaboração a todo momento.

                          Se, no passado, esse tipo de influência era conquistada por meio de campanhas massivas de marketing, hoje o consumidor exige muito mais. É necessário construir uma relação de confiança com base em experiências. Isso porque a utilização de redes sociais já faz parte do nosso cotidiano, quebrando os tradicionais limites entre vida pessoal, profissional, horário produtivo e momentos criativos.

                          Temos hoje um novo perfil de profissional que interage com o mercado de maneira mais ampla. Mercado esse que valoriza cada vez mais a experiência que se tem com as marcas do que o produto em si. Isto leva as empresas a perceberem que, cada vez mais, o que têm de mais valioso é o conjunto de experiências que são capazes de proporcionar para seu cliente. É por isso que quando um cliente compra um produto ou serviço de uma empresa, ele também compra a sua cultura.

                          É exatamente nesse contexto que se encaixa o conceito de Social Business, uma vez que nossa capacidade de compartilhar é hoje exponencialmente maior e influencia o modo como trabalhamos e vivemos. A chave para o sucesso é explorar todo o conteúdo online e essa imensa quantidade de informações por meio das tecnologias móveis, como celulares, smartphones, tablets, entre outros, incorporando tudo disso à capacidade de monitoramento e análise das redes sociais e do Social Business.

                          Vale lembrar que aplicar o Social Business na gestão das empresas vai muito além de ter um perfil nas redes sociais. É necessário que as organizações atuem com as capacidades sociais e colaborativas no seu core business transformando seus funcionários na linha de frente com os clientes. Eles são os principais porta-vozes da marca e os primeiros usuários das inúmeras apps que serão consumidas e promovidas no mercado.

                          Eis outro desafio importante das companhias: buscar talentos abertos para o conhecimento coletivo, os chamados ?Millennials?, aqueles profissionais que têm a habilidade de compartilhar conhecimento e impactar seus grupos de influência. Têm um perfil dinâmico e independente, sendo capazes de trafegar de empresa em empresa com um novo conjunto de comportamentos.

                          Em resumo, os avanços nas tecnologias de mobilidade, Cloud Computing, Big Data e redes sociais, estão permitindo maior conexão e interação entre as pessoas bem como trazendo mais agilidade e produtividade para as empresas graças a uma força de trabalho melhor distribuída. Para empresas e gestores, o maior ganho se dá no fluxo do conhecimento que é hoje amplamente compartilhado, criando um grande arcabouço digital, o que permite identificar pessoas com experiências semelhantes e desafios similares gerando uma nova percepção, um conhecimento distinto. Essa expertise compartilhada é a verdadeira força do Social Business.

                          *Ricardo Croffi de Camargo é especialista em Marketing na empresa Imagem

                          Sobre a Imagem

                          Integrar seus processos de negócio e conquistar o engajamento da sua equipe. O propósito da é Imagem levar cada vez mais inteligência para a gestão da sua corporação.

                          Imagem 30 anos - Mais Inteligência na sua Decisão

                          Mais informações em www.img.com.br.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Presidente do Pasi Receberá Medalha do Sindicato das Seguradoras

                          Alaor Silva Junior
                          O SINDSEG MG/GO/MT/DF - Sindicato das Empresas de Seguros Privados, de Resseguros e de Capitalização…

                          Esta homenagem tem por objetivo ressaltar o desempenho daqueles que ajudam no crescimento do mercado de seguros no Brasil. Exercendo um importante papel desde 1989 à frente do Primeiro Seguro Popular do Brasil, Alaor, de acordo com o sindicato, vem se destacando pela reponsabilidade social associada a uma enorme contribuição às classes menos favorecidas. ?Essa atuação, pautada pelo espírito humanitário, demonstra que com responsabilidade e clareza de propósitos no mercado brasileiro podem também ser um enorme diferencial na vida das pessoas.?? ? Augusto Matos Presidente do SINDSEG MG/GO/MT/DF.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Criação de valor e estratégia de vendas

                          Criação de valor e estratégia de vendas
                          A criação e entrega de valor representa oferecer benefícios frente às necessidades dos clientes. Entretanto,…

                          O Prof. Randes explica que este processo envolve selecionar o público-alvo, ou seja, quem a empresa planeja atender; desenvolvimento do valor por meio da análise dos pontos fortes do negócio frente à necessidade de satisfazer o cliente; comunicar este valor oferecido para que o cliente se sinta atraído; contar com fornecedores que ajudem a proporcionar a entrega de valor, ter uma equipe comercial altamente treinada e alinhada ao seu negócio, pois serão importantes no processo de entrega de valor; definir quais campanhas e/ou programas de fidelização que podem ser desenvolvidos para cativar e reter os clientes, entre outras atividades.

                          ?Hoje em dia, o empresário está diante de um consumidor com novos hábitos, mais exigente, que conhece seus direitos e briga por eles, que não compra apenas produtos e, sim, compra soluções e experiência, sempre avaliando a idoneidade das empresas?, ressalta o especialista.

                          O Prof. Randes explica também que a estratégia de vendas é implementada com excelência por meio de seis fatores integrados:

                          CORTESIA: a habilidade de fazer com que o cliente se sinta bem-vindo e respeitado, criando um clima ideal para vender;

                          EXCLUSIVIDADE: o grau de cuidado e atenção individual que o gestor e sua equipe dedicam aos clientes, motivando-os a retribuir com a compra;

                          COMPROMETIMENTO: a capacidade de fornecer sempre o que foi prometido e com exatidão, transmitindo confiança e respeito profissional;

                          COMPETÊNCIA: o conhecimento que o gestor e sua equipe demonstram aos clientes e a capacidade de transmitir confiança e credibilidade, possibilitando avançar e fazer vendas adicionais;

                          SOLUÇÃO RÁPIDA: a disposição em ajudar os clientes de imediato para aproveitar o impulso de compra;

                          INTEGRIDADE: a habilidade de deixar claro para os clientes, que eles podem contar e confiar na empresa, criando a condição para fidelizá-los.

                          ?O baixo grau de diferenciação entre os produtos ofertados, a ameaça de entrada de concorrentes potenciais e a pressão exercida por produtos substitutos são fatores que aumentam a intensidade da competição?, enfatiza Randes. Dessa forma, a coordenação entre geração de valor e a estratégia de vendas é um importante meio de diferenciação, na qual o atendimento ao cliente é um valioso diferencial de mercado.

                          Sobre o Prof. Randes Enes

                          Tem 23 anos de experiência em empresas nacionais e multinacionais sendo suas últimas posições como Diretor de Relacionamento e Diretor de Marketing e Inovação no segmento de cosméticos e Oil & Gas.

                          Exerce suas habilidades como consultor executivo, coach e palestrante nas principais empresas do país.

                          Mestre em Sistemas de Gestão pela Qualidade Total (UFF/RJ), possui três MBAs, sendo em Organizações e Estratégia (UFF/RJ), Gestão de Negócios e Projetos (ISCTE/Lisboa) e Marketing de Varejo (FGV).

                          Há 10 anos atua como docente na FGV em Estratégia, Pessoas, Marketing e Vendas nos Programas de MBA, Pós-ADM, CADEMP, In Company e On-line.

                          Possui certificação em coaching pelo PBC® Institute, é membro da ICF Global (International Global Federation) e da ABPMP (Association of Business Process Management Professionals). Realizou diversas reportagens e artigos nacionais e internacionais sobre Gestão Empresarial e Espiritualidade Corporativa.

                          Lançou o livro ?EMPRESA ESPIRITUALMENTE DIRIGIDA: COMO A SUA ORGANIZAÇÃO PODE SE TORNAR UMA DAS 10 MELHORES PARA SE TRABALHAR?, no qual aborda a gestão de pessoas e analisa como as empresas e os profissionais podem compartilhar uma visão alinhada de valores humanos, entre eles felicidade, satisfação, bem-estar, vitalidade e entusiasmo.

                          Acompanhe o Prof. Randes Enes nas mídias sociais:

                          YouTube: youtube.com.br/profrandes
                          Fanpage: facebook.com/profrandes.com.br
                          Linkedin: linkedin.com/in/profrandes/pt
                          Instagram: instagram.com/profrandes

                          Site: profrandes.com.br
                          e-mail: contato [AT] profrandes [DOT] com [DOT] br


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Zurich promove grande festa na sede de prestigiada ONG de BH para comemorar ação social

                          Instituto Undió, que atua com jovens carentes por meio da arte, foi escolhido pela Zurich…

                          Nesta quarta-feira (30/11), o Instituto Undió, reconhecida ONG de Belo Horizonte, recebeu uma grande festa de encerramento da ação social ?A Vida com Novas Cores?, promovida pelo segundo ano consecutivo pela seguradora Zurich. A ONG foi a escolhida como beneficiada por atuar com arte, tema central deste projeto de Responsabilidade Social da Zurich. Na ocasião, cerca de 140 jovens atendidos pela Undió tiveram a oportunidade de trocar experiências artísticas com os funcionários da Zurich, oferecendo-lhes camisetas personalizadas, além de realizarem apresentações artísticas.

                          ?O trabalho da Zurich é todo voltado para as pessoas que amam de verdade, e que protegem o que amam. A Zurich é uma companhia de 144 anos de existência que dedica atenção às comunidades em que atua e promove ações sociais no mundo todo, e o A Vida com Novas Cores é um projeto realmente especial da companhia no Brasil? disse Walter Pereira, Diretor de Varejo que fez a abertura do evento. Além da ação de responsabilidade corporativa que envolveu centenas de funcionários e da grande festa na sede da ONG, a Zurich ofereceu benfeitorias à Undió, como conserto do telhado, instalação de ar condicionado, doação de computadores e material de pintura.

                          Chamada ao palco, a artista plástica Thereza Portes, uma das fundadoras do Instituto Undió, agradeceu emocionada pela ação da Zurich e de todos os presentes. ?Estou muito emocionada com esse apoio que estamos recebendo da Zurich, pois conduzir os trabalhos de uma ONG não é tarefa fácil, é uma luta diária. Sei que não somos capazes de fazer nada sozinhos, mas juntos somos mais fortes, principalmente com a força que vem destes jovens?, disse aos presentes.

                          Outro momento marcante do evento foi a apresentação do rapper Ronald, hoje com 20 anos, que teve sua história marcada pelas atividades da ONG. Entre uma rima e outra, a mensagem de inspiração aos jovens presentes foi ?o futuro pode ser melhor que o hoje?. A apresentação de um grupo de percussão formado por jovens do Instituto Undió, que moram em um quilombo em Belo Horizonte, embalou parte da festa.

                          O artista plástico Romero Britto, que teve uma infância difícil e conquistou fama no mundo todo, foi convidado pela Zurich para permitir o uso de sua arte colorida para ilustrar todo o projeto A Vida com Novas Cores de 2016. Por intermédio da Zurich, Romero doou uma cópia original para o Instituto Undió, chamada Love the World. ?Esta obra tem crianças, tem cores, transmite alegria. Como criança pobre no Brasil, eu passei por diversas dificuldades, mas por meio da arte consegui transformar minha vida. Este projeto da Zurich é realmente lindo e eu fico feliz de ter sido convidado a participar, porque acredito que a vida dos jovens da ONG Undió pode ser transformada por este projeto?, disse Romero Britto em vídeo gravado para os jovens e transmitido durante o evento.

                          ?A Vida com Novas Cores é um projeto importante porque ele nasce da força da arte, que é transformadora. Com a arte o feio fica bonito, um traço fora do lugar passa a ser uma montanha ou um sol. Na arte a gente pode errar, consertar, se corrigir e se melhorar. E buscando o nosso melhor vamos ficando mais fortes e acreditamos que podemos conquistar o que nos é realmente importante?, disse o Diretor Walter Pereira, da Zurich, incentivando os jovens da Undió a acreditarem em si e construírem um futuro melhor.

                          A Vida com Novas Cores

                          O projeto da Zurich foi batizado de ?A Vida com Novas Cores? porque a companhia acredita que o envolvimento com a arte pode levar os jovens e crianças carentes a vislumbrarem um futuro mais próspero. ?Este é um dos projetos de Responsabilidade Social mais valiosos para nós, no Brasil. Estamos bastante orgulhosos e felizes por oferecer esta iniciativa, afinal os jovens são o futuro da nossa sociedade, e a Zurich tem como premissa trabalhar projetos de médio e longo prazo?, afirma o CEO Edson Franco.

                          Além do projeto A Vida com Outras Cores, a Zurich mantém uma gincana solidária entre suas ações de responsabilidade social. A ?Missão Z? foi criada para beneficiar comunidades no Brasil e objetiva estimular os profissionais da empresa a organizarem ações culturais, recreativas, educacionais, de cidadania, ou doações de diversos produtos, como alimentos e roupas. De modo que promovam a inclusão social das pessoas assistidas de entidades selecionadas.

                          Sobre a Zurich

                          Zurich Insurance Group (Zurich) é uma seguradora líder que opera em mercados globais e locais. Com cerca de 55 mil colaboradores, fornece uma ampla gama de soluções de seguro Vida e não-Vida. Entre os clientes da Zurich estão particulares, pequenas, médias e grandes empresas, incluindo multinacionais, em mais de 170 países. O Grupo foi fundado em 1872 e está sediado em Zurique, Suíça. O Zurich Insurance Group Ltd (ZURN) está listado no SIX Swiss Exchange e tem o nível I no programa American Depositary Receipt (ZURVY), que é transacionado fora da bolsa no OTCQX.

                          Para mais informações sobre a Zurich, consultar www.zurich.com.

                          Sobre a Zurich no Brasil

                          A Zurich Seguros soma o conhecimento do mercado brasileiro, no qual tem mais de 70 anos de experiência, à expertise internacional em soluções de seguros multicanal. A Zurich atesta solidez financeira e segue rígido padrão global de conduta, praticado em todas as suas operações. Dedica-se a compreender as necessidades dos clientes e oferece soluções para pessoas físicas e jurídicas, de pequenas empresas a multinacionais. Tendo o Brasil na sua estratégia de crescimento, e decidida a contribuir com o desenvolvimento social e econômico do país, visando o médio e longo prazo, a companhia dispõe de produtos e serviços sob medida para este mercado.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Reabertura do prazo para regularização de ativos no exterior

                          No dia 23 de novembro, o Senado Federal aprovou o Projeto de Lei 405/2016 que…

                          Assim, as pessoas físicas ou jurídicas que mantinham ou mantém ativos não declarados ou declarados incorretamente no exterior têm uma nova oportunidade para regularização de tal situação.

                          Ademais, as pessoas que já aderiram ao programa de regularização, cujo prazo havia sido encerrado em 31/10/2016, também terão a oportunidade de complementar a declaração enviada (DERCAT), recolhendo o imposto e a multa sobre os valores adicionalmente declarados.

                          Importante ressaltar que a adesão à nova fase do programa terá um custo maior para os interessados. Os valores de imposto de renda e multa a serem recolhidos passam de 30% para 35% (sendo 17,5% de imposto e 17,5% de multa) sobre o total de ativos no exterior. Referidas alíquotas também devem ser consideradas por aqueles interessados em complementar a DERCAT já entregue.

                          Outra alteração introduzida pelo Projeto de Lei em questão é a alteração da data base para adesão ao programa, que foi ampliada para 30/06/2016. Dessa forma, poderão ser objeto de regularização os bens, direitos e recursos no exterior existentes nos anos de 2015 e primeiro semestre de 2016.

                          Além disso, diferentemente da primeira fase do programa, as pessoas não residentes no país também poderão se beneficiar do RERCT, desde que tenham sido residentes ou domiciliados no Brasil em qualquer período entre 31 de dezembro de 2010 a 31 de dezembro de 2016;

                          O Projeto de Lei seguirá para a aprovação na Câmara dos Deputados e sanção presidencial. O novo prazo será de 120 dias, contados 30 dias após a publicação da lei.

                          Um tema polêmico e que foi retirado do texto aprovado pelo Senado é a possibilidade da adesão de parentes de políticos ao programa. Havia previsão na minuta do projeto encaminhado para votação autorizando a adesão dos parentes. No entanto, após pressão política, o líder do governo no Congresso, Romero Jucá apresentou uma emenda para retirar tal possibilidade.

                          Embora haja uma grande pressão popular e política para não possibilitar a anistia dos parentes dos políticos, é possível que o assunto tenha desdobramentos na Câmara dos Deputados.

                          A sócia Vanessa Cardoso, do De Vivo, Whitaker e Castro Advogados, está à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos com relação ao tema.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Como Organizar Uma Confraternização de Sucesso

                          A Betta Lima, especializada em organização e assessoria para eventos, traz dicas indispensáveis para realizar…

                          " Um toque especial é aproveitar os talentos presentes na própria empresa. Por exemplo, alguém que saiba cantar, tocar algum instrumento ou comandar a música, atuando como DJ", Betta Lima.

                          Qualquer tipo de festa demanda um planejamento antecipado e bem feito. No caso das confraternizações de empresa, ainda é preciso um pouco mais de atenção aos detalhes para que os colaboradores não compareçam apenas por obrigação, mas sim pelo prazer de fazer parte do evento. Após um ano inteiro de novas conquistas, em que desafios foram superados e metas alcançadas, nada mais gratificante do que comemorar junto com toda a equipe.

                          Betta Lima, proprietária da agência que leva seu nome, ressalta que é primordial iniciar a organização com antecedência, para evitar imprevistos que possam prejudicar ou até mesmo impedir a realização da festa. ?O ideal é que no mês de outubro o responsável pelo evento já tenha definido, pelo menos, a data, o horário, número de participantes, o tema e o local a ser realizado. A partir disso, é preciso definir a decoração, o cardápio, playlist de músicas e demais detalhes?, orienta a profissional.

                          O principal objetivo é reunir o maior número de colaboradores e, por esse motivo a escolha do local exige muita atenção. ?Deve-se optar por um lugar que seja de fácil acesso. Além disso, com tantas opções disponíveis, recomendo inovar na escolha do espaço. Quando você oferece algo diferente, desperta a curiosidade e aumenta o interesse das pessoas em participar?, ressalta Betta.

                          Para o cardápio, existem diversas possibilidades e a decisão final vai depender de fatores como o horário da festa, orçamento disponível e, até mesmo, a temática. Por exemplo, é possível oferecer um jantar ou almoço com pratos típicos de uma região. Outra ótima opção é o buffet reduzido, com canapés, snacks, sanduíches, mesa de frios, entre outros petiscos. Já com as bebidas, a especialista recomenda servir refrigerantes, água, sucos, cervejas e até mesmo incluir um bar de caipirinhas.

                          De acordo com Betta Lima, um ponto alto das confraternizações é o momento em que os colaboradores interagem uns com os outros, por meio de atividades. ?É importante promover essa interação entre todos a equipe, sem distinção de hierarquia. Outro toque especial é aproveitar os talentos presentes na própria empresa. Por exemplo, alguém que saiba cantar, tocar algum instrumento ou comandar a música, atuando como DJ. Dessa forma, eles sentirão que a festa realmente é feita para eles e por eles?, explica.

                          Betta ainda sugere, como opção, uma balada com atrações para comemorar o final do ano ou até mesmo um churrasco em sítio ou local não muito afastado, que disponha de quadras para realizar gincanas e entreter os participantes. Como alternativas para animar a festa, recomenda uma banda, DJ, escola de samba, show de mágica, totem para tirar fotos e levar como lembrancinha. Vale também um amigo secreto e brincadeiras com prêmios para as pessoas interagirem.

                          O segredo para realizar uma festa de confraternização de sucesso é engajar toda a empresa, ouvir a opinião dos colaboradores e despertar neles o orgulho de pertencer e a vontade de fazer o evento acontecer. Promover premiações por desempenho, também é uma ótima pedida, que estimula o bom desenvolvimento durante todo o ano seguinte. Cada detalhe, pensado com carinho e dedicação, fará toda a diferença.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Aiba Quais Itens Do Carro Devem Ser Verificados Antes de Viajar

                          As férias estão chegando e muitas pessoas estão planejando passeios e viagens para toda a…

                          As férias estão chegando e muitas pessoas estão planejando passeios e viagens para toda a família. Mas, além de pensar aonde ir, em que local ficar e nos restaurantes que irão comer, é preciso incluir a revisão do carro no planejamento. Ela é importante para garantir a segurança da sua família e evitar problemas, como o carro parar de funcionar no meio do caminho, um pneu estourar, entre outros.

                          Para começar a revisão, peça para o mecânico checar com muita atenção os freios e o fluido. Se o pedal estiver duro ou apresentar trepidações, é sinal de algo está errado e precisa ser trocado. Os faróis e lâmpadas também devem estar em perfeito funcionamento, tanto para a segurança de quem está dirigindo quanto para evitar multas. Dirigir em estradas com o farol apagado, mesmo de dia, pode gerar uma multa de até R$ 130.

                          Os pneus também necessitam estar em boas condições de uso. O fato de um dos pneus estar careca ou com falhas é suficiente para colocar em risco o funcionamento dos outros três. Verifique se calibragem é a ideal e não se esqueça de levar sempre um estepe. Antes de qualquer viagem, também é preciso fazer o balanceamento e alinhamento do veículo, assim você irá garantir que o carro fique estável durante todo o seu trajeto.

                          Esteja preparado para qualquer situação e leve sempre um kit de emergência com os itens obrigatórios como: extintor, sinalizador e macaco. Durante todo o verão ocorrem chuvas inesperadas, troque as palhetas do limpador de para-brisa para o vidro não ficar com marcas e riscos que podem atrapalhar a sua visão.

                          A Dispemec
                          Loja de autopeças com duas unidades em São José dos Campos e com o e-commerce Dispemec.com. Com mais de 28 anos de história, preza pela excelência, agilidade nas entregas, comprometimento e bom relacionamento com os clientes.

                          Com uma variedade de mais de 15.000 itens entre peças e acessórios, a marca é referência entre as varejistas de autopeças mais conceituadas do Brasil. Seus vendedores são reconhecidos por terem profundo conhecimento no assunto.

                          Confira mais informações nos nossos canais:
                          · Site: http://www.dispemec.com/
                          · Facebook: www.facebook.com/Dispemec
                          · YouTube: https://www.youtube.com/user/dispemec
                          · Blog: http://blog.dispemec.com/


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Imobiliárias anunciam Seguro Fiança grátis para atrair inquilinos

                           Na garantia caução é necessário que o inquilino disponha de um valor equivalente a até…

                          Para alugar um imóvel no Brasil, o inquilino deve garantir ao proprietário que os pagamentos serão realizados mensalmente. Por lei, há algumas maneiras de fazer essa garantia, como ter um fiador, fazer um depósito caução ou ainda obter um seguro fiança com uma seguradora.

                          O fiador está presente em 50% dos contratos de aluguel na capital paulista, de acordo com o Sindicato da Habitação (Secovi-SP). O depósito caução se faz presente em 30% dos contratos e, por fim, com 20%, podemos citar o seguro fiança.

                          O fiador é a pessoa que assina o contrato juntamente com o locatário. Geralmente, um parente ou amigo próximo. Ele deve ter um imóvel quitado em seu nome e ainda comprovar renda mensal em que consiga arcar com o valor total do aluguel, caso o locatário tenha algum problema. Para ser aprovado na análise de crédito, seu salário deve ser cerca de 3 vezes maior do que o valor do aluguel a ser pago pelo inquilino.

                          Ser fiador envolve riscos financeiros e judiciais, pois o fiador torna-se o nome responsável pelo contrato diante de qualquer falta do inquilino. Assim, é cada vez mais difícil encontrar alguém que aceite ser fiador para um terceiro.

                          Na garantia caução, também chamada de depósito de segurança, é necessário que o inquilino disponha de um valor equivalente a até três meses de aluguel no início do contrato.

                          O valor deve ser depositado em uma conta poupança do locador que, ao fim do contrato, deverá devolver ao inquilino o valor corrigido pelo IPCA. Agora, se o inquilino atrasar o pagamento do aluguel ou ainda danificar o imóvel, o locatário está autorizado a utilizar esse dinheiro para cobrir os gastos.

                          Já o seguro fiança é uma opção que oferece risco zero ao proprietário do imóvel. É um contrato anual feito com uma seguradora, que garante o pagamento na ausência do aluguel, além de cobertura para outras despesas, como IPTU, condomínio, multas e danos ao imóvel.

                          Vantagens do seguro fiança

                          O seguro fiança traz diversas vantagens ao proprietário do imóvel e ao inquilino. Ao locador, por exemplo, é uma garantia de rápido retorno, visto que o aluguel é pago rapidamente no mesmo mês em que o inquilino atrasar.

                          Vale lembrar que antes de fechar o contrato, é feita uma análise de crédito do futuro inquilino pela seguradora, que deve apresentar documentos, imposto de renda e comprovantes bancários. Pessoas com nome sujo ou débitos em aberto dificilmente são aprovadas pela seguradora, sendo impossibilitadas de fechar contrato.

                          Muitas seguradoras oferecem ainda coberturas opcionais, como aquelas que preveem danos ao imóvel (pintura, por exemplo), falta de pagamento do IPTU e do condomínio, além de pagarem multa ao proprietário no caso do inquilino quebrar o contrato. Ao locatário, o seguro fiança também é uma opção vantajosa. Ele não precisa encontrar um fiador ? tarefa bastante complicada nos dias de hoje.

                          Ele também não precisa dispor do valor de três meses do aluguel antecipados ? e o pagamento do seguro pode ser dividido em até 12 vezes. Geralmente, o valor fica em uma ou duas vezes o valor do aluguel por ano.

                          Dentre as vantagens, podemos citar ainda maior agilidade para a aprovação do contrato do que as outras garantias.

                          Imobiliária oferece seguro fiança grátis para o locatário

                          ?Na hora de alugar um imóvel, não é preciso correr o risco de azedar uma amizade?. Com esta frase acompanhada pela imagem de um personagem mordendo uma laranja que parece estar bem azeda, a TRK Imóveis, imobiliária de Brasília, lança a primeira campanha da capital federal oferecendo o seguro fiança de forma gratuita para o locatário.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - SINDSEG MG/GO/MT/DF é premiado no troféu alvorada 2016

                          O evento, organizado pelo Sincor-DF, está em sua 16ª edição

                          Em nome do Sindicato das Empresas de Seguros Privados, de Resseguros e Capitalização dos Estados de Minas Gerais, de Goiás, do Mato Grosso e do Distrito Federal (SindSeg MG/GO/MT/DF), Carlos Cavalcante, representante do sindicato no Distrito Federal, recebeu o Troféu Alvorada 2016, premiação que elege os profissionais que mais se destacaram no mercado de seguros local e nacional ao longo do ano.

                          O evento, organizado pelo Sincor-DF, está em sua 16ª edição e reuniu corretores de seguros, seguradoras, securitários, imprensa especializada, autoridades do setor e convidados no Clube ASBAC, em Brasília (DF), no dia 19 de novembro.

                          Para Carlos Cavalcante, essa premiação é de grande importância, pois coroa todo o trabalho em prol do mercado segurador do Distrito Federal. ?Durante 2016, realizamos ações como palestras, parcerias com entidades do setor. Para 2017, queremos dar continuidade no trabalho e reforçar o laço com o mercado?, diz.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Nota do MPT sobre votação das 10 Medidas contra a Corrupção

                          O MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO, em um dia triste, em que consternada a nação contava…

                          Subvertendo totalmente a proposta original e a redação aprovada na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, o texto aprovado atenua as medidas contra a corrupção. Não bastasse isso, a Emenda incluiu a criminalização de condutas de Magistrados e Membros do Ministério Público, algumas já definidas como infrações disciplinares nos Estatutos das respectivas carreiras.

                          E o que é pior: as condutas tidas como crimes foram tipificadas com expressões preocupantemente abertas e genéricas, dando margem aos subjetivismos, às incriminações de conveniência e aos humores dos interesses contrariados pelo regular exercício das funções.

                          A aprovação representa frontal violação ao princípio constitucional da independência do Ministério Público e da Magistratura, comprometendo, senão extinguindo, a atuação investigativa do Ministério Público, pela via covarde da intimidação.

                          A aprovação de tão esdrúxula normativa certamente importaria em sérios constrangimentos de ordem internacional, posto que inviabilizaria apuração de ilícitos praticados contra os direitos humanos, rompendo compromissos formalmente assumidos pelo Brasil.

                          O parlamento age, corporativamente, contra o interesse público! Legisla em causa própria agredindo a sociedade que deveria representar!

                          Já articulei, juntamente com os Procuradores-gerais dos demais Ramos do MPU, a solicitação de que seja convocada reunião extraordinária do Conselho de Assessoramento Superior do Ministério Público da União. Indiscutivelmente, estamos diante de matéria de interesse geral e comum a todo o Ministério Público da União, conforme disposto na Lei Complementar n. 75/93 (arts. 29 e 30)

                          Também foi convocada reunião extraordinária do Conselho Nacional de Procuradores Gerais nos dias 1º, 5 e 6 de dezembro, com igual propósito.

                          Também para essa inesperada luta contra o retrocesso, a sociedade brasileira pode contar com a firmeza do Ministério Público do Trabalho!

                          Ronaldo Curado Fleury

                          Procurador-Geral do Trabalho


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Alerta para as compras de final de ano: seguro para eletrônicos pode evitar transtornos futuros

                          Contratação de seguro para celulares, tablets, máquinas fotográficas e filmadoras deve ser considerada na aquisição…

                          Com a proximidade das festas de fim de ano, começa a temporada de compras, para presentear ou agradar alguém. Os equipamentos eletrônicos, nem sempre baratos, estão com presença cada vez maior na lista de desejos. E tomar cuidados extras na hora de comprar pode evitar transtornos futuros. Afinal, não tem nada mais decepcionante do que perder ou quebrar algo que se acabou de adquirir.

                          Diante disso, na hora da aquisição de eletrônicos e outros produtos de alto valor agregado, considerar a contratação de um seguro é uma decisão importante e recomendada, que pode trazer mais segurança tanto para o consumidor quanto para o presenteado.

                          ?O brasileiro já incorporou o uso de celular, tablet e outros equipamentos eletrônicos no seu dia a dia. Só smartphones em uso no Brasil já são mais de 168 milhões segundo pesquisa da FGV/SP. Ter a preocupação de cuidar apropriadamente desses equipamentos deve também fazer parte do cotidiano dos consumidores?, explica Cristiano Saab, diretor geral da unidade de Afinidades, da Seguros SURA.

                          O executivo ressalta ainda que não basta apenas contratar o serviço, é essencial ficar atento às cláusulas do seguro contratado. É importante entender a diferença entre roubo e furto, pois os seguros contam com cobertura diferenciada para cada caso. Roubo se dá quando a subtração do equipamento ocorre com ameaça ou violência. Já o furto qualificado se dá quando existe vestígio de destruição ao pegar o aparelho. Se o ladrão levar o celular sem estabelecer contato com a vítima, ocorreu um furto. Mas se, o ladrão arrombou o carro ou cortou a bolsa para pegar o equipamento, por exemplo, sem o dono perceber, ocorreu um furto qualificado?, explica o diretor.

                          Conheça algumas dicas que a Seguros SURA preparou para ajudar na hora de contratar esse serviço:

                          - Fique atento aos detalhes ? o pagamento da franquia é obrigatório e o valor, que varia conforme o equipamento assegurado, está estabelecido nos bilhetes do seguro.

                          - Furtos simples geralmente não são cobertos pelos seguros. Para entender a diferença entre os atos, avalie com cuidado o serviço contratado. Essa modalidade é aquela cuja ação foi cometida sem qualquer agravante detalhado no furto qualificado.

                          - Em casos de roubo ou furto, faça imediatamente o boletim de ocorrência. Ele será importante nos procedimentos de sinistro.

                          - Quando for necessário acionar o seguro, lembre-se sempre de confirmar seus dados completos, evitando a necessidade de vários contatos para registrar essas informações.

                          ?A melhor dica é ficar atento a todos os detalhes do seguro e procurar orientação sobre o serviço contratado, para garantir que ele atenderá às necessidades particulares de cada consumidor?, destaca Saab.

                          Contratação do seguro

                          Para quem tem interesse em adquirir o serviço, basta avisar no ato da compra do equipamento eletrônico. Há diversos tipos e fornecedores, que trabalham em parceria com os principais varejistas. Dentre os principais produtos oferecidos pela Seguros SURA, destacam-se: seguro para roubo, furto e danos de equipamentos portáteis ? como celulares, smartphones, notebooks, tablets, câmeras digitais, filmadoras, GPS, videogames ?, garantia estendida para diversas categorias de produtos e o seguro proteção financeira, também chamado de ?prestamista?, que assegura ao consumidor o pagamento de parcelas de um financiamento em caso de incapacidade física, desemprego ou morte.

                          Para mais informações, acesse www.segurossura.com.br.

                          SOBRE A SEGUROS SURA NO BRASIL

                          A Seguros SURA chegou oficialmente ao Brasil em 2016, após a finalização da aquisição da operação brasileira da RSA Seguros. A Seguros SURA Brasil* atua com foco em seguros de Transportes, Frota de Automóveis, Seguros para Pequenas e Médias Empresas (Vida em grupo, Empresarial e Pequenas Frotas), além de oferecer soluções em Seguros de Afinidades, Programa de Seguros para Franquias e o Seguro Residencial. Ao todo, são mais de 300 funcionários distribuídos em escritórios nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Campinas e Ribeirão Preto. A Companhia adota uma série de práticas de gestão de pessoas que refletem no dia a dia da empresa e tem uma cultura corporativa orientada para Clientes, Pessoas e Inovação. Para obter mais informações sobre a Seguros SURA*, incluindo a atuação no Brasil, acesse o nosso site: www.segurossura.com.br.

                          *Seguros SURA (Brasil) S/A (antiga Royal & SunAlliance Seguros (Brasil) S/A)

                          SOBRE A SEGUROS SURA

                          Fundada há mais de 70 anos na Colômbia, a Seguros SURA é uma subsidiária do Grupo SURA, que possui investimentos em diversos setores do mercado latino-americano. Especializado em Seguros de Bens, Pessoas, Responsabilidades, Seguro Saúde e de Acidentes de Trabalho, atualmente é um dos maiores grupos seguradores da América Latina e oferece, além de soluções em seguros, gestão completa de tendências e riscos. A seguradora conta com 13 mil funcionários, mais de 15 milhões de clientes e prêmios líquidos que em 2015 atingiram US$ 4,2 bilhões.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Saraiva relança seguros de roubo, quebra e garantia estendida

                          Em parceria com a Seguros SURA, portfólio receberá novos produtos, além de ganho em funcionalidades

                          Buscando sempre proporcionar a melhor experiência para o cliente, a Saraiva formaliza nova parceria para ampliação e aprimoramento de seu portfólio de seguros de roubo, quebra e garantia estendida. A companhia escolhida é a Seguros SURA, uma das maiores seguradoras da América Latina. A parceria é resultado da identificação da Saraiva com uma empresa que compartilha os mesmos valores, padrão de atendimento e excelência em serviços prestados. Com isso, acontecerão ganhos de funcionalidades, além de entrada de novos produtos, atendendo às demandas dos clientes, que buscam cada vez mais soluções e conveniência.

                          Atualmente, o portfólio de serviços de seguros da Saraiva conta com os seguros de roubo, furto qualificado e quebra acidental, além da Garantia Estendida, que proporciona extensão da garantia do fabricante por mais 12 ou 24 meses. Entre os produtos elegíveis aos dois serviços estão itens de tecnologia, como, por exemplo, notebook, smartphone, tablet, fones de ouvido ou mouse.

                          Com o início da operação da Seguros SURA, além do seguro de roubo, furto qualificado e quebra acidental [Proteção Mais Saraiva], a rede passa a oferecer também o seguro de roubo e furto qualificado [Proteção Saraiva]. Ambos os serviços são válidos por um ano. Em caso de sinistro, o cliente recebe um produto igual ou similar ao contratado no seguro, caso o item eventualmente tenha saído do mercado.

                          Atualmente, o seguro pode ser contratado apenas no ato da compra do produto, porém a partir de novembro, tanto o Proteção Mais Saraiva, quanto o Proteção Saraiva poderão ser adquiridos em até 30 dias após a compra do item. O mesmo vale para a Garantia Estendida, que a partir do próximo mês pode ser contratada até 60 dias antes do término da garantia do fabricante. Além disso, com a parceria da Sura, o cliente Saraiva passa a ter uma central de atendimento exclusiva para abertura de sinistro e esclarecimento de dúvidas.

                          Sobre a Saraiva

                          A Saraiva, empresa focada em educação, cultura e entretenimento, está presente em todas as fases da vida de seus clientes. A companhia opera por meio do conceito multicanal, que integra lojas físicas, internet e dispositivos móveis, com uma ampla gama de produtos e serviços. A empresa conduz seus negócios de comércio eletrônico pelo site saraiva.com.br, cuja operação é totalmente integrada à da rede de lojas físicas, com presença em todo o território nacional.

                          Sobre a Seguros SURA

                          A Seguros SURA chegou oficialmente ao Brasil em 2016, após aquisição da operação brasileira da RSA Seguros e hoje é o quinto maior grupo segurador da América Latina. A Seguros SURA atua no Brasil com foco em seguros de Transportes, Frota de Automóveis, Seguros para Pequenas e Médias Empresas (Vida em Grupo, Empresarial e Pequenas Frotas), além de oferecer soluções em Seguros de Afinidades, Programa de Seguros para Franquias e o Seguro Residencial. Ao todo, são mais de 300 funcionários distribuídos em sete escritórios no Brasil. A Companhia adota uma série de práticas de gestão de pessoas que refletem no dia a dia da empresa e tem uma cultura corporativa orientada para Clientes, Pessoas e Inovação. Para obter mais informações sobre a Seguros SURA, acesse o site: www.segurossura.com.br.


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Procon orienta trabalhador sobre como usar o 13º salário

                          A primeira parcela do 13º salário está sendo paga e o Procon-SP recomenda prudência a…

                          Reportagem do Diário Oficial trás orientações da especialista em direitos do consumidor Márcia Oliveira sobre o uso consciente do 13º salário. http://www.procon.sp.gov.br/noticia.asp?id=4855

                          Veja também vídeo no nosso canal do Youtube com dicas de como aproveitar melhor o 13º. https://www.youtube.com/watch?v=IcoEtUqXs-g&t=10s


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Seguro de Vida do Chapecoense pode chegar a R$ 20 milhões

                          O trágico acidente de avião com o time de futebol Chapecoense fez 76 vítimas fatais,…

                          Segundo o artigo 45 da Lei Pelé, ?as entidades de prática desportiva são obrigadas a contratar seguro de vida e de acidentes pessoais, vinculado à atividade desportiva, para os atletas profissionais, com o objetivo de cobrir os riscos a que eles estão sujeitos?.

                          O site de notícias R7 calculou, em média, o valor total do seguro, com base na declaração do presidente do clube, Sandro Pallaoro, quando o time começou sua trajetória na série A do Brasileirão, em 2014. O valor da folha de pagamento na época chegou a R$ 1,5 milhão, em valores atualizados pela inflação oficial, o que renderia o montante de R$ 20 milhões em seguro.

                          A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) assumiu recentemente a responsabilidade do seguro de vida e auxílio funeral dos atletas profissionais com contratos ativos no sistema da federação.

                           

                          ------------------------------------------------------------------------------------
                          Segs.com.br valoriza o consumidor e o corretor de seguros


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Mulheres, vocês realmente gostam de empreender?

                          Coaches de carreiras e de mulheres dão seu parecer sobre a forma feminina de empreender…

                          O movimento feminino ganhou força total no início dos anos 2000, mas, no Brasil, a luta pelos direitos das mulheres vem acontecendo há muito mais tempo. Embora já tendo direito ao voto desde 1933, ainda nos meados da década de 50 e 60, as mulheres dependiam da autorização dos maridos para trabalharem e, em sua grande maioria, essa aprovação não era concedida. Hoje em dia, o ambiente doméstico não é mais limitado às mulheres e o mundo corporativo e político cada vez mais se depara com elas no poder. No entanto, o sexo feminino ainda encontra certas limitações, seja por discriminação masculina ou barreiras impostas por elas mesmas.

                          Segundo a coach de carreiras, Cecília de Lara, o papel da mulher perante a sociedade não mudou, ela apenas ganhou mais um. ?Vivemos em uma sociedade patriarcal onde a cultura está enraizada desde o período Neolítico, onde nasce a civilização. O homem é o provedor com o trabalho mais pesado e a mulher a protetora do lar com trabalhos doméstico. Mas as coisas estão mudando, as mulheres estão conseguindo se destacar cada vez mais no mercado de trabalho e conseguindo colocar em evidencia a sua força. O importante é se dedicar naquilo que te traz satisfação, sem se sentir pressionada em provar algo a sociedade. Podemos, sim, delegar tarefas que não nos identificamos", diz.

                          Silvana Arena, que é coach de mulheres, completa: ?Aumentou muito o numero de mulheres que tem grande desejo de empreender, mas ainda encontram algumas limitações. O maior problema que elas enfrentam é de se libertar da culpa e do medo, pois acreditam, muitas vezes de forma inconsciente, que ao empreenderem, estão deixando de lado outras tarefas ?da mulher?. O nosso maior problema não é mais o machismo. Sim, ele ainda existe, mas a nossa carta de liberdade já foi dada, graças aos movimentos feministas. Hoje, o desafio de muitas mulheres é, primeiro de tudo, conquistar a sua liberdade interna e empreender em uma vida autêntica e livre, em busca de seus sonhos mais ousados. Depois disso, fica fácil empreender qualquer negócio??, diz.

                          De acordo com ambas as especialistas, o conceito machista embutido na sociedade, tornou as mulheres de hoje muito mais perfeccionistas. Essa característica, embora as ajude a empreender, atrapalha suas vidas pessoais, pois afeta diretamente o emocional. ?Por muitos anos, as mulheres eram limitadas à vida doméstica e isso já era muita responsabilidade, pois, afinal, era o porto seguro dos homens. Infelizmente, esse pensamento não mudará do dia para a noite. Agora, o mundo corporativo, se tornou mais uma tarefa no dia dessas mulheres?, afirma Cecília.

                          Silvana explica que as mulheres foram enquadradas em padrões muito altos na sociedade e esta é a maior causa pelo perfeccionismo feminino exagerado. ?A sociedade dita padrões femininos de beleza, corpo, relacionamentos e carreira. É uma característica das mulheres sempre quererem dar conta de tudo. Mas é muito cansativo ser perfeita em todas as áreas. E quando somos bem sucedidas em uma área e a outra ainda não esta como gostaríamos, em vez de comemorarmos e sermos gratas por mais uma etapa realizada, muitas vezes enfatizamos e sofremos pelo que ainda não temos, ou por simplesmente não estar completo do jeito que os padrões nos cobram. Daí é quando entra esse sentimento horroroso de culpa, baixando e limitando nossa energia e o nosso poder feminino?, argumenta a coach.

                          Cecília conclui, dizendo que as mulheres precisam encontrar um ponto de equilíbrio entre suas vidas profissionais e pessoais, para poderem empreender sem culpa e realmente aproveitarem a oportunidade do empreendimento sem qualquer limitação. ?Quando as mulheres começarem a aceitar que a perfeição não existe, sua saúde mental será muito melhor. Não há nada de errado em priorizar o trabalho de vez em quando, pois nós lutamos para isso acontecer?, diz.

                          Serviço: Cecília de Lara
                          Coach Vocacional e de Transição de Carreiras
                          ceci [DOT] yamashita [AT] hotmail [DOT] com
                          67 8413-4878
                          www.delaracoaching.com.br

                          Silvana Arena
                          Coach de Mulheres
                          sylvanaarena [AT] hotmail [DOT] com

                          Aumentou muito o numero de mulheres que tem grande desejo de empreender, mas ainda encontram algumas limitações. O maior problema que elas enfrentam é de se libertarem da culpa e do medo, pois acreditam, muitas vezes de forma inconsciente que: ao empreender, estão deixando de lado outras tarefas ?da mulher?. O nosso maior problemas não é mais o machismo, sim ele ainda existe, mas a nossa carta de Liberdade já foi dada, graças aos movimentos feministas, hoje o desafio de muitas mulheres é primeiro de tudo é conquistar a Sua Liberdade Interna, e Empreender-se, empreender-se em uma vida autêntica e livre em buscas de seus sonhos mais ousados, depois disso fica fácil empreender qualquer negócio?


                          saiba mais »

                          30/11/2016 - Qual a importância do Contrato de Franquia?

                          Por Diego Simioni

                          Você que pretende comprar uma franquia, mais cedo ou mais tarde, irá se deparar com uma tarefa árdua: avaliar o contrato da marca que escolheu. Independente do segmento, ele certamente estará presente na fase final da compra de uma franquia.

                          A maioria das pessoas não gosta de ler contratos. Eu também não. Mas é fundamental que você leia e entenda muito bem esse documento. É sempre bom contar com a ajuda de um advogado, e é importante que ele conheça pelo menos um pouco sobre o setor de franchising.

                          Primeiramente, cabe destacar que o contrato é diferente da famosa COF - Circular de Oferta de Franquia. São dois documentos. A COF é obrigatória, segundo a lei de franquias, e todo franqueador deve fornecer aos interessados em comprar uma franquia de sua marca. Nela, que por lei precisa ser entregue ao candidato pelo menos 10 dias antes do Contrato, estão descritas todas as regras do negócio.

                          Junto com a Circular de Oferta de Franquia, deve ser fornecido também o Contrato de Franquia. A cargo dele, fica o tradicional ?juridiquês?. Ele deve conter, em essência, as mesmas regras descritas na COF, mas em formato de cláusulas contratuais.

                          Além do Contrato de Franquia é muito comum as redes utilizarem outro instrumento, chamado de Pré-Contrato de Franquia, para formalizar a compra antes da assinatura do contrato definitivo. Portanto, na maioria dos casos, junto com a Circular de Oferta de Franquia, além de receber o Contrato, você receberá também o Pré-Contrato.

                          Uma característica importante do Contrato de Franquia é que ele é personalíssimo. ou seja, você não pode transferi-lo para um terceiro sem aprovação da franqueadora. Tanto é que você o assinará duas vezes: uma como Pessoa Física e outra como o responsável legal da Pessoa Jurídica que você acaba de constituir.

                          Antes de assinar Contrato de Franquia, você precisa analisar algumas questões. Primeiramente, consulte a situação da marca no INPI - Instituto Nacional da Propriedade. Na Circular de Oferta de Franquia deve conter o número do registro. Caso a marca tenha sido indeferida ou contestada por um terceiro, isso é um sinal de atenção.

                          Na sequência, procure entender exatamente qual o critério que define o território de atuação da sua unidade. Normalmente, essa é a cláusula que mais gera polêmica. Há vários tipos de definição, como território livre, exclusivo ou preferencial. Fique atento ao que cada um representa.

                          Depois, procure entender quais serão seus fornecedores e a política de compras. Normalmente, as redes de franquia trabalham com três tipos de fornecedores ou com a combinação de alguns deles: fornecedores terceiros homologados; fornecedores livres; e fornecedores próprios (quando o franqueador é o fornecedor). Mais do que entender como funciona a cadeia de fornecimento, é importante entender as regras relacionadas às compras.

                          Procure ainda conhecer a política de preços de venda dos produtos e serviços. É fundamental entender o que diz o Contrato de Franquia sobre a prática de preços de venda e condições comerciais na rede. Fique atento principalmente quando o franqueador estabelecer preços fixos de venda, independente da praça de atuação da unidade franqueada.

                          Entenda também qual é o tipo de suporte oferecido. Um dos motivos pelos quais você provavelmente está comprando uma franquia é porque acredita que contará com o suporte da franqueadora.

                          Preste atenção ainda nas regras de renovação do contrato. A maioria dos Contratos de Franquia tem seu prazo de duração definido em cinco anos. Apesar de parecer um período longo, é natural que você se preocupe com o que acontece após esse tempo, afinal você realizou um investimento importante para abrir uma franquia e na teoria, irá se dedicar a criar uma franquia de sucesso.

                          Mesmo que nem de longe seja sua intenção, é preciso analisar o que diz o Contrato para caso você queira sair do negócio ou vender sua franquia. Vender ou fechar uma franquia não é a mesma coisa que fechar um negócio próprio. Como o Contrato de Franquia é personalíssimo, isso significa que você não pode vender sua franquia para qualquer um, sem aprovação da franqueadora.

                          Enfim, entender o seu Contrato de Franquias e quais são as regras pelas quais a sua relação com o franqueador será regida é uma etapa fundamental antes de comprar uma franquia. É importante conhecer um pouco sobre a lei de franquias, entender a função de cada documento que receberá da empresa franqueadora e quais são as principais cláusulas presentes neste tipo de contrato e no que você precisa estar atento. Estando bem informado você terá muito mais chance de fazer um bom negócio!

                          Se interessou pelo tema? Confira o post completo sobre o assunto no blog no meu blog.

                          Diego Simioni é administrador de empresas e fundador do FranquiAZ consultoria especializada no segmento de franquias.

                          Sobre a FRANQUIAZ
                          http://franquiaz.com.br/
                          (11) 2501 9949


                          saiba mais »

                          01/12/2016 - Equipe da SOMPO SEGUROS planta mil árvores no Parque Ecológico do Tietê para neutralizar carbono de sua frota

                          Equipe da SOMPO SEGUROS planta mil árvores no Parque Ecológico do Tietê para neutralizar carbono de sua frota
                          Ação resultou na obtenção do selo Frota Neutra de Carbono e faz parte da política…

                          A Sompo Seguros S.A., empresa do Grupo Sompo Holdings ? um dos maiores grupos seguradores do mundo ? acaba de conquistar pelo segundo ano consecutivo o selo Frota Neutra de Carbono. A companhia recebeu o certificado pelo IBDN - Instituto Brasileiro de Defesa da Natureza - em reconhecimento pelo esforço em minimizar os efeitos dos poluentes emitidos por sua frota de veículos.

                          Como parte da iniciativa, a Sompo Seguros mobilizou dezenas de colaboradores que aceitaram o convite de participar junto com seus familiares do plantio de mais de mil mudas de árvore na Floresta Sompo Seguros, localizada no Parque Ecológico do Tietê. As novas mudas se juntam a outras mil árvores plantadas no ano passado com o mesmo propósito.   

                          A disposição em investir na ação de neutralidade de carbono de sua frota faz parte da política global da Sompo Seguros, que contribui para promover a realização de uma sociedade resiliente e sustentável, abordando questões ambientais em seu negócio, bem como junto aos seus diversos públicos de interesse. Para essa ação específica, a Unidade de Patrimônio da empresa calculou a quantidade que deveria ser plantada para neutralizar todo o gás carbônico emitido por sua frota de veículos.

                          O Parque

                          O PET (Parque Ecológico do Tietê), criado em 1976 e inaugurado em 1982, possui uma área de 14,1 milhões m², uma área equivalente a 5 Central Parks ou a 11 parques do Ibirapuera. O parque foi instituído com o objetivo de preservar o rio Tietê e um pouco de suas várzeas, além de possibilitar uma área de lazer para a população da Região Metropolitana de São Paulo.

                          QUOTE:

                          Sven Robert Will, diretor financeiro e de sustentabilidade da Sompo Seguros:

                          ?Além da oportunidade de integração entre os colaboradores, que têm grande interesse e se engajam em ações relacionadas a esse tema, a Sompo também cumpre um papel social, por viabilizar um aumento da área verde em um espaço público relevante de São Paulo e por trazer benefícios para a geração atual e futuras?.

                          Sobre a SOMPO Seguros S.A.

                          A Sompo Seguros S.A. é uma empresa do Grupo Sompo Holdings, um dos maiores grupos seguradores do Japão e do mundo. Resultado da integração das operações da Marítima Seguros, companhia fundada em Santos em 1943, e da Yasuda Seguros, que está no Brasil desde 1959; a companhia atua nas áreas de Seguros Corporativos (Auto Frotas, Transportes, Vida em Grupo, Acidentes Pessoais Coletivo, Empresariais Segmentados, Riscos Diversos, entre vários outros) e Pessoais (Auto, Residencial e Acidentes Pessoais); bem como na área de Seguro Saúde. Atualmente a empresa conta com filiais em todas as regiões brasileiras.

                          O Grupo Sompo Holdings tem sua origem no Japão, atua há 128 anos no mercado de seguros e hoje conta com subsidiárias nos cinco continentes. No Japão, disponibiliza uma vasta gama de seguros nas áreas de Ramos Elementares, Vida e Acidentes Pessoais, além de outros produtos financeiros e serviços a fim de propiciar incremento na segurança, saúde e bem-estar dos clientes.

                          • sompo
                          • yasuda marítima


                            saiba mais »

                            01/12/2016 - TOKIO MARINE é eleita Seguradora de Vida do Ano no Troféu Pinhão de Ouro 2016

                            Marcos Kobayashi - Superintendente Comercial Nacional Vida
                            Companhia é reconhecida por sua atuação no segmento de Pessoas pelo terceiro ano consecutivo

                            A Tokio Marine, uma das maiores seguradoras do Brasil, foi eleita a Seguradora de Vida do Ano na 12ª edição do Troféu Pinhão de Ouro. O prêmio é reflexo dos investimentos da companhia em sua expansão comercial, com contratações e abertura de escritórios, além da qualidade de seus produtos, serviços e do excelente relacionamento que mantém com os Parceiros de Negócios e Clientes do estado do Paraná.

                            ?Trata-se de um reconhecimento resultante do forte trabalho regional realizado pela companhia, com a atuação direta das gerentes de Vida Rosângela Spak e Josiane D´Ávila, que atendem aos Corretores e Assessorias de todo o Estado, em parceria com as gerentes executivas das Sucursais do Paraná?, afirma o Superintendente Comercial Nacional Vida, Marcos Kobayashi.

                            A Tokio Marine tem reconhecida expertise internacional e um amplo leque de soluções, principalmente para o segmento de Pessoa Jurídica. Em 2016, a seguradora registrou excelentes resultados no Estado do Paraná. Curitiba, maior praça da região, cresceu 6,95% nos últimos 12 meses. A meta da companhia é figurar entre as dez maiores Seguradoras de Pessoas do País até 2018. Para Kobayashi, a participação no Troféu Pinhão de Ouro é uma importante oportunidade de reafirmar a posição de referência no segmento de Seguro de Pessoas e reforçar a imagem da marca. ?O recebimento do Troféu Pinhão de Ouro comprova a solidez da seguradora no setor. Dedicamos o prêmio a equipe comercial do Paraná e também aos Corretores e Assessorias que trabalham conosco?, celebra o executivo.

                            Além de Kobayashi, a Tokio Marine foi representada na cerimônia de premiação por Sergio Luis de Lima, Gerente Comercial da Sucursal Curitiba, Rosângela Spak, Josiane D? Ávila e Luiz Gustavo Costa, Gerentes Comerciais Vida

                            Realizado anualmente, o troféu Pinhão de Ouro premia os destaques do mercado de seguros de Vida, Previdência, Saúde e Dental no território paranaense. O levantamento é feito por meio de votação online, no site da entidade, pelos Corretores de seguros que atuam na região e têm cadastro ativo na Superintendência de Seguros Privados (Susep). Durante a solenidade, é realizada, ainda, a escolha presencial dos vencedores das 14 categorias premiadas. A 12ª edição do prêmio foi realizada no dia 24 de novembro, no Espaço Nova Curitiba.

                            Sobre a Tokio Marine Seguradora

                            A Tokio Marine Seguradora S.A. é uma das maiores seguradoras do Brasil e do mundo. É subsidiária da Tokio Marine Holdings, o mais antigo conglomerado securitário japonês. Fundada em 1879, possui operações em 38 países e tem sua matriz mundial localizada em Tóquio, no Japão. No Brasil desde 1959, a Tokio Marine Seguradora coloca à disposição do mercado brasileiro um amplo leque de soluções para Clientes Pessoa Física e Jurídica, por meio de uma estrutura com 72 unidades de negócios, incluindo sucursais e escritórios em todo o País. O portfólio de Produtos Massificados contempla os seguros de Automóvel, Frotas, Residencial, Condomínio e Equipamentos, além dos seguros de Vida, Acidentes Pessoais e Prestamista para Empresas. Já a carteira de Produtos Corporativos inclui Seguros para Pequenas, Médias e Grandes Empresas, Transportes, Riscos de Engenharia, Riscos Nomeados e Operacionais, Riscos de Petróleo, Garantia, Responsabilidade Civil, Equipamentos, Náutico e Aeronáutico. Em 2016, foi eleita na 8ª posição como uma das Melhores Empresas para Trabalhar, de acordo com pesquisa conduzida pelo Great Place to Work® Brasil. Para mais informações, acesse: www.tokiomarine.com.br.

                            • tokio marine


                              saiba mais »

                              01/12/2016 - 4º Simpósio ExpoCIST reúne 400 profissionais de seguros de transporte para qualificação e relacionamento

                              4º Simpósio ExpoCIST reúne 400 profissionais de seguros de transporte para qualificação e relacionamento
                              Aproximadamente 400 profissionais da área de seguros de transportes ? ligados a seguradoras, corretoras e…

                              Depois da palestra de abertura e boas-vindas, com lideranças dos setores de transportes e de seguros, foram cinco painéis de apresentações e debates em torno do tema deste ano ?O cenário dos seguros de transportes no Brasil?, que levaram ainda mais qualificação para o especializado público. ?O IV Simpósio ExpoCIST é, de fato, uma grande oportunidade para expansão do conhecimento ? o que, alias, é nossa missão. O CIST mantém firme seu foco na capacitação, e por isso construímos com muito esmero todo esse polo de conhecimento, com a participação também de importantes entidades ligadas aos seguros de transportes?, disse o presidente do CIST, José Geraldo da Silva.

                              Paralelamente às apresentações do Simpósio aconteceu a feira de exposições. Apesar de ter sido um ano de adversidades econômicas, o CIST contou com a confiança e apoio de importantes entidades, bem com, do patrocínio de 17 empresas. ?A excelente adesão é reflexo absoluto da credibilidade e do interesse pela proposta apresentada. Sem tal apoio não seria possível concretizar este trabalho?, afirmou Geraldo.

                              O evento foi estendido durante a noite com coquetel, apresentação de dança do ventre e show de ilusionismo, intensificando as oportunidades de relacionamento entre os participantes.

                               

                               

                               

                               

                               

                              • cist


                                saiba mais »

                                01/12/2016 - Compliance como ferramenta de gestão foi tema de evento da AIDA

                                Compliance como ferramenta de gestão foi tema de evento da AIDA
                                No último dia 29 de novembro, no Auditório da Escola Nacional de Seguros - São…

                                "Os compliances, ou setores de conformidade, nascem no sentido de ética, responsabilidade social que compõe a grande cesta de onde nasce a governança coorporativa. Os compliances são na verdade uma ferramenta que faz parte da governança coorporativa, uma ferramenta de controle para influenciar positivamente os negócios de uma instituição empresarial." explica Angélica Carlini.

                                Segundo Giovani Saavedra, como o compliance tem sido utilizado como argumento de acusação, as pessoas dentro das empresas que são responsáveis pela área de compliance e os consultores que trabalham para área de criação de compliance podem vir a ser responsabilizados penalmente, pois eles ao iniciarem um programa de compliance estão assumindo uma responsabilidade, um dever de evitar o problema.

                                "Nós já temos orientações jurisprudenciais de que o fato dessas pessoas não ter feito seus trabalhos adequadamente aumentou o risco do problema e eles deveriam ter percebido esse problema, justamente essa falta os torna responsabilizados", afirma Saavedra.

                                Para o Dr. Leonardo Pantaleão, o compliance bem feito é uma possibilidade de defesa, pois significa que a empresa está imbuída no sentido de cumprir as regras que vigem naquele determinado país, então se há alguma uma estrutura de compliance já demonstra de uma forma inequívoca o intuito da empresa de seguir as regras e não de burlá-las.

                                "O compliance não é só um departamento, mas sim jurídica, auditoria interna, são os controles internos, mas acima de tudo são sistemas de governança coorporativa da empresa, é o conselho de administração, são os diretores da alta administração e isso chega a todos os funcionários fazendo o contato direto com nossos clientes e consumidores", conclui Vera Carvalho Pinto, diretora jurídica da Chubb.


                                saiba mais »

                                01/12/2016 - Setor de seguros elege 44 advogados no ranking "Os Mais Admirados do Direito"

                                Setor de seguros elege 44 advogados no ranking
                                A 11a edição do anuário Análise Advocacia 500 traz os nomes dos 1.245 advogados, dos…

                                A pesquisa da 11a edição do anuário Análise Advocacia 500 procurou mais de 1.800 empresas, que representam 64% do PIB do Brasil, para votar nos escritórios e nos advogados que mais admiram nas doze especialidades do Direito. Destas empresas, 38% têm faturamento líquido acima de 1 bilhão de reais. Este ano, foram feitas 906 entrevistas, onde 41 escritórios foram eleitos pelo setor securitário. Dos 180 advogados indicados pelo setor, 44 foram admirados.

                                A publicação apresenta um número recorde de escritórios que foram Mais Admirados pela primeira vez. São 81 bancas novas e 33 que passaram por fusão ou cisão no último ano. Em 2015, esse número foi de 70 novos escritórios e 30 fusões e aquisições. Além disso, esta edição da pesquisa revela um aumento expressivo no número de escritórios Mais Admirados fora do eixo tradicional de São Paulo e Rio de Janeiro. O destaque é dos escritórios sediados na região Sul do país, onde a quantidade de advogados eleitos mais do que dobrou em relação ao ano passado.

                                A lista dos Escritórios Mais Admirados, desta edição do anuário, conta com representantes de 20 dos 26 estados brasileiros, e além do Distrito Federal. Pela primeira vez o estado do Sergipe está representado com um escritório e um advogado admirados. Além disso, Alagoas volta a figurar no anuário após seis anos. Também são apontados os profissionais e os escritórios de todo o país eleitos Mais Admirados pelos executivos de 36 setores econômicos.

                                As mudanças no mercado da advocacia nacional foram muitas desde a primeira edição da publicação, em 2006. Os escritórios se multiplicaram, ficaram maiores e mais sofisticados, deixando de formar um conglomerado único e homogêneo. Atendendo a este novo panorama do setor, desde 2014, a Análise Editorial passou a dividir as bancas por categoria de atuação: full service, abrangente e especializada. No primeiro grupo, estão os escritórios que prestam serviço em todas ou praticamente todas as especialidades; no segundo, os que oferecem um leque amplo de serviços, e no terceiro, os que concentram sua atuação em especialidades específicas. Analisá-los dessa maneira permite comparações mais adequadas, refletindo melhor quem é quem e como cada um se insere no mercado. Na edição 2016, das bancas de advocacia Mais Admiradas, a maioria tem atuação abrangente, atingindo 46% do total de escritórios eleitos. Aquelas que atuam de maneira full service ou especializada (as butiques), correspondem a 13% e 41%, respectivamente.

                                A lista dos Mais Admirados é obtida em pesquisa realizada pela equipe da Análise Editorial, anualmente, com os responsáveis pelos departamentos jurídicos das 1.800 maiores empresas do Brasil. Na edição que chega agora ao mercado, 906 executivos responderam ao questionário, indicando até três escritórios e três advogados que eles mais admiram em 12 especialidades do Direito. Ao todos, foram citados 1,6 mil escritórios e 3.745 advogados. Desses, 576 escritórios e 1.245 advogados somaram pontos suficientes para estar em, pelo menos, um dos rankings da publicação.

                                Análise Advocacia 500 Edição 2016 traz ainda, pelo segundo ano, a ?Seção Diretório?. Sem vinculação com o conteúdo da pesquisa dos Mais Admirados, as 87 páginas da nova seção apresentam o perfil de 338 escritórios, que podem estar na lista dos Mais Admirados ou não. A diferença é que os perfis publicados no suplemento pertencem às bancas que se interessaram em replicar as informações que já publicam no anuário Diretório Nacional da Advocacia, o Análise DNA.

                                Sobre a Análise Editorial: primeira empresa jornalística do Brasil dedicada exclusivamente à produção de anuários especializados nas áreas de comércio exterior, energia, gestão ambiental, advocacia, entre outros. Todo o conteúdo produzido é apresentado de forma a facilitar a consulta e proporcionar uma análise profunda e objetiva dos principais setores da economia do país.

                                As revistas da Análise Editorial trabalham com um volume de informações admirável de maneira a atender um público exigente, formado por quem toma decisões e forma opinião, para quem exatidão é tudo. A missão da editora é participar do esforço para a construção de um ambiente de negócios mais organizado.

                                No campo jurídico, além do Análise Advocacia 500, publica dois outros anuários: o Diretório Nacional da Advocacia, que amplia o conhecimento do mercado a respeito dos escritórios em atuação no Brasil, e o Análise Executivos Jurídicos e Financeiros, que apresenta ao mercado os responsáveis pela condução dos departamentos jurídicos das principais empresas brasileiras. A editora conta com um admirável e detalhado banco de dados a respeito de mais de 7 mil escritórios de advocacia, um ativo único no país.

                                Análise Editorial (www.analise.com)
                                Rua Major Quedinho, 111 ? 16º andar
                                Centro ? São Paulo, SP ? 01050-904


                                saiba mais »

                                01/12/2016 - Quem matar se sua empresa estiver em crise

                                Especialista em crises empresariais diz que na hora do problema é preciso deixar as velhas…

                                O que é preciso fazer para tirar uma empresa do buraco? Com o livro ?Quem matar na hora da crise?? (editora Évora), o especialista em situações deste tipo Artur Lopes diz que só há uma solução definitiva para a crise: matar as velhas concepções ? ou deixar a empresa morrer. ?Quem está em crise, muitas vezes entra em pânico e não sabe que é possível renegociar dívidas?, explica.

                                Em uma situação deste tipo, a empresa perde crédito e os agentes financeiros começam a ficar impacientes, tentando reaver o que foi emprestado. E pior do que lidar com isso e sair da crise, é reconhecer que a pequena empresa tem problemas. A identificação rápida do início da crise é fundamental para sair do vermelho com mais força. ?A cultura do empresário nacional, que já passou por confisco e maxidesvalorização, é de não dar importância para indicadores negativos. Quando ele vê alguma dificuldade acha que dá conta lá na frente?, afirma.

                                Estou em crise?

                                Existem alguns sinais muito claros de que a sua empresa está prestes a enfrentar uma crise. O primeiro é o aumento das dívidas, especialmente com os bancos. ?Você passa a tomar recursos não só para o capital giro e acaba cobrindo o prejuízo operacional com dinheiro externo?, ressalta o especialista.

                                O segundo sinal é uma questão fiscal. ?Quando há o aumento do passivo fiscal a empresa não recolhe impostos ou parcela demais?, diz. O terceiro indicativo de problema é quando há uma sequência de resultados operacionais negativos. ?Depois de três meses de resultado negativo já tem que acender a luz amarela?, alerta. Atrasar o pagamento de fornecedores e funcionários é estar a um passo da crise. Sem matéria-prima e mão de obra, a empresa não consegue se recuperar.

                                Estes sinais podem estar ligados a causas diversas, que devem ser investigadas depois que as contas voltarem ao normal. O problema pode vir de um investimento mal feito, queda no resultado e problemas na sociedade, por exemplo. ?O empresário tem que ler esses indicadores e quanto mais cedo tratar essa crise, melhor. É como se você estivesse tendo febre e não fosse ao médico?, explica.

                                Como se salvar?

                                O processo de reestruturação, ou turnaround, exige mais do que capacidade de gestão. É preciso equilíbrio emocional e superação. ?O empresário por si só, por conta do envolvimento emocional, geralmente não consegue tratar a crise de maneira adequada?, diz. Isso significa que sem a revisão completa da organização ? inclusive do dono ? não há salvação para o negócio.

                                Tirar a empresa do vermelho pode levar anos. Mas é possível voltar a ter uma operação para sobreviver com dois meses de muito trabalho. Os números são os principais aliados no começo da recuperação. ?Precisa olhar a estrutura de pessoal, medir o tempo das máquinas e tratar de gargalhos fabris?, sugere. Esta primeira ação serve para gerar lucro e cobrir o passivo da operação.

                                Assim como não é instantâneo, o tratamento também não é pontual. ?É um processo multidisciplinar que tem que envolver todas as áreas. É preciso gerar uma rotina de trabalho para que a gestão financeira seja eficaz?, ensina.

                                Uma das ferramentas mais eficientes para começar a colocar a casa em ordem é o fluxo de caixa. ?É necessário evitar desperdícios e financiar a operação de maneira planejada. Isso significa que não pode criar estoque nem deixar de atender a demanda?, diz. A lição é ter uma operação casada e ler a carteira de pedido para não ter dispersão do pouco capital que a empresa dispõe.

                                O passo seguinte é reavaliar o mix de produtos. ?Eu cheguei a uma empresa com 22 mil itens no portfólio e baixamos para 700. O reflexo no faturamento foi de 2%, porém a economia gerada por essa inteligência comercial foi amplamente vantajosa. Quando o capital de giro é escasso, a gente tem que ter ações deste tipo?, exemplifica.

                                Sobre Artur Lopes.
                                Advogado e fundador da Artur Lopes & Associados, empresa de consultoria para recuperação, consolidação e ampliação de negócios. Possui mais de 20 anos de experiência em gestão de crises e faz parte da TMA Brasil, representante brasileira da Turnaround Management Association, entidade internacional que trata de reestruturação e recuperação judicial. Autor dos livros "Negócios sem crise?, "Recuperação judicial" e "Quem matar na hora da crise? - como resgatar sua empresa e fazê-la crescer?.


                                saiba mais »

                                01/12/2016 - SulAmérica celebra 120 anos em Campinas

                                A SulAmérica, maior seguradora independente do país, promoveu mais um evento em comemoração aos 120…

                                Participaram do evento o presidente do Conselho de Administração da SulAmérica, Patrick Larragoiti Lucas, o presidente da companhia, Gabriel Portella, o vice-presidente Comercial, Matias Ávila, o vice-presidente de Auto e Massificados, Eduardo Dal Ri, o vice-presidente de Investimentos, Vida e Previdência, Marcelo Mello, e outros executivos seguradora.

                                Executivos da SulAmérica celebram os 120 anos da companhia em Campinas

                                A celebração no Espaço Vert reuniu 240 convidados, entre corretores de seguros, prestadores e autoridades do setor. O momento de confraternização marcou o encerramento das comemorações de 120 anos da companhia, realizadas em diferentes cidades ao longo do ano.

                                ?A história da SulAmérica é marcada pela atuação de muitos parceiros, que nos ajudaram a construir uma trajetória de conquistas nos últimos 120 anos. Terminamos este ciclo de celebrações pelo país e esperamos ter ainda mais motivos para comemorar nos próximos anos, intensificando ainda mais o relacionamento com nossos parceiros?, destacou Portella.

                                Sobre a SulAmérica

                                A SulAmérica é a maior seguradora independente do Brasil, com uma rede de distribuição de mais de 30 mil corretores independentes. Fundada em 1895, a companhia possui cerca de 5,3 mil funcionários e atua em várias linhas de seguros, como saúde e odontológico, automóveis e outros ramos elementares, vida, além de outros segmentos, como previdência privada, investimentos e capitalização. A SulAmérica tem mais de 7 milhões de clientes, de pessoas físicas a grandes empresas, em todo o país. Em 2015, a companhia registrou receitas totais de R$ 17,4 bilhões.

                                 


                                saiba mais »

                                01/12/2016 - Natal 2016: Como Diminuir As Perdas No Varejo?

                                O Natal está chegando e a última chance de o varejo melhorar o lucro, especialmente…

                                Outro ponto fundamental. Como o varejo trabalha com margens muito reduzidas, é vital investir em tecnologia para reduzir as perdas de mercadorias, oriundas de furtos internos e externos, e consequentemente aumentar os lucros. Segundo Luiz Fernando Sambugaro, diretor de comunicação da Gunnebo Brasil (www.gunnebo.com.br), especializada em soluções antifurto para o varejo, as perdas médias no mercado chegam a 2,7% sobre o faturamento das empresas.

                                Para evitar uma significativa redução na rentabilidade de seu negócio, a prevenção de perdas precisa ser iniciada antes das grandes datas comerciais. Ou seja, ainda há tempo para adoção de algumas medidas.

                                Infelizmente, como acontece com as vendas, os furtos internos e externos crescem nas datas comemorativas. No gerenciamento adequado das perdas é essencial considerar o tripé tecnologia, pessoas e gestão (normas e procedimentos). A tecnologia deve ser atualizada, compatível com o nível do negócio, de origem confiável e de custo-benefício favorável ao seu empreendimento.

                                Por outro lado, é necessário ter bons funcionários, treinados e atualizados, alinhados com os objetivos da empresa e conscientes das potenciais perdas inerentes ao negócio, para que possam contribuir com a redução. E, por fim, ter uma boa gestão, com normas e procedimentos, pois são elas que darão a direção.

                                Sendo a prioridade número um, dois e três do varejista vender, a tecnologia moderna deve ser voltada sempre para o conceito da prevenção e evitar que o oportunista entre na loja com o intuito de furtar, ou que seu funcionário tenha uma oportunidade de praticar um delito por falta de ?fiscalização ostensiva?.

                                A primeira coisa que se recomenda são as câmeras estrategicamente posicionadas e monitoradas pela equipe local ou através de um serviço remoto.Em seguida, do ponto de vista de inibição, as antenas eletrônicas colocadas na entrada das lojas, são muito eficazes, pois o delinquente ao vê-las, com muita probabilidade evitará de entrar em seu estabelecimento, principalmente se houver um vizinho menos preocupado com isso. Também é importante estar atento às outras ferramentas, como etiquetas de proteção, espelhos convexos, cadeados eletrônicos, cabos de aço, cofres inteligentes e inventário constante e mais efetivo, além da equipe treinada para lidar com as eventuais ocorrências na loja.

                                Com o maior volume de pessoas e funcionários, as áreas mais críticas a serem monitoradas são, com certeza, compras, recebimento, estoque, devolução, troca de mercadorias, tesouraria, fechamento de caixa e transporte do dinheiro. Por isso, não pense duas vezes. A prevenção de perdas é investimento com retorno certo e cada vez mais deve fazer parte da estratégia da empresa e tornar-se cultural ao longo do tempo, informa Sambugaro.

                                Sobre a Gunnebo Brasil (www.gunnebo.com.br) - Com sede na Suécia, a Gunnebo está presente em 32 países e realiza negócios em mais de cem nações. É especializada em soluções de segurança física e eletrônica, gestão de numerário e controle de acesso. Emprega aproximadamente 5.500 colaboradores em todo o